Condição rara fez mulher lactar de sua vulva na Áustria

Por , em 17.06.2019

Uma mulher na Áustria teve uma condição muito rara que fez com que ela lactasse de sua vulva após o parto de seu segundo filho.

De acordo com um relatório do caso, depois de dar à luz recentemente, a mulher de 29 anos desenvolveu uma dor severa no lado direito da vulva.

Os médicos notaram que ela tinha muito inchaço na área onde recebeu suturas, e pensaram que ela tinha desenvolvido um abcesso. Na verdade, era algo muito mais incomum.

Quatro dias após o parto, a mulher desenvolveu inchaço nos dois lados da vulva e notou a liberação de um líquido “branco leitoso” da área, comentando que teve um inchaço semelhante em sua vulva após a primeira gravidez.

A equipe então suspeitou que a austríaca tinha “tecido mamário ectópico”, um tecido mamário encontrado em algum lugar do corpo fora do seio, que estava lactando.

Diagnóstico

De fato, quando os médicos realizaram uma ultrassonografia da área, puderam ver que o tecido parecia tecido mamário em lactação, exceto que estava na vulva.

Parecia que o lado direito estava particularmente inchado e doloroso porque as suturas cobriam um “ducto excretor” para o leite. Uma vez que essas suturas foram removidas, a dor da mulher imediatamente diminuiu.

O inchaço e a secreção de leite no tecido ectópico diminuíram nas duas semanas subsequentes e ela foi capaz de continuar amamentando normalmente.

Condição rara

O Dr. Richard Mayer, do Hospital Universitário Kepler, na Áustria, que tratou a paciente, disse que nunca tinha visto um caso como este antes.

Cerca de 1% a 5% das crianças nascem com tecido mamário “ectópico” ou “acessório”, mas é muito raro encontrar esse tecido na vulva. Mais comumente, o tecido ocorre na área das axilas. Em alguns casos, as mulheres têm tecido mamário adicional com mamilos ou aréola (a área pigmentada ao redor do mamilo).

Quando as mulheres têm tecido mamário ectópico sem mamilos ou aréola, a condição é tipicamente diagnosticada na gravidez, quando é mais fácil de ser detectada. Em outros casos, as mulheres podem ser diagnosticadas se o tecido se tornar canceroso.

Não há diretrizes específicas para tratar o tecido mamário ectópico, mas ele pode ser removido por causa de sua aparência ou porque está causando desconforto, conforme destacou um artigo de 2014 sobre o assunto publicado na revista American Journal of Roentgenology.

Uma vez que o tecido mamário ectópico pode se tornar canceroso, os médicos recomendam que as mulheres que o possuem considerem removê-lo.

Embora a condição seja rara, os médicos devem levá-la em conta como um possível diagnóstico entre as mulheres que têm inchaço na vulva, especialmente se estiverem em lactação, explicaram os autores do novo relatório de caso, publicado na revista Obstetrics & Gynecology. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (17 votos, média: 4,94 de 5)

Deixe seu comentário!