15 cenas inesquecíveis que foram feitas de improviso

Por , em 23.07.2010

Em gravações de filmes, um script é usado para que os atores, produtores, o diretor e todos os outros envolvidos acompanhem a história e saibam o que devem fazer. Mas atores, por serem muito criativos, muitas vezes apelam para o improviso na hora da gravação – e o resultado pode ser impressionante. Confira 15 cenas de filmes famosos que foram improvisadas e escolha a sua preferida:

15 – Marte Ataca (Mars Attacks, 1996)

Em “Marte Ataca”, de TIm Burton, não havia nenhum diálogo preparado para os marcianos, então Frank Weller criou uma linguagem própria para eles.

14 – O virgem de 40 anos (The 40 year old virgin, 2005)

Uma grande parte do filme foi improvisada – incluindo as famosas piadas de “sabe como eu sei que você é gay?”. E, durante essa cena, Paul Rudd está vestindo uma camiseta que tem a foto dele mesmo.

13 – Tootsie (1982)

Todas as histórias que Bill Murray conta nessa cena foram completamente improvisadas. Isso é que é ter criatividade. Outra curiosidade sobre esse filme é que Dustin Hoffman que sugeriu seu nome que, na verdade, era o apelido do cachorro de sua mãe.

12 – Todo mundo quase morto (Shaun of the dead, 2004)

Há várias cenas em que o personagem de Nick Frost, Ed, tenta animar seu amigo Shaun contando histórias sobre as pessoas que freqüentam o mesmo bar que eles – tudo completamente improvisado. Na cena em que ele descreve uma ex atriz pornô a risada de Shaun é genuína.

11 – Laranja mecânica (Clockwork Orange, 1971)

A cena na qual a turma infame de rapazes ultraviolentos invade a casa de um escritor e estupra sua mulher foi filmada várias e várias vezes, mas Stanley Kubrick, o diretor, não estava feliz com o resultado. Então ele sugeriu a dancinha de Alex DeLarge na cena. Para você ter uma idéia do perfeccionismo de Kubrick, ele filmou a cena tantas vezes que a atriz que originalmente faria o papel da mulher violentada desistiu do papel – ela considerava ultrajante ter que repetir certos cortes tantas vezes.

10 – Clube dos Pilantras (Caddyshack, 1980)

Outra de Bill Murray, que improvisou toda a história de Cinderela dessa cena.

9 – O resgate do soldado Ryan (Saving Private Ryan, 1998)

Toda a história que Matt Damon conta à Tom Hanks sobre seus três irmãos e sobre uma garota que ele deixou em sua cidade natal foi completamente improvisada por Damon.

8 – Nascido para matar (Fulll Metal Jacket , 1987)

Outra obra de Stanley Kubrick. O ator que interpreta Sargento Lee Ermey foi um sargento na vida real e toda a parte na qual ele grita com os recrutas foi improvisada.

7 – Perdidos na noite (Midnight Cowboy, 1969)

Segundo Dustin Hoffman, ele inventou tudo. Segundo o diretor do filme, nada da cena foi improvisado, estava tudo no script. A briga é compreensível, já que a cena ficou muito famosa.

6 – O iluminado (The shining, 1980)

Mais uma pérola de Stanley Kubrick, o filme foi baseado em um livro de Stephen King, no qual um pai fica louco quando ele a família ficam presos em um hotel. Sua frase “Aqui está Jhonny” foi completamente improvisada. Segundo fontes que estariam presentes nas gravações do filme, Kubrick gritava o tempo todo com a atriz que interpreta Wendy para que ela tivesse essa reação apavorada.

5 – O império contra-ataca (The empire strikes back, 1980)

Quando a princesa Léa fala para Han Solo que ela o ama, a resposta original do script “eu te amo também”, não combinava em nada com o estilo convencido do personagem de Harrison Ford. Então George Lucas pediu que ele inventasse algo que soasse melhor. O resultado foi uma frase que ficou famosa: “eu sei”.

4 – Os caçadores da arca perdida (Raiders of the lost ark, 1981)

Outra de Harrison Ford. O script original dizia que havia uma grande luta entre Indiana e o espadachim de preto. Mas um dia antes da cena ser filmada, Ford ficou com intoxicação alimentar, o que o impediu de fazer muitos movimentos. O resultado? Indiana simplesmente atira no espadachim.

3 – Taxi Driver (1976)

O famoso monólogo “você está falando comigo?” de Robert DeNiro foi completamente improvisado por ele.

2 – O silêncio dos inocentes (The silence of the lambs, 1991)

A atuação de Anthony Hopkins como Hannibal Lecter foi tão convincente que ele ganhou um Oscar, mesmo tendo aparecido menos de 25 minutos no total durante o filme. A cena na qual ele conta a história de como comeu o fígado de um sujeito que apareceu em sua porta para fazer a pesquisa do censo foi tão forte (e improvisada) que o olhar de nojo e de espanto de Jodie Foster é genuíno.

1- Dr. Fantástico (Dr. Strangelove, 1964)

Peter Seller não só interpreta o protagonista e mais dois outros personagens nesse filme, outra obra de arte de Stanley Kubrick, mas ele é considerado por muitos co-autor do próprio enredo, por ter improvisado muito. O fato de seu personagem chamar o presidente dos EUA de “Mein Fuhrer” é completamente sua criação. [Listverse]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

24 comentários

  • Fabiano Gama:

    Caramba, um site tão bom, com conteúdos de tão alto nível, mas as discussões geralmente tão bestas nos comentários.

  • Emirosan:

    Daniel e Júlio ! Não seria mais simples perguntar a Luciana Galastri, que divulgou os 15 improvisos, se ela não tem outros 15 improvisos de filmes e/ou documentários brasileiros ??!!

    Prá que mudar o foco do assunto por deficiencia ou gosto próprio??… É apenas mais informação…

    Conhecimento não se transmite… Apenas se adiquire, com a vontade de aprender.

    Se não tem vontade de aprender algo, paciência… Aprende de outra forma, com foco em outra vontade ou desejo próprio.

    Se houver deficiência no aprendizado, arruma outra forma de consegui-lo.

    Neste caso é só perguntar : Luciana ! Tens outros exemplos, porém do Cinema Nacional ??

  • Daniel:

    Júlio, esse seu argumento é coisa de gente com um patriotismo cego. Aprender uma língua estrangeira é bom para si mesmo. Seria uma realização para mim aprender uma língua como Francês. Eu amo a lingua portuguesa, mas qual é o problema em aprender a lingua de outro país? Eu sou anti patriota por isso? Aaah qualé, cara. Isso chega a ser uma grande ignorância. Não vou chamar seu patriotismo de hipócrita, porque não te conheço, não sei o que você faz para ajudar o país a ir pra frente ou mudar ou então fazer ele ficar mais “abrasileirado” e menos “americanizado” ( Coisa que eu não vejo problema algum, porque é inevitável e eu sériamente acho que não iremos perder nossa cultura. É a globalização, é inevitável, e outros países receberão nossa cultura também.) Mas de qualquer forma acho que você devia modernizar mais seu pensamento.

  • Ana:

    Olha acho que a questão é o seguinte, cada um tem o seu jeito de pensar e a partir do momento que o seu modo de pensar ou agir ofende o outro ai já muda a situação o site errou em colocar videos sem legendas, muitos pessoas sabem ingles mais a maioria (isso é concerteza aqui no brasil) não sabe e não esboça esforço nenhum em aprender. Então vamos ser éticos e colocar legendas, afinal cada um pensa de um modo.

  • Isabella Rodrigues:

    Cara! Não tem nenhuma legenda! Porque vc não procurou no youtube um vídeo legendado? Seria bem melhor…Mais mesmo assim eu achei bizarro o primeiro vídeo!

  • Stíphanie:

    Faltou a cena do The exorcism quando o padre leva uma jorrada de sopa de ervilhas na cara. Ele não sabia que ia levar e depois repetiram a cena mais algumas vezes, porém a primeira, inusitada, ficou bem melhor. Consta no documentário de 25 anos do filme.

  • Júlio:

    É… agora eu me convenci: temos que evoluir, a começar do nosso português!!! hehehe…

  • wilsonr:

    eu tinha um amigo(alias, um tremendo grosso) que se recusava a comer de palitinhos, hashi ou rachi, sei lá, porque era brasileiro e tinha que mostrar para os japas que aqui se come de garfo.
    eu tenho uma frustração de nunca ter aprendido a falar ingles, fluentemente, ou mesmo corretamente, mas sempre procurei ajudar pessoas de outras nacionalidades a se localizar e outras. já que, independentemente de saber que lá, provavelmente eles não tentem falar portugues. mas fazer o que lá portugues é o mesmo que lingua de chicano. e outras.
    quem não quer evoluir, aprender, tem o direito de não ofazerr.
    cada um procura o seu desenvolvimento. ou não?

  • Maria:

    muito legal rever essas cenas. Porém o segundo filme (14) não é o “virgem de 40 anos”.

  • Júlio:

    Aliás, meus parabéns pelo site… hehehehe…

  • Júlio:

    hahaha… eu sabia que iria seguir esse rumo… hehehehe…
    Porém continuo “sem evoluir”… hehehehe… Gostaria de saber se algum de vocês já visitou algum outro país e “EXIGIU” que eles falassem o SEU idioma, e se deu bem!!!! hehehehe…
    Meu protesto é contra a “exigência” de se ter que falar inglês em MEU PAÍS de origem, para sobreviver… acho isso TOTALMENTE DITADOR… por que a “língua” mundial não é o Mandarim???
    Sou brasileiro e falo e escrevo PORTUGUÊS, à moda antiga!!!
    Prefiro NÃO EVOLUIR COM O MUNDO e perder minhas raízes e meu patriotismo… nunca exigi que alguém falasse minha língua, mas se está em meu país filho… se vira pra me entender, não eu… eu sou daqui!!!

  • Dedeuzinha:

    Meu Deus, que nível é esse desses internautas. Será que é interessante assistir filmes somente com legendas? Acho o inglês imprescindível, assim como outras línguas. O ser humano tem que evoluir, e não ficar perdido somente falando um idioma, que pelo que deu pra perceber, falam muito mal e sem concordância. É por isso que ficam parados no tempo, sem cultura. Acorda gente!!!!!!!!!!!
    É a globalização aí.

  • wilsonr:

    para aprender ingles, é só ir em um sebo, comprar aqueles livrinhos que nós usavamos antigamente e quando for trabalhar de ónibus ou metro, ir lendo, alias se vcs pegarem alguem lendo estes livrinhos de ingles e falando sozinho, sou eu praticando. tem mais. desculpa esfarrapada, tem hoje, as escolas da família, nos colégios estaduais(aqui em sp) e voce aprende ingles de graça.
    a muleta do preguiçoso é sempre que custa caro, que não tem tempo, que não o escambau.
    ou seja. ao invez de se ficar assistindo e perdendo tempo com big brothes, futebol, novela, ou enlatados americanos ou programas do gugu(para ver aquelas bundas, é claro) vai estudar ingles. alias, quem esta falando estas bobagens tem acesso á internet. é só entrar no youtube que tem curso de ingles de graça.
    e ai, és preguiçoso ou não . rsrsrs. saudações.

  • Diogo Melo:

    O segundo video não é uma cena do virgem de 40 anos. É uma cena do filme knocked up, onde os mesmos atores fazem uma referencia ao filme anterior.

  • Alice:

    EUSTRÓPIO,nem todo mundo tem dinheiro sobrando
    para fazer inglês 😉
    Efim site é OTIMO amo muito,
    continuem assim

  • franbogado:

    Luciana, as “cenas inesqueciveis” não se dão pelo fato de terem sido “improvisadas”, mas pelo fato de terem tido um conteudo INSTIGANTE, mesmo que não tenha sido moralmente bom!

    Um bom exemplo disso é o lendário Conde Drácula. Este, largamente conhecido, é fruto de uma mente sequiosa e ambigua, pois ao mesmo tempo que imortaliza a natureza humana, tambem a degenera – o que atrai e repulsa ao mesmo tempo!

    “Eu sou o Ceifador… Despedaçador… Mutilador… Retalhador. Eu sou os Dentes na Escuridão, as Garras na Noite. É minha a Força… e a Luxúria e o Poder! EU SOU BEOWULF! – A lenda de Beowulf.

    O que atrai e compele é o que chamamos de “instigante” e nem sempre o que chamamos de “original” ou “improvisado” chega a isso.

  • wilsonr:

    o comentário de um internauta de deixa muito preocupado. me lembra a uma pessoa que trabalhou comigo, a alguns anos, e que não perdia a oportunidade de me criticar, quando não o fazia pelas costas.
    ela entrou em um devaneio, contra minha formação universitária, dizendo que ela tinha orgulho de nunca ter estudado nada. que aquilo não lhe fazia falta, e coisas do nível.
    pois bem, quando eu questionei se ela pensava o mesmo a respeito do seu filho adolescente( e na verdade o filhinho estava no mesmo caminho que o dela) ela disse, não, para meu filho eu quero que ele estude(mas já era meio tarde)
    pregar que nos não falamos ingles, que não queremos falar ingles, e que tudo tem que vir traduzido, realmente é uma grande falta de vontade de evoluir como ser humano, e de sempre aprender.
    que pena!!!!!

  • Rosângela:

    Stanley Kubrick foi um dos cineastas mais importantes do século XX e permitia que os atores improvisassem, o que resultava em cenas realmente boas.
    Todo mundo quase morto (Shaun of the dead) é um filme divertidíssimo, é uma comédia inglesa, recomendo para quem gosta do gênero.
    “A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (em inglês Academy of Motion Picture Arts and Sciences, AMPAS ou simplesmente Academy), é uma organização profissional honorária dedicada ao desenvolvimento da arte e ciência do cinema. Foi fundada em 11 de maio de 1927, na Califórnia, Estados Unidos.” – Wikipédia-
    Só para ressaltar “ciência do cinema”. 😉
    Gostei Luciana, foi ótimo rever cenas de alguns filmes muito bons.

  • EUSTRÓPIO:

    Quem não fala inglês que faça um curso!
    Adentrem ao século 21, orelhudos!!!
    Tirem o escorpião do bolso seus pobreza!!!
    E antes que eu me esqueça, vão caçá sapo reclamões!!!
    O site é 10.

    • Mariane Silva:

      É verdade. Enquanto uns precisam de curso de inglês, outros necessitam urgentemente de um curso de português, não é?

  • Magda:

    A minha preferida? a 4, do Indiana com o Espadachim, Simplesmente Hilário!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Kasper:

    Acabou o site que eu conhecia. Agora só se dão o trabalho de copiar conteudo do listverse.com e jogar aqui. Cade a originalidade? Cade os SEUS comentários?

  • Fulano:

    cadê as legendas desses vídeos? eu não falo nem entendo inglês…

  • claudemir da silva:

    é interesante observar que certos filmes nem sempre o que foi ensaiado vai acontecer

Deixe seu comentário!