Porque o bóson de Higgs dá sentido ao universo [partícula de Deus]

Publicado em 5.07.2012

Na última quarta-feira (4), em uma coletiva de imprensa realizada no laboratório CERN (Organização Europeia de Pesquisas Nucleares) em Genebra, na Suíça, cientistas anunciaram o que pode ser a descoberta de uma das partículas elementares para a formação de tudo o que existe: o bóson de Higgs.

Há anos, pesquisadores trabalhando no Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), o maior acelerador de partículas que existe, procuram o bóson, partícula que foi proposta pela primeira vez por Peter Higgs em 1964, 48 anos atrás.

Agora, duas equipes separadas do LHC – ATLAS e CMS – chegaram a resultados parecidos que estão em conformidade com as previsões teóricas sobre as partículas subatômicas do Modelo Padrão da Física, com a inclusão do bóson de Higgs. Isso indica que a partícula de fato existe.

O bóson teria massa de 125.3 GeV, e os resultados têm o nível de certeza de 4,9 sigma (o ideal é 5 sigma, nível necessário para reivindicar uma descoberta, pois significa que há menos de uma chance em um milhão dos dados serem um acaso estatístico).

“Foi anunciada a descoberta de um bóson que pode ser o bóson previsto por Higgs há quase 50 anos. A beleza da descoberta vem não apenas da notável previsão teórica, baseada em alguns conceitos bastante simples de simetria, mas do avanço tecnológico que foi preciso fazer para comprovar a sua existência”, comenta a Prof. Dr. Carola Dobrigkeit Chinellato, do Grupo de Física Teórica (GFT), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Tal êxito só foi possível com um enorme esforço e trabalho conjunto de milhares de pesquisadores, físicos, engenheiros e técnicos. “Acho que é mesmo um momento histórico”, diz.

Apesar de muita gente achar que o bóson de Higgs é um caso certo, ainda é preciso ter cautela. Os cientistas estão tratando a descoberta como “muito provável”, e pediram tempo para analisar as informações.

“Esta cautela é inteiramente justificável. Embora seja relativamente robusto, níveis de certeza maiores do que 4,9 já vieram a ser modificados pelos próprios dados experimentais. É preciso cuidado”, explica o Prof. Dr. Marcelo M. Guzzo, do Instituto de Física Gleb Wataghin, também da UNICAMP.

A “descoberta” e o Modelo Padrão da Física

O bóson de Higgs é a partícula pela qual supostamente tudo no universo obtém sua massa, inclusive nós, seres humanos.

Sendo assim, a partícula era vista como crucial para que os físicos pudessem dar sentido ao universo. Só que ela nunca tinha sido observada por experimentos.

Por conta de sua importância nos blocos de construção básicos do universo, o bóson recebeu o apelido de “partícula de Deus”, apelido que Guzzo não simpatiza. “Não gosto do nome ‘Partícula de Deus’, apenas se for pensado como uma espécie de brincadeira. Supondo que tenhamos, de fato, descoberto o Higgs, temos em mãos um quebra-cabeça muito mais completo rumo a uma compreensão das partículas elementares e suas propriedades. Isto é muito bom. Mas outras peças que são igualmente importantes neste quebra-cabeça nunca foram chamadas de ‘Partículas de Deus’”, argumenta.

O quebra-cabeça maior seria, por assim dizer, o Modelo Padrão da Física, uma espécie de “livro de instruções” que descreve como as partículas e as forças interagem no universo. Sem a existência do bóson de Higgs, ou seja, de uma partícula que desse massa a todas as outras, todo esse modelo poderia ir por água abaixo.

Sendo assim, uma das grandes consequências da descoberta é o fortalecimento desta teoria em detrimento de teorias alternativas. “Podemos afirmar que nada muda no Modelo Padrão das Partículas Elementares. Pelo contrário. O bóson de Higgs fazia parte do Modelo Padrão que sai muito fortalecido por esta descoberta”, diz Guzzo.

Agora, qualquer outro modelo alternativo ao Modelo Padrão terá que incorporar o Higgs, que passa a ter status de “evidenciado experimentalmente”.

E o bóson de Higgs também ajuda a explicar outras teorias, como a simetria de gauge. “Agora entendemos como a simetria de gauge, um dos pilares da construção do Modelo Padrão e que gera previsões estranhas como, por exemplo, que os bósons intermediários responsáveis pela interação fraca não têm massa, pode incorporar as massas destas partículas que foram encontradas experimentalmente já no início da década de 1970. Isto se dá através do Mecanismo de Higgs”, explica o professor.

O badalado bóson de Higgs, então, foi encontrado (provavelmente). Mas o grande vencedor parece ser o Modelo Padrão da Física.

“O conjunto começa a ficar muito interessante. Bonito mesmo! A ponto que eu gostaria de ver o Modelo Padrão ensinado nas escolas, como um conhecimento popular. É a consagração do Modelo Atomista que há milênios ronda o conhecimento humano”, opina Guzzo.

“Já há muitos anos nós aprendemos sobre a previsão da existência do bóson de Higgs, e ensinamos sobre ele para os nossos alunos. O anúncio dos resultados dos experimentos ATLAS e CMS é motivo de alegria para os físicos, e ainda mais para os físicos que trabalham na área de partículas elementares. Sentimos uma satisfação parecida com a de alguém que está montando um quebra-cabeça enorme e consegue achar a pecinha que estava faltando para completar o quadro”, comemora a professora Carola.

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

87 Comentários

  1. É estranha a forma como muita gente encara a ciência. A ciência não entra em conflito com a existência de Deus e vice versa. A ciência é simplesmente um método de procura do conhecimento, assim como a religião também é. Considerar a ciência mais do que isto é colocar a ciência no lugar de Deus da mesma forma como algumas pessoas colocam a religião no lugar de Deus. Nem ciência nem religião são o princípio ou causa inicial, se é que existe. As duas procuram o conhecimento.Uma diz que encontrou em Deus, a outra diz que encontrou no Big Bang ou no modelo padrão ou etc.
    A ciência não é necessáriamente a aliada incondicional do ateísmo. É usada pelos ateus na sua luta contra a idéia de Deus. Mesmo aí acho que os Ateus confundem Deus com religião assim como confundem Big Bang com ciência. Sem ofensa acho muito fracos os argumentos dos ateus sobre a possível não existência de Deus.
    Uma das grandes pretensões filosóficas do nosso tempo é o facto de pretendermos ter atingido o conhecimento final em relação à natureza ou estarmos muito próximos. Sou quase tentado a acreditar que a natureza do universo tem complexidade infinita. Há quem proponha 12 dimensões, há quêm proponha nenhuma.

    Thumb up 24
    • Parabéns Waldemar.

      Thumb up 0
    • P.: “…Uma das grandes pretensões filosóficas do nosso tempo é o facto de pretendermos ter atingido o conhecimento final em relação à natureza ou estarmos muito próximos…”

      Comentário: ou seja, uma forma disfarçada de RELIGIÃO DA VERDADE ABSOLUTA, onde o FISICALISMO METAFÍSICO é a interpretação suprema da realidade e o REDUCIONISMO MECANICISTA é “O” MÉTODO que, irremediavelmente (???) trará à “revelação” da verdade materialista de que TUDO EXISTE NO VAZIO E NO TURBILHÃO DE ÁTOMOS http://pt.wikipedia.org/wiki/Dem%C3%B3crito#O_vazio_e_o_turbilh.C3.A3o_de_.C3.81tomos (proposto pelo antigo filósofo grego Demócrito de Abdera – alguns o consideram “o pai da Ciência Moderna”!!!).

      É claro que os neo-ateus negam, peremptoriamente, a “crença subconsciente” que algo assim como uma “adoração” ao atomismo antigo faça parte do arcabouço psicológico deles, principalmente depois que Einstein e os físicos quânticos destruiram completamente, na teoria e na prática, que o mecanicismo atomista de Demócrito tivesse alguma base na realidade, mas mesmo assim, eles não conseguem disfarçar a pretensão de afirmar que é certo não haver nada de espiritual no Universo e na realidade! Daí, portanto, só pode haver matéria morta (a ideia de “vida” é inseparável do ajuntamento mecânico e “programado” de átomos e moléculas) advinda do caos e d’O NADA, sem consciência, sem inteligência, sem “intencionalidade intrínseca” (vide Daniel C. “Demmentt” https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&ved=0CCwQFjAA&url=http%3A%2F%2Fpt.wikipedia.org%2Fwiki%2FDaniel_Dennett&ei=FKDNUdOPGeLN0AGEw4GwAg&usg=AFQjCNHWxM3pP4AnToJEeeXpsNPy1fUgbQ&sig2=JLzW6wf7uP4x-gEXXWci6A&bvm=bv.48572450,d.dmQ ).

      No mais ou no menos, o fato (???) da inteligência ser um fenômeno “cerebral” (um subproduto da fisiologia dos neurônios) não impede a aderência dos neo-ateus a rechaçada ideia do determinismo absoluto de Laplace de que podemos compreender completamente o Universo e suas leis (via uma “Teoria de Tudo” mecanicista), o que é uma evidente contradição em si mesmo, pois o cérebro, submetido às leis do “natural”, não tem como alçar-se ao “sobrenatural” para compreender o que estaria “abaixo” de si, ou seja, a intelecção do Cosmos! Atualmente, para escapar a esse determinismo do tipo “Demônio de Laplace” http://pt.wikipedia.org/wiki/Pierre_Simon_Laplace#Dem.C3.B4nio_de_Laplace inventaram que o acaso é “determinista” (rsrsrsrs), apoiado-se nas “leis” da probalidade “determinista”!!! (rsrsrsrs). Ou seja: segundo uma conhecida frase do sóciopata Charles Manson, “NENHUM SENTIDO FAZ SENTIDO” (ora, e o sem-sentido faz sentido para os neo-ateus!!!).

      Mas, se O ALEATÓRIO CRIA COMO UM DEUS…e sobreviverá a “morte térmica” desse nosso Universo (daqui uns 50 trilhões de anos!), ENTÃO O ALEATÓRIO É DEUS, recriando-se na “flutuação quântica do NADA ABSOLUTO” (vide as teses niilistas de Stephen Hawking e Leonard Mlodinow em “O Grande Projeto” – o qual não tenho conhecimentos suficientes para “corrigir”, mas nem por isso eu vou “acreditar”, sem mais, nem menos, por ele ser uma “autoridade” na física – exatamente por ele não ter o cacife de um filósofo dedicado a refletir sobre esse tema, como Nietzsche, Heidegger, Jürgen Habermas, Albert Camus, Jean-Paul Sartre e outros vide Niilismo: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&ved=0CC4QFjAA&url=http%3A%2F%2Fpt.wikipedia.org%2Fwiki%2FNiilismo&ei=eKTNUcXkMce70AG0loGoAw&usg=AFQjCNEiuSOk2LzscpTWZ7-_41aaLqPadA&sig2=GyurjH8Jo7i-Z4LTHrfn1w&bvm=bv.48572450,d.dmQ )

      Estão repetindo o mesmo erro do ateu Auguste Comte, que criou a “Religião da Humanidade” ou “Positivismo Religioso”, para adorar os “deuses” da Ciência e da inteligência inventiva, adaptando os ritos e cerimônias da ICAR.

      Thumb up 3
    • É a ditadura dos fatos. A ciência é só o primeiro-ministro da ditadura dos fatos. Ela apresenta as leis que os fatos ordenam.

      Você pode se rebelar contra os fatos, mas não vai conseguir ir do Rio a São Paulo voando, a não ser que usar um mecanismo para vencer a gravidade e cobrir a distância toda. Pode tentar…

      Thumb up 2
    • Cito o cérebro humano como o produto mais fantástico das leis da natureza ( Carl Sagan disse provavelmente somos a maneira que o universo encontrou de se entender a si mesmo); as leis da natureza são FATO, não se contesta, ciência é FATO,dogmas, divindades, religião, supertição e tudo o quê é sobrenatural penso que é irracional.

      Thumb up 0
  2. Vale ressaltar que o termo “Partícula de Deus” é o termo popularizado desta partícula que é, verdadeiramente intitulada como “Partícula Maldita”, do inglês “Goddamn Particle” e não “God Particle” como se pensa.

    Thumb up 7
  3. Caso haja confirmação de que o boson descoberto tenha as propriedes previstas por Higgs, restam desafios ainda maiores pela frente.
    “É necessário lembrar que, caso o Bóson de Higgs seja encontrado e confirmado, isso validará o Modelo Padrão da Física, uma teoria que explica apenas 4% da matéria que parece existir”.

    “O modelo padrão é uma explicação que se sabe incompleta, uma vez que não há coerência entre a relatividade – uma teoria excepcional para explicar aquilo que é muito grande – e a mecânica quântica – excepcional para aquilo que é muito pequeno.

    Thumb up 7
  4. Esta descoberta não prova a existem e não prova a inexistencia Deus.
    Qual quer forma eu pergunto?
    DE onde veio esta particula (bóson de Higgs)? Quem fez esta particula?Qual sua origem?
    Tudo bem que descobriram esta particula?É para provar o que? Que Deus não existe?Ou é em beneficio da humanidade?
    Afinal o que querem com esta descoberta?

    Thumb up 13
    • As descobertas da ciência, antes de rebaixarem, engrandecem as obras de Deus, ou do Grande Arquiteto Universal.

      Thumb up 5
    • Humberto, esta descoberta é só para saciar a curiosidade humana. Gastaram 20 bilhões de dólares para entender um pouco melhor do que é feito o Universo.

      Carl Sagan disse uma vez “eu sou um ser humano e preciso saber”. E é isto. Todos somos seres humanos e todos somos curiosos, precisamos saber. É a marca da humanidade.

      Só por isto.

      Thumb up 23
    • Cesar Grossmann, com todo o respeito, não me parece que este tipo de descobertas sejam apenas e só poara “saciar a curiosidade humana”. Todo o tipo de descoberta nos pode ser benéfico até a nível da medicina e qualidade de vida.

      Thumb up 2
    • Pode ser, Joana, mas não é o objetivo da pesquisa. Até onde eu sei, os físicos não estão procurando uma maneira de matar tumores, diagnosticar doenças ou coisa assim. O objetivo é pura e simplesmente descobrir o bóson de Higgs e confirmar o modelo padrão de partículas da física.

      Novas técnicas, novos equipamentos e algum outro conhecimento acaba sendo criado a partir das soluções que os cientistas precisam encontrar para gerar, controlar e medir os jatos e colisões de partículas.

      Os americanos tem um nome para isto, o “spin-off” (que o google translator diz que pode ser um desmembramento, uma cisão, um desdobramento). Um exemplo, o desenvolvimento do calçado dos astronautas que pisaram na Lua acabou modificando a maneira de fazer calçados esportivos na década de 60-70. O objetivo não era este, era mandar o homem para a Lua, só que eles tinham um problema para resolver, e a solução para este problema acabou “respingando” para os atletas, que não tem nada a ver com o pouso na Lua. Outro exemplo, boa parte do trabalho dos astronautas no espaço é apertar e desapertar parafusos, e para isto eles usam uma aparafusadeira com uma bateria – ela é sem fio. Hoje você pode comprar uma destas em qualquer loja de ferragem, mas ela foi inventada para uso dos astronautas da NASA, até onde eu sei.

      Eventualmente talvez alguma nova tecnologia nasça do conhecimento das propriedades do bóson de Higgs, e eu espero que isto aconteça, mas o objetivo principal não era este, era saciar a curiosidade mesmo.

      Thumb up 16
    • Percebo e tem razão, de facto.

      Thumb up 6
  5. hypescience vcs podiam apagar comentários do tipo=religião responde tudo ciência é heresia, ou =ciência sempre está certa,religiosos anencéfalos.Apaguem para que não haja briguinhas inúteis.Quem concorda da joinha para o pessoal do hypescience ver.

    Thumb up 23
  6. Muitos pessoas não sabem o que significa tolerância e respeito.
    Só foi Francivaldo Brandão citar o Livro dos Espíritos para aparecer comentários tentando ridicularizar o mesmo.

    Me digam, quem tem certeza absoluta sobre alguma coisa nesse universo? Não custa nada respeitar a opinião dos outros. Está provado que o Livro dos Espíritos é tudo mentira? A maioria das pessoas que criticam nem se quer leram o livro.

    Thumb up 12
    • E a nossa opinião, de que a opinião dele é besteira, não merece respeito também? Só ele pode se manifestar, agora? É só alguém citar algum livro “sagrado” que se tornar automaticamente inquestionável, irretorquível, e acima de críticas?

      Por que ninguém pode manifestar sua opinião quando ela é contrária à opinião religiosa?

      Thumb up 25
    • Concordo totalmente com as suas palavras.

      Thumb up 2
  7. Com Bóson de Higgs, ou sem Bóson de Higgs, as religiões que são criadas por humanos, não querem perder sua fonte de alimentação!
    Deus, Vivas e Salvas a Ciência, que mata a cobra e mostra o pau!
    Meus parabéns aos nossos queridos e amados Físicos, maravilhosos cientistas que estão pondo a mostra aos pouquinhos as verdades da Natureza”!

    Thumb up 11
  8. Elementar, meu caro Watson…
    Algo elementar seria uma coisa, ou coisas, fundamentais das quais todas as outras são feitas, e não é de hoje que se pensa nisso. Os filósofos gregos do século 6 a.C. popularizaram, e isso é conhecido até hoje, quatro elementos: Terra, Ar, Fogo e Água. No advento da modernidade, os quatro elementos fundamentais viraram apenas elementos naturais, mas ainda estão no nosso cotidiano e já foram bases até de filmes e séries como Avatar (não o filme dos Ets azuis, mas o do guri careca com uma ceta tatuada no crânio).
    Até o fim do século 19 se achava que a matéria seria divisível até uma partícula indivisível, o átomo. Não é característico que a física ter sido sempre capaz de antever suas próprias descobertas? Quando se desenvolveu a química, tivemos a criação dela: a magnífica, esplêndida, com tudo, Tabela Periódica dos Elementos, com centenas de… Elementos, cada um formado por um átomo distinto. Eu adoro a Tabela Periódica dos Elementos.
    Mas a verdadeira história foi ter que rever o indivisível como divisível, o Átomo é formado por partículas menores chamadas elétrons, prótons e nêutrons, e isso aprendemos bem cedo no ensino fundamental. Não se preocupem simpatizantes do átomo, ele ainda tem um papel mais que especial, é a partícula fundamental que caracteriza um ELEMENTO QUÍMICO.
    O fato é que no espaço minúsculo do interior do átomo, no núcleo e na eletrosfera, mas especificamente no núcleo, cabe um Universo: o Quântico. Em maio de 2008 uma revista brasileira publicou um artigo onde comecei a me interessar por esse Universo, onde vivem os verdadeiros elementos fundamentais. Eis a reportagem.
    Onde o bóson se encaixa nesses fundamentos ainda é apenas teoria com anos de pesquisa antes da descoberta do Higgs e posterior a descoberta do Higgs. Outra coisa, ainda há muitas partículas elementares a se procurar descobrir na realidade: Os Grávitons, e as partículas da complexa supersimetria, que até então são as únicas favoritas a responder pela teoria da matéria escura.

    Thumb up 17
    • Por isso que Lúcifer ficou com ciúmes e deu no que deu.

      Thumb up 8
    • Com o Universo formado de forma caótica e acidentária, sem qualquer planejamento inteligível, do micro ao macro, e a vida uma sequência paleontológica de extinções e seleção natural, não acho que seja uma criação perfeita, muito menos harmoniosa.
      Eu não sou o sabetudo de afirmar que algo prova a inexistência ou existência divina, mas tudo o que temos parece mais um fruto do caos do que da ordem. Estou falando cientificamente, baseado no que estudei em ciências, não em ateísmo.
      Quanto a Deus, nem o mais experimentado físico é evitado cientificamente de crer, embora a maioria não creia, até onde sei. Mas a questão não está morta, mesmo entendendo a formação caótica e errante das coisas, ainda assim cientistas teístas sabem encaixar o todo-poderoso por trás de tudo: as leis fundamentais que regem o cosmos.
      É aqui que os maiores intelectos do teísmo e do ateísmo colidem em alto nível, formando um dos maiores e mais longos debates, e mais improvável de ser solucionado em nossa era e nem daqui a mil anos. E neste, eu preciso ser mais espectador do que tomar partido. Devo dizer que aqui os teístas não tomam partido como religiosos nem como pregadores, mas como cientistas, defendem a existência de deus de forma científica com dados e visões científicas.

      Thumb up 18
    • Eu adorei a resposta, penso exatamente da mesma forma!

      Thumb up 3
  9. modelo padrao da fisica é diferente da teoria das cordas, da teoria de multiplos universos?…gostaria muito da ajuda de um especialista.

    mas cuidado senhoras e senhores, a descoberta ainda nao foi solidificada, aguardemos um pouco maaais.

    Thumb up 1
  10. DEUS!causa primaria de todas as coisa, inteligência suprema do Universo.(ALLAN KARDEC)
    Tudo é energia,energia que se solidifica é matéria, que se dissocia é energia.

    Thumb up 28
    • Pronto! Td explicado!! Pra q ciência e lhc?! kkkkkkkkkkkkkkkk…

      Thumb up 14
    • É o livro das PARTÍCULAS VIRTUAIS, que após “se banharem” no Campo de Higgs, VIRAM GENTE…

      Thumb up 0
    • igual a “carne”(acido que se transforma em pessoa no dostor who)?

      Thumb up 0
    • Não conheço esse seriado!

      Thumb up 0
  11. O LHC entrou em funcionamento em meados de 2010, assim, o resultado foi rapidamente obtido graças a potência do sistema. Quero dizer, mesmo que seja mais de um ano, não é há anos que eles trabalham nisso no CERN. Quem ficou anos fazendo esse estudo foram os cientistas do Fermi Lab nos EUA que, na segunda feira, publicaram o resultado desse trabalho (o Fermi foi desativado por conta do CERN e da sua antiguidade) para não ficar fora da história, mas a imprensa, pelo menos no Brasil, não deu muito destaque a esse pronuncimento do Fermi, que dizia praticamente a mesma coisa que o CERN (o CERN, sigla em francês, pode chegar tão rapidamente longe por causa desses estudos anteriores, não só graças ao seu equipamento).

    Thumb up 2
    • O Fermilab continua funcionando, o que foi desativado é o Tevatron. Apesar da idade, o Tevatron ainda poderia ser utilizado para fazer pesquisa, mas os 25 milhões de dólares anuais foram considerados muito para o mesmo.

      Thumb up 8
  12. No meu enteder penso que matéria não existe. Não se pode criar matéria no nada, nem o Big Bang, se existiu, conseguiu faze-lo. O que existe é uma interação entre 3,4 ou 5 forças (força gravitacional, força eletromagnética, força nuclear forte, etc…) que nos dão a sensação de massa.

    Thumb up 8
    • Matéria e massa são coisas diferentes. A matéria é constituída de partículas que não são destruídas: quarks e léptons. A massa é uma propriedade que surge da interação entre a matéria e o campo de Higgs.

      Além do mais, as partículas da matéria (os quarks) foram detectados em laboratório. Afirmar que a matéria não existe é ir contra as evidências.

      Thumb up 7
    • É isto aí, em uma fissão nuclear, o núcleo atômico é dividido, mas não os prótons e nêutrons. Nenhum próton e nenhum nêutron é destruído e, portanto, nenhum quark ou lépton. A matéria original continua nos subprodutos.

      Veja o exemplo que tem nesta página:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_nuclear#Tipos_de_rea.C3.A7.C3.B5es_nucleares

      Eu vou dar uma olhada melhor na equação mais tarde, e faço a contabilidade das partículas subatômicas (prótons, nêutrons, elétrons) para confirmar, mas até onde eu sei, a energia que é produzida pela fissão nuclear é resultado da conversão da energia de ligação do núcleo original. A diferença de massa observada é resultado do desaparecimento de uma ligação nuclear (que recebia sua massa a partir da interação com o campo de Higgs, se eu entendi corretamente tudo isto).

      (editado)
      Eu contei os nêutrons dos elementos antes e depois da reação, e o número é o mesmo: 236.

      Antes da reação tem 235 nêutrons antes da reação no Urânio, mais o nêutron que atinge o Urânio. Depois da reação tem os 95 nêutrons do Estrôncio mais os 139 nêutrons do Xenônio, mais dois nêutrons emitidos. O número de prótons permanece o mesmo antes e depois da reação, se eu fiz as contas direito.

      Thumb up 9
    • Tá esquecendo dos anti-prótons (que anulam prótons) e das consequencias da fórmula: E = m.c², onde matéria e massa não podem ser considerados separados “didaticamente” com vc fez, pois ambas são formas energia e não o “á-tomo” da concepção grega, que é indivisível e indestrutível.

      Tropeçou nos livros didáticos (e no paradigma cartesiano-newtoniano) ao afirmar que prótons e neutrons não podem ser destruidos: coloque-os na velocidade da luz ou num buraco negro ou na interação com antiprótons e vc terá pura radiação “não sólida”.

      E segundo certas previsões cosmológicas, em cerca de 50 trilhões de anos tudo, no Universo, reverterá ao “nada” quântico.

      Thumb up 2
    • César Groissman

      P.: “…aguiarubra, isto tudo é besteira dos grupos anarquistas anti-ciência, do unabomber e outros…”

      Comentário: mas não é besteira da BBC, a qual indiquei como fonte. Nem dos produtores (ateus!) de “Zeitgeist” e “Da Servidão Moderna”. O que Unabomber escreveu é rigorosamente comprovável hoje em dia. Eu jamais defenderei a ideia estúpida de “explodir” cientistas pelo planeta, mas o Manifesto de Unabomber não é de se desprezar.

      Há o documentário “A História das Coisas”, acessível pela internet, que corrobora completamente a denúncia de Kaczynski.

      Vc pode conferir, também, com os sociólogos Milton Santos, Zygmunt Bauman ou Boaventura de Sousa Santos (na web, vide o texto dele: “O Processo da Globalização”.

      P.: “…Por exemplo, sabe quem é que vai ficar rico com a descoberta do Bóson de Higgs? Ninguém…”

      Comentário: é surpreendente ler isso que vc escreveu! Talvez sirva-lhe de antídoto a entrevista de Andre Sznajder (que trabalha diretamente com o LHC) feita pela revista Época (nº 738 de 09/julho/2012, p. 60), onde transcrevo parte de uma pergunta feita a ele:

      ÉPOCA – Por que essa descoberta é importante para o mundo?
      Sznajder – A ciência básica de hoje é a tecnologia de amanhã. Essa é a razão pela qual as nações investiram C 20 bilhões nesse projeto. Quando Wilhelm Conrad Röntgem, em 1895, descobriu os raios X, ele não tinha a mínima ideia de que serviria para alguma coisa. Edward Pursel descobriu a ressonância magnética estudando física básica. Ninguém imaginaria sua utilidade para a medicina 50 anos atrás.

      Obs.: e assim foi com o telefone, o automóvel, o avião, com “E = m.c²”…

      P.: “…O problema da fome e das doenças nos países pobres NÃO FOI CRIADO PELA CIÊNCIA…”

      Comentário: eis aí o repetido mito da “neutralidade” da Ciência! Seu antídoto pode ser filmes como:

      - O Óleo de Lorenzo
      - O Informante

      e documentários como:

      - A Ciência e a Suástica
      - Einstein e sua Equação de Vida e Morte
      - A Arma Absoluta: Oppenheimer e a Bomba Atômica
      - Maravilhas Modernas: Projeto Manhattan

      P.: “…pode ser resolvido SEM A CIÊNCIA. Considerando que a ciência permite que hoje se colha o suficiente para alimentar TODO MUNDO, por que é que há gente com fome no mundo? Considerando que a ciência descobriu formas de evitar as doenças que mais matam no mundo, por que é que há tanta gente ainda hoje morrendo por causa destas doenças?
      Certamente não é por causa da ciência. É por uma outra razão, a política. É por disputas de poder, de territórios, de fontes de riqueza, que existem gente morrendo de fome e doenças, e é essencialmente por isto que há guerras…”

      Comentário: mais um mito explanado aqui, ou seja, a de que a Ciência é UMA TORRE DE MARFIM, ALHEIA AO MUNDO EXTERNO.

      Nenhum cientista (ou inventor) tem responsabilidade pelo que se faz com os resultados das pesquisas.

      Exemplos: se o M.I.T.(-o) trabalha para que as forças armadas americanas desenvolvam tecnologia para impedir o desenvolvimento da ciência brasileira (vide o documentário da TV Brasil: “O Dia que durou 21 anos”; também “A Educação na Ditadura: as marcas da repressão”, da UNIVESP TV), então a culpa é dos políticos “generais”, não é mesmo? Não importa que Boris Fausto, no documentário “História do Brasil: programa 6 – Período Militar” (acessível na TV Escola) tenha mostrado o quanto a classe média tem colaborado (e exigido!) a interrupção do progresso, desde 1930 (e a USP foi criada…para o que mesmo? Enviar os mais bem dotados – da classe média – prá alimentar a ‘ciência’ do 1º mundo?).

      P.: “…Culpar a ciência é só ser um inocente útil nesta história toda…”

      Comentário: assista “Os Segredos do Pentágono” e “Nixon” para saber quem são os “inocentes úteis” da História.

      Talvez vc acredite que os documentários do History Channel, o Discovery Channel e os filmes de Hollywood que lhe indiquei sejam TODOS aliados de Ted Kaczinski, não é mesmo?

      Presumivelmente, a TV Escola e a UNIVESP TV não sejam suficientes, para vc, como fonte confiável de informações (considerando que vc ignorou o artigo da BBC sobre a concentração de renda no mundo contemporâneo, que também corrobora o Manifesto de Unabomber!).

      Thumb up 0
    • Aguiarubra, pode ser que o conhecimento sobre o bóson de Higgs algum dia no futuro tenha algum uso prático, não dá para descartar isto, mas eu acho que é mais fácil que a tecnologia montada em torno do LHC dê um retorno do que o próprio conhecimento obtido.

      De qualquer forma, ninguém mais é beneficiado pela ressonância nuclear, pela PET, e outras tecnologias usadas na medicina, certo, só quem vende as máquinas. Da mesma forma, o conhecimento que permitiu o aumento da produtividade no campo só favorece as empresas que produzem estas tecnologias.

      O Unabomber, se disse que estamos cada vez mais dependentes da tecnologia, acertou, realmente estamos. Mas não é como se a tecnologia fosse um cilício. Estamos dependente dela por que ela nos favorece. Ter um celular não apenas enriquece a empresa que faz celulares, e as companhias telefônicas. As pessoas usam celulares por que são cômodos, práticos, e dão diversão.

      Se você se inclinar para olhar o monstro da tecnologia, e olhar bem para os olhos dele, você vai ver eu, você, e todo mundo. Dizer que a ciência e a tecnologia enriquecem uns poucos é só ver um pedacinho disso tudo. Somos dependentes da conveniência, praticidade, e outros benefícios que a tecnologia nos dão.

      E quando eu falo que é a política que é responsável pela fome e miséria, não estou falando só de generais e de um bando de presidentes e ministros. Falo de partidos, classes, de todo mundo que age ou deixa de agir. Existem interesses que lucram com a fome e a doença, e nem sempre se trata de religião.

      Thumb up 3
    • César Grossman

      Ok, por um momento achei que vc estava “comprado” pela ideologia neoliberal e a propaganda de que é “natural” que 1% da humanidade seja “eleita geneticamente” para ser a nova aristocracia do planeta e, via tecno-ciência, escravize o resto.

      P.: “…Aguiarubra, pode ser que o conhecimento sobre o bóson de Higgs algum dia no futuro tenha algum uso prático, não dá para descartar isto, mas eu acho que é mais fácil que a tecnologia montada em torno do LHC dê um retorno do que o próprio conhecimento obtido…”

      Comentário: Pelo pouco que li, o LHC é um empreendimento aberto ao mundo e os resultados das pesquisas podem ser compartilhados, sem reservas e em regime de colaboração com países e pessoas interessadas (lamento que os políticos brasileiros estejam com “frecurite aguda” para aderir ao projeto LHC…).

      P.: “…De qualquer forma, ninguém mais é beneficiado pela ressonância nuclear, pela PET, e outras tecnologias usadas na medicina, certo, só quem vende as máquinas. Da mesma forma, o conhecimento que permitiu o aumento da produtividade no campo só favorece as empresas que produzem estas tecnologias.
      O Unabomber, se disse que estamos cada vez mais dependentes da tecnologia, acertou, realmente estamos…”

      Comentário: essa circunstância que faz a Medicina de ponta ser “privilégio” dos poucos que podem pagar muito por ela é consequência direta da política neoliberal, que derruiu o “Estado de bem estar social” (Welfare State) em nome de não sei o quê (o desemprego de bilhões de pessoas, substituidas por máquinas????). Mas é uma política insustentável por si mesma, a menos que estejam pensando em eliminar 6,5 bilhões de pessoas no planeta para “arrumar a casa” (é o que se apregoa nos documentários do “Prepare-se Verdade Oculta”, do pastor “Irmão Rubens”. Eu ria dele e da sua tese da conspiração Iluminati, mas hoje em dia eu não estou mais rindo, não! Tô é aterrorizado, isso sim!)

      P.: “…Mas não é como se a tecnologia fosse um cilício. Estamos dependente dela por que ela nos favorece. Ter um celular não apenas enriquece a empresa que faz celulares, e as companhias telefônicas. As pessoas usam celulares por que são cômodos, práticos, e dão diversão.
      Se você se inclinar para olhar o monstro da tecnologia, e olhar bem para os olhos dele, você vai ver eu, você, e todo mundo. Dizer que a ciência e a tecnologia enriquecem uns poucos é só ver um pedacinho disso tudo. Somos dependentes da conveniência, praticidade, e outros benefícios que a tecnologia nos dão…”

      Comentário: mas as pessoas estão sendo levadas a crer que os benefícios da tecnologia são para todos! E isso é uma grande mentira! O Discovery Channel alerta que 3 bilhões de pessoas ainda não tem acesso a um simples telefone! O que é necessário se fazer é alertar o povo para que exija seus direitos, até de sobrevivência pessoal, com o uso de tecnologia aliada à melhora da educação! Os neoliberais criaram um modo de pensar (e de ser) que impede essa conscientização.

      No entanto, a Internet é parte da solução para a difusão de conhecimento e hackers ou gente como Gregori Perelman tornem realidade o que se pode ver em filmes de FC como “Johnny Mnemomonic”, ao “vazar” conhecimentos cruciais para que o público leigo possa reagir à manipulação de multinacionais.

      Veja o caso real dramatizado no filme “O Informante”, por exemplo. Esse tipo de “anarquismo pró-ciência” é bem mais efetivo que o que fazem os terroristas anti-ciência, que matam cientistas para resolver um problema que foge da alçada deles! Os cientistas são também vítimas do “sistema”!

      P.: “…E quando eu falo que é a política que é responsável pela fome e miséria, não estou falando só de generais e de um bando de presidentes e ministros. Falo de partidos, classes, de todo mundo que age ou deixa de agir. Existem interesses que lucram com a fome e a doença…”

      Comentário: em “O Processo da Globalização”, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos demonstra por A + B pq. os políticos, no mundo contemporâneo, não podem deixar de serem corruptos e/ou se renderem à influência das multinacionais, principalmente do petróleo.

      Boaventura avisa que, se há movimentos de globalização, há também gente alertando contra os excessos dela e fazem a anti-globalização.

      Curiosamente apareceu um documentário (ganhador de Oscar) chamado “TRABALHO INTERNO”, onde os próprios que arquitetaram o neoliberalismo na economia, eles mesmos se surpreenderam com a crise iniciada em 2008!

      Por isso, ‘ressuscita-se’ Marx e sua obra ‘O Capital’ está sendo reformulada. Slavoj Zizek, por exemplo, ainda alia Marx e Lacan para “reinterpretar” nossa sociedade mundializada.

      É aterrador ver o aperfeiçoamento tecnológico propiciado pela Ciência, não vai beneficiar gente desempregada por robôs instalados nas indústrias.

      E na Europa de hoje em dia, há cada vez menos lugar para trabalhadores especializados em software, considerando a repercussão da crise econômica americana no sistema financeiro global.

      Até o LHC está ameaçado por essa crise! Ou seja, a pesquisa científica é coisa “secundário” no 1º mundo: primariamente são mais importantes os banqueiros e seus bancos!!!!

      P.: “…e nem sempre se trata de religião…”

      COMENTÁRIO: O que me incomoda, muito, na “adoração à Ciência” que fazem cientistas como Richard Dawkins e Daniel C. “Demmentt” (ele prega a ideia de que do cérebro “dementado”) é que eles apontam o fim das religiões como “solução” para o planeta(em nome da razão científica).

      Mas o que se pode constatar é que a Ciência não consegue resolver a crise econômica no 1º mundo ou que foram mainframes que permitiram implantar o sistema financeiro global, que levou o 1º mundo a (quase) bancarrota.

      Daí, o que pretendem Dawkins & quejandos, com essa “cruzada contra as religiões”? Testar o potencial dos MEMES para superar pastores revivalistas vigaristas, ganhando seus “dízimos” com fiéis ateus como resultado desse empreendimento?

      Ora, é através deles que se ouve o povo dizendo que a Ciência resolve tudo e que TODO CIENTÍSTA é o novo “dono da verdade”.

      Pena que o povo não conheça “Filosofia da Ciência”, de Rubens Alves, que combate esse perigoso mito de que o cientísta é uma espécia de “oráculo” de nossos tempos.

      Thumb up 1
    • Olha, aguiarubra, o que eu sei da ciência é que é a nossa melhor ferramenta para compreender a realidade. O que a religião quer é cooptar ou castrar o pensamento científico, e impingir suas mitologias como sendo a verdade inquestionável. Além do mais, a religião cria problemas que todo humanista deveria lutar contra: opressão à mulher (está circulando um vídeo no YouTube de uma execução de uma mulher acusada de adultério – uma maneira conveniente de se livrar da esposa e poder casar com outra, se você é afegão sob o Talibã), perseguição ao descrente, e a tentativa de aniquilação de tudo que é diferente (homossexuais, por exemplo). Só isto, para mim, já justifica o ataque a elas.

      A ciência vai resolver os problemas da humanidade? Não. Eu, pelo menos, não acredito. Mas vai dar instrumentos para entender melhor e quem sabe uma orientação para a melhor abordagem aos mesmos.

      Thumb up 2
    • César Groissman

      Não posso deixar de dar-lhe razão sobre isso. Além do mais, nossa época tem suas mazelas e terá que encontrar suas soluções.

      No entanto, a Religião faz parte da psiquê humana. Se os modos religiosos hoje em dia são inadequadas, será através da Ciência que surgirão outros tipos de Religião.

      Os “jedis” europeus são apenas prenúncios do que virá.

      Thumb up 0
    • Acho que tu tem razão em grande parte, aguiarubra. Acho que a religião é o resultado de seleção natural: sobreviveu quem obedecia sem questionar o conhecimento antigo. Acho que tem algo sobre isto num dos livros do Dawkins.

      Thumb up 1
  13. A Ciência começa aproximar-se da Filosofia.
    Esses conhecimentos já existem há alguns milênios.
    Se houver interesse, leiam:
    de Fritjofre Kapra: O Tao da Física e Ponto de Mutação;
    de José Pedro Andreeta: Quem se Atreve a ter Certeza e Princípios Herméticos ConSciência.
    São surpreendentes e sedutores e tratam do conhecimento sem misticismos.

    Thumb up 3
    • Na verdade, não. A ciência continua exigindo evidências. Se não exigisse, se ela estivesse se tornando uma filosofia, então o LHC nem mesmo seria contruído…

      Thumb up 7
    • Cesar:
      Desculpe-me se não fui claro.
      A ciência continua evoluindo mantendo seus métodos. O que está ocorrendo cada vez com mais intensidade, é que a ciência de ponta, a física quântica, utilizando-se de sua metodologia científica e sem misticismos, está, cada vez mais, descobrindo aquilo que os que os Pincípios Herméticos já enunciavam há alguns milênios.
      Não há nisso, nenhum demérito para a ciência, mas evidencia que existem outras formas de se adquirir conhecimentos, além do método que a ciência utiliza.

      Thumb up 5
    • Marcos, os “princípios herméticos” não enunciaram nada disso. Nenhum deles afirma que existe um campo de Higgs ou coisa parecida, que fornece massa à matéria e às partículas que intermediam as forças.

      O que existe são afirmações vagas o suficiente para poderem ser “interpretadas” como sendo semelhantes às descobertas científicas modernas. Mas nenhum “princípio hermético” afirma ou permite afirmar que o bóson de Higgs tem a massa de 133 prótons, ou que sua massa é de 124 GeV. Nem mesmo que existem átomos e eles são compostos de prótons e elétrons, ou a relação entre eles, a carga do elétron sendo igual à do próton, e a quantidade de quarks que fazem um próton ou um nêutron. Nada disso está em nenhum livro antigo, hermético, bíblico, espírita ou o que for.

      O que acontece é que a ciência fez um filho que todo mundo está amando, e os esotéricos de todas as linhas estão alegando que o filho é deles. Sem nunca terem dado um tostão para a construção do LHC, sem nunca terem contribuído com uma linha de teoria científica, sem jamais terem feito nada pela ciência ou pior, tendo atacado a ciência e a sua visão empiricista com absurdos como “os cientistas são limitados em sua visão”, e outras besteiras.

      Agora vêm falando em hermetismos, e em livros espíritas, e outras coisas. Não cola. Se querem ter participação nos louros e na glória, tem que participar derramando suor, investigando, passando anos e anos investigando, experimentando, teorizando, testando, comparando notas, e apoiando, financiando, e protegendo a pesquisa científica.

      Acho a maior sacanagem isto daí. É se promover a partir dos feitos alheios, para os quais não contribuiu um iota.

      Thumb up 8
    • Tem algum “princípio hermético” ou “livro dos espíritos” que responda a pergunta “do que é feita a matéria escura”? Ou “o que é a energia escura”? Algum “princípio hermético” responde qual a natureza da gravidade? Algum deles elucida se o bóson de Higgs é o único de sua raça ou se é um elemento de uma família de partículas que são responsáveis por outras características do Universo?

      Não tem. Nenhum dá pista de nada, nenhum deles tem CIÊNCIA.

      Thumb up 7
    • Cuidado com a adoração à Ciência: ela parte do princípio de que seus “produtos” serão utilizados para enriquecer apenas 1% da Humanidade.

      O resto de nós, os “escravos modernos” (vide os documentários “Da Servidão Moderna” e “Zeitgeist”), vamos viver cada vez mais dentro de um cenário de ficção científica como “1984″, “Blade Runner” e/ou “Gattaca – a experiência genética” (e suas variantes como “A Ilha”).

      Ou pior: seremos “robotizados” por próteses mecânicas, alimentados por “energia de vácuo”, aparelhados com “cérebro eletrônico” no lugar de neurônios, cenário explorado em “I.A. – Inteligência Artificial”, mais barato que uma “Matrix” de bilhões de humanos “paparicados pelas máquinas”.

      Isso de se acreditar na ideologia neoliberal que a Ciência explora os mistérios da Natureza, é coisa para gente ingênua e romântica: vide o noticiário da BBC Brasil: 1% da população adulta detém 40% da riqueza mundial.

      Se quiser mais informações, procure “Os Filósofos e as Máquinas”, de Paolo Rossi ou acompanhe os alertas de Nietzsche sobre “nossa” Ciência DE SEMPRE!!!

      Talvez o Cristianismo tenha promovido algumas atrocidades entre nós, os ocidentais, mas eles nunca jogaram bombas atômicas sobre cidades e não mantém milhares delas em arsenais por todo o mundo.

      Vemos a tão querida Ciência refletida na Medicina (caríssima para muitos) e no LHC: mas esquecemos, facilmente, que as guerras nucleares não são um pesadelo do passado, mas a Espada de Dâmocles a pender sobre os povos de todo o mundo, que “dormem” acalentados pelas promessas de paraiso em nome dessa maldita Ciência sem consciência.

      Thumb up 2
    • aguiarubra, isto tudo é besteira dos grupos anarquistas anti-ciência, do unabomber e outros.

      Por exemplo, sabe quem é que vai ficar rico com a descoberta do Bóson de Higgs? Ninguém.

      O problema da fome e das doenças nos países pobres NÃO FOI CRIADO PELA CIÊNCIA pode ser resolvido SEM A CIÊNCIA. Considerando que a ciência permite que hoje se colha o suficiente para alimentar TODO MUNDO, por que é que há gente com fome no mundo? Considerando que a ciência descobriu formas de evitar as doenças que mais matam no mundo, por que é que há tanta gente ainda hoje morrendo por causa destas doenças?

      Certamente não é por causa da ciência. É por uma outra razão, a política. É por disputas de poder, de territórios, de fontes de riqueza, que existem gente morrendo de fome e doenças, e é essencialmente por isto que há guerras.

      Culpar a ciência é só ser um inocente útil nesta história toda.

      Thumb up 1
    • César Groissman
      P.: “…aguiarubra, isto tudo é besteira dos grupos anarquistas anti-ciência, do unabomber e outros…”
      Comentário: mas não é besteira da BBC, a qual indiquei como fonte. Nem dos produtores (ateus!) de “Zeitgeist” e “Da Servidão Moderna”. O que Unabomber escreveu é rigorosamente comprovável hoje em dia. Eu jamais defenderei a ideia estúpida de “explodir” cientistas pelo planeta, mas o Manifesto de Unabomber não é de se desprezar.
      Há o documentário “A História das Coisas”, acessível pela internet, que corrobora completamente a denúncia de Kaczynski.
      Vc pode conferir, também, com os sociólogos Milton Santos, Zygmunt Bauman ou Boaventura de Sousa Santos (na web, vide o texto dele: “O Processo da Globalização”.
      P.: “…Por exemplo, sabe quem é que vai ficar rico com a descoberta do Bóson de Higgs? Ninguém…”
      Comentário: é surpreendente ler isso que vc escreveu! Talvez sirva-lhe de antídoto a entrevista de Andre Sznajder (que trabalha diretamente com o LHC) feita pela revista Época (nº 738 de 09/julho/2012, p. 60), onde transcrevo parte de uma pergunta feita a ele:
      ÉPOCA – Por que essa descoberta é importante para o mundo?
      Sznajder – A ciência básica de hoje é a tecnologia de amanhã. Essa é a razão pela qual as nações investiram C 20 bilhões nesse projeto. Quando Wilhelm Conrad Röntgem, em 1895, descobriu os raios X, ele não tinha a mínima ideia de que serviria para alguma coisa. Edward Pursel descobriu a ressonância magnética estudando física básica. Ninguém imaginaria sua utilidade para a medicina 50 anos atrás.
      Obs.: e assim foi com o telefone, o automóvel, o avião, com “E = m.c²”…
      P.: “…O problema da fome e das doenças nos países pobres NÃO FOI CRIADO PELA CIÊNCIA…”
      Comentário: eis aí o repetido mito da “neutralidade” da Ciência! Seu antídoto pode ser filmes como:
      - O Óleo de Lorenzo
      - O Informante
      e documentários como:
      - A Ciência e a Suástica
      - Einstein e sua Equação de Vida e Morte
      - A Arma Absoluta: Oppenheimer e a Bomba Atômica
      - Maravilhas Modernas: Projeto Manhattan
      P.: “…pode ser resolvido SEM A CIÊNCIA. Considerando que a ciência permite que hoje se colha o suficiente para alimentar TODO MUNDO, por que é que há gente com fome no mundo? Considerando que a ciência descobriu formas de evitar as doenças que mais matam no mundo, por que é que há tanta gente ainda hoje morrendo por causa destas doenças?
      Certamente não é por causa da ciência. É por uma outra razão, a política. É por disputas de poder, de territórios, de fontes de riqueza, que existem gente morrendo de fome e doenças, e é essencialmente por isto que há guerras…”
      Comentário: mais um mito explanado aqui, ou seja, a de que a Ciência é UMA TORRE DE MARFIM, ALHEIA AO MUNDO EXTERNO.
      Nenhum cientista (ou inventor) tem responsabilidade pelo que se faz com os resultados das pesquisas.
      Exemplos: se o M.I.T.(-o) trabalha para que as forças armadas americanas desenvolvam tecnologia para impedir o desenvolvimento da ciência brasileira (vide o documentário da TV Brasil: “O Dia que durou 21 anos”; também “A Educação na Ditadura: as marcas da repressão”, da UNIVESP TV), então a culpa é dos políticos “generais”, não é mesmo? Não importa que Boris Fausto, no documentário “História do Brasil: programa 6 – Período Militar” (acessível na TV Escola) tenha mostrado o quanto a classe média tem colaborado (e exigido!) a interrupção do progresso, desde 1930 (e a USP foi criada…para o que mesmo? Enviar os mais bem dotados – da classe média – prá alimentar a ‘ciência’ do 1º mundo?).
      P.: “…Culpar a ciência é só ser um inocente útil nesta história toda…”
      Comentário: assista “Os Segredos do Pentágono” e “Nixon” para saber quem são os “inocentes úteis” da História.
      Talvez vc acredite que os documentários do History Channel, o Discovery Channel e os filmes de Hollywood que lhe indiquei sejam TODOS aliados de Ted Kaczinski, não é mesmo?
      Presumivelmente, a TV Escola e a UNIVESP TV não sejam suficientes, para vc, como fonte confiável de informações (considerando que vc ignorou o artigo da BBC sobre a concentração de renda no mundo contemporâneo, que também corrobora o Manifesto de Unabomber!).

      Thumb up 0
    • Cesar,
      Além do preconceito escancarado nos seus comentários, você está sendo racionalmente irracional. Critica algo que não conhece com argumentos que conhece apenas superficialmente. Quando afirma que este ou aquele livro não lança luz sobre questões da física atual, mostra sua total IGNORANCIA sobre seu conteúdo. Não espere encontrar ali fórmulas ou teorias matemáticas para resolver enigmas materiais ou mundanos. Tenha certeza que a sabedoria ali contida está muita de além sua capacidade de compreensão em vista seu atual estado mental.

      Thumb up 2
    • Marcos Elias

      Além de Capra, inclua também obras de:

      - Amiti Goswami (“Ativismo Quântico” e “Quem Somos Nós?”)
      - Jean Emile Charon (“O Espírito, esse desconhecido”)
      - Edgar Morin (principalmente a série “O Método”)
      - Paul Feyerabend (obra “Contra o Método”)
      - Thomas S. Kuhn (obra “As Estruturas das Revoluções Científicas”)
      - Mario Bunge (“Dicionário de Filosofia”)

      Os “reducionistas” não conhecem essas obras e fica difícil “trabalhar” com eles só com Fritjof Capra.

      Mario Bunge, apesar de “mecanicista”, não é reducionista. A proposta dele é coerente com as teses do “Emergentismo”, uma espécie de “holismo mecanicista”, suficiente para atacar as teses mais resistentes dos outros cartesianos-newtonianos.

      Thumb up 0
  14. Sou espírita, respeito sua opinião sr Francisco, mas é necessário que os cientistas evidenciem todos os fenômenos para que ciência evoluir.

    Estão de parabéns a equipe de físicos envolvido no projeto!!!

    Thumb up 6
    • Criar uma “teoria de tudo”, unificando as forças q atuam no nível quântico à dinâmica do universo em escala relativística.

      Thumb up 0
    • Muita coisa.

      O modelo padrão tem 12 férmions (6 léptons e 6 quarks) e quatro bósons vetoriais, além do bóson de Higgs que é escalar. Mas nenhum deles parece descrever a matéria escura ou a energia escura, que respondem por cerca de 96% da massa e energia do Universo.

      Além disso, ainda não foi possível encaixar a gravidade neste modelo: existe o gráviton? Se existir, quais suas propriedades? Se não existir, como funciona a gravidade, então?

      E tem mais, pode ser que o bóson de Higgs seja na verdade uma família de bósons, cada um com propriedades diferentes e exercendo um papel específicos para construir a nossa realidade.

      E isto é só o que eu ouvi falar. Pode ser que exista mais coisas ainda a descobrir. Pode-se dizer que o bóson de Higgs não é o fim, mas o início de uma jornada científica para compreender o Universo.

      Thumb up 48
    • Infelizmente, a VIDA não é um mistério no modelo-padrão, certo? Vida, consciência e inteligência são “propriedades” da matéria sólida, já “presumida” e, por isso mesmo, “vítima” de uma Biologia (morta) e que não faz parte das “profundas pesquisas científicas” a respeito da origem das coisas.

      O que será que estamos criando para nós mesmos, hein?

      Thumb up 2
    • aguiarubra, não sei se entendi o que você quer dizer. A vida está sendo investigada pela ciência, pela biologia, mais precisamente. A mente, a consciência e a inteligência são objeto de estudo da neurologia.

      O que você quer dizer, que existe um “fluido vital” que deveria fazer parte disto tudo? É só mostrar que existe este fluido, aguiarubra, que a ciência passa a estudar ele. Se você está falando do “vitalismo”, é uma linha de pesquisa que foi abandonada por falta de evidências.

      Thumb up 1
    • César Groissman

      P.: “…aguiarubra, não sei se entendi o que você quer dizer. A vida está sendo investigada pela ciência, pela biologia, mais precisamente…”

      Comentário: não há mais Bio-logia (estudo dos seres vivos), como se pode ver nos esforços de Craig Venter em “criar vida” em laboratório: tudo não passa de “mecanismos da vida”, ou seja, células programadas em software e montadas em sistemas CAD/CAM.

      Num documentário da Discovery eu vi que Venter apenas repetiu o que bacteriófagos fazem quando atacam células vivas, embora tenha usado leveduras na etapa “CAM” de sua vida criada em laboratório.

      Mas, deixa estar, né? Quando os nanorobôs estiverem suficientemente desenvolvidos, talvez Venter queira refazer suas experiências montando, molécula à molécula, seus seres vivos, certo?

      Portanto, não há mais Biologia: apenas “engenharia” de seres CHON.

      P.: “…A mente, a consciência e a inteligência são objeto de estudo da neurologia…”

      Comentário: sim, OBJETOS, coisas inertes que, juntadas como nos neurônios, sinergicamente produzem vida. “…O cérebro produz pensamento como o fígado produz bilis…”.

      A Neurologia, portanto, está com os dias contados: a “neuro-robótica” é que a sustituirá. Richard Dawkins prevê um experimento onde cada neurônio (montado em laboratórios Venter????) será substituido por similares “mecatrônicos”…

      Tai, camarada! A Biologia Evolutiva e as neurociências estão decretando o fim do Homo Sapiens da Terra, preparando-lhes “próteses” robóticas controladas remotamente por não sei quem.

      Mais detalhes em “Os Exterminadores do Futuro”…humano!

      Vivam (?) os PÓS-HUMANOS!

      Nietzsche errou: não haverão “super-homens”, já que “sacos de carbono” ficarão obsoletos frente a ‘homens de ferro’.

      Isso é PROGRESSO CIENTÍFICO!!!!!!

      P.: “…O que você quer dizer, que existe um “fluido vital” que deveria fazer parte disto tudo? É só mostrar que existe este fluido, aguiarubra, que a ciência passa a estudar ele. Se você está falando do “vitalismo”, é uma linha de pesquisa que foi abandonada por falta de evidências…”

      Comentário: camarada, a dita “Ciência” não vê evidência na existência nem de VIDA, de CONSCIÊNCIA ou de INTELIGÊNCIA!!!!

      TUDO é dominado pelo CAOS e pela ALEATORIEDADE.

      Não se reconhece mais CAUSA e EFEITO (ou seja, nem mesmo a CIÊNCIA e a RAZÃO, que dependem do encadeamento lógico entre causa e efeito, são viável no reducionismo fisicalista!).

      Efeitos podem aparecer sem causas e O NADA ABSOLUTO (ou “nada quântico”, para tentar escapar das críticas dos metafísicos) é visto hoje como um desses EFEITOS ACAUSAIS (assim como Deus era visto antigamente!).

      Um desses filósofos da mente, Daniel C. “Demmentt” (vide wikipédia), expressa esse tipo de “idiotia” nos termos que postarei abaixo:

      “…Para Dennett, os estados interiores de consciência não existem. Em outras palavras, aquilo que ele chama de “teatro cartesiano”, isto é, um local no cérebro onde se processaria a consciência, não existe, pois admitir isto seria concordar com uma noção de intencionalidade intrínseca. Para ele a consciência não se dá em uma área especifica do cérebro, como já dito, mas em uma sequência de inputs e outputs que formam uma cadeia por onde a informação se move…”.

      Camarada, tudo isso é simples loucura pós-moderna.

      Eu não sei o que vem a ser “fluido vital” ou “vitalismo”, “alma”, “espírito” ou seja mais o que.

      Mas o “fisicalismo” é sumamente absurdo para substituir as explicações sobrenaturais da Vida.

      É uma forma fechada demais para passar pelas críticas de Popper, de Imri Lakatos, pois anularia a “incompletude” proposta por Kurt Gödel, por dar uma explicação cabal a todo os “mistérios” que envolvem os fatos da Vida e da auto-consciência.

      Um mundo que fosse tão só e apenas suas propriedades físicas não poderia ter sua consistência lógica demonstrada por nada exterior.

      Então, apoiando-se no paradoxo do cérebro numa cuba, como saberiamos que o Universo é uma ‘máquina’, sendo nós mesmos “máquinas” também?

      Stephen Hawking em “O Grande Projeto” tentou driblar esse dilema com um artifício que muito me lembrou as artimanhas dos astrólogos para justificar seus horóscopos.

      No entanto, Hawking pareceu, com isso, mostrar que há um mundo “não físico”, que poderia ser compreendido por um cérebro “não maquínico” para justificar todos os fenômenos que observamos com nossos 5 sentidos. Prá mim, um verdadeiro “tiro no pé” dos fisicalistas!!!

      Hawking, um cara capaz de apreciar o Caminho de Santiago de Compostela, parece ser um “agente duplo” no meio dos ateus fisicalistas!

      Pessoalmente eu me inclino para o “Emergentismo” de Mario Bunge.

      Mas torço para que as teses dos espíritas encontrem bases científicas, pois Alan Kardec já está muito ultrapassado em nossos tempos.

      Thumb up 1
  15. Enquanto eles estão aí, já está divulgada desde 1985 a Comcepção de Massa pela Lógica Espacial do Pensador-Instrutor Haddammann, e bem recentemente já está publicada gratuitamente na Internet o Conceito Epistemológico de Massa & Carga, mostrando como é a interação primacial dos pontos-energia. O nome do pesquisador é Haddammann Veron Sinn-Klyss. Se querem ter noção do alcance que ele já está, dêem uma olhada em flashs e imagens estonteantes do Gleam(er)(s)-Team. O homem é “a” mentalidade do Século XXI; publicou com dificuldades inimagináveis a conceituação inédita do número primo (Número-Primo–Arte & Natureza, Pela Simplicidade da Matemática) e ainda apresenta como elaborar sequências-primas inéditas para estudantes também ‘faturarem”. É o autor da Cenografia-Show Passos da Natureza; um modelo vivo de Lógica Espacial. É mole o não querem mais não?! Ah! Os estudantes o admiram. E esperam que a Justiça encaçape o chefeta-molusco e os pulhíticos “abençoados”-corruptos do Mensalão.

    Thumb up 5
  16. Nossoa cientistas vão muito logo provar o que já sabemos desde a publicação de o “Livro dos Espiritos”, há mais de 150 anos…
    se tivessem lido o livro, talvéz já tivessem chegado a prova.

    Thumb up 23
    • Hahahahaha! Piadista, vai dormir com seu livrinho de fantasias…

      Thumb up 9
    • Sabe o que é respeito e tolerância?

      Thumb up 3
    • Como é que ninguém que tenha lido o livrinho jamais chegou à prova alguma do que diz nele?

      Thumb up 6
    • O que provo para mim, talvez não possa provar para mais ninguém.
      Se descrevo minhas experiências, muitos dirão ser mentira,mas o que realmente importa é que sei que são verdade.
      Não acho legal querer saindo pregar “a verdade” para os outros.Acho que cada um tem suas verdades que foram comprovadas por si mesmo. :)

      Thumb up 6
    • Belo comentário. Disse tudo!

      Thumb up 3
    • O problema é q todos os conceitos descritos no Livro dos Espiritos mais tarde foram evidenciados pela ciencia — algumas teorias da Genese sao parecidissimas com a criação da terra, anos antes dela ser formulada. E ainda temos outros pontos depois descritos nos livros de leon denis.

      A questao é: aceitar as evidencia fenomenologicas expostas por kardec.

      Bom continuando, Cesar vejo q vc conhece muito da fisica contemporanea, e tenho uma pergunta. essa ‘prova’ do modelo de fisica padrão — q ainda devemos esperar mais — é contra a Teoria das Cordas e dos múltiplos universos? realmente tenho uma dúvida, e já agradeço se vc me responder.

      abraços aos amigos.

      Thumb up 2
    • Tassio, na verdade os conceitos descritos no Livro dos Espíritos são muito vagos, podem ser relacionados com qualquer coisa. Eu nunca vi alguém investigar um princípio escrito no Livro dos Espíritos e chegar a uma descoberta científica, nem mesmo os adeptos do espiritismo, que gostam de dizer que sua religião é “científica”.

      Sobre a teoria das cordas e dos múltiplos universos, eu achei um artigo de alguns anos atrás que apontava que o modelo de cordas fazia pelo bóson de Higgs uma coisa que o modelo de partículas fazia, que era fornecer uma estimativa para a massa dele. Só que o valor estimado pela teoria das cordas é bem diferente do valor encontrado pelo LHC.

      Quando uma teoria científica faz uma previsão e a previsão falha, os cientistas tem várias hipóteses, e eu consigo pensar em pelo menos duas: a teoria está correta e a previsão teórica foi mal-feita; a teoria apresenta imprecisões e o valor encontrado ajuda a refinar a mesma. Em último caso, a teoria tem que ser abandonada.

      Não sei o que vai acontecer com a teoria das cordas, e a teoria a ela relacionada, a teoria-M. Escrevi para o professor de física autor do artigo, acho que devo receber uma resposta talvez semana que vem. Enquanto isto, continuo fazendo pesquisas no Google. Deve ter muita gente se fazendo esta mesma pergunta agora mesmo. Se surgir alguma coisa, é provável que seja produzido um artigo aqui no Hiperciência.

      Thumb up 3
    • Olá césar, mais uma vez, fico imensamente agradecido com seu comentário e sim, penso que estamos nos encaminhando juntos. q bom.

      Sobre a ciência espirita, penso que terei de ser mais cuidadoso com o comentário:

      Procure de fato, pesquise de boa fé no livros dos espiritos, e você vai encontrar muitas familiaridades com pesquisas que foram feitas logo após as épocas de seu lançamento. Mas o faça sem se questionar, sem crenças. Pense que o próprio Kardec era possivelmente Ateu, e de fato nao acreditava q nenhum fenômeno era possível. Pense também que ao que parece, nao há registros de que ele tenha sido acometido por nenhum tipo de fenomeno mediúnico. Agora, como afirmar algo que você nem ao menos sente em si mesmo?

      Pense também que ele era um pedagogo que poderia ter tido uma carreira muito respeitável caso nao corresse por esse caminho. E lembre também que suas pesquisas confluem muito tanto com pontos da filosofia cartesiana, logo no justo tempo em que o maior voga era a filosofia positiva — haja visto que o próprio kardec declara no livro dos espiritos — “ciências positivas”. — e ele o fez a defendendo!

      O fato de que havia termos, ou seja conceitos cujos seus métodos experimentais nao seriam alcançados ao seu tempo. Ele usa muito de conceitos como fluidos, magnetismo, cujos naquela época nós nem ao menos tinhamos noção do atomo. E kardec era um homem, nao espirito. Se provaram mais tarde como verdadeiros, mesmo que agora melhor explicados.

      Eu vou lhe ser sincero, ainda nao terminei de ler essa obra, visto que ela abrange muitos setores do conhecimento — e estranhamente conflue com outros livros de outras filosofias e religioes, destaco mesmo o induismo, o taoismo, e mais tarde ela seria debatida pela teosofia — mesmo que muito a contra-gosto.

      Olha, nao vou fazer aq uma apologia ao espiritismo, ate pq sinceramente lhe digo, que hoje a ciência espirita se encontra, ao meu humilde ver, muito atrasada ao que um dia ela foi. Se antes, ela previa descobertas de diversas areas — continuo afirmando, muitas das teorias da formação da terras, do espaço, vieram a se desencadear nas teorias quais ainda hoje estamos em voga.

      Eu termino esse meu comentário lembrando de Hume, onde ele nos diz mais ou menos no seu Dialago: “o verdadeiro crente é aquele que poderá por em dúvida mesmo no que acredita” para depois, lermos o próprio kardec citar, mais ou menos [e eu repito, as influencias kardequianas -- dele mesmo -- eram claramente a ciencia positiva e o metodo cartesiano]“caso a ciência ultrapasse o espiritismo, largue o espiritismo e sigam a ciência!”, e depois ele mesmo citar com a ajuda dos espiritos no Evangelho [mais ou menos tbm] a “fé cega nao gera nada, ela deve ser uma fé racionalizada.”

      Estou aqui agora dizendo o seguinte, nao a provas nem de que nao exista, assim como exista um Deus — mesmo Hume dirá isso nos Dialagos — mas citando o cético Pirro, e depois, ironicamente, o proprio KArdec [que reitero, suas influencias sao ao meu ver mais positivas/cartesianas doq qualquer outra coisa] “Acredite naquilo que te aparece, no que você sente” como negar oq os religiosos sentem? oq os ateus sentem? como negar a historia humana voltada a busca pelo Um — humanidade essa que nao se comunicava?!

      De resto, caso a ciencia se mostre mais fiavel doq agora, estamos prontos a segui-la, como nos evidenciou o codificador, mas até agora vemos chuva em terrenos encharcados, descobertas que se provam fraudes, e um cientista que acreditava no Deus de Espinosa [Eistein -- por acaso li um pouco de Espinosa, e muito dos ditados q sao creditados ao judeu, na verdade, sao postulados epistemologicos do filosofo]

      Abraços amigo, espero que você possa sempre estar aq comigo!

      Thumb up 1
    • Tassio, eu não vejo por que deveria levar o “Livro dos Espíritos” ou qualquer outro livro antigo a sério, como livro de ciências. Nenhum deles oferece absolutamente nenhum conhecimento objetivo sobre o mundo. Absolutamente nada. E o que alguém “sente” não serve de evidência para nada, o que alguém “sente” não é argumento, não prova nada, nem que a pessoa está certa, nem que ela está errada.

      Sobre a ciência se mostrar mais confiável, sinceridade, todos os erros que a ciência já cometeu (e não foram poucos) foram superados pela própria ciência. É um processo de auto-correção e progresso contínuo. Está 100% certo? Não. Como poderia, a ciência é feita por seres humanos! Não é infalível, mas é metódica. Não é isenta de erros, mas se corrige. Não é perfeita, mas está sempre progredindo.

      Sobre o “Deus de Espinosa”, ele não é só o deus de Einstein, é também do de Carl Sagan, de Dawkins e de qualquer um que olhe maravilhado para a natureza e o Universo. Espinosa foi condenado por panteísmo, ou seja, tudo era deus para ele. Einstein tinha esta admiração, maravilhamento pela Natureza. Carl Sagan também. Richard Dawkins também.

      Espinosa foi excomungado por judeus e por cristãos pelas suas ideias radicais sobre a natureza divina.

      Thumb up 0
    • CESAR GROSSMAN

      P.: “…todos os erros que a ciência já cometeu (e não foram poucos) foram superados pela própria ciência. É um processo de auto-correção e progresso contínuo. Está 100% certo? Não. Como poderia, a ciência é feita por seres humanos! Não é infalível, mas é metódica. Não é isenta de erros, mas se corrige. Não é perfeita, mas está sempre progredindo…”

      Comentário: pensamento perigoso, Cesar, esse que vc expressou. Colocou a Ciência em “abstrato”, deixando de lado o fato de que a Ciência é constituida por cientistas que “trabalham” sob o tacão das exigências de empresas multinacionais (principalmente petroquímicas) e de governos que exploram os “dividendos militares”. Não há ciência pura “fora” de objetivos que levarão a raça humana a autodestruição, exatamente por falta de “sentimento humano” nesse famigerado progresso que vc e outros “festejam”, esquecidos do arsenal de dezenas de milhares de bombas atômicas (e de nêutrons) que pairam sobre toda a Humanidade.

      Seria bom que se acreditassem em espíritos, pois não se acredita mais na própria vida sobre a Terra!!!

      Thumb up 0
    • Resposta dirigida ao comentário de Cesar Grossmann –
      “Tassio, eu não vejo por que deveria levar o “Livro dos Espíritos” ou qualquer outro livro antigo a sério, como livro de ciências…”

      Olá meu amigo, peço desculpas se por acaso eu tenha perdido o tom da compostura em meu comentário anterior. Bom, eu vou tentar responder com toda a humildade e pouco saber que ora disponho, todos os pontos colocados pelo seu bom comentário — gostei que voce tenha citado um pouco do grande filosofo que talvez pensasse em port., Espinosa.

      Eu fico muito triste que você pense algo como isso. Dizer que livros antigos nao digam nada para a ciencia soa de uma blasfêmia e de um desconhecimento muito grande. É como jogar as obras de Aristoteles, Platão, Hume no chão, e achar que toda a ciencia contemporanea se construiu do nada — nada esse, cujo homem jamais conseguiu criar nada. rs, vc já viu alguem criar algo do nada? pois é, nem eu.

      Continuando sobre oq vc “sente” eu vou lhe explicar melhor. em si, todo o conhecimento cientifico pode ser negado; desde a arg. de Descartes até as céticas são capazes de provar isso. Veja: Se nossos sentidos erram, logo mesmo dados empíricos de fácil acesso podem ser negados, ou tidos como erroneos — pq eles passam pelos nossos sentidos. Mesmo a matemática dita como certa pode ser colocada em dúvida, visto que ela nao fala dela mesma, e para piorar nao é racional — numeros como o pi e o aureo em si, nao são explicáveis, visto que vão até o infinito, e o q vai até o infinito não gera conhecimento.

      Ou seja, Filosoficamente falando, nao podemos nos fiar em muita coisa, a não ser que Agora mesmo, eu sinto o meu teclado sobre meus dedos, meu coração batendo, meus olhos piscando, e uma preocupação enorme de nao errar o tom das argumentações. O que quero dizer em outras palavras, é q em si, todo o tipo de conhecimento pode ser posto À prova, desde que haja Vontade [no caso a minha] necessária deste que a coloque — como uma dúvida do mundo por exemplo[ via Descartes, cujo achou uma certeza, "eu duvido, e se duvido, é pq penso"]. Logo o que eu sinto, ou o que me aparece, é o que eu não nego.

      Eu vos deixo aq, um autor brasileiro defensor do pirronismo [ceticismo] contemporaneo, o senhor Oswaldo Porchat. Procure sobre o termo “neopirronismo” e vc vai encontrar nao apenas as suas teses e até mesmo uma certe defesa à ciencia, cuja eu compartilho muito com ele, visto que tenho uma grande afeição às ciencias positivas — de um modo geral, àquelas que Nao buscam as causas do mundo.

      Sobre o ponto que você fala da ciencia, é exatamente isso que eu quero deixar claro. Devemos esperar com cautela o resultado do bóson de higgs — por favor, peço aos amigos ateus que parem de usar o nome de Deus, ok? — e mesmo quais serao os resultados diante da Teoria-M, visto que até eu estou, como deixei claro citando kardec, disposto a aceitar as arg. cientificas, desde que pautadas em fatos e com argumentações lógicas.

      Sobre Espinosa e seu panteismo, observe, sua crença em Deus não foi a única que aparentemente inspirou Eistein. Devemos pensar que aparentemente muito do seu método — pelas frases dele encontradas por ai — foram realmente pensadas e vistas à partir do prisma do filosofo. — ou seja, não é apenas o espanto diante da natureza que eles confabulam, mas sim, eu creio, que um pouco do proprio metodo e maneira de pensar.

      De resto, eu quero deixar alguns pontos frisados. Obviamente que eu nao quero aq negar o conhecimento — visto que tanto gosto de epistemologia — pq alem de tudo, como todos percebem, possuo minhas crenças [em Deus, na doutrina exposta por kardek], muito pautadas naquilo que me aparece [q eu sinto], e naquilo cujo apresentem nao apenas dados funcionais diante o andar do universo, mas q me coloquem fatos irrevogáveis de que são aquilo são.

      Cito antes, de minha memória msm, um trecho do Evangelho Segundo o Espiritismo, onde um Espirito Superior fala dos progressos da humanidade [mais ou menos assim]:”Hoje [cerca de 1850] um homem com grande saber se levanta no meio da multidão e discorre sobre a natureza sobre pontos em que ninguem mais pensa [cito: Marconi, Tesla, Darwin, Freuid, Eisntein] mas vai chegar o dia de evolução da humanidade, em que não apenas um, mas uma grande multidão de homens buscarão juntos respostas para as mesmas perguntas” — é exatamente isso que é a busca pelo bóson meus caros. Juntos ele falou; não querem confrontar arg., discutir os maiores e menores, mas sim, Fazer Ciência com o melhor que têm em mãos. E Acredite, naquela epoca aonde Darwin começava a ser creditado, falar de “evolução moral”, “evolução cientifica”, “evolução humana”, eram coisas incogitáveis. — mais uma prova de q esses livros Devem ser Lidos.

      Deixo o conselho para os crentes ateus: Não acreditem na ciencia como a um deus, e sejam um pouquinho como os céticos: se deem o direito de “suspender o juizo” aonde nao se tem certeza, e vivam conforme o costume, conforme oq lhe aparece.
      [mais ou menos oq disse kardek?] faz bem ao coração. Dizem que traz “tranquilidade”. E pq querer sempre negar a crença do outro? estou certo que houveram tempos inquisitórios, de perseguições à ideias contrárias as da época, mas hoje vivemos tempos democráticos; pq eu aceito suas crenças, peço com humilde q vcs aceitem as minhas.

      Abraços Cesar Grossmann, é sempre um prazer discutir com um amigo tao bem informado, e conhecedor da fisica moderna. espero sempre poder dialogar contigo.

      ps: Dei um conselho de amigo para que você lesse o Livro dos Espiritos, sem crenças, mas aceito o seu “não”. Abraços de novo!!

      Thumb up 0
    • Resposta dirigida ao comentário de aguiarubra: “pensamento perigoso, Cesar, esse que vc expressou. Colocou a Ciência em “abstrato”, deixando de lado o fato de que a Ciência é constituida por cientistas que “trabalham”; concordo contigo meu amigo. Em todos os gêneros em verdade — a vontade [o dinheiro, a fama, a fortuna] humana muitas vezes não permite sobrevir o conhecimento claro e distinto [como o cientifico]

      Abraços para ti!

      Thumb up 2
    • Tassio Bruno

      P.: “…a vontade [o dinheiro, a fama, a fortuna] humana muitas vezes não permite sobrevir o conhecimento claro e distinto [como o cientifico]…”

      Comentário: é por isso mesmo que temos que tomar muito cuidado do que se diz na mídia sobre interpretação cientifica “clara e distinta”.

      Thumb up 0
    • o que e esse livro afinal?

      Thumb up 1
    • É o livro das PARTÍCULAS VIRTUAIS, que após “se banharem” no Campo de Higgs, VIRAM GENTE…

      Thumb up 0
    • Charles Richet (Nobel em Medicina e Fisiologia de 1913) não apenas leu “O Livro dos Espíritos” de Alan Kardec, mas derivou de seus estudos o “Tratado de Metapsíquica”, escrito em 1922 (ou seja, após ter ganho o Nobel) e criou o termo “ectoplasma” ao investigar a médium Eusápia Paladino.

      No prefácio da 2ª edição, pode-se ler o seguinte:

      “…III. Os espíritas receberam o meu Tratado de
      Metapsíquica com grande frieza. Compreendo o seu estado
      de espírito. Em vez de aceitar a sua teoria ingênua e frágil,
      propus aguardar, para se constituir qualquer teoria
      defensável, que os fatos fossem classificados, codificados,
      marcados, acompanhando-os das necessárias exigências do
      método experimental. Ao contrário, os espíritas julgam
      possuir já uma explicação adequada para todos os
      fenômenos. Disse-lhes que a sua explicação era hipotética,
      mas não hesitei em reconhecer que em certos casos, raros, a
      hipótese espírita, simplista, parecia ser preferível. Creio bem
      que isso não é senão uma aparência. Portanto a aparência
      continua nela.
      Se os espíritas fossem justos, reconheceriam que a minha
      tentativa de fazer entrar na ordem dos fatos científicos todos
      os fenômenos que constituem a base de sua fé, mereceria eu
      verdadeiramente alguma indulgência.
      Reconhecem eles que o passo dado para trás é largo, já
      que desde agora a metapsíquica subjetiva (criptestesia)
      parece estar definitivamente classificada como um fato
      científico confirmado.
      A ciência é, acima de tudo, a soberana mestra do futuro.
      Não será por meio de preces, nem por atos de fé nem por convicções irrefletidas, que ela irá tomar corpo: é
      unicamente por meio de investigações exatas, multiplicadas.
      E, sem receio de repetição, direi que é necessário ser também
      tão audacioso na hipótese como rigoroso na experimentação…”.

      Sobre a médium Eusápia Paladino, há mais essa informação no verbete da wikipédia “Pierre Curie”:

      O casal Curie autenticou a médium Eusapia Paladino, numa carta a Georges Gouy, datada de 24 de Julho, 1905, por sessões supervisionadas por eles próprios:

      “Foi muito interessante e, realmente os fenômenos que vimos pareciam inexplicáveis como truques, mesas com quatro pernas suspensas, movimentos de objetos até a certa distancia, mãos que beliscam ou acariciam a pessoa, aparições luminosas. Tudo num local preparado por nós, com um pequeno número de espectadores, todos conhecidos nossos e sem qualquer possível cúmplice. O único truque possível é o que poderia resultar da extraordinária facilidade da médium como mágica. Mas, como explicar o fenômeno quando se está segurando as mãos e os pés dela e quando a luz é suficiente para se ver tudo que acontece?”

      O casal confirmou a genuinidade de Paladino em outra carta, em 14 de abril de 1906, poucos dias antes de Pierre morrer, novamente a Georges Gouy:

      “Tivemos mais algumas sessões com a médium Palladino. O resultado é que esses fenômenos realmente existem e não é mais possível para mim duvidar disso. É improvável, mas existem, e é impossível negar isso, após as sessões que tivemos, em condições controladas. Uma espécie de membros fluidos destacam-se da médium (principalmente dos braços e das pernas…) e empurram com força os objetos. Esses membros fluidos se formam em geral sobre um pedaço de material negro… Mas algumas vezes eles pulam para o ar aberto. Não tenho dúvida que depois de algumas boas sessões, você se convencerá… Você, que tem uma intuição tão grande, com tanta freqüência sobre os fenômenos, como explica esses deslocamentos de objetos de uma distância, como concebe que a coisa seja possível? Existe aqui, em minha opinião, todo um território de fatos inteiramente novos, e estados físicos no espaço, dos quais não temos qualquer idéia.”

      Esta informação consta no livro de Susan Quinn, chamado “Marie Curie, Uma Vida”.

      Obs.:
      Pierre Curie é Nobel de Física de 1903
      Marie Curie é Nobel de Física de 1903 e Nobel de Química de 1911, permanecendo até hoje como a única cientista a ganhar dois prêmios Nobel em áreas científicas.

      C. G. Jung também estudou o espiritismo kardecista, e sua tese de doutorado versava “Sobre a psicologia e a patologia dos fenômenos ditos ocultos”.

      No blog “Espiritismo Comentado” pode-se ler o seguinte a respeito das conclusões de Jung sobre o Espiritismo:

      “…No livro “A Vida Simbólica”, a Vozes publicou textos do volume I das obras completas, que intitulou “Sobre o Ocultismo”.
      Nele se encontram os seguintes textos:

      - Sobre fenômenos espíritas (conferência feita na Basiléia em 1905)

      Neste texto Jung faz uma breve história do Espiritismo, cita Swedenborg, as irmãs Fox, Aksakof, admira-se com Crookes, e cita O Livro dos Médiuns, que leu em alemão, mas considera as mensagens publicadas por Kardec triviais. Ele reduz os fenômenos espíritas à esfera do psicológico e critica vigorosamente os adeptos do Espiritismo. Destaco ainda a percepção de Jung do Espiritismo como religião e movimento religioso. Ele narra muito brevemente os estudos que fez com oito médiuns (um dos quais afirmava ser um “trapaceiro americano” e os demais pessoas de boa fé).

      - Prefácio a “Fenômenos Ocultos” – 1939

      O livro que Jung prefaciou publica três de seus trabalhos. Ele está menos virulento, mas ainda reticente quanto à questão da imortalidade da alma, que considera ser uma necessidade psicológica e afirma que o médico deve orientar o seu paciente a observar a presença ou ausência delas na consciência, da mesma forma que fala da necessidade do uso de sal na dieta.

      - Psicologia e Espiritismo (Prefácio a um livro escrito por Stewart White – 1948)

      Nesse livro o psiquiatra suíço cita Rhine (pesquisador da Parapsicologia) e discute de certa forma a posição do autor que defende a existência dos espíritos. Para Jung os espíritos são “fatores inconscientes personificados”. Dos autores espíritas e estudiosos do Espiritismo, ele cita Zöllner, Richet, Flammarion, Schiaparelli, Oliver Lodge, e curiosamente Eugen Bleuler. Vê-se que o tema de alguma forma o fascina, porque mesmo sendo contrário ele continua a estudar os livros espíritas e a tentar explicar os fenômenos com sua teoria do inconsciente…”.

      O que se pode concluir com isso é que os espíritas “oficiais” pouco se interessam pela pesquisa científica em si.

      Dai que o tripé “Filosofia-Religião-Ciência” está manco no lado “Ciência” e o Espiritismo, infelizmente, não vai poder se sustentar desse jeito que está.

      Thumb up 0
    • Olá aguiarubra , gostei muito de seu comentario. fiquei impressionadissmo que dois premios nobels da epoca se interessaram pelos fenomenos espiritas. — a Dona Currie para mim é o exemplo de cientista. Ahh se tivessemos mais homens como ela, unica ganhadora de 2 nobeis de areas diferentes — uma pena que eles se prenderam somente a casos muito pontuais, e ao meu ver, muito tolos. Se colocar à pesquisar somente uma única medium e q cujos fenomenos sao muito claros, é algo facílimo.

      Eu de fato nao conheço o metapsiquisimo, mas pela nomenclatura imagino que seja algo como a “imanação da pisque”, ou o “eu fora do corpo”, para ficar mais facil:
      Meta[além-vem de metafisica, além da physys] e psiquisimo, creio eu de psiquê. Gostaria muito que caso eu esteja enganado, fosse corrigido.

      Mais uma vez reitero, nao conheço tampouco o pesquisador quanto sua pesquisa, mas confesso que fiquei bem interessado de ler suas teorias. Algo como, creio eu na minha ignorancia, uma imposição fantasiosa do eu, para fora de si. ou mesmo a saida desse eu para fora, visto que ele criou o termo “ectoplasma”, que me desculpem, é muito vago, mesmo pobre.

      Também gostei muito de ver Jung comentando o caso, eu que assim que terminar meus primeiros estudos me voltarei para ler suas teorias neoplatonicas. Agora, de um modo muito sintetico, me intrigou o fato dele ser tão contrário ao que pesquisava. Algo como um martir contra um dogma que vinha se impondo. Realmente interessante.
      Mas como disse, tenho q terminar meus estudos de filosofia.

      Sobre Jung, e mesmo o pesquisador acima, serei categorico: nao sei, logo nao posso falar a respeito. Teria mesmo que ler suas pesquisas e julgá-las com cautela. meu medo real, é que a imposição de ambas as vontades contra aquilo que viam, se manifestaram diante aquilo que viam. Em outros termos, como eles nao acreditavam no que viam, mesmo que estivesse ocorrendo em sua frente, era muito mais fácil negar simplesmente. Algo como a a vontade acima do conhecimento. — uma explicação cartesiana, devo dizer. Agora reitero, eu nao os conheço, nao conheço suas pesquisas, é só uma preocupação minha mesmo. posso estar redondamente enganado.

      Contudo, diante ambos, eu vou ficar com uma colocação interessante, encontrada de monte no livro “o céu e o inferno”: como alguem q nao esteve lá, que nao conheceu um fato A, conhece aquele fato? Só isso deixamos de fora a dupla personalidade, visto que fisicamente a pessoa Não Esteve Lá. Então, como saber aquilo que fisicamente não deveria se saber? e o pior, se suas afecções — seus gostos — são seus e somente seus, ou seja, caso havendo uma dupla personalidade, seria muito dificil que ambas nao odiassem a mesma coisa, por exemplo, se a persona A odeia geleia, é ‘provavel’ q a persona B também a odeie, porque ambas ‘coexistem’ no mesmo corpo, e terminam por sentir do mesmo jeito a geleia. Claro que nao vou negar que é possivel, contudo já vi casos documentados de pessoas com personalidades muito repartidas, cujas tinham exatamente o mesmo hobby, a mesma paixao — pintar — mesmo que todas gostassem de pintar ao seu jeito.

      Então, temos um dado real de conhecer algo que fisicamente é impossivel — procurem, existem casos documentados aos montes, por psiquiatas, psicologos, parapiscologos, cientistas em geral — junto a uma dificuldade da mesma persona nao gostar da mesma coisa.
      [persona="eu", já que estamos usando termos cartesianos aq, apesar que, caso eu o leia mais, eu fique com Witigenstein, mas ai, nao teremos mais eu...]

      a resposta aqui meus amigos, é clara. São entidades diversas daquelas cujas se comunicam, porq sabem de coisas que o comunicante nao sabe, ao mesmo, que têm afecções diversas das dele. Temos provas fisicas que tais entes se relacionem com corpos fisicos visives e invisiveis tbm — ai eu nao conheço até aonde a ciencia espirita atual foi, peço desculpas — e peço desculpas mas Nao posso negar esses Fatos.

      Agora, negar numeros quais nao falam deles mesmos, mas de coisas cujas nem existam, ou mesmo a existencia de uma entidade cuja seu proprio conceito me parece inviavel — porque apesar d uma, ela distribui sua massa [ou seria materia?] para tudo o que há. Como algo pode ser um e multiplo ao mesmo tempo?

      Sim, estou pondo em prova aq, somente com argumentos muito tolos, toda a nossa fisica constitutiva, para deixar claro que em si, tudo pode ser negado. Ao mesmo que afirmado, só dependendo da minha vontade — e ai eu posso voltar ao q disse acima, mas lembro, de fato nao conheço nem Jung nem o outro cientista, me coloco aq com muita humildade.

      Ateus em geral, nao usem a ciencia como motivo de suas crenças. pq suas crenças na ciencia já lhes fazem crentes de um novo deus, muito menos humano que os das outras religiões. A ciencia é perfeita? nao. A matematica é perfeita? nao. nos conhecemos a nós mesmos? nao. entao olhem o mundo com mais humildade, pq dentro de uma gota dagua tem milhoes de bytes, assim como uma quantidade incontavel — somente por numeros irracionais nao me basta — de Energia. O universo é imenso, e Deus está ai para nos ajudar.

      no fundo, Tudo é UM.

      Abraços!

      Thumb up 0
    • TASSIO BRUNO

      Vou lhe sugerir as seguintes referências para vc se informar melhor:

      - “Ascensão e Queda do Espiritismo”: http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=ascens%C3%A3o%20e%20queda%20do%20espiritismo&source=web&cd=1&ved=0CE8QFjAA&url=http%3A%2F%2Fkardecismo.spaceblog.com.br%2F&ei=IlEGUO-6E4iq8ASC6NnaBw&usg=AFQjCNGQvSEdR7haX-BEK_8YwL0xeATDxw

      - Uma Refutação ao Espiritismo: http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=nesse%20feriado%20estreou%20nos%20cinemas%20uma%20produ%C3%A7%C3%A3o%20da%20globo%20filmes&source=web&cd=1&sqi=2&ved=0CFQQFjAA&url=http%3A%2F%2Fwww.evangelizandopelarazao.com.br%2Fdebates-religiosos%2Fuma-refutacao-ao-espiritismo%2F&ei=d1MGUInHNK230AGsnozsCA&usg=AFQjCNFWn7ARYkvUV1DhIcVnOxk14ANTrQ

      Obs.: Pesquisas científicas tem que acontecer, para o bem ou para o mal da doutrina espírita!

      É muito ridícula a opinião dos detratores do Espiritismo que negam o “status” de Ciência ao Espiritismo na base de que não há pesquisas. E quando há pesquisas, ou o pesquisador é um “pseudo-cientista”, ou é um “fraudador” mau intencionado.

      A USP, reconhecida como centro de pesquisas sérias, tem permitido o trabalho de espiritas como o engenheiro Hernani Guimarães Andrade, e atualmente o do neurologista Sérgio Felipe de Oliveira.

      Ora, a USP não se permitiria “passar vergonha” perante a Comunidade Científica Internacional permitindo que “um qualquer” se “aventurasse” nessas pesquisas (embora eu não sei se esse pesquisador se refere “diretamente” a um fenômeno “espirita” ou a um fenômeno “do cérebro” que ocorre com médiuns!).

      Isto significa que a USP deixou de ser um “centro ateu anticientífico” e agora permite “pesquisas cientificas neutras”, como deve ser toda instituição de trabalho sério na área de Ciência Pura.

      Havia um “ranço” de tendeciosidade ateista que era um verdadeiro empecilho. Mas parece que as coisas estão mudando. Sinal de novos tempos!

      Um cientista profissional tem, por obrigação e honestidade intelectual, fazer suas pesquisas “agnosticamente”, não permitindo que seus “pré-conceitos” pessoais interfiram em seu trabalho.

      O Dr. Sérgio Felipe de Oliveira tem vídeos no youtube, onde explica os resultados de suas pesquisas. Confira em:

      - Glandula Pineal http://www.youtube.com/watch?v=9hwsfO9lgH4

      Thumb up 0
    • olá meu amigo aguiarubra, meus olhos se encheram de lágrimas ao ler seu comentário. é exatamente oq penso, exatamente oq defendo. as pesquisas deve ser feitas sem crenças, sem dogmas, de maneira mesmo “cética”, agnostica o possivel. Que bom q na USP temos um pesquisador, e sim, vou ler e ver os textos agora indicados com muita atenção…

      Concordo imensamente, “tanto para o bem, como para o mal”, exatamente oq defendia o próprio kardec. Acabei de ler a “ascençao e queda” q vc indicou, e mais uma vez fiquei em lágrimas. Lembrei aq do grande cientista espirita Carlos Bernardo Loureiro, q dirigiu durantes muitos anos o Teatro Espirita, e que mesmo eu só tendo lido uma de suas obras, impactou profundamente na minha vida.

      O espiritismo realmente deve ser laico, deixar de lado esse evangelismo todo, mesmo que seja um fenomeno que deva ser estudado — como propos o filosofo espirita Herculano Pires; contudo calma deve ser exigida, e mais estudos devem ser feitos. Fico feliz que tantos cientistas areligiosos tenham postulado a msm defesa dos dogmas — pq isso nao é religiao, é a propria constituição da natureza.

      Agora o segundo texto é esclarecedor. Agora entendo mesmo pq Leon Denis parece [pq ainda nao li suas obras] adepto do socialismo. Contudo nao concordo muito com a antropologa, apesar de acreditar mesmo que a “religião” aq é muito mais forte que a filosofia espirita, infelizmente — nao creio q a evolução era tao aceita na europa no tempo de lançamento do Livro dos Espiritos — sendo que kardec lançou antes de darwin, o livro dos espiritos. Agora, eu gosto muito da avaliação britanica. Quem ler qualquer autor ingles vai mesmo notar essa diferença — Hume está ai para provar.

      Essa citação de kardec :”A aspiração por uma ordem superior de coisas é indício da possibilidade de atingi-la. Cabe aos homens progressistas ativar esse movimento pelo estudo e aplicação dos meios mais eficazes.” tem um caráter, ao meu ver, muito mais positivista do q socialista, mas, quem sou eu.

      Olha, sobre “vida inteligente” no nosso sistema solar, eu suspendo meu juizo. contudo, acho provável — nao fiável — que realmente haja uma comunidade de espiritos de um grau evolucional diferente da nossa — ao menos em jupiter. mas, como um caráter de certeza, eu reitero, suspendo meu juizo — nao posso dizer “nem q sim, nem q nao”.

      Sobre o “mundo espirita” exposto nos filmes — q nao vi — e nos livros de andré luiz — q nao li — bem, eu termino por os discordar. primeiro, por uma simples questao moral — deve-se se preocupar com a vida, e nao com a morte — e segundo, por uma simples questao de evolução psicologica daquele q vê: eu vejo A como se fosse A, ao mesmo que vc pode ver A, como se fosse B. é uma arg. cetico/heideggeriano simples, mas existente no mundo — q coisa nao?

      Terminei agora o artigo. Gostei do estilo do autor, da sua direção e tudo mais. Sua pesquisa foi realmente bem feita — creio que faltou citar somente a genese, e o ceu e o inferno. Contudo, todo o citado me parece muito absurdo. digo, nao estou dizendo que as manifestações [do pesquisador] nao haviam de ter sido reais, muito pelo contrário, mas há uma serie de questoes q podem ser levantadas — algum espirito batedor viu toda a pesquisa e resolveu interferir — oq acho mais provavel — ou mesmo uma manifestação de “mente coletiva” pode ter ocorrido de fato. Ambas as hipóteses sao possiveis; e lembrando, estando vivo, se é um medium. — a não materialização do espirito pode não ter se dado, pq ou faltaram mediuns com “poderes” o suficiente, ou pq os espiritos presentes não tinham tal disposição, ou ainda pq os “mentores” presentes nao permitiram…Como vê, existem mil explicações para os fatos, dependendo do prisma o qual se deva ser observado.

      Devemos pensar tambm na possibilidade da alma [no caso, mente] andar por ai durante o sono — a junção da vida corrente com a vida espiritual –, ou mesmo enquanto acordado em estado sonambulico. tudo isso é de fato.

      O que quero deixar aq colocado, é: Ambos os fatos nao são excludentes. Tanto as comunicações acerca dos espiritos, quanto os “poderes da mente”, ocorrem e devem ser feitos ou estudados com todo apreço e cuidado. A colocação feita sobre a “irradiação” de conhecimento — tbm colocado por kardec já morto, q li se bem me lembro, em algum livro de leon denis — tbm creio que exista. O que quero colocar aq é o seguinte:

      Estamos falando de entidades conscientes sem nenhum vínculo afetivo, e que por alguma coincidencia do “acaso”, sem saberem cada uma de sua historia, acabaram por se comunicar. Ou seja, ou por meio de batidas, ou incorporações ou psicografias, conhecer algo que é inerente somente a consciencia de A, não é capaz de se dar a consciencia de B, pq B nem ao menos sabia da existência de A. — e isso se vê comumente por ai, em descrições variadas, autores aos montes — procure nas obras de Carlos Bernardo Loureiro, e vc encontrará pesquisadores [agnosticos] citando exatamente oq eu disse, só q com historias reais.

      Em verdade, em qualquer comunicação, esse é o melhor método para nao ser enganado pelo medium, pelo espirito, ou por vc msm. Fazer a entidade falar de si mesma, citar coisas q nem mesmo vc [e o medium] saibam, gostos e afecções, etc, etc…foi oq kardec quis dizer com “experiencia própria”.

      Bom aguiarubra, eu gostei muito de ler os textos, eu lembro de um site “criticandokardec” q eu costumava visitar muito, e meio que me sinto com um dever de lhe dar algo em troca:[tree_egggs@hotmal.com]. eu disponho de algumas obras em pdf, como as de leon denis, e mesmo o tao te ching, caso vc queira que eu lhe envie. Espero sinceramente que sempre possamos discutir com clareza, conversar nesse mundo sobre os assuntos diversos para que mantenhamos ativo o vinculo do conhecimento.

      Quero dizer por fim, que quem sou eu para afirmar nada. Não conheço nada, e nossa, oq sei é oq repeti em outros comentários — realmente, muito pouco. Fiquei muito agraciado de poder conversar com alguém tão esclarecido diante a um mundo preso à dogmas q insistem em parar a “ciencia positiva” q tanto gosto. E bem, abraços fraternos!

      ps: deixei parte desse comentário no txt [http://www.evangelizandopelarazao.com.br/debates-religiosos/uma-refutacao-ao-espiritismo/]

      Thumb up 1
    • Tassio Bruno F. S.

      Vejo que vc entendeu bem o que está acontecendo com o Espiritismo: uma invasão de bárbaros evangélicos, que o estão destruindo por dentro, ao fazer do espírita mais um fanático “cristão” entre outros, principalmente pelo fato de desprezar os pesquisadores que tentam dar ao Espiritismo o necessário arcabouço científico.

      Ficarei muito feliz em receber os livros que vc me ofertou em pdf. Estarei me comunicando com vc logo mais.

      Abraços fraternos para vc também!

      Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
05-0440-01D
Bóson de Higgs: o que é, o que faz, e o que fazer com ele

A notícia do século ...

Fechar