Por que a lua teve um campo magnético e não tem mais?

Por , em 23.11.2011

Na primeira ida do homem à lua, no final dos anos 60, algumas descobertas foram feitas na hora. Mas certas revelações só se abriram aos olhos dos cientistas na volta à Terra. Uma das maiores surpresas estava nas rochas lunares recolhidas por lá: algumas delas, conforme se constatou, eram magnéticas!

Isso foi uma grande surpresa, pois se comprovou que não existe, de fato, campo magnético na lua – que conhecemos atualmente. Mas se isso é verdade, o que explica as tais rochas encontradas na superfície?

Quando uma rocha é magnética, significa que se podem identificar nela dois pólos. Além disso, o material carrega em si mesmo um pequeno campo magnético.

No caso da Terra, o campo magnético é causado devido ao fenômeno de convecção, que ocorre no núcleo externo do planeta. Isso significa que há circulação de fluidos (no caso, ferro fundido que transita em estado líquido) por determinado espaço (o núcleo terrestre), em condições adequadas, para que se crie um campo magnético.

Mas a lua foi sempre considerada muito pequena para que esse processo pudesse acontecer. E o mistério das rochas lunares magnéticas sempre esteve sem solução. Mas uma equipe de pesquisadores americanos e outra de franceses parecem ter a resposta, adotando teorias diferentes, mas que se complementam.

A tese dos americanos, que mais precisamente fazem parte da Universidade da Califórnia, sugere que a lua tem um manto sólido, feito de pedra, que circunda o núcleo onde há ferro líquido (mas sem força de convecção o suficiente para produzir magnetismo).

De acordo com essa tese, o manto e o núcleo tiveram rotações em sentidos diferentes, no passado. Este choque seria potencializado com a interação gravitacional entre a Terra e lua, para “fabricar” magnetismo.

Com o tempo, conforme essa teoria, os eixos de rotação se alinharam, e o efeito de magnetismo foi se anulando paulatinamente. De acordo com as estimativas dos americanos, a lua teve campo magnético entre 4,2 bilhões a 2,7 bilhões de anos atrás.

Enquanto os pesquisadores da Califórnia formularam essa ideia, cientistas da Universidade Ais de Marselha (França) adotaram outro caminho. Segundo eles, o choque entre o manto e o núcleo não seria causado pela interação gravitacional com a Terra, e sim porque o manto sólido entra em atrito direto com o núcleo, e esse choque entre sólidos é responsável pelo magnetismo.

Os cientistas explicam que a solução para esse mistério permanece em aberto. É possível que apenas uma das teorias esteja correta. Mas não se pode descartar a hipótese de que ambas coexistam para explicar porque a lua teve, em um passado distante, um campo magnético. [MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,67 de 5)

38 comentários

  • wesley rodrigues:

    Com tantas coisas que aconteceram e acontecem neste mundo,nada e impossível!!eu acho incrivel um aviao pesando toneladas voar,e pessoas usar tubos de oxigênio em alto mar no profundo,porque nao fazer uma viagem a lua??
    Bem ache quem quiser!!!

  • usagi-chan:

    estranho D+ nunca vi a lua com um campo magnetico estranho muuuito estranho!!

    • usagi-chan:

      E-S-T-R-A-N-H-OO-O-OO-O-O-O-OO-OO!!!!!

    • Ezio José:

      É mesmo estranho! A atração gravitacional é responsável pela aglutinação da matéria. Talvez a lua seja uma nuvem de poeira cósmica fantasmológica. Isto pensando como “nós” que neste momento estamos achando estranho que seja.
      Por outro lado, numa ilusão óptica (já que só vemos uma face da Lua), a lua sem movimento de rotação não teria mesmo um campo magnético. Bem, se ela assim sendo estaria sempre meio confusa e nós nunca veríamos as mesmas sombras do mito São Jorge. Provavelmente os cientistas ainda irão descobrir se existe polo sul e polo norte na lua, porém, depois que descobrir se existe mesmo o tal movimento de rotação.
      Por enquanto ficaremos nas suposições nos E-S-T-R-A-N-H-O !….

  • Dayane:

    “onde à fumaça, à fogo”…vocês é que me desculpem, mas eu tenho cá minhas dúvidas de que o homem foi mesmo a lua..se isso fosse verdade, outras e outras nacionalidades iriam querer experimentar esse gostinho..quem quizer me prove o contrário.

  • SENAM:

    Procurem (no google tem muito) e leiam sobre as ANOMALIAS DA LUA e vão descobrir que este artigo é um monte de mentiras.

  • Tpenha:

    o Homem nunca esteve na lua

  • mmelo76:

    POxa, ninguém pensou que algumas das pedras (magnéticas) retiradas da Lua não são da Lua? E sim de asteroides que colidiram com ela, deixando fragmentos magnéticos?

  • Ezio José:

    Jonatas, Glauco, Crisitiano e outros experts convictos que sempre nos esclarecem sobre assuntos delicados assim e nos dão uma noção mais realista de assuntos nessa área; me responda uma dúvida: Para que a Lua mantenha sua órbita equidistante com a Terra sem se perder no Universo, tornando-se um cometa gigantesco, ela não teria que ter um mínimo de força gravitacional? Sem nenhuma gravidade não seria uma bola de isopor, comparando assim?

    • Cristiano M. G.:

      Obrigado pelo elogio, Ezio, mas de expert não tenho nada! Bem, a grosso modo, todo objeto com massa exerce atração uns sobre os outros, então todo objeto com massa possui “força gravitacional”. Assim, pode-se dizer:

      – massa atrai massa;
      – quanto mais afastados estiverem os corpos, menor será a intensidade dessa força.

      A lua não se perde no Universo, porque há uma atração mútua entre a Lua e a Terra.
      Daí poderia-se perguntar: Por que o Sol não arranca a Lua da Terra?
      Porque tanto a Terra como a Lua são atraídas pelo Sol com praticamente a mesma aceleração.
      A Terra e a Lua acabam se movimentando juntas e não são separadas pela força do Sol.
      A menos, é claro que a Terra e a Lua estivessem muito mais próximas do Sol.
      Neste caso a pequena diferença de aceleração entre a Terra e o Sol e a Lua e o Sol poderia separar a Lua da Terra.

    • Jonatas:

      Kepler nos deixou suas leis, hehe.

      Bom, pelo que entendo, uma órbita, seja da terra ao redor do Sol ou da Lua ao redor da Terra, é na verdade a resultante vetorial de duas forças: Uma fruto da da aceleração do objeto orbitante, a sua própria velocidade orbital, outra de atração gravítica tradicional. Imagine que sempre tem essas duas forças como funções da Lua, uma é resultado de sua própria aceleração gravitacional, força centrípeta, a outra vem da massa, a gravidade. A resultante dessas forças é a órbita. Nas órbitas elípticas, as duas forças, a gravidade e a velocidade orbital, aumentam proporcionalmente e a órbita permanece estável, e diminuem proporcionalmente no ponto distante pela mesma razão.

    • Jonatas:

      Ficou meio ruim meu texto, complementando: No ponto mais próximo da órbita da lua ao seu planeta, o chamado periélio, as forças de gravidade e velocidade orbital aumentam proporcionalmente e gradativamente, enquanto no ponto orbital mais afastado, o afélio, as forças dimunuem gradativamente na mesma proporção.

    • Ezio José:

      Meu “gurú” na área filosófica me explicou mais ou menos o que você afirmou, porém, de forma menos técnica e ainda acrescentou: “A Lua dá uma volta em si mesma num mesmo período que dá uma volta ao redor da Terra. Isto nos faz sempre ver a mesma face”. Também me explicou que a aglutinação da matéria para formar um corpo se dá através da Lei da atração e que campo magnético é a orientação que os elétrons recebem para fluirem de um ponto para o outro, ou seja, obecendo a dirença de potencial Este movimento acontece em virtude do moviemento de um corpo que contenha núcleo e condutibilidade.

  • Cristiano M. G.:

    Aos conspirodebilóides: Sinto decepcioná-los, mas o homem não foi só uma vez na lua, foram 6 pousos lunares, realizados pelas Apollos 11, 12, 14, 15, 16 e 17.
    Não tem como se manter uma farsa por mais de 40 anos, e enganar 50.000 astrônomos, 20.000 físicos, e milhares de outros cientistas de todos os países, durante tanto tempo.
    Os astronautas trouxeram quase MEIA TONELADA de rochas lunares, os quais foram distribuídos pra centenas de conceituadas faculdades no mundo inteiro, analisadas pelos maiores experts, doutores e PHDs do mundo, mais de 100 países receberam amostras destas rochas, inclusive os cientistas russos.
    É, realmente, os Estados unidos conseguiram enganar com um filminho a União Soviética, superpotência mundial, que chegou em alguns momentos a ser mais poderosa que os USA, conseguiram enganar centenas de cientistas russos que desbravaram as viagens espaciais antes dos americanos, mas não conseguiram enganar os “jênios”.
    A URSS, maior inimiga dos americanos, loucos pra jogar uma bombinha nos yankess, com CENTENAS DE SATÉLITES, SONDAS ORBITANDO A LUA E VIGIANDO AS CÁPSULAS ESPACIAIS DOS AMERICANOS, não conseguiram perceber que era tudo uma mentira….
    É pra r i r ou pra c h o r a r?

    • Glauco:

      Bla bla bla, fala com a minha mão.

      Só vc prá cair nessa história de briguinha URSS x USA.

  • Jonatas:

    Ganímedes, lua de Júpiter, tem um campo magnético, que foi detectado pela sonda Galileu. A origem de tal é uma incerteza, mas acreditasse serem íons condutores de um gigantesco oceano salgado subterrâneo, talvez maior que o de Europa, que seria também a causa para estranhas formações na superfície ganimediana, como se houvesse lentas flutuações sobre um imenso manto líquido.
    Na Lua é diferente. A lua tem marcas vulcânicas por toda a superfície, indício de um mundo que já foi geologicamente ativo e teve fluxos internos de lava. De qualquer forma, as dadas rochas magnéticas levam a crer que a lua já teve campo magnético, mas se vermos pela hipótese da lua ser oriunda da colisão de um planeta com a terra, essas rochas poderiam ser apenas um resíduo desse passado atribulado, poderiam ser até rochas magnetizadas no evento do impacto.

    • Glauco:

      Uma pancada cósmica é muito rápida prá magnetizar essas rochas. Elas precisariam derreter ao ponto de Curie, receber a carga magnética, e depois resfriar aos poucos. Bem mais fácil ter sido provocada por um cometa passante, que forneceria essas condições.

    • Jonatas:

      Mas um cometa não passaria rápido demais também?

    • Glauco:

      Nem sempre, alguns cometas passam em velocidades baixas, como por exemplo o Hale-Bopp. Mas o que importa é a conexão elétrica entre o cometa e o corpo em questão. Essas conexões podem durar meses e meses, às vezes anos. Mas tem que ser um cometa grande de verdade, não esses cometinhas que vemos o tempo todo por aí.

    • Cristiano M. G.:

      O que o Jonatas quis dizer é que as rochas da Lua JÁ ERAM magnetizadas, pois elas são oriundas da Terra, onde existem rochas magnetizadas.

    • Glauco:

      Não foi isso que ele quis dizer. E não tem como saber se essas rochas são realmente lunares ou de meteoritos que caem lá – afinal a composição deles costumam ser semelhantes -, e elas não poderiam ter viajado da Terra para a Lua como se tivessem asas.

      Se vc está falando sobre o fato dessas rochas serem “meio-terrestres” pq a própria Lua seria cria nossa, então vc está só dando voltas ao redor de uma teoria que ainda não é comprovada. A história de formação do Sistema Solar em 4.5bi de anos é furada, nada do que é observado bate com essa teoria, então não dá prá ter certeza nem se a Terra ou a Lua é o corpo mais antigo nesse sistema planetário duplo que é o nosso.

  • Daniela:

    Pessoal… Uma coisa é vc ver aquelas imagens em plena decada de 60, outra coisa e vc olhar hoje e ainda querer acreditar e defender.
    Eu mesma, as vezes que eu vejo meu pai fico dizendo a ele que não fomos a lua só para ver como ele se comporta.
    Ele fica louco!
    Kkk
    É claro que não tem apenas as questões das imagens, mas eu falo nelas pq é a que “dá mais na cara”.

    • Jonatas:

      A hipótese da “farsa da ida na lua” é uma furada. Não que os americanos não sejam capazes de inventar coisas dessa, mas acho que foram sim, do contrário estariam até hoje tentando. O fato é que na época havia o grande desafio, a sede de superar os soviéticos. Hoje, satélites e sondas são bem mais baratos do que missões humanas. A moral está baixa também, depois da decepção mortal e moral dos ônibus espaciais, a prioridade passou a ser as sondas interplanetárias.

      Começará uma “nova corrida do ouro” para colonização da lua e visita a marte, e novas teorias conspiratórias surgiram. É o progresso.

    • Glauco:

      Eles estariam tentando até hoje a não ser que eles soubessem que a tecnologia necessária estivesse totalmente fora do nosso alcance ou tivesse que ser mantida em segredo.

    • Jonatas:

      Foram na lua sim Glauco, no avião dos Irmãos Wright, se arremessando de uma catapulta ou atiradeira, mas foram. Na verdade, eu acho que foram, mas certeza mesmo, só eles têm, ou acham que têm.

    • Glauco:

      kkkkkkk!!!

      Eu sei q por dentro vc tá começando a duvidar da NASA :P!

    • Glauco:

      Eu acho que a melhor forma de se duvidar disso é o fato deles não saberem mais como ir.

      Tem gente que fala: “Oh, os interesses econômicos não foram compatíveis com tais empretadas desde então.”. Sendo que a NASA não sabe mais como fabricar foguetes potentes o bastante para essas viagens – misteriosamente desmantelaram o projeto dos Saturn V, o foguete das Apolo -, não sabem mais como fazer o bixo pousar lá, estavam até fazendo concurso prá premiar quem descobrisse. Não sabem mais quais as melhores localizações para fazerem o pouso, tanto que hoje em dia estão gastando centenas de milhões só pra mapear o terreno da Lua, sendo que isso já deveria estar pronto.

      Sem chance disso ser verdadeiro…

    • Jonatas:

      Coitados dos americanos. É a única coisa que os americanos tem pra se orgulhar, já chega o esforço pra bancarem serem os inventores do Avião… Se tirar deles a “Ida na Lua” passarão a ser uma piada universal.

    • Cesar:

      Uma coisa é não saber, outra coisa é não ter a tecnologia. O Saturn V e a nave Apollo são tecnologias de 40 anos atrás. Mesmo que os projetos estivessem completos, boa parte dos fornecedores saiu do mercado ou mudou de ramo, e não tem mais como fornecer as mesmas peças de 1969.

      Os americanos sabem como fazer, o que eles não tem é tecnologia atual, por que a tecnologia das missões espaciais Apollo foi abandonada no meio da década de 1970 em favor dos ônibus espaciais – que só servem para órbita baixa.

    • Glauco:

      Falta de fornecedor?? Prá peças de foguete?? Fala sério, é só fazer outras! Dinheiro faz de tudo! E as tecnologias prá foguetes não mudaram tanto assim de lá prá cá.

      E os fornecedores da NASA continuam sendo os mesmos de sempre: a própria NASA, Lokheed Martin, Boeing…

    • gabriel:

      eu tenho medo da foto do glauco 🙁 lol

    • SENAM:

      Cesar, você realmente acredita no que disse?!?!

  • Chuck Norris®:

    Até hoje não se pode afirmar com certeza se o homem foi ou não à Lua em 1969. Muitos dizem que as fotos são fraudes.
    Eu respeito o Glauco. Mas eu acredito que o homem foi sim à Lua.

  • Daniela:

    Não existe pessoa no mundo que me faça acreditar que um dia o ser humano foi a lua!

    Não mesmo.

    • Glauco:

      Somos dois!

    • Chuck Norris®:

      Não existe pessoa no mundo que me faça acreditar que você use calcinha!

      Não mesmo.

    • Cesar:

      É isto o que a gente chama de “crença irracional”. Abra sua mente, o mundo é muito mais do que você sabe ou pensa que sabe, se alguém te provar que você está errada, você tem a oportunidade de crescer se aceitar que está errada…

    • Cristiano M. G.:

      Este é aquele tipo de gente que na Idade Média mandaria Galileu pra fogueira porque ele afirmava que a Terra gira em torno do Sol…

Deixe seu comentário!