Piratear filmes ou pagar para assistir: seus melhores argumentos

Por , em 10.03.2014

Quando perguntamos o que você pensava sobre pirataria x pagar para assistir séries e filmes não esperávamos tantas respostas ou sequer que a questão fosse tão bem discutida. Vamos sintetizar aqui os aspectos que mais foram comentados e aqueles que consideramos mais importantes.

Contra a pirataria

O que mais me impressionou foi a quantidade de pessoas contra a pirataria. Não sei se é por ter que aprender habilidades novas — já que navegar por índices de torrent e outras áreas mais obscuras da internet é como passear por uma vizinhança barra-pesada da cidade procurando por barganhas — ou por causa de uma real posição ideológica, como o Hugo:

Acredito que os consumidores e o retorno financeiro que estes geram são os motivos para que a produção seja feita e sem estes a produção cultural e intelectual (por quê não?) estarão em séria crise, afinal, vivemos num mundo capitalista.

Ele está certo neste ponto: só temos filmes e seriados porque eles dão lucro. Se não derem lucro não tem motivo para existirem. Ninguém trabalha de graça, ao menos não o tempo todo já que temos que ganhar a vida. Se todo mundo pirateasse teríamos apenas conteúdo indie para assistir, de fundo de garagem. Você teria que dar adeus aos filmes e seriados multimilionários que sempre amou assistir.

Disponibilidade

Nem tudo o que você quer assistir está disponível para comprar, simples assim.

Anderson R: Uso todos os serviços disponíveis de acordo com o interesse e a oferta, não se trata apenas de qual é melhor método para assistir, mas de qual vai ser satisfatório. Costumo baixar filmes de terror trash que são difíceis de ser encontrados, quando perco algum lançamento no cinema, baixo por torrent, só que acho injusto me considerar fan de um filme ou uma série sem ao menos fazer qualquer tipo de contribuição ao trabalho que tiveram, por isso, quando posso, gasto um pouco pra ter um DVD legal.

aderbal: A distribuição dos serviços hoje é muito atrasada(principalmente TV a cabo), por exemplo eu tenho acesso a Fox e vejo TWD pela internet, pois passa muito tarde quando já estou dormindo…

O seriado Game Of Thrones levou eras para aparecer no iTunes ou sequer em DVD após as primeiras temporadas. Apenas depois de um cartunista ter feito piadas sobre isto, afirmando estar se sentindo obrigado a piratear a série, que ela foi disponibilizada para download e streaming na internet.

Preços altos

Renan: Por que comprar um DVD original é caro pra cara*)&. Eu, ganhando um salário mínimo, não vou pagar mais de 100 reais para uma produtora multi-bilionária só pra assistir um filme que eu posso facilmente baixar ou simplesmente esperar passar na TV depois de alguns meses.

Por outro lado:

Hugo: Claro que a produtora vai cobrar caro. Ela vai gastar milhões e milhões num filme e não ter o retorno?

A maioria justifica sua pilhagem digital falando que os preços são altos demais. No caso dos DVDs isto pode ser verdade, mas conteúdo via internet é geralmente acessível. Não considero uma boa justificativa quem reclama de preço alto e não assina o Netflix por R$ 17 ao mês que tem um acervo gigantesco, com muita, muita coisa boa. Cheira a hipocrisia. Eu mesmo estou me deliciando com o Sherlock recentemente no Netflix.

Mas tenho que admitir que se tivesse que viver de salário mínimo possivelmente não pagaria o Netflix.

Pirataria benéfica para a indústria

Naldo Soares: a pirataria primariamente ilegal é benéfica, porque obriga a indústria do entretenimento a encontrar opções legais e mais justas para a população.

Foi exatamente o que aconteceu. iTunes, Google Play, Amazon e Netflix aqui são provas disso aqui e lá fora há diversas alternativas para assistir conteúdo recente como Hulu por assinatura (e barata) em seriados e inúmeros outros serviços para filmes. Eu mesmo já cheguei a contratar o Hulu junto com um serviço de proxy para assistir a seriados sem ter que fazer download irregular. O objetivo era mais comodidade do que salvar as “pobres produtoras”: baixar e se manter atualizado é chato e trabalhoso.

O próprio Paulo Coelho disse, alguns anos antes da era dos e-readers e iPads, que achava a pirataria benéfica para os escritores. Ele descobriu que os russos pirateavam seus livros intensamente, no entanto compravam o livro em seguida. É como se o download ilegal tivesse o objetivo de degustação apenas. O filme Tropa de Elite (2007) virou um cult instantâneo ao vazar na internet antes mesmo de aparecer nos cinemas e hoje o diretor José Padilha está a frente de blockbusters como o último filme do Robocop.

Direitos autorais

engvictorh: A questão é simples. Piratear é errado, pois nós não estariamos valorizando o trabalho feito pelas pessoas.

As leis que protegem a propriedade intelectual tem justamente o objetivo de defender aquele que criou, que teve a idéia e que detém os direitos de reprodução de algo. Criar algo novo requer esforço e recursos. Repentinamente alguém usa o seu bem intelectual suado sem te pagar o que lhe é devido. É claro que isto o revoltaria. Se todos fizerem isto a inovação vai parar, a indústria falirá.

Música

Garretereis foi a única pessoa que citou o caso das músicas, que parecem fugir do escopo do artigo, mas valem um parêntesis:

Sou a favor de pagar a conteúdo como serviço. Desde que o preço seja justo! A Netflix está bem atraente, mesmo aqui no Brasil. Bom conteúdo e preços justos, serviço de boa qualidade. Sou a favor da pirataria em casos como a música. Sempre achei absurdo pagar R$ 20,00 por um CD, sendo que o artista que motivou a venda não ganha quase nada.

Ainda assim temos que lembrar que vender músicas é sim uma das rendas dos artistas. Anteriormente era a principal fonte de receita deles. Com a internet e a irrefreável pirataria muitos artistas distribuem suas músicas gratuitamente na esperança de que os fãs vão assisti-los ao vivo. Antes faziam show para vender música e agora dão a música para vender o show. Me parece uma maneira mais suada e honesta de ganhar o leite das crianças, não que justifique a pirataria.

Esquecemos de cobrir algum aspecto? Comente a seguir.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • Dinho01:

    Sejamos francos.Pirataria é uma forma de lesar os direitos autorais e alguém deve estar ganhando ,e muito, com isso. Não sou capaz de baixar um seriado ou um CD de um artista de quem sou fã, mas se estiver disponível no YouTube também não vou deixar de ver ou ouvir por causa disso. Além disso a qualidade técnica do produto original é muito mais satisfatória.A solução para esse impasse passa pela cobrança de preços mais atraentes para o grande público.

  • GoogleUser46:

    Eu passei pelos dois mundos, fui um adolescente no inicio da internet como mídia no Brasil e baixei conteúdo pirata, especialmente músicas (ahh tempos do kazaa). Porém conforme cresci acabei possuindo uma situação econômica que me permitiu passar a pagar pelo conteúdo sem fazer concessões grandes, porém sempre tive a questão das 1300 músicas que eu possuía, que custariam pouco mais de US$ 1000,00 no iTunes. Para sanar isso assinei iTunes match e por $24 legalizei todas as músicas.

  • engvictorh_10:

    Fico feliz pelo meu argumento ter sido um dos escolhidos.
    Só gostaria de complementar que gostei bastante dos argumentos apresentados e que concordo com o argumento do Anderson R. Se formos expostos à pirataria é pq encontramos dificuldades em encontrar tal filme, músicas e afins.
    Mas que é de grande justiça você colaborar sempre que possível ao(s) criador(es) dos filmes/músicas/jogos dos quais você é fã.

  • Israel Gonçalves:

    Atualmente eu uso o download como um intermédio para avaliação, se eu gostar do filme, achar que realmente merece, então eu compro o que posso, para contribuir com o trabalho, mas do msm jeito q existem filmes bem feitos, existem alguns que são uns lixos, nem parece que se esforçaram para fazer, ai vc deveria pagar o msm preço… Nem vou entrar em questão de preço, disponibilidade e acesso, mas acho que deu pra entender

Deixe seu comentário!