A teoria da galinha universal: cosmólogo explica por que o Big Bang pode não ter sido o começo de tudo

Por , em 22.06.2015

Será que o Big Bang foi realmente o começo de tudo? Várias teorias levam a crer que, antes da grande explosão, havia alguma outra coisa preenchendo o espaço e o tempo. Em 15 minutos, o cosmólogo Sean Carroll faz um passeio divertido e instigante através da natureza do tempo e do universo para tentar responder uma pergunta aparentemente simples: por que (e como) o tempo existe?

As potenciais respostas apontam para uma visão surpreendente da natureza do universo, sua origem e nosso lugar nele. Confira no vídeo abaixo, com legendas em português. [TED]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,25 de 5)

6 comentários

  • Franc Seixas:

    Falou, falou, falou… mas…

    Com tanta coisa a ser feita em prol da vida, esses “cientistas” alienados desperdiçam tempo e recursos tão escassos procurando pelo em ovos… e o pior é que eles “encontram”. Se dermos a eles uma dúzia de ovos, eles montam uma peruca.

    • Cesar Grossmann:

      Do que você tem medo que a ciência descubra? Por que quer calar os cientistas? Que ódio é este à pesquisa científica?

    • Franc Seixas:

      De forma alguma, não se sinta ofendido. Não tenho medo medo, nem ódio e nem quero calar os Cientistas, apenas quero dar mais valor a Cientistas que se dediquem a causas mais imediatas e urgentes. O consumo de recursos escassos é algo sério e deveria receber uma atenção mais madura e honesta.

    • Franc Seixas:

      Eu já respondi ao seu comentário, mas não foi publicado. Houve falha no envio??

    • Franc Seixas:

      Então respondo de novo.

      De forma alguma, desculpe se o ofendi, acredite, não tive essa intenção.

      Agora, não tenho medo da ciência, nem ódio à pesquisa e também não quero calar os cientistas, pelo contrário. Eu apenas penso e entendo que, com tantas prioridades e urgências a serem conquistadas pela ciência, o dispêndio de recursos tão escassos deveria ser sempre canalizado para pesquisas cujo resultado atenda às necessidades urgentes. Imagino que a descoberta dos segredos do Universo teria impacto ainda muito pequeno nas premências imediatas da humanidade. Acho que pouco importaria descobrir, agora, se um buraco negro seria algo como uma vagina cósmica ou coisa que o valha.

      Por outro lado, entendo seu comentário, este sim, como agressivo e passional, de alguém que não tolera ideias que agridam suas paixões.

      Grande abraço.

    • Franc Seixas:

      Ué, respondi novamente, mas não apareceu.

Deixe seu comentário!