Partido Pirata tem boa chance de participar no Parlamento Europeu

Por , em 31.03.2009

O ativista Christian Engström se parece mais com um engenheiro do que com um bucaneiro. No entanto, em junho, ele será um dos vinte candidatos concorrendo aos assentos no Parlamento Europeu sob a bandeira do Partido Pirata Sueco – e a bandeira faz jus ao nome, é uma caveira sobre dois ossos cruzados.

Na verdade, a pirataria que o partido defende não é a mesma do Capitão Gancho. Eles lutam para que as restritas leis de direitos autorais na Suécia sejam amenizadas. “Se políticos querem impedir cidadãos de baixar arquivos da internet, eles vão ter que, constantemente, expandir sua capacidade de monitoramento. É necessária uma reforma nas leis de copyright para garantir que ninguém do governo acabe invadindo a privacidade do usuário de internet”.

Fundado por ativistas do copyright em 2006, o Partido Pirata acredita que as pessoas podem copiar músicas e livros à vontade, desde que seja para uso privado. O partido é dedicado a reformar as leis de direitos autorais, torna-las mais flexíveis e criar projetos para que a privacidade do usuário de internet seja garantida.

No entanto, apesar de fazer um sucesso estrondoso entre os jovens, o partido não ganhou muitos votos em 2006, ficando com apenas 0.63%.

Mas, de acordo com Engström, os tempos mudaram. O partido está crescendo, já que as leis de direitos autorais na Suécia estão cada vez mais rígidas, e agora os piratas contam com 12 mil membros. Ou seja, ele é maior do que o Partido de Direita Sueco e do que o Partido Verde Sueco. A ala jovem do partido, os Jovens Piratas, é o segundo maior movimento jovem do país.

Engström acredita que esse novo apoio dará uma verdadeira chance aos candidatos do partido. A eleição para o Parlamento Europeu acontecerá em 27 estados membros da União Européia e será entre os dias 4 e 27 de junho.

O “quartel” da União Européia fica em Bruxelas, e é lá que a maior parte das leis envolvendo disseminação de informação na Europa é criada. “É em Bruxelas que as decisões são tomadas então eu quero estar lá” comenta Engström.

Para conseguir ganhar as eleições de Junho, o Partido Pirata deve manter as discussões sobre leis de copyright e privacidade online “quentes” até lá.

De acordo com Ulf Bjereld, professor de ciências políticas da Universidade de Gothenburg, na Suécia, as chances do Partido Pirata ganhar as eleições ainda são pequenas. “No entanto, eles não devem desanimar. Já vi partidos pequenos surpreenderem a todos e ganharem as eleições. No entanto, eles precisam aumentar sua influência, buscar votos fora do “grupo” deles, mudar opiniões” explica. [Wired]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

Deixe seu comentário!