Rússia é o primeiro país com uma arma hipersônica funcional

Por , em 29.12.2019

Uma nova arma se tornou operacional na sexta-feira, o ministro da Defesa da Rússia informou ao presidente Vladimir Putin. A arma que pode voar 27 vezes mais rápido do que a velocidade do som reforça a capacidade de ataque nuclear do país. A Rússia agora tem uma nova classe de arma, contra a qual outras forças militares não podem se defender.

A arma hipersônica Avangard é lançada do topo de um míssil balístico intercontinental. Mas enquanto ogivas de mísseis comuns seguem caminhos previsíveis após a separação, o Avangard pode fazer manobras bruscas na atmosfera. Isso dificulta o trabalho de interceptar a arma a caminho de seu alvo.

Putin falou sobre essa capacidade do Avangard em discurso em março de 2018, quando disse que “ele se dirige ao alvo como um meteorito, como uma bola de fogo”. A nova arma é produzida com novos materiais para suportar temperaturas de até 2.000 ºC. Ela carrega uma arma nuclear de até 2 megatons.

Passou no teste

O Avangard foi lançado da base de mísseis Dombarovskiy, ao Sul dos Urais, em dezembro de 2018, quando atingiu um alvo de treinamento localizado no campo de tiro de Kura, em Kamchatka. A distância percorrida foi de 6.000 km.

No mês passado, o Ministério da Defesa informou que foi realizada uma demonstração do Avangard para uma equipe de inspetores dos EUA. Isso faz parte de medidas de transparência de acordo com o tratado de armas nucleares New Start entre as duas nações.

Outras armas

Outra arma hipersônica de menor alcance já havia sido encomendada por militares russos. Carregado por caças MiG-31, o Kinzhal (Dagger) entrou em serviço, ano passado, na Força Aérea Russa.

De acordo com Putin eles voam dez vezes mais rápido do que a velocidade do som e têm alcance de mais de 2 mil quilômetros. Eles podem carregar uma ogiva nuclear ou convencional. Os militares informaram que é possível atingir tanto alvos terrestres quanto navais.

Os Russos se adiantaram, mas chineses também trabalham em armas hipersônicas, embora menos rápidas. Já o secretário de defesa dos Estados Unidos, Mark Esper, afirmou que em alguns anos o país deve ter sua arma hipersônica.

Putin considerou o Avangard um avanço tecnológico comparável com o lançamento soviético do primeiro satélite, o Sputinik, em 1957. Naquele momento, outra nação se adiantou em relação aos Estados Unidos. [Futurism, The Associated Press]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (39 votos, média: 4,59 de 5)

1 comentário

  • Cesar Grossmann:

    Uma nova Guerra Fria? Uma nova Corrida Armamentista? Ou é apenas mais um capítulo da velha história?

Deixe seu comentário!