Três formas de descobrir seu propósito de vida

Por , em 14.11.2018

Há uma maneira comprovada de viver mais, reduzir o risco de doenças cardíacas, derrames e Alzheimer e reduzir a ansiedade e a depressão: ter um senso de propósito para sua vida.

Já escrevemos aqui no Hype sobre a comunidade japonesa mais longeva do mundo e sua simples filosofia: “ikigai”, algo como a “felicidade derivada de estar ocupado em alguma atividade que contém significado e propósito” para você.

Diversas pesquisas científicas comprovam os benefícios de ter um propósito na vida, mas como encontrar o seu?

1. Imagine sua lápide

Uma forma de reconhecer o que você quer alcançar em vida é pensar na sua morte e no que você gostaria que fosse dito no seu funeral ou escrito em sua lápide.

Victor Strecher, da Universidade de Michigan em Ann Arbor (EUA) e autor do livro “Life on Purpose”, sugere identificar diferentes valores e objetivos para quatro domínios de sua vida – família, trabalho, comunidade e pessoal. Por exemplo, o propósito de Strecher inclui ser um marido e pai engajado, ensinar seus alunos como se fossem sua própria filha, ajudar os outros a criar um propósito e desfrutar do amor e da beleza.

Isso pode ser particularmente importante mais tarde na vida. Depois de se aposentar do trabalho, algumas pessoas lutam para enxergar um propósito para suas vidas. Mas pensar em como você será lembrado por seus descendentes pode fornecer motivação diária.

2. Nunca é tarde demais para começar a ter propósito

Ponderar a morte parece algo mórbido, mas os filósofos estoicos de 2000 anos atrás consideravam a possibilidade da morte diariamente. “Ao fazê-lo, eles tinham uma vida maior”, disse Strecher.

Se lembrar da morte te dá medo, pense que desenvolver um senso de propósito pode ajudar a retardá-la e acrescentar anos à sua vida, mesmo que você não comece cedo.

Patrick Hill, da Universidade de Washington em St. Louis (EUA), descobriu que avaliar o senso de propósito como um ponto mais alto em uma escala de sete pontos diminuiu o risco de morte em 12% em 14 anos.

Os benefícios foram vistos em pessoas de todas as idades, desde os 20 aos 70 anos, sugerindo que a realização do seu objetivo é vantajosa em qualquer idade. “Não é o caso de ser ‘tarde demais’ para se beneficiar de um senso de propósito”, explicou Hill.

3. Concentre-se nos outros

A meditação pode ajudá-lo a encontrar seu propósito, especialmente se você pensar nos outros.

Em seu livro, Strecher prescreve uma simples “meditação da bondade amorosa”. O exercício de 20 minutos começa com a concentração na respiração e o desejo de ser feliz e livre de sofrimento. Então, você imagina dizer aos outros – começando com seus entes queridos, mas progredindo para aquelas pessoas com as quais você não tem uma boa relação – que eles podem ser felizes e livres de sofrimento também.

Estender essa gentileza à vida real também pode melhorar seu senso de propósito. As pessoas que realizaram atos aleatórios de bondade algumas vezes por semana durante um mês viram um aumento do bem-estar que durou semanas, mesmo depois que pararam de ter as atitudes gentis. O voluntariado tem mostrado efeitos semelhantes.

Pensar nos outros ajuda de várias formas. Se você vê o trabalho apenas como uma maneira de pagar contas, ele não parecerá tão significativo quanto se você trabalhasse para contribuir com a sociedade de alguma forma.

Mudar o foco para outras pessoas, seja através de meditação, atos de caridade ou considerando o impacto que sua vida terá – mesmo depois de acabar – pode fortalecer seu propósito e permitir que você colha seus muitos benefícios. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (19 votos, média: 4,21 de 5)

Deixe seu comentário!