Depois dos 40, é mais saudável ser gordinha (ou gordinho)

mulheres cheinhas
Mulheres curvilíneas

Indo completamente contra a corrente que afirma que a magreza é mais saudável, um novo estudo afirma que pessoas com sobrepeso têm maior probabilidade de viver mais do que as pessoas magras. Pesquisadores da Universidade de Tohoku, no Japão descobriram que as pessoas que tinham sobrepeso aos 40 anos vivem até seis anos a mais do que as que tinham o peso normal nesta idade.

De acordo com o mesmo estudo, realizado durante dez anos com 44 mil pessoas, as pessoas mais magras também têm maiores riscos de ter doenças cardiovasculares.

» Gordo e saudável: Estudo prova que é possível

Os pesquisadores analisaram a saúde, o peso e a expectativa de vida dos 44 mil participantes do estudo, entre 40 e 79 anos. As pessoas foram divididas em quatro categorias, com base no Índice de Massa Corporal (IMC) – baixo peso, peso normal, sobrepeso e obesas.

O estudo concluiu que, entre as pessoas na casa dos 40 anos, os indivíduos com sobrepeso tinham a maior expectativa de vida. Aquelas classificadas com o peso normal ficaram logo atrás, de acordo com a pesquisa. Já as pessoas mais magras ficaram na expectativa de vida mais baixa quando comparadas com as outras categorias.

De acordo com Masato Nagai, pesquisador envolvido com o estudo, as chances de ter problemas de saúde também foi maior entre os magros. “Aqueles muito magros têm maiores riscos de doenças cardiovasculares e têm mais chances de desenvolver pneumonia e deficiências nutricionais”, afirma Nagai.

» Porque ser magro sempre estará na moda

Esta pesquisa vem apenas um mês depois de pesquisadores dinamarqueses terem publicado um estudo que afirma que pessoas com a circunferência da coxa menor que 55 centímetros têm maiores chances de desenvolver doenças cardíacas e têm maior risco de morte. [Telegraph]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

12 respostas para “Depois dos 40, é mais saudável ser gordinha (ou gordinho)”

  1. Concordo em genero, número e grau que pessoas magérrimas tem mais problemas mais que auto estima. Mas essa galerinha da foto em anexo tambem não está tão gordinha assim não, viu!

  2. Até que isso faz sentido,se você é “bem nutrido” comparado a uma pessoa magra,quem ficara vulnerável as doenças depois de uma certa idade?
    É uma questão de preparo pode realmente ter fundamento.
    Minha avó é gordinha e é muito saudável,nunca pegou uma doença seria e esta sempre sorrindo.
    Então vocês ai de cima não tirem conclusões precipitadas e tentem abrir um pouco essa mente.
    Quem não se abre não conhece coisas novas e sempre vão ser “homens das cavernas!”

  3. Acredito que até uma barriguinha equivalente a 4,5 meses de gravidez possa ser proveitoso.
    Agora, mais do que isto, passa a ser prejudicial mesmo, até porque, dificulta tanto ao movimento quanto a própria circulação local.

    Abraços

  4. Com todo respeito pelo portal, mas não dá para levar a sério esta pesquisa, cada dia os “cientistas” dizem algo novo. Há poucos dias a moda que estava na mídia era de que se cortar os carboidratos em 30%, por ex, é possivel aumentar a capacidade de vida. Essas pesquisas aí só servem para bitolar a maioria das pessoas. Todos nós somos seres humanos e temos nossas fragilidades, se a doença não se desenvolver por razões genéticas – por novamente questões genéticas, ou descuidos na geração anterior – nós mesmos somos os responsáveis e não é o IMC baixo ou médio ou levemente acima do peso que vai definir e sim nosso hábitos, alimentação, atividade fisica, beber pouca quantidade de alcool, ou nada e não fumar.

    Abraços

Deixe uma resposta