9 projetos milionários que pretendem desvendar os mistérios da energia escura

A energia escura é um dos “cálices sagrados” da ciência desde a descoberta, em 1998, que a expansão do universo está acelerando.

Apesar dos investimentos na área, apenas recentemente foi confirmada a existência da energia escura, embora sua natureza ainda permaneça um mistério.

Com a notável exceção dos projetos que estão em andamento no Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), todos os projetos de investigação da energia escura envolvem observação cosmológica, e podem ser divididos em dois grandes grupos: as observações executadas em terra e as executadas no espaço.

A detecção da energia escura é feita a partir da busca pelos seus efeitos, ou seja, áreas onde há menos matéria são áreas onde a energia escura atua com mais força, e vice-versa. Mapeando a presença de matéria, mapeia-se também a energia escura, ou seus efeitos.

Parte das observações tenta medir os “grumos” de matéria gerados pelas ondas de pressão que percorriam o universo quando ele era mais denso: são as medições das oscilações acústicas bariônicas, ou BAO (acústicas por que ondas de pressão são ondas sonoras, mesmo que sua frequência não esteja na faixa que o ser humano consegue ouvir).

Outra parte das observações tem o objetivo de mapear as galáxias e quasares, suas posições e seus redshifts, para verificar onde a energia escura tem atuado com mais intensidade. Uma variação desta técnica é o mapeamento da matéria no universo usando as microlentes gravitacionais. Como o espaço-tempo é distorcido pela presença de matéria (escura ou bariônica), encontrar distorções causados por microlentes gravitacionais é encontrar concentrações de matéria, e o mapeamento das distorções é um mapeamento indireto de matéria.

Confira aqui 9 projetos de custos milionários que pretendem desvendar os mistérios da energia escura:

1 – BOSS: Baryon Oscillation Spectroscopic Survey

O BOSS (US$ 47 milhões, cerca de R$ 94,88 milhões), Pesquisa Espectroscópica de Oscilação de Bárions em português, é um consórcio de astrônomos que está usando o telescópio de 2,5 metros do Sloan Digital Sky Survey, em Apache Point, Novo México (EUA), para medir a marca deixada pelas ondas sonoras do Big Bang a distâncias de até 10 bilhões de anos-luz.

O BOSS liberou seu nono pacote de dados em 8 de agosto de 2012, contendo análises que cobrem 14.555 graus quadrados do céu: 932.891.133 objetos, o espectro de 1.457.002 galáxias, de 228.468 quasares e 668.054 estrelas.

2 – BigBOSS

O BigBOSS (US$ 71 milhões, cerca de R$ 142 milhões), é uma colaboração entre o Observatório Nacional de Astronomia Óptica (NOAO) e o centro de pesquisa e desenvolvimento para astronomia baseada em terra da Fundação Nacional de Ciência (NSF) que vai usar o telescópio de 4 metros Mayall do NOAO, em Kitt Peak, Arizona, EUA, durante 500 noites (cerca de 5 anos, considerando a média de noites nubladas na região) para observar cerca de 50 milhões de objetos e mapear com precisão a posição de cerca de 20 milhões de galáxias e quasares, registrando objetos que estão a até 10 bilhões de anos em direção ao Big Bang.

O mapeamento do BigBOSS deve produzir um volume de dados pelo menos 10 vezes maior que o do projeto BOSS.

3 – DES: Dark Energy Survey

O DES (US$ 50 milhões, cerca de R$ 100 milhões), “o Levantamento da Energia Escura”, usa uma câmera de 570 megapixel, a DecCAM, além de outros instrumentos no telescópio Blanco de quatro metros na América do Sul para medir a distância de galáxias remotas e usar lentes gravitacionais fracas para sondar a história da expansão do universo.

A DecCAM foi usada pela primeira vez no dia 12 de setembro de 2012, e produziu sua primeira imagem, ou “primeira luz”, da NGC 1365.

Participam do consórcio DES mais de 120 cientistas de 23 instituições nos Estados Unidos, Espanha, Reino Unido, Brasil (Observatório Nacional, Centro Brasileiro de Pesquisas Fisicas e Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e Alemanha.

4 – WFIRST: Wide-field infrared survey telescope

O WFIRST (US$ 1,6 bilhões, cerca de R$ 3,2 bilhões), “Telescópio de Investigação Infravermelho Multi-campo”, é um projeto proposto para estudar a energia escura e a nossa galáxia, e para procurar planetas.

É o “herdeiro” da missão JDEM – Joint Dark Energy Mission, e tem por objetivo a pesquisa de exoplanetas; a investigação da energia escura usando três técnicas: a oscilação acústica bariônica, o registro de supernovas tipo Ia, e a medição da massa do universo pela localização de lentes gravitacionais fracas; a investigação de grandes regiões no infravermelho; e oferecer um programa de observador convidado, no qual um convidado poderá utilizar as facilidades do WFIRST para outras investigações.

O JDEM, “Missão Conjunta de Energia Escura” era uma colaboração entre a NASA e o Departamento de Energia para criar um satélite para sondar a energia escura do espaço.

5 – LSST: Large Synoptic Survey Telescope

O LSST (US$ 620 milhões, cerca de R$ 1,24 bilhões), “Grande Telescópio de Pesquisa Sinóptica”, programado para ver sua “primeira luz” em 2014, tem 8,4 metros e vai fotografar o céu inteiro a cada três noites. Estas imagens e outros dados vão revelar supernovas e desenhar a distribuição das galáxias no últimos bilhões de anos.

Com sua abertura larga, o telescópio de campo grande e a câmera de 3,2 Gigapixels vão registrar objetos tênues no céu, em um escaneamento rápido, analisando os que sofrem alteração ou se movimentam, e que poderiam ser supernovas ou perigosos asteroides próximos à Terra (de no mínimo 100 metros de diâmetro), além de catalogar bilhões de galáxias remotas, fornecendo meios de investigar a energia e matéria escuras através de mapas 3D.

O LSST deve registrar o mais detalhado mapa do céu do hemisfério sul, com suas alterações ao longo do ano.

6 – Euclid

O Euclid será um satélite europeu que vai usar lentes gravitacionais fracas e oscilações acústicas bariônicas para levantar a distribuição da matéria escura, o que vai ajudar a determinar a natureza da energia escura. Os cientistas da missão também esperam expandi-la para medir a distância de supernovas. Se for aprovada, a missão será lançada depois de 2017.

O Euclid deverá examinar o céu a partir de um ponto lagrangeano no sistema Terra-Sol, L2, em uma órbita tipo halo, e deve registrar galáxias e aglomerados de galáxias. O diâmetro do telescópio deverá ser de 1,2 metros, e ele deverá operar por 6 anos.

O ponto lagrangeano L2 fica aproximadamente a 1,5 milhões de quilômetros além da Terra, na mesma linha que une a Terra e o sol (o mesmo local em que deverá ficar o telescópio espacial James Webb). Em outras palavras, provavelmente não haverão missões de conserto ou reabastecimento.

7 – HETDEX: Hobby-Eberly Telescope Dark Energy Experiment

O HETDEX (US $24 milhões, cerca de R$ 48 milhões), “Experimento de Energia Escura do Telescópio Hobby-Eberly”, vai usar o telescópio Hobby-Eberly, no Observatório McDonald, e um conjunto de espetrografias para criar um mapa tridimensional de um milhão de galáxias a fim de estudar as oscilações acústicas bariônicas dos primeiros 400.000 anos do universo.

Durante três anos de observações, o HETDEX deverá coletar dados de pelo menos um milhão de galáxias que estão entre 9 a 11 bilhões de anos-luz de distância, gerando um dos maiores mapas 3D do universo. O mapa permitirá aos astrônomos medirem a taxa de expansão do universo em diferentes eras de sua história.

8 – SKA: Square Kilometer Array

O SKA (€ 1,5 bilhão, cerca de R$ 3,95 bilhões), “Conjunto de Um Quilômetro Quadrado”, é um telescópio composto que vai investigar a energia escura mapeando o hidrogênio primordial, aquele que é visto na faixa de micro-ondas de 21 cm.

O SKA será construído em duas fases. Na primeira fase, serão instalados 190 antenas parabólicas que vão gerar um pixel cada uma na África do Sul, mais 60 antenas parabólicas e 36 antenas ASKAP na Austrália, e 50 estações de grupos de 10.0000 antenas cada uma na Austrália.

Na segunda fase, o grupo de discos será expandido para cerca de 3.000 discos com uma separação máxima de 3.000 km na parte setentrional da África, as 50 estações da Austrália serão estendidas para 250 estações, e um novo componente de 250 estações de grupos de antenas de frequência média serão instaladas na África do Sul.

Este projeto pretende montar o maior radiotelescópio do mundo, sendo 50 vezes mais sensíveis e 10.000 vezes mais rápido que os melhores radiotelescópios atuais. As principais pesquisas pretendem dar respostas a questões sobre o universo, incluindo como as primeiras estrelas e galáxias se formaram após o Big Bang, como ocorreu a evolução das galáxias desde então, o papel que o magnetismo desempenha no cosmos, a natureza da gravidade, e se existe vida além da Terra.

9 – J-PAS: Javalambre Physics of the accelerating Universe Astrophysical Survey

O J-PAS (US$ 10 milhões, cerca de R$ 20 milhões), “Levantamento Astronômico de Javalambre sobre a Física da Aceleração do Universo”, uma colaboração entre Brasil e Espanha, recebeu a atenção da mídia recentemente ao propor um projeto de baixo custo para gerar mapas tridimensionais do universo, indicando com alta precisão a localização de galáxias, quasares e outros objetos.

Ele consiste de um telescópio com espelho de 2,5 metros, combinado com uma câmera de 1,2 Giga-pixel, que vai produzir imagens de alta resolução de mais de 1/5 do céu durante 5 a 6 anos, fotografando a mesma área 56 vezes, cada uma com um filtro diferente cobrindo toda a região visível do espectro eletromagnético. O resultado será um mapa 3D do universo.

O Observatório Astronômico de Javalambre está em fase avançada de construção. O complexo está quase completo, com sala de controle, túneis, dormitórios e telescópios de apoio. Faltam o telescópio T250, que está sendo montado na Bélgica, e a câmera J-PCAM, que foi projetada e está sendo construída parcialmente no Brasil – principal contribuição do país para o projeto. É uma das esperanças do Brasil para um Nobel de Física.

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

31 respostas para “9 projetos milionários que pretendem desvendar os mistérios da energia escura”

  1. Talvez mudando um pouco de assunto…
    Li certa vez que cientistas descobriram possíveis camadas da energia escura(ou antimatéria… não lembro) ao redor do Planeta Terra.
    Alguém poderia me dizer se seria possível ter alguma ligação entre essa “faixa” de energia escura(ou antimatéria) e a teoria do Cinturão de Van Allen??

  2. lendo a esta materia fiquei com um duvida que,acredito eu,e bem boba e facil de explicar por alguem que conheça o assunto.
    nesse trecho,por exemplo:”Parte das observações tenta medir os “grumos” de matéria gerados pelas ondas de pressão que percorriam o universo quando ele era mais denso: são as medições das oscilações acústicas bariônicas, ou BAO (acústicas por que ondas de pressão são ondas sonoras, mesmo que sua frequência não esteja na faixa que o ser humano consegue ouvir)”
    ele fala de ondas sonoras,mas como podem ser detectadas ondas sonoras no espaço se as mesmas nao se propagam no vácuo?
    por favor,esclareçam-me esta duvida,é importante

    • Brenda, as ondas sonoras que a gente ouve são diferenciais de densidade, ou de pressão, que viajam em um meio fluido. No espaço a gente não tem ar, mas existem nuvens de gás. Elas são milhares de vezes mais tênues que a atmosfera terrestre, mas ainda assim estão lá, e existem trechos que são mais densos que outros. E dá para perceber que existem “ondas” de densidade viajando. É isto que os astrofísicos chamam de ondas acústicas.

      Não há nada para a gente ouvir lá, mas o fenômeno é essencialmente o mesmo.

  3. esse mimimi se dinheiro gasto com pesquisa deveria ser revertido em comida…

    gente pensa assim.. voce ou seus pais nao saem todos os dias pra trabalhar e ganhar dinheiro pra por comida em casa?

    porque entao voce trabalha pra comer e outros deveriam ganhar essa comida??

    apoio sim remanejar essas pessoas de uma regiao geografica improdutiva para uma produtiva e da dar trabalho pra esse pessoal, mas nada de dar comida.

    E mazelas sempre vao existir, por problemas na regiao dos individuos ou por pura teimosia em estilo de vida ou teimosia mesmo

    exemplo: quantos ja ouviram falar de historias de enchentes chegando mas os moradores nao deixavam sua casas?? ae a enchente chega e a defesa civil tem que ir la tirar o individuo de barco, helicoptero, etc

    isso acontece na vida social tambem… as pessoas se ancoram numa situação e ficam la

    agora é culpa sua? é culpa minha? nao.. e tambem nao é das pesquisas

    e aposto que quem fica com esse mimimi ai nao participa nem de programas voluntarios.

    att

    • Olha Acredito que você tem alguma noção de bom senso, pois sabe que as pesquisas sim devem continuar, em primeiro lugar porquê não podemos desistir de buscar novas fontes de energia, já que sabemos que nossos principais combustíveis são a base de petróleo, este que não é renovável, é limitado, extremamente poluente, assim como seus derivados, e enfim não durará muito mais tempo. Segundo também relacionado a este tema, não podemos esquecer que nosso planeta já foi bastante danificado graças as formas de ação humana, em relação ao meio ambiente, o que se persistir por muito mais tempo, tornará este planeta completamente inabitável.
      E terceiro, problemas sociais, devem ser remediados sim como o caso da fome, deve se dar comida a quem tem fome sim, porém deve se fornecer também essencialmente educação, moradia adequada, e emprego para que possamos sanar estes problemas, mas nada impede de fazermos estas coisas em paralelo, ou seja, cuidar dos problemas sociais, e permanecer buscando soluções para os outros problemas, afinal, nosso planeta não durará para sempre!

  4. A matéria escura e toda a matéria, que foi transformada em enrgia, nos buracos negros,e para que haja equilibrio energetico, ela é transduzida em um amalgama composto por,ondas sonoras, ondas eletromagnéticas,forças fracas e fortes,força e ondas gravitacionais, ou seja a união de todas as forças,para que a energia tenha um encapsulamento perfeito, que se desintegra e se transforma conforme as necessidades de cada região do universo.

  5. Aline MAL
    Agora você foi mais clara e lhe dou toda razão. O importante é cuidar das pessoas no planeta terra, mas para isso é necessário que se limite o nascimento de pessoas neste mundo, não permitindo o nascimento de pessoas sem a minima condição de viver uma vida com dignidade. Para isso é preciso que se implante o aborto em paises subdesenvolvidos. Tem pessoas sem o mínimo de responsabilidade e acidentes acontecem. Não é possivel se sustentar mendingos a vida toda. A tecnologia precisa de verbas dos governos e esse dinheiro não pode ser gasto para criar miseráveis.

  6. Com todo esse dinheiro pessoas teriam chance de viver… Claro que descobrir o que é essa “energia escura” é fascinante. Entretanto, se nem ao menos conseguimos resolver os problemas aqui, não vejo sentido em gastar tanto para saciar nossa curiosidade. Quando estivermos organizados, quando conseguirmos responder com igualdade, quando aprendermos as coisas aqui … ai sim explorar o que há à nossa volta, chegar à lugares nunca alcançados pelo homem. Mas agora, temos preocupações que são maiores que nossa curiosidade… Pena que quem tem chance de fazer algo de bom para todos prefira ser egoísta e se fartar. “Esse é o nosso mundo”. Sei que há muito a se desvendar externamente a nosso pequeno planeta, mais e aqui? Quantas coisas estão por fazer internamente a ele? Pensem… Posso estar totalmente equivocada, mas se dependesse de mim, não iriamos sair daqui até igualizar tudo e todos, ou pelo menos aproximar, deixando harmónico o viver. Depois quem sabe explorar tudo o que conseguirmos.. Realmente desvendar mistérios é cativante. Vamos escolher ‘resolver’ por sequencia de necessidade humana? ou por curiosidades egoístas?

    • Cada milhão gasto nessa pesquisa significa que não virou arma.
      Pense nisso.

    • Entendo!! Mas também não virou comida, abrigo…!! Daqui a algum tempo serei cientista, e tenho muito interesse em pesquisar coisas do tipo energia escura, mas não sei se fará alguma diferença, a maioria não vai saber, porque vão estar preocupados em arranjar o que comer ou como se manter vivos em segurança e com dignidade (nem isso eles sabem). Por isso acho que talvez seja um ato muito precipitado e caro. E como já deixei claro, entendo sua posição não sou contra ela, é uma boa opinião.

    • Aline MAL

      Parabenizo vc por querer se tornar uma cientista e se interesse até mesmo pelas pesquisas sobre a energia escura ou outra área correlata às tecnologias espaciais.

      Presentemente, a MONSANTO é a maior pesquisadora na área de alimentos e produz soja TRANSGÊNICA, entre outras “maravilhas”. Apelo para que vc não faça parte das pesquisas dessa área, que faz de nós, brasileiros, meras cobaias sobre o efeito que os transgênicos terão sobre a população daqui há uns 100 anos, talvez.

      Essas áreas de pesquisa envolvendo alimento são tão confiáveis e honestas quanto a que vc pode ver no filme “O Informante”, que trata do que realmente acontece nas industrias de tabaco. Assista-o para ter uma excelente ideia do que é isso.

      Mas quero chamar-lhe a atenção para outro fato, este realmente trágico: não há falta de alimento no mundo e as pessoas morrem de fome por “simples” questão de necessidades neo-capitalistas que incineram alimentos se houver queda de preço no mercado mundial.

      A dinâmica do capital não sobrevive sem que haja um bom contingente de miséria e miseráveis para “engraxar-lhes” a máquina assassina que mantém no poder econômico psicopatas de alto-escalão.

      Por isso, se vc vai fazer parte dessa “máquina” anti-humanidade, ao menos se dedique às pesquisas em cosmologia e energia renovável, que sempre trouxeram benefícios (secundários) em áreas como Medicina, por exemplo, que tendem a tornar mais baratos aqueles equipamentos médicos de altíssimo custo para a população de menor poder aquisitivo, devido ao aperfeiçoamento tecnológico conseguido quando se olha as estrelas.

      Se hoje os paises da faixa norte do planeta está em crise, é pq. os governos resolveram beneficiar bancos (o sistema financeiro “virtual”), deixando as pessoas reais sofrerem os piores efeitos da bandalheira dos bilionários.

      Vc deveria louvar estes cientistas que, muito mais que bancos, contribuem para uma melhor qualidade de vida para todos.

      Considere que eles navegam contra a corrente de petroquímicas que não estão nem um pouco interessadas em verem nascer empresas que concorram com outro tipo de matriz energética. E as petroquímicas são responsáveis diretas por toda forma de poluição existente no planeta, a começar pelos automóveis e caminhões que vitimam milhares de pessoas, por ano, nas grandes cidades (só em São Paulo são 7.000 mortos por anos por causa de poluição atmosférica).

    • Vai muito além disso.
      Cada pessoa ou organização é livre para priorizar o que acha importante.
      Quem acha importante gerar comida e abrigo, que lidere seu projeto, arrume fundos e faça isso; será aplaudido !
      Mas criticar quem toma outras ações nada acrescenta.
      As atividades não são excludentes.

    • Orçamento militar mundial: U$ 2,1 trilhões.
      Orçamento mundial de pesquisas espaciais: U$ 38 bilhões.

      Vc perdeu o foco de suas críticas. A curiosidade humana é justamente o que nos move. Se deixarmos de “gastar tanto” em nossas curiosidades, simplesmente pararíamos no tempo.

    • Aline, tudo está interligado. Conhecer o Universo é conhecer a Terra, conhecer a Terra é conhecer nós mesmos. Não pense no dinheiro gasto com a pesquisa científica como um desperdício, ele é um investimento, e investimento você sabe, a gente colhe os frutos no futuro.

      Sobre o seu sonho de tornar o mundo mais justo, todo mundo tem este mesmo sonho, até quem investe trilhões em armamentos. Por que isto não se realiza? Colocar a culpa nos investimentos feitos em ciência é buscar uma resposta fácil, e um culpado a qualquer custo.

      Finalmente, uma outra coisa. O desenvolvimento de tecnologia para pesquisa de ponta é outro investimento que é estratégico para o futuro das nações. É o que vai separar os colonizadores dos colonizados no futuro. Quem não desenvolver estas tecnologias, quem não realizar estes investimentos, vai ter que pagar por isto mais tarde, vai ter que comprar tecnologia, e pagar royalties, que são os juros dos investimentos.

  7. Estamos comentando aqui, atoa. Nenhum cosmólogo de fama e conhecimentos lê nada disso. Somente lê quem tem conhecimentos supérfluos sobre o assunto. Quem sabe, daquí, pode sair uma solução bem mais economica para o caso. É uma pena. Nem dá vontade de comentar. O que mais se lamenta é o dinheiro gasto para isto e podemos continuar na mesma duvida de sempre. Acho que temos de estudar melhor a teoria do big bang. Sem modifica-la ou mesmo aboli-la, não sairemos da mesmisse de sempre. Esta teoria, a meu ver, tem prejudicado, em muito o raciocínio lógico e tem nos levado a erros de interpretação do fatos. É isto que digo no blog “Olhando o Universo”.

    • Você tem muitos sentimentos ruíns dentro de você. Relaxa, bixo! Você quem parece desesperado. Eu não discuto mais aqui pq meus comentários demoram dias para serem liberados.

    • Gargwlas

      Tô com vc. As coisas tem que andar prá frente na Ciência. E em dobra espacial é bem melhor!

Deixe uma resposta