Suas emoções manipulam os outros para que eles cooperem com você

Por , em 29.07.2010

A próxima vez que você sentir raiva de um amigo que o decepcionou, ou grato para com aquele cuja generosidade lhe surpreendeu, considere isto: talvez você esteja negociando sua convivência com essa pessoa no futuro. De acordo com uma nova teoria, um tanto quanto controversa, nossas emoções têm evoluído como ferramentas para manipular os outros e convencê-los a cooperarem conosco.

Até agora, a maioria dos psicólogos viam a raiva como uma forma de sinalizar o seu descontentamento quando outra pessoa lhe faz mal. Da mesma forma, a gratidão tem sido vista como um sinal de prazer quando alguém lhe faz um favor. Em ambos os casos, as emoções são vistas como reações a curto prazo para um benefício ou custo imediato.

Mas pode ser muito mais que isso. Segundo especialistas, a raiva tem muito a ver com a cooperação e com o conflito, e as emoções são usadas para coagir os outros a cooperar com você a longo prazo.

Alguns pesquisadores acham que a nossa raiva ou gratidão refletem o nosso julgamento do quanto uma pessoa é capaz de se sacrificar por nós – e se elas vão continuar a fazê-lo no futuro.

Por exemplo, você pode sentir-se irritado com um amigo que deu o bolo em um jantar para assistir a um programa de TV, mas não aquele que o fez para levar seu filho ao hospital. O dano a você é o mesmo nos dois casos, mas o comportamento do primeiro amigo indica sua pouca consideração pelos seus interesses, provocando a raiva, enquanto o segundo amigo não provoca esse sentimento.

Tudo isto sugere que a raiva e a gratidão – e talvez outras emoções, também – podem ser ferramentas de controle mental de cooperação de um parceiro. Você não sente raiva quando alguém te machuca, mas quando as suas ações revelam um cenário de cooperação menor do que o esperado, e sua raiva serve para que eles percebam que devem aumentar essa cooperação. Você não mostra gratidão quando alguém te beneficia, mas quando a cooperação demonstrada é maior do que a esperada, e a gratidão sinaliza que você pretende aumentar a sua cooperação em resposta.

Essa hipótese ainda não está bem desenvolvida, e a equipe de pesquisadores ainda tem de mostrar que essas reações emocionais realmente sintonizam o controle de cooperação do parceiro.

Segundo os investigadores, os homens mais fortes e as mulheres mais atraentes são mais propensos a raiva. Embora os homens mais fortes não tenham necessariamente qualquer razão para esperar um melhor tratamento na sociedade moderna, no passado teriam sido companheiros desejáveis, como mulheres atraentes ainda são hoje, e assim podem acreditar que precisam de mais cooperação.

Se essa cooperação afeta um melhor tratamento com a pessoa no futuro, não se pode afirmar. A pesquisa continua no campo da teoria, necessitando de mais provas concretas, já que é uma investigação bastante controversa. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

17 comentários

  • edilson:

    Estudem fisica quantica, e descobriram coisas além do que descobri e uso na vida prática. Solucinando estes e outros aspectos simples da vida. Smples!

    Quando leonardo da vinci,falou sobre seus inventos. Falaram que ele era louco e impossivel de ser criado e usado seus inventos. Reflitam. Edison Lima.

  • edilson:

    “Conhece-te a ti mesmo.”

  • edilson:

    “O maior de todos os mistérios é o homem. ”
    “A muitas coisas entre os céus e a terra e a nossa academia”

  • Lauren:

    Murilo…

    acho que qm faz a faculdade eh o aluno i naum o contrário.

    Gente, eu soh quis demonstrar meu descontentamento com a reportagem, que ao meu ver não eh d tdo explicativa! Se vcs acreditam numa reportagem (lembrando q isso nem artigo eh) publicada num site, ótimo! Isso daki naum eh uma aula de produção de conhecimento para profissionais, eh um site de entretenimento! E é essa a diferença entre os leigos e pssoas q se profissionalizaram em alguma aréa. Se vc qr ter algum entendimento sério sobre algum assunto, leia livros sérios e peskise TODAS as diferentes aréas sobre tal coisa.

    Álias, sempre que uma nova teoria surge, há justamente criticas para confrota-las e testarem sua validade. Isso eh fazer ciencia. Sempre se questione (ateh msmo em um ambiente sério) sobre o que lhes eh passado.

  • Murilo:

    “Felipe
    minha faculdade eh federal!”

    Só não deixe a faculdade atrapalhar os seus estudos.
    Abraços.

  • Lauren:

    Felipe

    minha faculdade eh federal!

    São muitas teorias naum eh possivel ter um conhecimento aprofundado sobre tdas, mas o q me deixa puta, eh pq o senso comum vein falar qlqer merda i mta gent toma como uma verdade absoluta! Isso daih naum eh um artigo cientifico, eh uma publicação baseado em naum sei o que (sim, naum sei q tipo d estudos eles fizeram para chegar a isso). Um artigo cientifico de verdade (alem d ser xato pra ca** i mtas vezes extenso) refuta as próprias publicações. E naum colocando como se fosse uma grande verdade! Nenhuma ciencia explica uma verdade absoluta ,as proprias teorias se contradizem. Vc naum pod afirmar ‘ tdos os psicologos pensam assim’ pq tampouco conhece a área deles e o tipo de trabalho q cada profissional exerce!

    Agora se vc axa q eu vou ser um profissional lamentável, soh lamento! Não to aki falando como psicologa e sim como estudiosa da área (:
    n qro parecer arrogante, mas me questiono qndo vejo algo assim escrito

  • Carlos Bayma:

    Por isso é que a psicologia está se dissolvendo, cercada por muros tangíveis sobre assuntos pouco tangíveis. Apenas estudar psicologia usando a mente é como ser um cirurgião que opera só com seus atributos emocionais.

  • Felipe:

    Lauren,

    Se vc faz mesmo psicologia (provavelmente em uma faculdade particular de baixa qualidade), deveria ter um controle um pouco mais elevado do seu próprio comportamento ao se referir ao trabalho alheio.

    Se vc não concorda com o que está escrito utilize o conhecimento que vc acha que tem para refutar o artigo. Só prq vc não conhece ou nunca ouviu falar na sua “faculdadezinha”, não quer dizer que não exista ou que seja um trabalho mal feito. O mundo é muito maior do que vc, do que a sua faculdade e os seus míseros oito semestres de estudos.

    E por ultimo, que profissional de ***** vc vai ser com esse tipo de comportamento? Acha mesmo que tem capacidade ou competência pra exercer sua profissão se comportando desse jeito? Deixe de ser arrogante.

    Obs.: Eu tbm não confio na pesquisa(pois eles mesmos admitem que necessitam de mais estudos), mas admito que há uma certa coerência nos argumentos.

    Abraços!!!

  • Murilo:

    A proposta tem sua base.

    Quantas vezes nossas emoções não foram liberadas de forma a surpreender alguém (para o bem ou para o mal)?

  • Lauren:

    @edilson lima

    me de formulações da sua teoria!!

    em que autores vc se baseou para dizer isso?
    que tipo de estudo o levou a chegar essas conclusões?
    que pesquisas, experimentações foram feitas?

    caso contrário sua teoria não eh válida pra nada!
    se sua teoria não tem nenhuma base cientifica, desculpa, mas então ela se torna uma completa idiotice baseada apenas naquilo q vc julga ser verdade!

    se vc me citar uma universidade de respeito ou autor que vc tenha se baseado posso vir a questinoar as razões pelo qual poderia ser validável.

    AFF

  • Lauren:

    Me desculpe, mas que pesquisadores são esses? o.O

    Estou no oitavo semestre de psicologia i nunca vi nenhuma teoria a respeito disso, nem na análise comportamental, humanismo, psicodrama, gestalt, tampoco na psicanálise.

    Se vc quer publicar um artigo de respeito por favor publique quem está envolvido no projeto, qual o objetico i principalmente a abordagem! Desconsidero esse lixo puro que naum passa de uma abobrinha do senso comum!! Provavelmente vc naum sab o que eh psicologia de verdade e nem como ela foi desenvolvida por Wundt, Skinner, Rogers e Watson soh pra citar alguns!

    • asagodoy:

      Laurinha, seja uma boa menina e clique no link que aparece no final do texto ([NewScientist]), tenho certeza que com um pouco de conhecimento em inglês, você irá achar as respostas para algumas de suas perguntas!!!

      Abraço de um engenheiro

    • asagodoy:

      Acho que depois desses anos você vai achar bem curioso lembrar desse comentário!!!

  • Lauren:

    Olha lah, os leigos achando que fazem psicologia. Coitados!

  • Edilson Lima:

    A RAIVA É UM EFEITO QUE SE ENCONTRA INSTALADO EM UM GENE E NO DNA DOS NEURÔNIOS HUMANO. QUE PODE HOJE SER DESINTEGRADO, PULVERIZADO E TRANSFORMADO DEFINITIVAMENTE DE TODOS OS SERES HUMANOS, COM A TÉCNICA PIVIMAM. (edilsonselfmanagement.blogspot.com), ELA ATUA EM NÍVEL PSÍQUICO BIO QUÂNTICO – PARTÍCULAS SUB ATÔMICAS DA MENTE HUMANA.

    TEMOS PARTÍCULAS “DOENTIAS, PATOLÓGICAS” EM NÍVEL BIO QUÂNTICO. NEM TUDO É TÃO BELO E FASCINANTE ASSIM!

    A GRATIDÃO; A RAIVA; OS SENTIMENTOS E, PENSAMENTOS SÃO MATÉRIAS QUINTENSENCIADAS SUB ATÔMICAS REGISTRADAS E ALOJADOS NO DNA DAS CÉLULAS NERVOSAS HUMANAS – OS NEURÔNIOS. SOLUÇÃO: CIRURGIA BIO PSÍQUICA NATURAL COM A TÉCNICA PIVIMAM. A VIDA É SIMPLES, A PARTIR DE AGORA ,PARA TODOS!!

    EDILSON LIMA.

  • Hix:

    Interessantíssimo essa nova proposta.
    E realmente acredito que o nosso comportar após as ações remetem a aprendizados ao longo de nossas vidas, ou seja, comportamentos como raiva e tristeza, na verdade são sinais para que as pessoas a nossa volta possam perceber e agir de acordo com a informação que recebem.
    Tais comportamentos são moldados, principalmente durante a infância.

    • Gautamann:

      É por aí mesmo!!

Deixe seu comentário!