Formigas, cuidado com a teia de aranha antirroubo

Publicado em 24.11.2011

Assim como alguns têm um cachorro com um bom latido para proteger a propriedade, uma certa aranha faz um investimento similar para proteger sua comida.

Uma nova pesquisa encontrou um químico especial nas teias de um aracnídeo. “Formigas são frequentes pegas nas teias de algumas aranhas fiandeiras, mas raramente estão nas das aranhas com teias circulares”, afirma o pesquisador da Universidade Nacional de Singapura, Daiqin Li.

Como as formigas são potenciais predadores, “é necessário existir outros mecanismos para proteção. Um mecanismo pode ser alguns químicos que repelem as formigas”.

Para entender o que afastava as formigas, os pesquisadores coletaram aranhas com teias circulares selvagens (Nephila antipodiana) e as analisaram. Eles encontraram uma substância, chamada de 2-pyrrolidione, presente nos fios que as formigas pareciam evitar no laboratório, incluindo a popular formiga Faraó (Monomorium pharaonis). Mesmo quando uma boa refeição estava na teia, elas não atravessavam os fios.

“Aranhas douradas de teia circular produzem um químico na rede que detém a invasão de formigas, o que adiciona a defesa química às impressionantes propriedades da seda aracnídea, já conhecida como forte, elástica e adesiva”, afirma Li.

Os pesquisadores também descobriram que aranhas jovens não precisam produzir o químico, porque sua seda é muito fina mesmo para as formigas menores. Jovens grandes e adultos fazem a teia antiformiga para que os pequenos animais não roubem suas presas frescas e mesmo as próprias aranhas.

Mas eles não estão certos de como as aranhas fazem a substância (se elas já adicionam na produção da seda ou se passam depois), e como ela funciona. O químico não é o que os cientistas chamam de “volátil”, então não produz cheiro. As formigas poderiam estar “degustando” o composto, porque apenas são repelidas após entrar em contato com ele, mas ficam na vizinhança mesmo depois do contato.

“O químico talvez tenha evoluído não apenas para proteger a aranha, mas reduzir o tempo e energia que seria exigido para afastar as invasoras”, afirma o pesquisador do estudo, da Universidade de Melbourne, Mark Elgar.

Eles também encontraram químicos similares em outras sedas aracnídeas, o que indica que esse tipo de substância pode ser comum em aranhas. Supreendentemente, o mesmo composto 2-pyrrolidione já foi encontrado nas glândulas da formiga Crematogaster sjostedti – as mesmas glândulas que fazem compostos para sinalizar outras formigas do perigo. As aranhas talvez estejam imitando esses alarmes químicos.[LiveScience]

Autor: Bernardo Staut

é estudante de jornalismo e interessado por povos, culturas e artes.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

2 Comentários

  1. A natureza é muito sábia,pois procura criar mecanismos individuais com proposito de sobrevivência como é o caso dessas aranhas que para proteger a se mesmo e seu alimento ciaram este subterfugio

    Thumb up 2
  2. Seria interessante usar essa substância química para fabricar repelentes de formigas.

    Thumb up 17

Envie um comentário