Quando você vai morrer? O tamanho da sua barriga pode prever

Por , em 25.02.2014

Dizem as más línguas que um homem sem barriga é um homem sem história. Mas o que a pesquisa do Dr. Nir Krakauer descobriu é que um homem sem barriga é, na verdade, um homem que pode ter uma história muito mais longa.

O estudo

Em 2012, o Dr. Nir Krakauer, assistente de engenharia civil na Escola de Engenharia da CCNY Grove, e seu pai, o também doutor Jesse Krakauer, desenvolveram um novo método para quantificar o risco associado à obesidade abdominal.

A equipe liderada pelos dois analisou dados de uma pesquisa feita com 7.011 adultos com mais de 18 anos, que participaram da primeira “Health and Lifestyle Suvery” (HALS1), no meio dos anos 1980 e depois de outra pesquisa realizada 7 anos depois, a HALS2. A amostra foi um tanto representativa da população britânica em termos de região, cargo, naturalidade e idade.

Então, em 2009, eles também recolheram dados do Serviço Nacional de Saúde britânico para identificar mortes e casos de câncer e, ao cruzar esses dados com os nomes que participaram das pesquisas HALS1 e HALS2, verificaram que 2.203 dos que haviam morrido faziam parte do grupo que estava sendo acompanhando.

Em seguida, eles compararam todas as causas de morte entre as pessoas da amostra utilizada para as pesquisas HALS com outras variáveis, incluindo o Índice de Massa Corporal (IMC), circunferência da cintura e relações cintura/quadril e cintura/altura.

O Resultado

O resultado da análise de todos esses dados mostrou que a forma do corpo, especificamente da cintura, é um forte indicador do risco de mortalidade entre a população analisada.

Os professores Nicolas Danchin e Tabassome Simon, da França, também se aprofundaram nessa pesquisa para comprovar que o tamanho da barriga tem relação direta com o aumento do risco de morte em sobreviventes de ataques cardíacos.

Segundo o Professor Simon, uma barriga grande, obesidade e baixo peso estão associados com o maior risco de morte. Ou seja: não é bom a pessoa ser muita magra ou muito gorda, mas pior ainda é quando a barriga é grande. Do ponto de vista destes pesquisadores, o acúmulo de gordura na região da cintura merece uma atenção maior do que sobrepeso e obesidade leve. [Medicalxpress]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,50 de 5)

7 comentários

  • D:

    “não é bom a pessoa ser muita magra ou muito gorda, mas pior ainda é quando a barriga é grande”

    Putz, o pior é logo o mais fácil de ocorrer, já que até magros podem ter barriga.

  • Gera:

    Discordo!!!

    Conheço várias pessoas barrigudas com idade avantajada e que estão muito bem de saúde!!!
    Exemplos que todos conhecemos:
    Papai Noel e Jô Soares

    Agora sério!!!
    Minha avó era barriguda, fazia comida com banha, tomava café com leite moça, gostava de um licor de menta e morreu com 93 anos. Só por causa de infecção hospitalar, porque quebrou a bacia e foi internada!!! Gostava de trabalhar, fazia cimentado, pintava a casa e ainda andava muito as vezes mais de 20Km.
    Um abração a todos!!!

  • Afonso Do Carmo:

    A introdução do artigo menciona “homens”.
    No restante não relata se na amostragem havia mulheres e qual a proporção delas. Só menciona: “…região, cargo, naturalidade e idade.”
    Será que os riscos são iguais para homens e para mulheres?

  • Emanuelson:

    A questão é: Essa pesquisa levou em consideração a existência do bacon ou não?

  • Anderson Thiago:

    Gabriela, o último título está errado… O EESULTADO.
    Abraços!

    • Marcelo Ribeiro:

      Corrigido. Gratos.

  • Willian Alves:

    É mais provável a morte por causa da violência !

Deixe seu comentário!