Telescópio VISTA descobre raros aglomerados estelares na Via Láctea

Por , em 20.10.2011

O telescópio europeu VISTA descobriu dois aglomerados de estrelas muito antigas na Via Láctea, que se somam agora ao crescente número conhecido desses objetos cósmicos relativamente raros.

Esses aglomerados globulares são conjuntos com 100 mil ou mais estrelas primitivas. Elas estão entre os objetos mais antigos do universo, com algumas tendo surgido juntamente com a formação da Via Láctea. Apenas 158 aglomerados globulares eram conhecidos na Via Láctea até que o telescópio VISTA do Observatório Europeu do Sul localizou dois novos, chamados de VVV CL001 e VVV CL002.

O telescópio VISTA, que detectou imagens dos aglomerados, está fazendo uma pesquisa pela Via Láctea. Essa produtiva pesquisa, conhecida como VVV, também localizou o primeiro aglomerado estelar muito além do centro da nossa galáxia – sua luz teve que viajar através de espessas cortinas de gás e poeira da Via Láctea para chegar aos nossos telescópios terrestres.

Nessa nova imagem infravermelha do VISTA, o deslumbrante aglomerado globular UKS 1 domina na parte direita. Mas a surpresa foi um aglomerado muito mais fraco descoberto pelo VISTA, o VVV CL001, que é difícil de detectar a primeira vista, localizada ao centro da esquerda na imagem.

O outro aglomerado descoberto, VVV CL002, é um grupo pequeno e fraco de estrelas que pode ser o aglomerado globular mais próximo do centro da Via Láctea conhecido.

Astrônomos sugerem que o VVV CL001 é gravitacionalmente vinculado ao UKS 1 – o que faria desses dois objetos o primeiro par binário de aglomerado globular da Via Láctea.

As descobertas de novos aglomerados globulares em nossa galáxia são muito raras. Antes da recente descoberta, um novo aglomerado só havia sido localizado em 2010.

Outro aglomerado recém-anunciado, VVV CL003, parece ser um agrupamento de estrelas que fica a aproximadamente 15 mil anos-luz além do centro da Via Láctea. Este é o primeiro aglomerado que foi descoberto em um local tão distante da nossa galáxia. [Space]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • erica:

    nossa!!!é incrível a imensidão do universo .isso mostra o poder do nosso Deus ,que até hoje ,niguém conseguio e jamais conseguirá desifrar o ENIGMA.porque Deus usa as coisas loucas desse mundo para confundir os sábios.um abraços

  • Denzel:

    Eu gostaria de saber como faço para conseguir compartilhar novas materias sobre astronomia com alguem que poste essas materias aqui no site?

    • Denzel:

      Alguem poderia me dizer?

  • Jonatas:

    A grande diferença entre aglomerados globulares é o comportamento e a natureza de suas estrelas. Os Abertos, estrelas jovens que se afastam lentamente umas da outras, os fechados estrelas antigas unidas gravitacionalmente para sempre. Os Aglomerados Globulares, com suas centenas de milhares de estrelas envelhecidas, vermelhas e alaranjadas, contam das historias mais antigas e misteriosas das galáxias. Nota-se que algumas galáxias anãs elípticas mais parecem aglomerados globulares perdidos no meio integalactico (parecem)

    Outra característica, buracos negros de médio porte podem viver no centro dos enxames globulares. Uma espécie intermediária entre os buracos negros estelares (massa de 1 a 100 sóis) e os galácticos (com milhões e até bilhões de massas solares), os buracos dos aglomerados globulares tem entre centenas e dezenas de milhares de vezes a massa solar.

    O mais espetacular aglomerado é Ômega Centaury, um monstro com até 10 milhões de estrelas antigas, mede 160 anos luz de diâmetro e tem a massa de 5 milhões de sóis. Seu buraco negro interior tem massa aproximada de milhares de massas solares. ômega pode ser remanecente de uma galáxia engolida pela Via Láctea.

    • Fernado:

      Como Nos sabemos, somos um grao de area no ocean do universo.

  • André:

    É incrível!

Deixe seu comentário!