Vulcão explode e só a NASA fica sabendo

Erupção de 24 de abril de 2016
Monte Sourabaya – Erupção de 24 de abril de 2016

Pela primeira vez nos últimos 60 anos o Monte Sourabaya entrou em erupção. Foi um espetáculo: lava incandescente para todo o lado, não apenas uma, mas duas vezes, visto que foram duas explosões.

Só que ninguém viu nada.

Bom, quase ninguém, já que ninguém vive próximo a este vulcão, que está em uma ilha remota no Atlântico Sul. Mas a NASA viu. Ou, pelo menos, os satélites da NASA capturaram imagens das erupções do dia 24 de abril e 1° de maio.

Monte Sourabaya - Erupção de 1 de maio de 2016
Monte Sourabaya – Erupção de 1 de maio de 2016

O monte Sourabaya tem altura de 1100 metros, e fica a 1,9 km a noroeste de Monte Darnley, Ilha Bristol, nas Ilhas Sandwich do Sul. Ou 2.776 km a sudeste de Buenos Aires.

Ele recebeu este nome pelo Comitê Britânico de Nomes de Lugares na Antártica, em 1971, em homenagem ao navio-fábrica baleeira Sourabaya, que testemunhou uma erupção na ilha em 1935.

Este é um estratovulcão – cônico e alto, feito de material vulcânico, incluindo lava e cinzas. Normalmente está coberto de gelo, o que dá uma pista do motivo por não viver ninguém por perto.

Erupções acontecendo em fins-de-mundo como esta ilha Bristol costumavam passar desapercebidos, mas com o surgimento de satélites e monitoramento sísmico, os cientistas começaram a ampliar seus conhecimentos sobre este tipo de evento.

As imagens obtidas vieram do satélite Landsat 8, mais especificamente do Operational Land Imager, que capturou as imagens em cores-falsas, mostrando o infravermelho e vermelho, todos servindo para apontar gradientes de calor. Cada imagem mostra a parte mais quente do vulcão com um vermelho brilhante e laranja.

Também são visíveis a coluna de cinzas em branco, e a cobertura de gelo da ilha, em um azul claro. A última erupção do Monte Sourabaya, um dos vulcões menos estudados no mundo, aconteceu em 1956. [LiveScience, NASA]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 3,00 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta