Refrigeradores atômicos para resfriar ao máximo

Por , em 29.12.2011

Os objetos mais gelados do futuro talvez sejam criados com um refrigerador que atua em nível atômico. Os métodos de controle sobre a matéria que os cientistas atingiram podem levar a criação de objetos super gelados, que por sua vez podem criar novos estados da matéria e computadores quânticos incríveis.

Os cientistas já conseguem resfriar a matéria em vários graus abaixo do zero absoluto, a temperatura mais fria teoricamente, correspondente a -273,15 graus Celsius. Ainda assim, eles querem chegar mais longe, para entender melhor fenômenos extremos, como a supercondutividade, onde os elétrons viajam sem resistência através dos objetos.

Agora, os físicos revelam uma nova forma de criar matéria super gelada, com uma ideia similar aos refrigeradores comuns. Esses usam um fluído refrigerante que circula na área a ser congelada, absorvendo o calor e se resfriando novamente.

Átomos gelados

Primeiro, os pesquisadores gelaram átomos de rubídio usando lasers. Quando ajustados da maneira correta, os raios forçam os átomos a crescerem de uma maneira que emitem mais energia do que absorvem.

Nesses experimentos, os átomos acabam liberam luz, desenvolvendo uma pequena pressão sobre eles. Os cientistas usaram isso para controlá-los, movendo-os e até criando colisões.

Os pesquisadores então resfriaram ainda mais os átomos com um método de evaporação, do mesmo modo que um copo de café vai perdendo calor – os átomos mais quentes saem, deixando apenas os mais frios.

Finalmente, eles usaram uma técnica com laser conhecida como “entrelaçamento ótico”. Quando dois átomos se colidem nesse método, as excitações de ambos se anulam, sendo removidos do sistema – retirando a entropia, a quantidade de energia que sobra – e acalmando o grupo de átomos.

No experimento com os rubídios, a entropia foi removida com sucesso. Em princípio, eles podem atingir temperaturas 10 a 100 vezes menores do que o já registrado – o que significa muito abaixo do zero absoluto.

Matéria exótica

Essa pesquisa pode ajudar a “criar estados exóticos da matéria, nunca vistos antes”, comentou Markus Greiner. “Quem sabe quais seriam as propriedades desses materiais?”, disse.

A habilidade de criar arranjos perfeitos de átomos também pode ser “um grande começo para um computador quântico de uso geral”, afirmou Greiner. Esse tipo de computador explora a natureza bizarra da física quântica – como as partículas subatômicas que podem girar em duas direções diferentes, ao mesmo tempo – para realizar cálculos muito mais rápidos do que o comum.

Pesquisas em computadores quânticos são, na maior parte do tempo, para criar dispositivos que solucionariam problemas específicos, mas o entrelaçamento óptico pode levar a computadores com uso geral, para resolver vários tipos de problema.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,00 de 5)

16 comentários

  • Paulo Galliza:

    Acredito que descer abaixo do zero absoluto é uma questão de tecnologia. Chegaremos lá independentemente das previsões teóricas. Pelas previsões de A. Einstein não poderia haver velocidade superior a da luz.

    • Amadeus E:

      Mas, conforme as previsões de Albert Einstein, ainda não foi possivel ultrapassar a velocidade da luz..

  • negrão:

    claro que foi um erro de tradução, na verdade eles chegaram muito perto do zero absoluto e não abaixo dele.

  • jader pereira:

    tem gente que nao entende nada de fisica e fica a dizer palpites idiotas como este tal de roberto. deicha de ser idiota o retardado o unico que falou abobrinha aqui foi voce cerebro de galinha caladinho viu.

  • Rafael RIO:

    No capítulo de cavaleiros do zodíaco, o cavaleiro de ouro de Aquário “Camus”, conseguiu atingir o zero absoluto, elevando o seu cosmo ao máximo. Agora os cientistas querem fazer o mesmo só que através da ciência.
    Cada vez mais a ciência está tentando imitar os desenhos japoneses.

  • Renys Kenys:

    No entanto, estriar a matéria a tal ponto, na minha opinião, causaria numa implosão nuclear tamanha que levaria o aparecimento de um fenômeno até então desconhecido pelo homem.

  • Renys Kenys:

    Eu acho que os cientistas deveriam parar com essas “brincadeiras”. Vai que num experimento desses criam um buraco negro ou uma super nova, ameaçando toda vida na Terra.

  • Roberto:

    Pelo que se ve, as pessoas não reclamaram à toa. Zero absoluto, mas nem tanto… e tantos outros mitos científico como a curvatura do espaço-tempo, big-bang, boson de righs, antimatéria, velocidade da luz, teletransporte…e segue por aí afora o dicionário de bobagens como na época da galinha dos ovos de ouro.

  • ísis:

    Chega a ser difícil crer que os cientistas tenham ultrapassado o zero absoluto. Teoricamente, já não há nenhum movimento das partículas nessa temperatura, então resfria-las mais seria fisicamente impossível.
    Por outro lado, também disseram que seria impossível o ser humano voar, mas hoje aviões são uma coisa comum.
    Caso essa inovação seja real, tal descoberta pode nos levar a grandes economias de eletricidade com o uso da supercondutividade, sem falar das surpresas que a matéria nos revela nesse estado.
    Sinceramente, espero que apareçam mais artigos sobre essa nova tecnologia.

    • Toinho:

      Também tem as viagens no tempo… …

  • Jasiel:

    Tomara que nenhum idiota coloque a língua em alguma coisa resfriada abaixo do zero absoluto. kkk

  • João:

    “Os cientistas já conseguem resfriar a matéria em vários graus abaixo do zero absoluto”

    Eu ia comentar, mas todos já comentaram.

  • B49:

    A “linha de corte” para o zero abs é teórica. NADA é absoluto.

  • Marco:

    ué ? eu nao entendi agora
    se o zero absoluto corresponde a um estado em que as moléculas estão totalmente “paradas” como é que vão deixar ainda abaixo disso !? tem algo errado ai

  • Matheus:

    Abaixo do zero absoluto?

    De onde tiraram tanta besteira?

  • willlim:

    Adicionando:
    Na matéria original é dito alguns bilionésimos acima do zero absoluto “…a few billionths of a degree above absolute zero…”
    Os momentos que usam escala negativa é para compara com as tempareturas em Celsius e Fahrenheit.

Deixe seu comentário!