Viciados em internet mataram a filha de fome

Por , em 31.05.2010

Um casal de sul-coreanos matou a própria filha de fome porque estava ocupado demais cuidando de um bebê virtual.

O marido, um taxista de 41 anos, e a esposa, de 25, foram condenados a dois anos de prisão (mas a mulher foi liberada por estar grávida – irônico, não?).

O casal passava 10 horas por dia em uma lan house e dava mamadeira para a filha apenas uma vez ao dia. A menina já nasceu prematura, era mal alimentada (muitas vezes o leite dado a ela era podre) e, além de tudo, era espancada quando chorava. Eles a encontraram morta quando voltaram de uma sessão de jogos de 10 horas no ano passado.

O caso chocou toda a nação e levantou a preocupação sobre vício na internet – a população do país tem 45 milhões de pessoas e estima-se que 2 milhões sejam viciados. A Coréia do Sul é o país com mais internautas (proporcionalmente) no mundo. [MSNBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

24 comentários

  • Kimberly Maya:

    Qual o nome do jogo?

  • Shanalise:

    Nossa só 2 anos por esse crime absurdo.O?
    Eles estavam doentes, que horror.
    E o que chama a atenção é que eles cuidavam de um bebê virtual.

  • Alexsandro Reis:

    O Brasil não tem pena de morte, e tem problemas também. Problemas são uma condição da vida. Não existe sociedade utópica. Cada país opta como quer tentar resolver os seus problemas. A visão americana nesse caso específico é que a cadeia serve para punir, e não ressocializar, como a idéia brasileira. Eu particularmente concordo com eles. Quem educa são os pais. Se eles falharam, não acho que o resto da sociedade deva pagar o pato. No caso da pena de morte, para eles, não há sentido em manter a sociedade custeando um indivíduo que se mostrou incapaz de convívio civilizado. Também concordo. Vai dizer que se cometem injustiças nesses casos, que inocentes vão ser injustiçados. Claro, mas também é uma injustiça deixar assassinos livres, por incompetência de um sistema judiciário, na hora de aplicar uma legislação medíocre, reticente e omissa.

  • rodney:

    Morre Diabo

  • daniela:

    rosa maria concordo plenamente com vc
    para que trazer uma criança ao mundo do jeito que ele esta

  • juliana:

    maldade com um bebe eu chorei quando vi deveria ter pena de morte tenho dois irmãos bebê e não deixo eles chorarem muito

  • Miguel:

    “O marido, um taxista de 41 anos, e a esposa, de 25, foram condenados a dois anos de prisão”… Só!? Concordo com Z. Machona, esse casal devia ser julgado no Irão!

  • Z. Machona:

    2 anos? que bobagem? Eles deveriam ser julgados no Irao! Assim teriam uma pena mais justa.

    • Alexsandro Reis:

      O que que é Irao? Você quis dizer Irã?

  • ELIETE:

    CONCORDO PLENAMENTE COM A PENA DE MORTE, O POVO IRIA FICAR MAIS ESPERTO E NÃO FARIA TANTA BOBAGEM, FAZER BASTANTE ABSURDO COM QUEM IRIA PARA A MORTE DEPOIS MATAR, A LEI MUDA MUITO MAS PARA ESTES ABSURDO NUNCA MUDA, PODE TER CERTEZA QUE UM PRESIDIARIO PAGA E SAI DA CADEIA.

  • Ramon:

    Fail wanderson, se isso não tava aqui ainda é porque aqui tava mostrando coisas muito mais interessantes do que nesse blog.

  • Manuel Bravo:

    Tudo que é por excesso faz mal, até mesmo a água.
    Penso que o que é preciso é não se deixar viciar para não ser dominado como aconteceu a este infeliz casal.

  • Wanderson:

    Notícia meia velhinha não?

    Há uns dois meses eu discuti sobre isso em um fórum.Onde vcs estavam?

  • GustavoB:

    Me surpreendo como estes casos so acontecem na Coreia. Todos os casos de “morrer jogando games online por 1 semana sem parar” que ouvi falar sao de la.

  • Rosa Maria:

    Isto é algo muito cruel se nao querem um bebe porque traze-lo ao mundo. Ainda assim estao aspera de um outro bebe quem garante que nao fazer o mesmo.As pessoas tem que ser responsaveis dos seus actos, quando nao se tem condicoes para por alguem no mundo o melhor é nao ter-lo para nao faze-lo sofrer como é o caso deste casal.

  • Guilherme Spagnolo:

    Concordo plenamente com o Alex Keher, sem por e tirar nada… temos que punir a causa, e não o efeito… a causa foi a negligência dos pais, não a internet…

  • Alex Keher:

    Um cara chega em casa e encontra o melhor amigo transando com sua esposa no sofá da sala. Num acesso de fúria ele descarrega toda sua raiva.

    Põe fogo no sofá.

    É a mesma coisa. Culpar a Internet nesse caso é como culpar o sofá.
    Milhares de pessoas são mortas à golpes de facão na África. Ninguém nunca pensou em processar os fabricantes de facões. Algumas pessoas são más, negligentes, viciadas nisso ou naquilo. Se esse casal não tivesse internet talvez estivesse jogando baralho enquanto a filha morria.

  • eduardo:

    Eu tb não sou a favor da pena de morte…… é muito rápida e sem dor…… mas sou a favor das chibatadas…. 160 chibatadas por dia….. ah e claro, sem comer nada pra morrerem da mesma forma…..

  • Mary:

    Que absurdo,eles tiveram tempo pra tudo menos cuidar do proprio bebe e o pior está gravida de novo….de uma coisa é certa aqui se faz aqui se paga , pena de morte não é o uma forma pra que eles tenham em suas conciencia o absurdo que fizeram,que a vida fique encarregada de mostrar o sofrimento que causaram a um inocente.

  • João:

    Talvez uma pena de morte virtual possa lhes atormentar mais, que tal? 😛

  • Diabo:

    Se pena de morte resolvesse, o EUA não teria problemas….

    • Alexsandro Reis:

      O Brasil não tem pena de morte, e tem problemas também. Problemas são uma condição da vida. Não existe sociedade utópica. Cada país opta como quer tentar resolver os seus problemas. A visão americana nesse caso específico é que a cadeia serve para punir, e não ressocializar, como a idéia brasileira. Eu particularmente concordo com eles. Quem educa são os pais. Se eles falharam, não acho que o resto da sociedade deva pagar o pato. No caso da pena de morte, para eles, não há sentido em manter a sociedade custeando um indivíduo que se mostrou incapaz de convívio civilizado. Também concordo. Vai dizer que se cometem injustiças nesses casos, que inocentes vão ser injustiçados. Claro, mas também é uma injustiça deixar assassinos livres, por incompetência de um sistema judiciário, na hora uma legislação medíocre e reticente e omissa.

  • Fernando Sávio:

    Depois acham muito radical a tal de pena de morte!

  • Gabriel:

    será que o bebê da barriga desta mulher é virtual tambem??????????
    Nossa isto é uma barbaridade para se fazer com uma criança. O mundo está perto do fim se estas coisas continuarem.

Deixe seu comentário!