“Planeta aquático” próximo a Terra é detectado pela NASA

Por , em 11.06.2012

O planeta “55 Cancri e” foi descoberto em 2004, habitando a estrela 55 Cancri com mais quatro outros planetas, sendo que ele é o mais próximo a ela.

55 Cancri e foi o primeiro planeta a ser chamado de “superterra”, uma classe de planetas parecidos com a Terra em algumas características, mas maiores – no caso, ele tem cerca de oito vezes a massa da Terra, e fica a 41 anos-luz de nós, na constelação de Câncer.

Recentemente, o telescópio Spitzer da NASA detectou uma luz emanando do planeta. Os cientistas notaram que a órbita de 55 Cancri e leva apenas 18 horas para dar uma volta completa, e é diferente da órbita da Terra não só pelo comprimento, mas pelo tipo: ele tem uma órbita “fixa”, o que significa que um lado do planeta recebe luz o tempo todo, e o outro fica em escuridão o tempo todo.

Por estar tão próximo de sua estrela, o lado de 55 Cancri e virado para ela (que recebe luz o tempo todo) ferve a cerca de 1.726 graus Celsius. Esse calor provavelmente significa que o planeta não tem atmosfera.

No lado claro, a água é provavelmente existente em um estado supercrítico, no qual é encontrada em bolsões localizados, sempre mutáveis entre os estados líquido e gasoso, coberta com uma espessa camada de vapor. No lado escuro, a água é provavelmente fresca e líquida. Porém, esse lado é, quase certamente, tão gelado quanto o outro é quente.

Todas essas novas informações são consistentes com a teoria anterior de que 55 Cancri e é um “planeta aquático”, com um núcleo rochoso coberto por água (em estados diferentes, coberta por vapor).

Apesar disso, segundo cientistas da NASA, a vida nesse planeta é praticamente impossível – você ia preferir morar no lado superquente ou no superfrio?

Mas dizemos “praticamente” porque pode haver uma esperança.

Entre o lado sempre claro e o lado sempre escuro de 55 Cancri e, pode haver uma região com temperatura e água parecidas com a da Terra, aquecida por correntes do lado quente. Também, se o núcleo do planeta for mesmo rochoso, pode oferecer minerais. Se essa região aquática realmente existir, pode ser habitável ou colonizável.

E a resposta para esse mistério pode aparecer em breve, já que o telescópio da NASA James Webb, equipado com avançados sensores espectrais capazes de analisar composições químicas exatas de planetas como 55 Cancri e, será lançado em 2018. Ele vai sondar as superterras em busca de sinais das necessidades fundamentais da vida, como o carbono. Só nos resta esperar.[DailyTech, NASAScience, WorldScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,00 de 5)

25 comentários

  • Erhard Linde:

    Estamos em um ” Estado de Burrificação ” do ser humano. Não existem outras coisas mais importantes para se fazer aqui na terra não ??

    • Cesar Grossmann:

      Sim, tipo o sujeito poderia ir carpir o meio-fio em vez de ficar na internet.

  • Welington Cds Sales:

    eu ficaria na divisa entre o lado escuro e o claro,assim que tivesse sentido frio ou calor era so dar um pulo

  • GENESIS:

    Com a tecnologia de bolha de dobra espacial que eststa disponivel nos próximos 100 amos estes planetas estarão ao alcance em semanas ou dias

  • Gil Souza:

    Eita encontram o planeta do Aquaman…

  • Anderson Oliveira:

    Se não houver atmosfera ,não a possibilidade de ter água em estado nenhum ,se tem água em estado liquido com certeza tem atmosfera

  • Vini Diniz:

    eu gosto muito de tudo isso espaço planetas e do desconhecido tem alguma profissão que engloba isso ? como é chamada? cientista espacial ?

    • Alexandre Fonseca:

      Tem várias profissões que englobam isso, se quiser ter mais detalhes, entre em: http://guiadoestudante.abril.com.br/
      Astrofísica, astronomia, etc.
      Se ainda quiser ser astronauta ou construir sondas, satélites, naves, etc, tem Engenharia Aeroespacial que é o que quero fazer 😀

    • Rivelino Lauro Machado:

      Eu gosto muito do espaço, em particular sou apaixonado pela lua,ela é como um vigia da terra, nos da brilho e nos encanta,

  • Paulo Galliza:

    Carácoles!! Eu nunca vi um texto tão contraditório em si mesmo, como esse. Só falta dizer que no território mediano o clima tem a temperatura média e uma biodiversidade cheia de saúde. Eu coloco a minha mão direita no fogo, a esquerda na neve carbônico, ótimo: o corpo fica na média à uns 25ºC. Legal, né? + O Planeta é completamente aquático. PORÉM,”Rochoso”. Superlegal!
    Vamos ter liberdade de pensamento – Só assim chegaremos lá.

    • Bruno Sampaio:

      Não teve nada contraditório, apenas faltou um pouco de interpretação de texto da sua parte.

    • Bruno Sampaio:

      Apenas o núcleo é rochoso, toda a superfície é coberta com água, não tem chão onde pisar.

    • Bruno Sampaio:

      Se um lado é extremamente quente e o outro lado é extremamente frio o meio vai ser morno, isso é normal e provável.

  • Marcos Antonio:

    Interessante essa descoberta, talvez este planeta apresente vida microbiana, talvez alguns vermes e artroprodes como os que existiram na terra, mas creio que a vida inteligente não exista neste planeta pois para que isso ocorra é necessario condiçoes muito especificas.

  • Andre Luis:

    Ultimamente estão encontrando muitos planetas que contenham água em diferentes estados. Eu imagino que futuramente irá se descobrir muita coisa envolvendo estes planetas!

  • Wanillo Izaias:

    Brother as imagens de planetas em outras galáxias, são ilustrações, montadas o mais próximo do real com as informações que os cientistas adquirem sobre os planetas e estrelas mais próxima dele.

    • Wanillo Izaias:

      *Só corrigindo em outros sistemas e não galáxias.

  • João Santanna:

    Para que a mesma face do planeta fique sempre exposta ao sol seria necessária que o movimento de rotação tivesse a mesma velocidade da translação e no sentido oposto ao movimento. Se isso não ocorrer, todas as faces do planeta serão expostas ao sol ao longo da órbita, fazendo com que elas se aqueçam e se esfriem continuamente, algo parecido com a terra, mas com condições extremas e impossíveis para a vida “normal” que conhecemos.

    • Joilton Almeida:

      Ou ele pode não ter rotação… apenas translação. Espero não estar dizendo besteira.

      Abraços.

    • Cesar Grossmann:

      Joilton, para ele apresentar sempre a mesma face para a estrela central, ele TEM que ter rotação.

  • Jonatas:

    Eu não descartaria os remotos potenciais biológicos do 55 Cancri E mas, tem planetas bem melhores a procurar por vida, em especial dois mundos ao redor da Gliese 581, que fica duas vezes mais perto daqui.
    Mas se você é um Cancriano, recomendo viver perto dos pólos, onde a nebulosidade – mesmo que o planeta não tenha atmosfera terá intensa atividade de vapores, o que torna possível o citado ciclo hidrológico mesmo sem pressão atmosférica constante – traz um pouco do calor do lado diurno rapidamente equilibrado com o frio extremo do lado noturno. Com uma gravidade drasticamente maior, você Cancriano não teria outra opção que não fosse ter um corpo parrudo e achatado, talvez sua evolução tenha lhe dado um exoesqueleto como o de nossos artrópodes, você certamente se parece mais com um caranguejo do que com um humanoide, e é forte, muito forte.
    Como em seu planeta o ciclo da água é caótico, corres o risco de passar longos tempos sem fontes. Logo, seu organismo terá se adaptado como os seres de nossos desertos aqui da Terra. Considerando que essas dificuldades lhe proporcionem um desenvolvimento civilizatório, vós os cancrianos precisarão de trajes de astronautas para explorar as partes tropicais de seu próprio planeta, em especial instalar painéis de energia solar no lado diurno não seria má ideia e teriam energia de sobra para suas cidades localizadas nas imediações dos pólos.
    Para que a vida se desenvolvesse aí em seu Planeta, seu núcleo teria que ser um dínamo colossal, gerando um campo magnético muito maior que o da Terra que lhes protegeria da radiação de seu Sol muito próximo. Vocês teriam um céu alienígena exótico: A quem se aventurasse na direção tropical toparia com um sol ardente no céu dezenas de vezes maior que o nosso, e no lado visível veriam as estrelas quase “correr” em linha reta no firmamento, mas quem corre é seu planeta, numa velocidade orbital alucinante. Mas nada se compara às suas auroras boreais gigantescas, intensas e brilhantes, que poderiam ver aí mesmo em seu berço polar, devido ao intenso campo magnético de seu mundo e o também intenso vento de seu sol.

    Então, boa sorte pra vocês. 😉

    • Alexandre Fonseca:

      Interessante, formou uma teoria apenas de saber as condições necessárias para tal ser em um planeta como esse, gosto de ler seus comentários e imagino que muitos aqui também 🙂

    • Sonia Dias:

      Parabéns! Jonatas aprendi muito com VC principalmente por o texto não ajudar minhas limitações.

  • Wesley Leandro:

    como ele não tem atmosfera se é coberto por vapor???

    • Jonatas:

      É, possivelmente, esses vapores proporcionando uma atmosfera transitória – não permanente-, constantemente produzida e constantemente perdida.

Deixe seu comentário!