Os cérebros de pessoas surdas podem se reestruturar para compensá-las com outros sentidos

Publicado em 13.10.2010

Tanto as pessoas surdas quanto as cegas frequentemente dizem que seus outros sentidos ficam mais aguçados, a título de compensação. A ciência provou que isso é verdade. Segundo um novo estudo, pessoas surdas desde o nascimento podem ser capazes de transferir a área do cérebro usada para ouvir para impulsionar a visão.

Os pesquisadores canadenses afirmam que o cérebro não deixa o espaço não utilizado “ir para o lixo”. Ou seja, a visão periférica melhorada, que muitas vezes as pessoas surdas apresentam, pode ser gerada pela área do cérebro que normalmente lida com a audição periférica.

Os pesquisadores queriam descobrir como o cérebro alcança esse objetivo. Eles utilizaram gatos surdos e estudaram que partes do cérebro eram responsáveis por essa compensação.

Os gatos passaram por testes em que luzes piscavam na periferia da sua visão normal. Quando o córtex auditivo – a parte do cérebro que normalmente processa a informação de som – foi desativado temporariamente, a visão periférica dos gatos parecia ter sido desligada também.

Estreitando a pesquisa, a equipe descobriu que a parte do córtex auditivo responsável foi a parte que normalmente detectaria sons periféricos. Isso indica que o cérebro é muito eficiente, não desperdiçando espaços não utilizados, compensando o sentido perdido com aprimoramentos benéficos – por exemplo, se você é surdo, você se beneficiaria ao ver um carro que está longe se aproximando rapidamente na sua visão periférica, porque você não pode ouvir o carro.

A pesquisa recente mostra que os adultos surdos podem reagir a objetos em sua visão periférica mais rapidamente do que os adultos que podem ouvir, enquanto as crianças surdas reagem mais lentamente do que as não surdas. Isso indica que pode levar algum tempo para a parte auditiva do cérebro fazer a troca de informações para o processamento visual.

Agora, os pesquisadores querem entender o que acontece com as pessoas com perda auditiva que recebem um aparelho. Se o cérebro se reestruturou para compensar a perda de audição, o que acontece quando ela é restaurada? [BBC]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

2 Comentários

  1. Concordo plenamente com esta observação, crítica, descobrimento ou sei lá o quê!
    Sou deficiente autditiva desde nascimento e nunca tive uma infecção que pudesse generalizar a surdez.
    De fato, o cérebro se reestrutura p/compensar com outros sentidos. Isso aconteceu comigo e tenho uma inteligência, percepção, dicção muito bem posicionada apesar da causa.

    Nunca fiz tratamento fonoaudiólogo e qdo esses me conhecem por acaso, ficam pasmos.
    Com todo orgulho!
    Aldinha

    Thumb up 3
  2. Assim como o Demolidor com a ecolocalização, Shaka de Virgem (Cavaleiros do Zodíaco) também tem embasamento científico!

    Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
fome
Relatório indica que há um bilhão de pessoas passando fome no mundo

Os dados de 2010 ain...

Fechar