A origem de 8 mitos vampirescos

Publicado em 1.10.2010

O termo “vampiro” não se tornou uma superstição cotidiana até os séculos XVII e XVIII na Europa, porém histórias de vampirismo podem ser rastreadas até os tempos bíblicos, sendo que o primeiro rumor surgiu com Lilith (a serpente que dá a maçã a Eva). Praticamente todo país tem suas próprias lendas e mitos nesse quesito. Qual seria a explicação para tal histeria em massa? De onde surgiram tantas histórias? Conheça a origem de alguns mitos vampirescos a seguir:

1) Estaca no peito

O método mais popular para exterminar vampiros é enfiar uma estaca em seu coração. Muitos países têm referências a esse método, bem como madeiras específicas que devem ser usadas para matar vampiros. Alguns tipos de madeira têm seu simbolismo ligado ao cristianismo. O mito surgiu através da ideia de que a madeira deve ser enfiada na cavidade toráxica para assegurar a deflação de um cadáver inchado, para que ele fosse esvaziado antes de sua transformação em um morto-vivo se completar. Gases saíam do intestino, esôfago e estômago do cadáver, produzindo sons.

2) Morcegos

De fato, morcegos são muito parecidos com vampiros. Eles são noturnos, algumas espécies bebem sangue, e eles têm sentidos agudos de audição e olfato. Porém, na verdade, a descoberta de que alguns morcegos bebem sangue apenas exacerbou o mito do vampiro. No folclore romeno, pensava-se que um morcego, inseto ou outra criatura voadora que passasse por cima de um cadáver, poderia transformá-lo em um “fantasma” (um morto que retorna da sepultura).

3) Cadáveres não-decompostos

Quando a suspeita de vampirismo chegava a uma área, não era incomum que as pessoas exumassem os corpos de seus entes queridos para verificar sinais de um vampiro na sepultura. Segundo a lenda, normalmente, o cadáver de um vampiro parece fresco (ou seja, não avançado no processo de decomposição), suas bochechas são rosadas, os lábios são vermelhos (do que parece ser sangue fresco), e seus cabelos e suas unhas parecem ter continuado a crescer.
Um conhecimento básico em decomposição pode explicar esses sinais. A falta de ar fresco e a temperatura substancialmente mais baixa embaixo da terra podem “preservar” um cadáver, e, portanto, retardar os sinais de decomposição. No caso de cadáveres inchados, o sangue seria empurrado para a superfície da pele, deixando suas bochechas rosadas, lábios vermelhos e até mesmo sangue na boca. Quando o oxigênio atinge o sangue, ele se liga à hemoglobina, mudando sua forma e aparência. Devido à temperatura constante e as condições no subsolo, seria necessário mais tempo para que o sangue secasse e mudasse sua aparência vermelha brilhante. Os cabelos e unhas têm a aparência de continuar crescendo após a morte só à primeira vista. Quando o corpo expira, a perda de umidade na pele faz com que ela recue, dando a ideia de que as unhas e os cabelos cresceram.

4) Presas

Todo mundo conhece o mito dos dentes afiados dos vampiros. Mas eis aqui uma história melhor: “porfiria”, também chamada de doença do vampiro, é uma doença genética recessiva que se caracteriza pela pouquíssima produção de hemoglobina no sangue. Muitos acreditam que ela surgiu como resultado de casamentos entre a nobreza européia. Complicações cutâneas da porfiria incluem fotossensibilidade (sensibilidade à luz), bolhas, comichões e inchaços na pele, anomalias no crescimento de pêlos e cabelo (o que pode explicar os mitos de licantropia), alterações de pigmento na pele, deterioração dos lábios e do nariz e recuo dos tecidos das gengivas e lábios. A aparência de alguém com os lábios e gengivas diminuídos é terrível e assustadora, pois salta os dentes caninos para fora. Na maioria dos países europeus, se uma criança nascia dessa forma, era considerada um vampiro.

5) Falta de reflexo no espelho

Não se refletir nos espelhos é também um sinal revelador de um vampiro. Na verdade, espelhos sempre tiveram importância no folclore, e são associados com a morte. Uma superstição comum na Bulgária, por exemplo, era que se a reflexão de um cadáver fosse mostrada em um espelho, ou se os espelhos não fossem cobertos na presença de um cadáver, havia uma maior probabilidade de que acontecesse outra morte. Era também costume que um cadáver fosse removido de uma casa pela janela, e nunca pela porta da frente, para desestimulá-lo a regressar a casa e reclamar um membro da família. Era também comum o pensamento de que aqueles que sofriam de porfiria abandonaram os espelhos de suas vidas porque não queriam ver seu aspecto macabro.

6) Sensibilidade à luz

O mito de que os vampiros não podem sair na luz e queimam no sol parece ter nascido com a doença porfiria. Os doentes tinham bolhas no corpo, e seus organismos eram incapazes de efetivamente reparar as células de sua pele de danos dos raios ultravioletas. Provavelmente, eles não andavam muito no sol.

7) Aversão a alho

O alho também faz parte do simbolismo clássico do folclore dos vampiros. Por que o alho? Novamente, a porfiria é a culpada por esse mito. O alho contém substâncias químicas que agravam os sintomas da doença, portanto os doentes o evitavam a todo custo. É o mesmo caso de alguém que tem alergias severas. Imagine como seria para essa pessoa andar em um campo de cheio poeira, flores e ervas daninhas?

8 ) Beber sangue

Com certeza é o sinal mais revelador – e famoso – de um vampiro. De novo, podemos culpar esse mito na porfiria. O principal sintoma da doença é uma deficiência de hemoglobina no sangue, então era uma prática comum entre as pessoas doentes beber grandes quantidades de sangue fresco na esperança de que isso proporcionasse o mesmo efeito de quando alguém toma um suplemento para atender a sua necessidade diária de uma vitamina. Embora os doentes, na época, provavelmente não conhecessem os detalhes de sua doença, eles assumiam que ela era uma doença de “sangue ruim”. [Listverse]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 25 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

36 Comentários

  1. Essa matéria essa toda errada, pra começar o mito de vampiro surgiu por causa do Dracula, um homem sádico que matava os seus inimigos empalando-os. Quanto a beber sangue, foi por conta de um boato de se espalhou dizendo que o Dracula bebia o sangue de seus servos. Os demais mitos foram criados por escritores com base nessa história. A história do Dracula é muito interessante, se vc gosta da mitologia de vampiros tenho certeza de que vai gostar de conhecer mais da história do verdadeiro Dracula. Também muito interessante é a história de Elisabeth Bathory , a doida que se banhava em sague, e bebia tb.

    Thumb up 5
    • Vou deixar bem claro que isso é mito gente, pelo amor de Deus, ninguém acredita em vampiro né.. Rsrsrsrs Dracula só era vingativo e Elizabeth uma doida, talvez, acredito eu que esquizofrênica, era uma doente.

      Thumb up 4
    • errado o primeiro vampiro não foi dracula foi caim.

      Thumb up 4
  2. Só se sabe que alguém é vampiro quando se encontra um e tem a inteligencia suficiente para descobrir o seu segredo…

    Thumb up 9
  3. vou falar a verdade o unico jeito de matar um vampiro e Água benta: Como eu já disse ela faz muito mal, não nos mata, porém é como um ácido para os humanos, se você ficar exposto por muito tempo pode se ferrar bonito.
    Crucifixo, cruzes, algumas coisas bentas: A princípio nada de mais além de símbolos, uma coisa que preciso deixar clara é que qualquer tipo de coisa como essas podem sim nos afetar, vai depender de quem estiver usando ou nos atacando, é o que se chama de “fé verdadeira”, algumas pessoas possuem esse dom, não sei de onde vem, mas é mais comum em padres e alguns caçadores de vampiros mais poderosos.
    Estaca: Essa coisa é uma naba, só quem ja teve seu coração perfurado por uma sabe o que ela pode fazer. Se uma estaca atinge nosso coração, ela nos paralisa, não sei o por que disso acontecer, mas ficamos paralisados e não conseguimos nos mexer, como uma boa anestesia geral.
    Bala de prata, espada de prata, o caralho a quatro de prata: Tá achando que eu sou um Lobisomem? Prata não tem nenhum efeito conosco.
    Cortar a cabeça: Ta isso nos mata… E deve doer…
    Sol: Como já disse doi, se ficarmos esposto por mais de alguns segundos, morte na certa.
    Fogo: Mesmo efeito do sol.
    Acho que é isso se eu lembrar de mais alguma coisa eu vou evitar em falar por que não gosto de pensar em morte, sei la quando eu era vivo isso sempre me assustava e continua me assustando. E se pensarmos melhor, eu nem sou tão ruim assim por que você gostaria de me matar???

    Thumb up 7
  4. Na verdade ´´vampiros existem“,bom não tem super poderes não são mortos vivos nem nada,são pessoas que tem sete especificas doenças que são:AVERSÃO A ALHO,MORDER,AVERSÃO A ESPELHOS,SEDE DE SANGUE,MANIA DE CONTAR TUDO,DENTÕES E MEDO DO SOL.
    Bom eu tenho uma dessas doenças que é eu tenho mania de morder as coisas,pode ser assustador mais meu colega gosta de sangue ui credo,quando uma pessoa sofre dessas 7 doenças ao mesmo tempo,ela praticamente é um vampiro,bom tbm tem outras coisas que não são doenças são só partes de você por exemplo: eu sou muito branco mesmo e não consigo escurecer.
    Bom então quando uma pessoa sofre dessas 7 doenças ao mesmo tempo o que é bem raro,ela pode ser considerada um vampiro.

    Thumb up 5
  5. Não precisa de muitas palavras pra descrever está doença
    porfiria sintomas da doença:
    Vc vira vampiro.

    Thumb up 7
  6. ixe eu tenho um amigo que e vampiro, ainda bem que ele e do bem .. nunca mordeu ninguem…

    Thumb up 9
  7. vampirismo é pura fiacção como o chupa cabra o pe grande nessi do lago loch ness e ai por diante ja rendeu muito dinheiro para certas pessoas mes fazer oque se gente no seculo XXI ainda acredita em papai noel e coelinho da pascoa abraços

    Thumb up 5
  8. haja estacas e alhos para eliminar os vampiros do Planalto!
    mas isso são medidas inócuas pois quem dá vida aos “vampiros ” do congresso e da câmara somos nós mesmos através de votos equivocados e sem avaliação de quem é honesto e idôneo ou não e nem as medidas do”ficha limpa” conseguem
    barrar estes aproveitadores que se beneficiam das próprias falhas da lei para permanecerem no poder e se locupletarem.

    Thumb up 26
  9. O que seria uma mulher “saldável”? deve ser temperada, cheia de sal, mas prefiro a saudável, com saúde.

    Thumb up 18
  10. aqui no brasil tem muito vampiro, principalmente no congresso sugando o sangue dos mais pobres e oprimido

    Thumb up 31
  11. Quanto ao vampiro eu não duvido não, pois eu já vi pessoalmente, em forma de espetinho voceis sabem em que paiz né, muito bem fritinho e bem apimentado, estava na época 3 reais cada no nosso dinheiro, mas com dois espetinhos , dava pra ficar satisfeito, e novos vampiros héim que estão chegando logo mais , capaz deles fazerem espetinhos da gente né, cuidado gente, vota direito.

    Thumb up 4
  12. Olha, a ideia de vcs sobre os portadores de porfiria se esconderem da POPULAÇÃO está equivocada, não faz sentido. Era uma doença recessiva e se espalhava pq membros da nobreza tinham relações consanguíneas. Membros da nobreza nem chegavam perto da população, e se chegassem, ai de quem tentasse “humilha-los”. E por ser recessiva também acho muito difícil alguém da “plebe” ter adquirido a doença, a nobreza não tinha filhos com ela.

    Thumb up 9
    • Tinham sim,os nobres geralmente tinham filhos bastardos com serviçais,certas vezes esses últimos eram vítimas de estupro.

      Thumb up 2
  13. A maior casa dos vampiros fica em Brasilia e aí de quem passa por perto até chupa-cabra lá tem.

    Thumb up 16
  14. Eita, quer dizer que Porfiria explica tudo? hahaha, sou totalmente a favor d que em toda mentira há um fundo de verdade!!! tbm não quero me deparar com vampiro tão cedo, mas chamá-los de mito? :))

    Thumb up 7
  15. cara Sempre kis ser um vampiro.. mas ter essa doença é tenebroso.. mas tenho ke admitir.. seria muito foda ser um vampiro…

    Thumb up 5
  16. Estenio;
    A cruz veio dos tempos mais remotos possíveis. Bema antes de evolução da cultura egipcia o homem contemplando o Sol que era simbolo de seu Deus, abria-se os braços e sua sombra tornava-se em forma de cruz. Existem vária formas de cruz que nem devo enumerá-las, mas a cruz que para os religiosos passaram a usar como símbolo era usada para crucificar todos aqueles condenados segundo as leis da época. Isto era para que o corpo não contaminasse a terra, pois, por exemplo, no Calvário onde Jesus foi crucificado, todos os mortos comuns eram jogados para que os butres comessem ao apodrecerem. Quem era rico tinha túmulos e José de Arimatéia, rico comercinte e navegador, tio de Jesus, tinha um túmulo e pediu o corpo de Jesus para que nele fosse sepultado.
    A água benta, também, é de muito antes de Jesus. Os Essênios a usava depois de energizá-la com suas meditações, herança trazida dos egípcios. Jesus eraum essênio, vestia túnica branca como eles. Não casavam e tinham uma missão de bondade em socorrer os pobres e desvalidos com suas preces, curas e todos os conhecimentos que eles mantinham em segredo.
    Uma boa literatura poderá ajudar neste campo de conhecimento que é vasto, mas que vale a pena saber para situarmos no mundo atual.
    Quanto aos vampiros aquí no Brasil, existem uma água benta que purifica qualquer um desses. Essa água é abundante nos leitos do rio Tietê e Pinheiros. Haja visto, o maior lider vampiro-político que não usa asas, mas usa ambulâncias, ficou isento de qualquer responsabilidades naquelas broncas que o povo esquece.
    Vampiros quando suga sangue das pessoas, as deixam com amnésia.

    Thumb up 7
  17. Algumas correções…
    Lilith não é a serpente, ela é a primeira esposa de Adão, que foi omitida da biblia, e o vampiro da biblia não é lilith, ela é um demonio, o vampiro é Cain, ou Khaynn (de acordo com os vampiros), ele se tornou o primeiro vampiro após matar o seu irmão Abel.

    A estaca não mata o vampiro apenas o paralisa, existem apenas dois metodos de eliminação de vampiros: Queimar (fogo ou sol) e cortando a cabeça

    licantropia está relacionada a lobisomens e não a vampiros, embora na idade média se acreditasse que lobisomens em vida viravam vampiros depois da morte

    A água benta e o crucifixo, vem de que as pessoas achavam que vampiros eram filhos do demonio, e o contrario do demonio é deus, e a maior religião na época era a catolica, se associou seus simbolos contra os vampiros. Na verdade o vampiro sente aversão a qualquer tipo de simbolo ligado a fé. Se um celto lhe mostrasse uma semente de carvalho, se um muculmano lhe mostrasse o corão, se um pagão lhe mostrasse o pentagrama, se um hindu lhe mostrasse um Ohm (simbolo que parece um 3), ou se eu tiver uma religião que o simbolo religioso dela for, sei lá, um pedaço de arame e eu tiver fé verdadeira naquele simbolo, o vampiro sentirá a mesma reação quando for mostrado um cruscifixo, ou for molhado com água benta. Mas isso só vale para a fé verdadeira, se a pessoa acredita realmente naqueles simbolos. Quanto mais fé mais dano ao vampiro

    Thumb up 14
  18. “Drácula

    Vlad Tsepesh aka Dracula

    Vlad Dracula (pronuncía-se Dracúla) ou Vlad O Empalador foi um príncipe vivo e real no qual Bram Stoker baseou o famoso Conde Drácula. Dracula nasceu na Transilvânia em 1431 na cidade de Sighisoara, ou Schassburg. Seu pai, Vlad Dracul (Vlad O Demônio) foi um membro dA Ordem do Dragão, o que significava um pacto de luta eterna contra os turcos. O nome Dracul significa Dragão ou Demônio, e se tornou o símbolo de seu pai porque ele usava o símbolo do dragão em suas moedas. Com a idade de apenas 13 anos, Dracula foi capturado pelos turcos, que o ensinaram a torturar e empalar pessoas. Mas foi sob o seu reinado em Wallachia, de 1456 à 1462 que ele realmente teve a chance de usar de seus conhecimentos. Foi também nessa época que aconteceram a maioria das estórias. Por exemplo:

    Um dia Dracula viu um homem com uma camisa suja e maltrapilha. Dracula perguntou se o homem tinha uma esposa, e o homem respondeu que sim. Dracula vê que ela é uma mulher saldável e cheia de fibra, e a chama de preguiçosa, de forma que tem ambas as mão decepadas e seu corpo empalado. Ele procurou uma nova esposa para o homem e mostrou a ela o que acontecera com sua preguiçosa predecessora como uma forma de aviso. A nova mulher definitivamente não era preguiçosa.

    O outro nome de Dracula, Tsepesh (ou Tepes), significa empalador. Vlad era chamado assim por causa de sua propensão para o empalamento como uma forma de punição para seus inimigos. Empalamento era uma forma particularmente medonha de execução. A vítima era posta num cavalo e empurrada em direção a estacas polidas e untadas em óleo, de forma a NÃO causar a morte imediata. Esposas infiéis e mulheres promísqüas foram punidas por Dracula, tendo seus órgãos sexuais cortados, a pele arrancada enqüanto vivas e expondo-as em público, com suas peles penduradas próximas à seus corpos.

    Drácula apreciava especialmente execução em massa, onde várias vítimas eram empaladas de uma vez, e as estacas içadas. Como as vítimas se mantinham suspensas do chão, o peso de seus corpos fazia com que descessem vagarosamente pela estaca, tendo sua base lisa arrombando seus orgãos internos. Para melhor apreciar o espetáculo, Dracula rotineiramente ordenava um banquete em frente às suas vítimas, e era um prazer para ele entre os lamentáveis sinais e ruídos de suas vítimas morrendo.

    O atual castelo de Dracula fica ao norte da Wallachiana cidade de Tirgoviste. Vlad Tsepesh aka Dracula morreu em 1476. Algumas estórias dizem que ele morreu em uma batalha onde ele se disfarçou de turco. Como a vitória estava próxima, ele correu para o alto de um penhasco para ver tudo, mas ele foi confundido com um turco e morto por seus próprios homens. A tumba de Dracula fora aberta em 1931 mas ela estava vazia a não ser por um deteriorado esqueleto, uma coroa de ouro, uma gargantilha com a idéia de uma serpente e fragmentos de um traje em seda vermelha, com um sino costurado nela. Infelizmente todas essas coisas foram roubadas do History Museum of Bucharest (Museu Histórico de Bucharest), onde foram depositadas.”
    http://www.mrmalas.com/sinistro/sinistros/dracula.htm

    Thumb up 12
  19. Se o método de matar vampiros chegar palácio do planalto não vai sobrar ninguém, cambada de sangue suga

    Thumb up 25
  20. eu acho que como as pessoas com a doença eram maltratadas e com isso não podiam sair enquanto tivesse o sol.. elas saiam apenas anoite e provavelmente eles andava todos cobertos para as pessoas não verem os sintomas da doença o quee acabava provando ainda mais serem vampiros.

    Thumb up 31
  21. Provavelmente as lendas da cruz e da água benta vieram da idéia de que os acometidos de porfiria teriam relação com o demônio.

    Como o povo da época era muito supersticioso talvez perseguissem os doentes jogando água benta e exibindo a cruz, humilhando-os em público e talvez até machucando-os também.

    Na tentativa de evitar sua exposição, os doentes se escondiam dos religiosos, inclusive padres, que normalmente carregam crucifixos e água benta…

    Thumb up 28

Envie um comentário