Por que a Lua está ficando mais distante da Terra?

Por , em 4.02.2011

No filme Todo Poderoso, o personagem interpretado por Jim Carrey é capaz de laçar a Lua, trazendo-a mais perto da Terra. Cientistas afirmam, no entanto, que na vida real o maior satélite natural do Sistema Solar está fazendo o oposto, afastando-se do nosso planeta a um ritmo de 3,8 centímetros por ano.

Acredita-se que a Lua foi formada há cerca de 4,5 bilhões de anos atrás, quando um protoplaneta do tamanho de Marte colidiu com a Terra. Os detritos resultantes do impacto se fundiram e formaram a Lua – ao menos, é o que apontam as simulações do impacto, com resultados bastante consistentes com o sistema que vemos no século 21.

As simulações também mostram que, no momento da colisão, a Lua estava muito mais próxima da Terra, a uma distância de pouco mais de 22 mil quilômetros. Atualmente, essa distância é calculada em 400 mil quilômetros e, a cada ano, aumenta cerca de 3,8 centímetros.

De acordo com cientistas, essa migração se dá devido à ação das marés. A atuação da força gravitacional da Lua causa alterações no nível da água do mar em nosso planeta, e faz com que as marés se “alinhem” ao satélite durante o movimento de rotação da Terra. No entanto, uma faixa das águas está sempre um pouco à frente da Lua.

O resultado desse fenômeno é que parte da energia da Terra é transferida para a saliência das marés, através da resistência apresentada pelas duas superfícies em contato, movimentando-se uma em relação à outra. Essa grande massa de água, em seguida, exerce a sua própria atração gravitacional sobre a Lua, fazendo com que ela se acelere.

Aumentando sua velocidade, o satélite se afasta. A comparação utilizada pelos pesquisadores é a de crianças brincando em um gira-gira: quanto mais veloz, mais forte a sensação de se estar sendo jogado para fora.

Porém, o efeito oposto acontece com a Terra: nossa velocidade está diminuindo. Quando a Lua estava recém-formada, por exemplo, os dias em nosso planeta duravam cerca de cinco horas, mas durante 4,5 bilhões de anos nós freamos o suficiente para deixar o dia com as 24 horas com que estamos familiarizados.

A principal preocupação, contudo, não é com a duração dos dias em si. Mas assim como um prato girando em uma vara, velocidade é a chave para manter o equilíbrio do objeto. De maneira semelhante, o nosso planeta pode começar a oscilar lentamente, o que terá um efeito devastador em nossas estações, com variações de temperaturas muito maiores do que estamos acostumados.

Como seres adaptáveis, teríamos a capacidade de sobreviver, transformando o ambiente de acordo com nossas necessidades: muito ar-condicionado no verão e aquecedores no inverno. Mas o que aconteceria com os animais? Infelizmente, estes não são tão adaptáveis às mudanças climáticas, e muitos não seriam capazes de evoluir com rapidez suficiente ou migrar para lugares mais seguros.

Segundo os cientistas, no entanto, ainda temos pouco a temer. Mudanças como essa podem levar bilhões de anos, e até lá é possível que o homem tenha desenvolvido tecnologia suficiente para reverter o problema. [BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

69 comentários

  • João Victor Santos:

    Eu quero saber, por que quando a lua estava mais próxima da terra o tempo passava mais de pressa, os dias chegavam a durar até mesmo 2 ou 3?

    • Cesar Grossmann:

      O ritmo que o tempo passa não muda a duração do dia. A duração do dia é ditada pela rotação da Terra…

  • Reis:

    O que gera a força gravitacional entre os corpos?

  • Jacky Freitas:

    Eu preciso saber se a lua está se distanciando do planeta terra quem hoje está mais próximo da terra o sol ou a lua?

    • Marcelo Ribeiro:

      Sim, a lua está se distanciando, como o artigo diz. O sol é o centro do nosso sistema solar e está, naturalmente, muito mais longe (http://goo.gl/BHGaJN) do que a lua (http://goo.gl/irVx4L).

    • Cesar Grossmann:

      Jacky, veja só as distâncias médias:

      Sol: 149.597.871 km
      Lua: 384.400 km

      Quem está mais perto?

  • Marco Paulo Blascke Piovezan:

    ta… a terra ta girando mais devagar… entao como explicam os dias passando mais rapido? assim como a frequencia schuman acelerando ao mesmo tempo? e ai? pois jamais q ta mais de vagar! só cego q nao ve que ta mais rapido!

    • Anderson Thiago:

      Lógico, quanto mais velho você fica, maior a sensação do tempo passar você tem. Com 10 anos, 1 ano é 10% do que viveu, com 20 anos, é 5% do que viveu, ou seja, caiu 50% a percepção de tempo. Quanto mais velho, parece que os anos passam mais rápido, a sensação é esta, mas não vejo verdades nisto, já que dias curtos e dias longos acontecem de acordo com as estações do ano.

    • Charles Chisholm:

      Nota mental: Nunca mais ler os comentários de uma postagem científica.

    • Cesar Grossmann:

      Só cego para ignorar o que o relógio diz…

  • RebeloFernandes:

    Reparem na afirmação do artigo:
    “Aumentando sua velocidade, o satélite se afasta. A comparação utilizada pelos pesquisadores é a de crianças brincando em um gira-gira: quanto mais veloz, mais forte a sensação de se estar sendo jogado para fora.”
    Aumentar a sua velocidae é aumentar o seu potencial.
    O potencial é tanto maior quanto mais prõximi da Terra.
    U=G*M/D
    U – Potencial (velocidade de translação ao quadrado).
    G – Constante gravítica universal.
    M – Massa da Terra
    Quanto maior é a velocidade maior é o potencial.
    Um potencial maior acontece mais perto da Terra (menor D)
    Como a força gravítica é atrativa então a Terra traria a Lua para essa localização e estaria a aproximar-se.
    Mesmo adimitindo que não, reparem que a dita força das marés é constante. Uma força constante provoca uma aceleração. Então a velocidade de afastamento da Lua em relação à terra aumentaria. Não é o caso, pois desde 1969 (43 annos) que esse valor é constante.
    Se repararem na expressão do potencial, atendendo que as forças gravíticas realizam trabalho nulo, ou seja a Lua orbita a Terra sempre à mesma velocidade, potencial constante, então:
    G = U*D/M
    Como U e M são constantes.
    G=K*D
    G aumenta na proporção de D.
    Por sua vez G = C^2(2*Du)
    Du- Densidade de energia potencial universal no local.
    Du Resulta da radiação de massa de todas as massas universais que atingem o local.
    Como o universo se está a expandir, então Du está a diminuir, logo como se vê na expressão G está a aumentar.
    Para ver qual a minha opinião sobre a formação de passado/fuuro da Lua, consulte:
    http://rebelofernandes.com/pdf/A%20Terra%20e%20a%20Lua.pdf
    Sobre G variável:
    http://rebelofernandes.com/pdf/3_Um_novo_Universo.pdf
    Um abraço

    • Cesar Grossmann:

      Não. Quanto maior a velocidade, maior a energia cinética. A energia potencial depende da distância, e não da velocidade.

  • Reynaldo Andrade:

    A lua por sua vez esta se defendendo do homem, uma vez que lá esteve cheretando o que destruir certamente, continuamos interferir no bom funcionamento do satélite natural, ele vendo que o homem não é flor que se cheira, lógico que se afastará, embora lá não tenha árvores para se destruir, a lua então fica preocupada, mas o homem certamente vai ver o que se pode estragar por lá, já acabou com a amazonia, acabou com o indio, acabou com o ar, esta murchando a terra tirando o petróleo, acabando com as geleiras, mancha e despeja petróleo no mar, contamina o ar com radioatividade, enche o deserto de bombas, esta acabando com os caixas eletrónicos, e de quebra, coloca uma sonda de vários quilometros enfiado no solo e coloca um super microfone pra escutar as almas que estão no inferno, nem o capeta tem sussego, vc, acha que a lua de mansinho não vai sair fóra???

    • Ediwan Midian Silva:

      hahahahahahahahahahaha
      Marte,se mande enquanto há tempo!!!

  • icaro:

    eu li tudo mas não acredito. por que fiquei sabendo que a terra traiu a lua com Marte. e Phobos e deimos são filhos da terra e a lua tá querendo DNA.

  • Augusto Paiva:

    ; )..rsrs
    Brigadão!!
    Grande Abraço!!

  • Juliano:

    hehehe nem esquente! Tua contribuição foi muito maior que um simples errinho desses!!!

  • Augusto Paiva:

    rsrsrrs
    Verdade Juliano!!
    Foi erro meu sim!
    Acho que na pressa devo ter posto sem pensar.
    De qualquer forma muito obrigado pela correção!!
    Grande Abraço!!!

  • Juliano:

    Muito obrigado por esclarecer essa questão Augusto. Vc só cometeu um erro na explicação quando falou da semelhança do Sol com nossos vizinhos, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. Esse último não é um planeta gasoso e sim telúrico (rochoso) igual a Terra, a Lua e os outros planetas menores.

    Grande abraço e obrigado!

  • Augusto Paiva:

    Olá Juliano!
    Como a radiação é captada por telescópios que estão aqui na nossa superfície, diretamente a medida é feita desde o ponto emissor de radiação (astro que está em estudo) até o ponto receptor da radiação (telescópio).
    Como cada astro tem suas particularidades, dependendo do astro estudado a emissão da radiação (fator luz, ou fator infravermelho, entre outros, depende do tipo de radiação estudada) sai de um determinado ponto. Por exemplo, nosso Sol, a medição é feita de sua “superfície atmosférica” pois desconhecemos o solo do Sol (há estudos que dizem o Sol nao ter solo, mas sim camadas diferentes de gas como a dos nossos visinhos gasosos Júpiter, Saturno, Urano, Netuno, Plutão e os demais…
    Já em outro exemplo como a Lua, a medição é feita a partir de sua superfície (solo), pois a atmosfera não reflete/emite, ao menos nao 100% da radiação captada pelos telescopios.
    A medição nao pode ser feita a partir do núcleo dos corpos por dois fatores diretos:
    – O primeiro é que se formos partir para a Lua não partiríamos do Núcleo da Terra, mas sim de sua superfície.
    – O segundo é que não se tem ao certo a distância que o núcleo tem de nossa superfíe. Sabe-se ao menos a partir de incógnitas científicas que, nossa casa (Planeta Terra), têm algumas camadas até seu extremo núcleo, mas estas incógnitas não nos permite enchergar a variável exata de distância.
    Muito menos exato seria medir a distância até o núcleo do astro estudado, cujo fator de dificuldade para supor suas camadas até o núcleo seria multiplicado e as incógnitas que nos mostraria a distância seria muito mais difícil obter. Portanto medias feitas de núcleo para núcleo seriam medidas errôneas.
    Lógico que há um porém.
    Se você pegar o tamanho da cirunferência da Terra e utilizar uma regra matemática (c=2.pi.r) terá o valor de r (raio), que poderá encontrar o ponto X onde se encontra o extremo centro do núcleo. Então pode-se fazer a mesma conta com o outro astro e encontrar o valor distânica até seu núcleo. Após soma-se estes valores à distância contrada nos estudos entre os dois corpos e terá a distância de núcleo à núcleo entre os astros. Esta medida seria algo com inperfeições pois nenhuma superfície é plenamente lisa.
    A circunferência da Terra é calculada como uma espécie de média pois há montanhas e vales, então encontra-se uma média entre os valores para + da superfície e outros para – da superfície padrão, levando em consideração o nível do Mar como ponto zero (meio termo).
    Sendo assim a medida sim é feita desde a superfície emissora da radição estudada até a outra superfície receptora.
    Isto é o que entendo por este assunto.
    Grande Abraço.

  • Juliano:

    Augusto, tenho uma questão quanto ao cálculo dessas medidas.
    A distância é medida de que ponto? Por exemplo, da superfície da Terra até a superfície da Lua ou do núcleo da Terra até ao núcleo da Lua???

    Abraço.

  • Augusto Paiva:

    A questão Brenda é que o Homem se adapta, o que não se adapta são os recursos que ele utiliza, por isso a falta de alimentos entre outros que vc sita em seu comentário.
    As medidas sim não são “exatamente” precisas, note que eu disse exatamente. Pode sim haver algo desigual nas medidas sim, mas vc já chegou a estudar algo relativo a engenharia ou física astonômica entre outros afins?
    Algo como a intensidade da radiação infravermelha que a Lua nos envia, atravéz de uma análise em laboratótio óptico pode-se encontrar a escala de espaço exata em que acontece.
    Da mesma forma que a velocidade da luz não é de 300.000 km/s mas sim 299.792,458 km/s, e como conseguiram medir isto?
    É lógico que neste resultado há uma variação de Sigma para mais ou para menos mas isto são nas casas decimais.
    As tecnologias de hoje nos permite avaliar corretamente e tirar dados estatísticos, e atravéz de muito tempo de estudo e vários cálculos refeitos se considera um resultado final exato.
    É lógico que não se pode medir corretamente a distância entre a Lua e a Terra uma vez que a translação da Lua não é um círculo perfeito. Há tempos em que ela se encontra mais próxima e outros em que se encontra mais longe, a questão é a distância neste ponto X.
    Atravéz da intensidade da Luz solar refletida pela Lua, e através a captação desta reflexão em nossos telescópios pode-se medir o coeficiente de radiação onde atravéz de cálculos físicos astonômicos chegamos ao resultado correto (sempre com uma variação mínima que seja).
    Tudo hoje está sujeito a variações. Até o seu peso quando vc se pesa numa balança na farmácia.
    Tudo pode estar diferente levando em consideração o coeficiente de variação de peso dos contrapesos que compõem uma balança, depende também da aceleração que a gravidade interage com vc (que nem sempre é igual a 9,81 m/s2) e então os dados nunca são exatamente corretos.
    Saiba compreender além do que seus olhos podem ver.
    Nada é realmente o que aparente ser.
    Por estudar Engenharia reconheço que os dados passados pela são preciso pois tenho conhecimento das tecnicas de medida e das mais diferentes técnicas usadas para medir.
    Sabia que através de uma foto poderíamos saber seu tamanho real (lógico que não com perfeita precisão)?
    Nós seres humanos podemos nos adaptar as mais diversas probabilidades que possam nos acontecer mas o que precisamos para sobreviver (como alimento entre outros) não.
    Nossos recursos vão continuar acabando enquanto o homem não inventar algo que possa produzir o que consumimos sem que haja clima propício para isto.
    Nossa tecnologia nos permite fazer isto mas não o fazemos porque estamos acomodado com o que o mundo nos dá.
    Acredito que ao invéz de criticar devamos procurar uma forma de reduzir as questõe com respostas, o que poucos fazem ultimamente.
    Sim todo escosistema está comprometido, a nossa obrigação é encontrar uma forma de sobreviver sem este ecosistema coisa que já deveria estar sendo estudada e não criticada.
    Os cientistas estão a todo vapor, mas e nós estamos?
    Olhar para dentro de si ante de olhar para os outros é a chave para tudo.
    Procure respostas e não critique quem as procura…
    Minha intensão aqui não é levantar discuções, mas esclarecer fatos aquem parece não entender as mais diversas variáveis em que encontramos no dia a dia no avanço da ciência.
    Quase Tudo podemos, só não fazemos porque não queremos e isto não depende só de mim.
    Viver apenas de críticas é o que o Ser humano deveria deixar de vazer.
    Eu ja faço minha parte… e vocês?
    Sem mais.
    Grande Abraço!

  • Brenda:

    São somente teorias… Não se esqueçam disso.
    Não se pode medir com precisão a distancia da Terra a Lua.
    A verdade é que qualquer mudança causa desequilibrio e, descordo de algumas coisas citadas no texto como : “nos adaptarmos”. O ser humano é um dos poucos animais que conseguem se adaptar. Por exemplo: mudanças climatáticas causadas pela influência do La Ninã já fez com que a comida reduzisse drasticamente nos supermercados, fazendo com que os preços aumentassem.. Analizando friamente, o La Ninã não é praticamente nada em comparação à teorias, se algo realmente acontecer todo o ecosistema está comprometido, NÃO podemos viver só de ar condicionado e aquecedores, precisamos de comida, agua, etc. Se esses tempos realmente chegarem o homem verá com clareza que o DINHEIRO é coisa que não se come.

  • Anselmo Heidrich:

    Por que isto seria um ‘problema’, ainda mais se pensarmos na escala de bilhões de anos?

  • Augusto Paiva:

    Obrigado Orlando pela força!
    Não quis dizer que vcs falavam de coisas negativas, mas sim de que eu estava recebendo pontos “negativos”, aqueles votos de nao gostei do comentário.
    Mas de qualquer forma Muito Obrigado.
    Grande Abraço!

  • Orlando:

    Augusto Paiva,
    Nao se preocupe. No seu primeiro comentario parece que voce nao foi claro. Por isso nao teve aprovacao. No segundo vc foi muito bem mas, para alguns, muito tecnico. Vc disse que o pessoal estava falando “so de coisas negativas”, mas acho que nao fomos negativos. Em a Lua afastar-se pode nao ter tanto negativismo nisso. Ta bom, eh bom para pegarmos mais experiencias!!!

    Um abraco!

  • Augusto Paiva:

    Pessoal.. Sou estudante de Engenharia de Produção Mecânica e o que disse em meu comentário não passa de algo que pode sim acontecer pois no nosso sistema solar, onde há oque chamamos de vácuo onde supostamente não há nada, mas este nada sim é alguma coisa que é chamada matéria escura, também há muita atividade margnetica dos grandes astros e isso influenciará muito em como a Lua vai mmigrar se ela acabar um dia saindo da órbita da Terra.
    É lógico que com as marés há uma aceleração em seu movimento (da Lua) de translação com a Terra o que faz com que os vetores de força centrífuga do seu movimento a faça abrir a circunferência de rotação pois num MCU (movimento Circular Uniforme) há infinitos vetores de direcionam infinitamente cada um para frente e para fora do trajeto da circunferência o que a faz se afastar da Terra mas não rapidamente devido à gravidade da Terra que funciona como um espécie de força centrípeta.
    O campo magnético não é algo infinito (lógico, se não tudo no universo se juntaria). A Lua, devido a essa força centrifuga que a faz abrir a sua circunferência uma hora poderá abrir tanto que saírá da área de magnetismo da Terra onde ela passara a migrar pelo Sistema Solar Sujeita a interferência da força gravitacional do Sol onde ela poderá vir a admitir um movimento de translação com Sol, o que dificilmente será circular perfeito para não cruzar com nenhuma trajetória de outro planeta pois terá um vetor força que a leva para fora do centro do sistema solar e outro vetor força que a puxa para dentro (gravidade Solar) afazendo entrar em um eixo gravitacional (o mesmo tipo de eixo gravitacional que acontece com os cometas).
    O que pode acontecer é a Lua ficar tão distante da Terra que o vetor força (contido na força centrífuga do movimento de translação)que a leva para fora se igualar com o vetor força que a puxa para dentro (gravidade da Terra) fazendo com que o produto destes vetores se anulem fazendo com que o corpo celeste (Lua) entre em um equilíbrio gravitacional e permaneça em uma trajetória de circunferência sem alterações.
    Se a Lua sair do campo magnético da Terra e não estiver sujeita a outro campo mais forte (o de outro planeta) ela entrará e atividade com o campo gravitacional do Sol que se propaga por todo o sistema solar. Tudo está sujeito a interferencias deste campo solar se não ouver nada mais forte (ou mais proximo o tornando mais forte) do que o campo magnético solar.
    Isto é o que consigo entender por ter mais de 10 anos de estudo em astronomia e estudante de Engenharia.
    Expliquei melhor minha tese?
    Abraço a Todos.

  • Juliano:

    Obrigado Orlando! Pesquiso muito sobre astronomia mas sou leigo, tudo o que sei foi por meio da internet. Sempre pesquiso em um site muito bom: http://www.eternosaprendizes.com.br
    Aí os assuntos são tratados de uma forma mais profissional e mais afundo. Adoraria poder me graduar em astronomia, mas somente a UFRJ tem o curso no Brasil, aí fica complicado né…

    …Por enquanto, estaremos sempre aqui aprendendo uns com os outros! abraço!

  • Orlando:

    Juliano,

    Obrigado pelo acrescimo ao meu comentario. Seu conhecimento eh de astronomo. Vc tem muito a acrescentar a nos amantes dessas loucuras do 3rd Milenio.

    Incrivel o q vc conhece. Parabens e continue enriquecendo este espaco com conhecimento proficional de astronomia e de Portugues tbm.

    Meus parabens ao HypeCience por essa ideia de bete-papo entre os que amam a Ciencia (nao temos acentuacao por aqui, sorry!) e, de colocar tantas boas e novas materias.

  • josias:

    Falou juliano mourão…

  • Genivaldo:

    A terra tá tão cheia de almas ruins que a lua não quer ser mais enamorada por ninguem e sim fugir dos olhares mentirosos.

  • Augusto Paiva:

    Nossa gente.. onde está o senso de suposições astronômicas de vocês…kkkkkk
    Só me dão ponto negativo e não param pra pensar o que poderia realmente acontecer… rsrsr
    A mente humana realmente está bem longe da perfeição.

  • Ateu III – A Missão:

    Hehehehehe! Volta de Jesus?! Esses crentes viajam mais que ondas de rádio!

  • claudemir da silva:

    realmente como os cientistas medem com tanta precisão assim serar se eles estão certo na suas precisões

  • Juliano:

    Orlando, vc está certo. Mas estudos indicam que quando o Sol se tornar uma Gigante Vermelha ele vai perder muita massa. Quando ele atingir o tamanho da órbita da Terra ele terá perdido 67% de sua massa (ele continuará crescendo até além da órbita de Marte), reduzindo sua força gravitacional fazendo com que os planetas se afastem, mas inevitavelmente serão fritos pelo forte calor. Os Ventos Solares também serão muito intensos e ajudaram no processo. A Zona Habitável também vai se esticar entre 49 e 71 Unidades Atronômicas, fazendo com que os planetas anões (Plutão, Éris e etc) e o Cinturão de Kuiper se tornem habitáveis. Será lá nosso novo lar??? Não viveremos para ver.

  • Teísta:

    meu comentário anterior foi destinado ao “idólatras acéfalos”

  • Augusto Paiva:

    Muito Bom! rsrs
    Este fenômeno está claro que pode acontecer!
    Hoje em dia tudo o que se faz está vinculado à matemática que é de onde pode-se tirar os mais ínfimos valores de diferenças entre valores e os cálculos nos mostram muitas coisas a respeito da ciência.
    Da forma que a Lua vai se afastando devido essa magnetude que nossas marés formam é provável que a lua vai se afastar até um ponto em que nossas marés não interfira mais em sua translação com a Terra.
    O problema é se a lua ficar tão distante à ponto de a gravidade da Terra não ser mais potente o suficiente para segurar a Lua como nosso Satélite, isso a faria migrar para outra órbita.
    Diretamente doaríamos nosso satélite para outro planeta o que pode ser para Marte, ou para Vênus.
    Ou doaríamos ou ela migraria diretamente a um deles acabando em um grande impacto.
    O mais provável é que ao sair da órbita da Terra a Lua Entre em Órbita com o Sol, neste caso ela se transformaria num Planetóide que faria órbita com o Sol entre Terra e Marte ou Terra e Vênus.
    A lua também poderia alinharse com a órbita do Sol juntamente à Terra, como dois trens no mesmo trilho.
    Um astro pode estar mais rápido que o outro resultando num impacto direto em mesma trajetória.
    Se a Lua se conectasse à órbita do Sol perfeitamente e fora de nossa trajetória, ótimo!
    Caso Contrário sua órbita for mais Elíptica do que Circular perfeita, provavelmente um dia ela se chocaria com Terra, Marte ou Vênus, pois sua trajetória de translação com o Sol seria uma trajetória que cortaria a desses outros três planetas, o nosso (Terra), e de nossos dois visinhos (Marte e Vênus).
    Seria algo inédito em nosso sistema.
    Mas o bom é que vai demorar bastante até lá…

  • Intriga:

    Maria / 5.02.2011

    você é virgem também ?
    ————————————————————

    até que a lua desapareça do nosso sistema solar, nós não estaremos mais nem habitando o planeta terra, pois o homem terá destruído ele completamente!

  • Carlos:

    legal, supondo que o mundo vai acabar no final de 2012 então a coitada lua só terá andado mais uns 7,6cm(hahaahahaha) ta tentando correr da terra… o dó!

    Dizendo que eu viva mais 60 anos vou ter visto a lua a exatos 216cm mais distante, que na verdade é impossível de ver a diferença a olho nu!

    “Atualmente, essa distância é calculada em 400 mil quilômetros”
    O que é 1 peido para quem já esta cagado?(hahahahaahahahahahah)

  • idólatras acefalos:

    O Homem nunca nem pisou na lua e agora vem dizendo isso?
    É tudo farsa (ida do homem a lua), EUA fez isso apenas para sair por cima na
    guerra fria contra a URSS (época), e lucraram muito com isso e ainda lucram!

    Agora se perguntem, com toda essa tecnologia de hoje porque que o homem ainda não voltou a lua? Porque ter q ficar tirando fotos? Porque não vai la e faz 1 vídeo para todo o mundo ver!

    Isso me parece o que a “igreja” inventou para lucrar todos esses anos e ainda esta lucrando (e MUITO)… Criaram a palavra “deus”
    e justificam todos os atos bons em nome dessa palavra,já mataram muitas pessoas em nome dessa palavra na idade média, os atos ruins são do “capeta” que na verdade são eles né, pois cometem mais “pecados” do que nós.

  • Heber:

    Queria saber como eles descobriram esses 3,8 cm. Será q eles mediram?

  • Anderson Dantas:

    É tudo culpa dos Máias…

  • eduardo:

    Há pouco mais de dez anos atrás vi uma reportagem na tv q dizia a mesma coisa… mas, nakela reportagem, a lua se afastava 2cm… ou esse afastamento está acelerando ou na época os cientistas calcularam errado…

  • Antônio Fernandes:

    Bom artigo. Pena que não foi feita referência aos cientistas que desenvolveram a pesquisa.

    Gostaria muito de seu envolvimento na campanha “Por Qualidade da Educação no Brasil”
    http://www.peticaopublica.com/?pi=PEQB2011 / votando e divulgado o máximo possível.

    Estarei à sua disposição para aprofundar esse debate, visto que nós professores estamos todos retraídos, encurralados, sem ação e deixando economistas, jornalistas e politicos decidirem nossos destinos, permanecendo-nos apáticamente.

    Esclareço ainda que sou professor efetivo da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo e não sou pré candidato a qualquer cargo eletivo. Mas, tenho um compromisso e objetivo de continuar lutando pela educação pública de qualidade no Brasil.

    Forte abraço,

  • eder:

    isso na verdade e a forca gravitacional do segundo sol q esta se ponto!!!>>>

  • Marcos:

    Com essa velocidade de três 3,8 centímetros por ano ainda vai demorar muito.
    ========================================================
    http://diversasinformacoes.blogspot.com/

  • Zé da Relva:

    Isso é coisa do Capeta, Deus abandonou o homem depois de perceber o tamanho da crueldade da sua criação. Fim dos tempos…

  • Luís:

    A existência humana é um milésimo de segundo nos bilhões de anos de existência do universo. Nós, como humanos, somos insignificantes diante da criação do universo. Com certeza quando a lua se for, já teremos ido muito antes.

  • Joao Paulo:

    Ops, me parece que os indices de poluição nada tem a ver com efeitos de devastação no meio ambiente, ou pelo menos não nos níveis apresentados.

  • Gelson Santos:

    E de extrema importancia este comentario,tem muita gente que ver a lua por que é impossivel não ver o céu.

  • B49:

    A Lua não é o maior satélite do sistema solar. O maior é Ganímedes.

  • Marcelo Costa:

    Não se preocupem galera muito antes disso o efeito estufa causará danos muito maiores que o afastamento da lua e a desaceleração da terra.Será que estaremos vivos do geito que cuidamos do nosso planeta?

  • Orlando:

    Se a humanidade nao conseguir fazer alguma coisa para deter a Lua na distancia atual, ainda assim nao parece ser um grande problema. O Sol, segundo os cientistas peritos no assunto, “so” ira durar mais 5 bilhoes de anos. Entao vai comecar a inflar-se ate que sua massa atinja a Terra. A Terra estara, literalmente, dentro do sol e a temperatura sera de 6 mil graus Celcius. “Nao vai ficar nem raiz nem ramos”. A Terra sera uma gigantesca bola de carvao. Dai o Sol encolhera e se tornara uma estrele anah branca.

    Em 5 bilhoes de anos a Lua afastara apenas 190.000 (cento e noventa mil) kms. Se ela esta a 384.000 hoje, nao parece ser tao catastrofico quando estiver a 574.000 kms. Essa eh a previsao maxima para a vida do Sol. Ele pode acabar antes. Esta havendo muitas explosoes e erupcoes nele. Isso esta almentando gradativamente.

    Em 5 bilhoes de anos, segundo a previsao dos cientistas, ja teremos migrado para outras estrelas. A Terra ja nao sera mais abitada pelos humanos. Se nao nos extinguirmos.

  • clarice:

    nossa …ainda bem que vai demorar ksksksksk

  • Elizabeth:

    “até lá é possível que o homem tenha desenvolvido tecnologia suficiente para reverter o problema”
    Acho que já é hora do homem raciocinar e ver que é o excesso de tecnologia que está causando muitas coisas ruins no nosso planeta.
    A solução para essas catástrofes, para o aquecimento global e outras coisas é o respeito à natureza e não o progresso que a destrói.

  • Rogerio Alves:

    Se o Universo anda desde seu início em franca expansão,nada mais óbivio que a Lua a Terra e outros Planetas estejam modificando sua órbita.
    Afinal:tudo quê existe no universo se move,mesmo uma rocha que fica às vezes em repouso bilhões de anos pode se mover um dia !

  • christyan:

    queeeeiisoooooooo Deus sabe oq faz, fica tranquilo rapaziada, afinal nada ver a reportagem. rsrsrsrs tem q rir msm.

  • Maria:

    Fiquem calmos pessoal…Não se turbe os vossos corações!!!Deus tem o domínio de todo o sistema solar, esse é apenas mais um sinal da volta de Jesus, pois Ele virá buscar os seus escolhidos e após esse acontecimento que será em breve, os planetas se deslocarão do seu firmamento. Se preparem, pois ele virá e não tardará!!!

  • André:

    “Mudanças como essa podem levar bilhões de anos, e até lá é possível que o homem tenha desenvolvido tecnologia suficiente para reverter o problema.”

    Como as coisas vão o homem não dura mais que mil anos.

  • Daniel:

    ate a Lua nos deixar ja teremos nos desenvolvido pra não prescisar dela, e os animais tbm, a natureza sabe o que faz.

  • Leco:

    Concordo com voce victor, esse site é para pessoas inteligentes, mas afinal o que voce faz aqui então?

  • Victor’:

    Leco, se levarmos em consideração a sua visão da situação, seria muito mais fácil criarmos um tipo de canhão que pudesse destroçar ou expulsar a Lua de nossa órbita. Uma dica: Esse site é para pessoas inteligentes, que sabem analisar e pensar, não para pessoas que acham que tudo pode ser resolvido com uma infantilidade.

  • MOITAVERDEJANTE:

    RECUSO-ME A PENSAR ALGO SOBRE ISTO. POIS SABENDO QUE POR ESSES CÁLCULOS, EM 10 ANOS A LUA TERÁ SE AFASTADO DA TERRA MENOS DE MÍSEROS 40 CENTÍMETROS. ÊTA NOTÍCIA INSIGNIFICANTE!

  • LEANDRA!:

    VAMOS LAÇAR A LUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    KKKKKKKK

  • Leco:

    Pois é até lá o homem terá desenvolvido tecnologia suficiente para resolver o problema. Fincar uma âncora para evitar que ela se distancie mais.

  • Juliano:

    Ok. É que da forma como está expresso no artigo deixa essa impressão a quem não tem pleno conhecimento do assunto. Abraços.

  • biakuia:

    Juliano vc está certo quanto ao tamanho da lua ganimedes,mas o tamanho em comparação ao do planeta que o satélite no qual orbita no caso a terra e a lua ou seja o tamanho relativo a lua é maior

  • Juliano:

    O maior satélite natural do sistema solar é Ganímedes que orbita Jupiter, e não a nossa Lua como citado no artigo. Ganímedes é tão grando quanto o planeta Mercúrio.

Deixe seu comentário!