Exercer auto-controle pode levar a catástrofes

Usar o auto-controle pode ser exaustivo. Na verdade, usar auto-controle em uma situação implicará usar o mesmo “esquema” em outras situações relacionadas que virão a seguir.

Pesquisas anteriores mostram que imaginar ações causam as mesmas reações do que se realmente estivéssemos pondo o que pensamos em prática. Ficamos enjoados ao imaginar-nos comendo algo nojento, por exemplo. Geralmente fazemos uma cara de nojo, mesmo que não tenhamos ingerido nada.

Participantes de um último estudo foram apresentados a uma história sobre um garçom que estava cercado de comidas deliciosas, mas não podia experimentar nenhuma delas, ou seria demitido. Metade dos voluntários deveria se imaginar no lugar do garçom e a outra deveria apenas ler a história.

Depois os participantes foram submetidos a testes de memória e jogos de palavras e, por fim, foram expostos a uma série de itens que, em teoria, poderiam ser comprados por eles. A tarefa deles era dizer o quanto eles pagariam por cada item.

Os resultados mostram que aqueles que se imaginaram no lugar do garçom estavam dispostos a gastar mais dinheiro nos itens – eles haviam excedido sua capacidade de auto-controle, e ficar sem “freios” os levaria a gastar mais dinheiro. Esse grupo também foi pior nos testes de memória e nos jogos de palavras.

Essas descobertas mostram que podemos “gastar” nossa capacidade de auto-controle simplesmente imaginando situações. Os autores acrescentam que, imaginar outra pessoa tentando controlar suas emoções, pode nos levar a crises de auto-controle – e essas crises podem ser catastróficas, como policiais agindo sem pensar, por estarem no limite de seu poder de auto-controle. [Science Daily]

Por: Cezar RibasEm: 10.04.2009 | Em Comportamento, Outras  | Tags: ,  
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,20 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta