Tecnologia autoquantificada: o que é? Descubra aqui!

Por , em 28.08.2013

O que é tecnologia autoquantificada

O movimento autoquantificado se refere ao aumento do uso de tecnologia para coletar dados sobre si mesmo.

Essas tecnologias – tais como aplicativos para smartphones, dispositivos de GPS e rastreadores de atividade física com acelerômetros – permitem às pessoas rastrearem todos os aspectos de suas vidas diárias, incluindo a quantidade de exercício físico feito durante o dia, o número de passos, a comida ingerida, a duração do sono durante a noite, a frequência cardíaca e até o humor.

Esse monitoramento não só permite que os indivíduos aprendam mais sobre si mesmos, mas também pode ajudá-los a tomar medidas para se tornarem mais saudáveis, de acordo com os seguidores do movimento.

Gary Wolf e Kevin Kelley, editores da revista Wired, geralmente recebem os créditos pela criação do termo “autoquantificado”, cunhado quando eles iniciaram um projeto para acompanhar todas as novas tecnologias de rastreamento. Eles criaram uma empresa, chamada de Quantified Self Labs (“Laboratórios Auto-Quantificados”), que tem como objetivo atender os usuários e fabricantes de ferramentas de monitoramento.

Enquanto as pessoas têm sido capazes de acompanhar seu desempenho nas tarefas diárias de várias maneiras durante anos – um simples cronômetro permite que corredores sigam seu tempo de corrida –, as novas tecnologias deixaram esse processo bem menos complicado, de acordo com Wolf.

“No passado, os métodos de avaliação quantitativa eram trabalhosos. Você tinha que realizar as medidas manualmente e salvá-las em um lugar seguro. Você precisava inserir os dados em planilhas e realizar operações usando softwares nem um pouco fáceis de mexer. Você tinha que construir gráficos para ter um entendimento claro dos números”, escreve Wolf em um artigo da revista Wired.

“Agora, grande parte da coleta de dados pode ser automatizada, e a manutenção de registros e análise pode ser delegada a uma série de simples aplicativos da web”, completa Wolf. A melhoria de sensores, como acelerômetros menores do que uma moeda, têm auxiliado o desenvolvimento das ferramentas de monitoramento, segundo Wolf.

Um exemplo de uma ferramenta autoquantificada é o Rastreador Fitbit, que acompanha a quantidade de passos durante um espaço de tempo, a distância percorrida, as calorias queimadas e as horas e a qualidade do sono. Dispositivos similares incluem o monitoramento da frequência cardíaca, como o Whithings Pulse e o Nike+Fuel Band, que monitora a atividade durante o dia, mas não o sono.

O aplicativo de rastreamento de GPS chamado Strava permite aos usuários verem e partilharem os seus momentos em exercícios de caminhadas e de ciclismo em rotas de treinamento.

O Trace, um objeto em forma de um disco de hóquei sobre o gelo, de cerca de 5 centímetros de diâmetro, pode ser anexado a um skate, uma prancha de surf ou um snowboard, e monitora informações sobre a velocidade dos atletas, a distância percorrida, altura de salto, calorias queimadas, o número de manobras realizadas e muito mais, de acordo com o fabricante Active Replay.

Alguns aplicativos disponíveis para iPhone, incluindo Monthly Cicles (“Ciclos Mensais”) e My Cycles Period (“Período dos Meus Ciclos”) afirmam auxiliar as mulheres a monitorar seus períodos menstruais e determinar quando são seus dias férteis.

Um aplicativo móvel chamado Spreadsheets (“Planilhas”) vai mais além. Segundo os fabricantes, o programa acompanha os encontros sexuais dos usuários, coletando informações sobre o nível de ruído emitido e a duração do ato sexual para fornecer estatísticas de desempenho. Não sabe se você é bom de cama? Tem um aplicativo para isso! [Live Science]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!