7 Perguntas que tiram o sono dos físicos

Por , em 29.10.2009

Em um auditório lotado no Perimeter Institute, em Waterloo, Canadá, um grupo de físicos foi convidado a responder a uma única pergunta: o que os mantém acordado de noite? A discussão fazia parte do Quantum to Cosmos, um grande e sofisticado festival de física com duração de 10 dias. Enquanto a maioria afirmou dormir profundamente, emergiram sete chaves para grandes enigmas que surgiram durante a sessão:

1. Por que este universo?

SPACE-OBSERVATION-PLANCK

Em sua busca pelas leis fundamentais da natureza, os físicos têm trabalhado essencialmente sob um paradigma de longa data: demonstrar por que o universo deve ser como o vemos. Mas se outras leis podem ser cogitadas, por que não pode existir um universo em algum outro lugar? “Talvez nós não encontremos outra alternativa que não seja o universo que nós conhecemos”, disse Sean Carroll de Caltech. “Mas eu suspeito que isto não esteja certo”. Carroll acha fácil imaginar que a natureza permite tipos diferentes de universos com leis diferentes. “Logo, em nosso universo, a pergunta transforma-se em: por que estas leis e não algumas outras leis?”. » O universo chegará ao fim mais cedo do que se pensava

2. De que tudo é feito?

do que e feito o universo

Já é bem claro que a matéria comum – átomos, estrelas e galáxias compõe 4% da energia total do universo. Os outros 96% é que mantêm a física Katherine Freese, da Universidade de Michigan, ocupada. Ela está entusiasmada com uma parte do problema, a natureza de matéria escura e é possível que esteja próxima da solução. Com base em dados de sua nova experiência com o satélite Fermi, da Nasa, ela conseguiu descobrir que as partículas de matéria escura em nossa própria galáxia estão se destruindo em uma taxa mensurável, o que por sua vez poderia revelar suas propriedades. Mas a descoberta da energia escura, que parece acelerar a expansão do universo, criou um novo quebra-cabeça cheio de enigmas e sem nenhuma resposta à vista. Isto inclui a natureza da própria energia escura e a pergunta de por que há um valor tão extraordinariamente pequeno permitindo a formação de galáxias, de estrelas e do surgimento da vida. » Detector de matéria escura é criado por cientistas

3. Como a complexidade acontece?

complexidade

Do comportamento imprevisível do mercado financeiro à ascensão da vida a partir da matéria inerte, Leo Kadanoff, físico e matemático aplicado da Universidade de Chicago, procura as perguntas mais atraentes sobre a ascensão de sistemas complexos. Ele se preocupa devido a uma parte dos físicos e matemáticos se focalizarem apenas no muito pequeno e no muito grande. “Nós não sabemos como um vidro de janela comum trabalha e toma um formato”, afirma. “A investigação de coisas familiares é importante apenas para chegarmos a um entendimento”, defende. “A vida em si só será verdadeiramente entendida por decodificação de como os componentes simples com interações simples podem conduzir aos fenômenos complexos”, explica. » A biologia sintética criando vida artificial

4. A teoria das super-cordas será provada como correta?

teoria supercordas

O físico de Cambridge David Tong é apaixonado pela beleza matemática da Teoria das Super-Cordas – ideia de que as partículas fundamentais que observamos não são pontos e sim cordas minúsculas. Ele admite que uma vez teve uma crise filosófica quando concluiu que pode viver sua vida inteira sem saber se a Teoria das Cordas constitui realmente uma descrição de toda a realidade.

Tong se conforta em saber que os métodos da Teoria das Cordas podem atuar como suporte para pesquisas de problemas menos fundamentais, tais como o comportamento dos quarks e de metais exóticos. “É uma teoria útil; então, estou tentando me concentrar nela”, diz. » 5 Petiscos que têm o formato do universo

5. O que é a singularidade?

big bang singularidade

Para o cosmólogo e diretor do Perimeter Institute, Neil Turok, o maior mistério é como tudo começou, a grande explosão, mais conhecida como o big bang. A teoria convencional aponta novamente um estado infinito, quente e denso no início do universo, onde as leis da física conhecidas se dividem. “Nós não sabemos descrevê-la”, disse Turok. “Como pode qualquer um alegar que tem uma teoria sem isso?”.

Ele está esperançoso de que há uma relação entre a Teoria das Super-Cordas e um desenvolvimento conhecido como “o princípio holográfico”, que mostra que uma singularidade em três dimensões pode ser traduzida em uma entidade matematicamente mais manejável em duas dimensões (a qual pode implicar em que a terceira dimensão e a própria gravidade são ilusórias). “Estas ferramentas estão nos dando novas formas de pensar sobre o problema, que são profundamente satisfatórias em um sentido matemático”, diz. » Telescópio Planck manda imagens do início do universo

6. O que é a realidade realmente?

realidade

O mundo material pode, em algum nível, estar além da compreensão, mas Anton Zeilinger, professor de física da Universidade de Viena, está profundamente esperançoso de que os físicos simplesmente têm passado raspando pela superfície de alguma coisa muito grande. Zeilinger especializa-se nas experiências com o quantum, que demonstram a influência aparente dos observadores na formação da realidade. “Talvez a descoberta real virá quando nós começarmos a realizar as conexões entre a realidade, o conhecimento e as nossas ações,” diz. É um conceito bem estabelecido na prática.

Zeilinger e outros pesquisadores têm mostrado que as partículas que são amplamente separadas podem de algum modo ter estados quânticos vinculados, de modo que, ao observar o estado de um, o efeito no outro também seja afetado. Ninguém conseguiu descobrir ainda como o universo parece saber quando está sendo observado. » Por que a computação quântica é o futuro?

7. Como que a física pode nos levar tão longe?

fisica

Talvez a maior pergunta é se o processo de investigação que revelou tanto sobre o universo desde a época de Galileu e de Kleper está próximo do fim da linha. “Eu me preocupo se nós chegamos aos limites da ciência empírica”, disse Lawrence Krauss, da Universidade Estadual do Arizona. Especificamente, Krauss quer saber se exigirá o conhecimento de outros universos, tais como aqueles levantados por Carroll, para compreender porque nosso universo é da maneira que é. Se tal conhecimento for impossível de alcançar, isso pode significar o fim do aprofundamento do nosso entendimento de qualquer coisa que esteja além disso. » Experimento da física de U$ 8 bilhões não vai destruir o planeta [Fonte: New Scientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (10 votos, média: 4,80 de 5)

132 comentários

  • Jefferson Soares:

    Gostaria de uma ajuda se puderem responder,se a terra é um imã oque aconteceria se alguma matéria ou objeto fosse oposto a sua eletro campo

    • Cesar Grossmann:

      Um ímã tem dois polos.

  • Alberto Campos:

    Não adianta discutir mais, Voce só vai acreditar quando algum cientista ou pseudo-cientista afirmar isto. Só falta voce dizer que o sol não tem campo magnético. Eu continuo acreditando nisto até encontrar um artigo na fisica que fale sobre este assunto. Uma luz mais fraca não se torna escura em conjunto com outra mais forte. Pode se tornar invisivel, sendo superada por outra. Se uma luz for escondida por outra é porque esta luz não é luz e sim um obstáculo.

    • Jonatas:

      Na verdade, o campo magnético é que é a causa das manchas, que são áreas intensamente magnéticas que aparecem em pares e segue um ciclo, e são escuras por emitirem pouca ou nenhuma luz, constratando com as áreas vizinhas.

    • Gabriel Souza:

      a luz não fica escura, só há menos emissão de luz nessa tal região (que em geral é algumas vezes o tamanho da terra ¬¬). Continua brilhando normalmente, só fica escura se, no ato de estudar uma estrela for diminuindo o brilho (com equipamentos). E por curiosidade o brilho da região ‘escura’ é maior que qualquer luz já criada aqui na terra…

  • Alberto Campos:

    Cesar, sobre o pantógrafom voce tem razão. É isto que acontece. Quanto tornar fotons escuros não é bem assim. Seria desviar os fotons como acontece com as manchas negras do sol. Elas são negras, diante de tanta luz a sua volta. Por que? Ainda não encontrei uma explicação. Dizer também que a gravidade de um buraco negro é tão grande que nem a luz consegue escapar, eu não acredito porque nas bordas do buraco negro escapa muita luz. Eu estou supondo muita coisa devido a falta de esplicações mais lógicas. Eu não estou contra voce, apenas não consigo entender uma coisa sem lógica e procuro encontrar uma explicação lógica. O “Centro de deduções lógicas” deveria ser a minha referencia absoluta, só que o “Cacique” é a fafor do big bang e eu sou contra. No resto eu sou a favor.

    • Cesar Grossmann:

      As manchas solares não são negras. São menos brilhantes que as manchas ao redor. Se você pegar duas lâmpadas de luz branca, uma delas brilhando mais que a outra, a que brilha menos vai parecer escura. Mas ela continua sendo uma lâmpada de luz branca. O mesmo acontece com as manchas solares, elas emitem a mesma luz que o resto do Sol, só que com menos intensidade.

      Agora pense no que você tem que fazer para visualizar o Sol: usar um filtro que diminua o brilho, para não queimar o olho ou o filme ou o sensor da máquina fotográfica. Ao fazer isto, você diminui o brilho de toda a área visível do Sol, inclusive das manchas solares, que de brilhantes que eram, se tornam escuras, mas por que você precisou escurecer demais a imagem para que a área ao redor das manchas não queimasse o teu filme/retina/sensor.

      Sobre escapar luz nas bordas do buraco negro, acho que você está confundindo. A luz que escapa da matéria que está caindo no buraco negro nunca entrou no buraco negro. E um buraco negro sem disco de matéria ao seu redor é totalmente indetectável, por que a luz não escapa dele…

      O maior problema não é a falta de lógica destes conhecimentos, Alberto, mas o pouco que você sabe e acha que sabe tudo. Quando a informação que você tem é fragmentada (como é o seu caso) e você acha que ela está completa (como parece ser o teu caso), é natural que nada faça sentido. Só que não é culpa da matéria em tela, e sim do pouco conhecimento do aluno.

  • Alberto Campos:

    CESAR O redshift pode não ser válido ou mesmo não existir. Note que as medições de distancia para galáxias próximas indicam que elas estão se aproximando, enquanto para galáxias afastadas indicam que estão se afastando. Note tambem que quanto mais distantes estão, aparentam se distanciar mais rápido? Você não acha meio estranho que isto ocorra? Isto é contra a lógica, é contra ciência e da margem também para a crença do redshift e da energia escura. Para mim existe alguma coisa no universo que está nos causando uma ilusão de ótica. Comparando o universo a uma gigantesca galáxia, verificamos que existe um campo magnetico saindo do buraco negro de uma galáxia. Existiria também um campo magnético saindo do centro do universo e isto poderia causar os mesmos efeitos para nós que estamos neste centro. O fluxo escuro, por exemplo.
    Tudo isto deve interferir no que vemos, pois ao contrário do que se pensa, o campo magnético desvia os fotons do buraco negro tornando-os negros, como o campo magnético do sol os torna escuros também. Sendo assim este campo magnético do universo deve interferir no redshift. Isto seria apenas uma probabilidade. Existe, portanto algum mistério no universo que está nos enganado (acredito).

    • Cesar Grossmann:

      Alberto Campos, existem grupos de galáxias que estão presas pela atração gravitacional. Estas até podem ter um “blueshift” indicando que estão se aproximando, mas é por que estão em uma escala em que a atração gravitacional suplanta a expansão do universo.

    • Cesar Grossmann:

      Outra coisa, só por que você não compreende uma coisa, não significa que ela seja contra a lógica e contra a ciência. Afinal de contas, você é um humano falho, e pode simplesmente não estar conseguindo entender alguma coisa por limitação tua, ou será que você é um ser perfeito, capaz de compreender tudo que há para compreender? Eu acho que não.

      Outra coisa, esta história de tornar fótons negros… QUE VIAGEM! Isto não existe, amiguinho…

    • Tengineering:

      Cesar, pelo teu raciocínio, Deus pode existir!

    • Cesar Grossmann:

      Não vejo como.

  • Alberto Campos:

    Cesar
    As provas da não expansão do universo são tantas que nem e preciso falar em redshift. Esta seria apenas uma delas. Você tem razão. Infelizmente não e possível fazer uma medição melhor do que a atual e podemos estar cometendo erros. Eu digo também que existem outras causas possíveis do redshift, como campos magnéticos, neutrinos, axions, etc e tudo o que altera a densidade do universo. Esta medição por redshift deve ter algum erro, tanto que eu cito isto no blog e citei o fórum sobre este assunto. Ainda não sabemos o que é a energia escura, matéria escura, fluxo escuro, etc. Não conhecemos quase nada do universo. Os cientistas estão perdidos e nos mais perdidos ainda Veja: http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=42133
    Outra coisa que eu não engulo é velocidades superiores a velocidade da luz, em galáxias distantes. Quem sabe, pode ser devido a rotação do universo? Inventaram que e o espaço tempo que se move nesta velocidade e as galáxias não. Esta teoria padrão e uma piada. Nem mande eu estudar mais, porque não sou capaz de ler nenhum livro de astrônomos famosos. Diante de tantos disparates eu abandonei todos os conhecimentos anteriores e segui o que acho melhor. Aos poucos vejo minhas ideias ganhando vulto. Conheço pessoas que abandonaram os estudos por não suportar a falta explicaçoes lógicas. Eu sou um deles. Outros se formaram e se opoem as ideias atuais (Eric J. Lerner). Os cientistas estão perdidos. Ninguem se entende.
    Segundo o astronomo João Magueijo, não acredite em tudo que lhe ensinaram na escola.

    • Cesar Grossmann:

      Alberto, você está com certeza mais perdido que eu…

      Você conhece uma máquina simples, chamada de pantógrafo? Pegue um pantógrafo, e faça uma abertura dele. Ele vai esticar. Meça a velocidade com que cada uma das juntas se afasta de ti, e a velocidade com que cada junta se afasta de suas vizinhas.

      Ou então imagine uma série de um milhão de pontos, em linha. Imagine que eles estão posicionados a uma distância de 1cm um do outro. Agora imagine que eles estejam se afastando um do outro a uma velocidade de 1cm/segundo, e deixa passar um segundo exatamente.

      O primeiro ponto fica onde está, o segundo ponto vai ficar a 2cm, o terceiro ponto estava a 2cm e vai ficar a 4cm, o quarto ponto estava a 3cm e vai ficar a 6cm e assim por diante. Podemos dizer que cada ponto “n” estava a “n-1” cm e foi parar a “2*(n-1)” cm. O milhonésimo ponto estava a 999.999 cm, e foi parar a 1.999.998 cm. Qual foi a velocidade de afastamento do milhonésimo ponto? UM MILHÃO DE CM POR SEGUNDO. Mas ele viu o ponto vizinho dele se afastar a 1cm/s, exatamente como o ponto 1.

      Então, se o universo está em expansão e a expansão é homogênea em grandes escalas, embora a velocidade de afastamento de uma galáxia com a sua vizinha seja baixa, ela vai ser cada vez maior conforme a distância original era maior, por que a expansão dos trechos intermediários vai contando.

      Se você conseguiu visualizar o exemplo fica fácil entender a expansão. Se não conseguiu, não se dê ao trabalho de responder, não perca teu tempo comigo, sou incompetente para explicar algo tão simples…

    • Astropitecus Cabecudus:

      Então teremos de ter um pantógrafo com 10 Km de comprimento!!! Até que enfim, agora é que eu vejo onde é que está o teu erro de raciocínio.

    • Cesar Grossmann:

      Um caso de alguém que aponta para você a Lua e você só vê o dedo…

    • Astropitecus Cabecudus:

      Um pantógrafo com 10 Km de comprimento!!! Aqui é que mostras o teu erro de raciocínio. Ora aí temos o paradoxo de Grossmann!!!

    • Cesar Grossmann:

      Astropitecus, qual a importância do tamanho do pantógrafo? De onde você tirou seu pantógrafo?

    • Astropitecus Cabecudus:

      Meu caro César, gostaria muito de trocar impressóes contigo, mas só com 140 caracteres é impossível, só dá para desconversar, adeus.

    • Astropitecus Cabecudus:

      Antes de ir embora digo-te que com essa do 10^6 pontos inventaste um novo paradoxo que resulta do Σ das velocidades para o último ponto. 😉

    • Cesar Grossmann:

      Nada disso, “Astropitecus”. Se você calcular a velocidade do último segmento em relação ao primeiro segmento, e verificar a velocidade de cada segmento em relação ao segmento seguinte, você vai ver do que estou falando, não tem paradoxo em lugar nenhum.

    • Astropitecus Cabecudus:

      Tem sim, você é que está a cair no erro sistemático e não o consegue ver César e eu só com 140 caracteres também não lho consigo explicar.

    • Cesar Grossmann:

      Para um cara que nega a expansão do espaço acusar os outros de erro sistemático…

    • Astropitecus Cabecudus:

      Cuidado, eu não nego a expansão do espaço, só digo que não é bem assim como diz a corrente científica dominante. Queres saber do teu erro???

    • Cesar Grossmann:

      Está ainda aqui?

    • Astropitecus Cabecudus:

      A velocidade virtual do milionésimo ponto é só de 999.999 cm/s. Imagina agora a mesma experiência com 30.000.000.002 pontos…

    • Cesar Grossmann:

      Bah, nem sei o que dizer, astropitecus. A minha intenção era mostrar que mesmo que a velocidade de expansão seja pequena em pequenas escalas, ela vai ficando maior quando você aumenta a escala, e para visualizar eu apresentei o exemplo do pantógrafo. E você começou a levar o exemplo a sério…

      Astropitecus, pode ser um choque para você, mas o espaço não é um pantógrafo.

    • Astropitecus Cabecudus:

      Ao passar do ponto 30.000.000.001 para o 30.000.000.002 passariamos a barreira da luz, passariamos de 300.000Km/s para 300.000,00001 Km/s.

    • Cesar Grossmann:

      É como eu disse, Astropitecus, o espaço não é um pantógrafo, era só um exemplo que eu usei para mostrar que uma velocidade pequena entre pontos adjacentes resulta em uma velocidade muito maior entre pontos distantes.

    • Astropitecus Cabecudus:

      Segundo a teoria da relatividade restrita isto é impossível porque as velocidades reais não se podem adicionar. Eis o paradoxo de Grossmann.

    • Cesar Grossmann:

      O espaço não é um pantógrafo, Astropitecus. Foi só um exemplo. Além do mais, se você está tão preocupado com a física, explica como é que a extremidade mais distante vai viajar mais rápido que a velocidade do som no pantógrafo.

  • Alberto Campos:

    Jeremias Souza / 14.09.2012
    Voce, como eu não acredita em tudo que os cientistas dizem. Veja o blog: “Olhando o Universo” e terá uma outra explicação mais lígica do universo (eu acho).

  • Alberto Campos:

    Cesar
    Gostaria de continuar com a discussão, porque também não concordo com a maneira de como os cientistas fazem estas medidas e gostria de tirar algumas duvidas. O certo seria medirem as galáxias pelas cores e anotar seus redshifts e depois de algum tempo medirem novamente e comparariam as medidas. Se houvesse variação de cores, significaria que elas estavam se movendo. Por outro lado, quando medimos o espéctro de luz de um corpo celeste a distancia, que indicaria os minerais deste astro, este espéctro não sofre efeitos do redshift e deveria sofrer. Alem do mais a densidade do espaço na periferia do universo, é inferior ao do centro e isto pode influenciar nestas medidas. Aí eu preciso de opiniões para me ajudar.

    • Jeremias Souza:

      Pela lógica se tudo parte de um centro de explosão nada deveria se encontrar depois de algum tempo. Se os objetos voltassem deveria ser logo depois da explosão visto que a perda de força gravitacional é inversamente proporcional a distância. Sendo assim podemos afirmar que o universo está em contínua expansão. Minhas dúvidas são sobre o desvio para o vermelho, por exemplo;
      A velocidade da fonte e do receptor não interfere, assim como no efeito doppler?
      Se houver um grande objeto vermelho e recebermos a luz, como em um “v” notaríamos que isso ocorreu?
      A força gravitacional não pode funcionar como uma lente se a luz passar por dois corpos massivos que estão em movimento?
      Não seria mais fácil medir os desvio pro vermelho com radiação (baixa e alta) do que por cores?
      A matéria escura não interfere em nada?

      Thx pelas respostas. Sou amador, já li muito a respeito, mas para entender preciso que alguém me responda pessoalmente. É difícil pensar de forma diferente por si só. Se alguém tem um tempo livre fico grato.

    • Cesar Grossmann:

      Acho que você está desinformado.

      O redshift indica os elementos e é também onde é medido o redshift. Só objetos muito próximos não tem redshift mensurável.

      Se você quer medir o redshift em dois momentos para depois comparar a diferença, está livre para fazer isto. Aliás, eu não entendo como alguém pretende, SEM TER FEITO NENHUMA OBSERVAÇÃO ASTRONÔMICA, dizer que está tudo errado. Vai lá, mede o redshift, espera alguns milhares de anos, e mede novamente. Opa, não pode esperar alguns milhares de anos para fazer a medida? Too bad. Os astrônomos também não.

      Outro detalhe, apontei antes que as galáxias tem diferentes redshifts em diferentes metades, indicando a direção em que giram. Você acha que isto se deve a ter mais poeira de um lado do que do outro. Bom, tem uma maneira bem simples de resolver isto, é demonstrar que o redshift é devido à absorção ou emissão de luz por poeira interestelar. Como anda o trabalho para fazer esta demonstração?

      Ciência é trabalho, Alberto.

  • Alberto Campos:

    Cesar,
    Até agora voce deu a entender que eu não sabia o que era redshift. Eu sei perfeitamente o que é. Entretanto isto pode se confundir com o efeito da poeira cósmica. Cada caso da cor vermelha pode ser confundido um com o outro. Por exemplo: um planeta mais vermelho que outro é claro que não é um redshift e sim um excesso de ferrugem. No caso da estrela zeta ophiuche é claro que é da poeira cósmica que a envolve, o caso de uma galáxia mais vermelha que outra, pode ser redshift ou poeira cósmica em seu interior ou seu posicionamento no universo. É claro que uma galáxia vista de cima pode ser vista menos vermelha do que se estivesse sendo vista de perfil ou de lado. Neste caso a poeira cósmica estaria mais concentrada, sem que seja efeitos de redshift. Como podemos observar, pode gerar ilusão de ótica. Um exemplo disto é o caso do espectro de luz das estrelas. Neste caso não levamos em consideração o redshift e deveriamos levar. Um espectro de luz azul ou amarelo a grande distancia deveria aparecer por exemplo, vermelho e não aparece. Tanto é um fato que descrevemos os minerais, pelas cores apresentadas. Por quê? Outra coisa que é bem lógica é que no universo tudo se atrai se choca e se funde isto é muito lógico e não pode acontecer com uma expansão. Só acontece com contração. Portanto não existe a expansão do universo. Até as galáxias se aglomeram se fundem desde os primórdios. Pensar em expansão do universo é até uma incoerência, eu acho. Não podemos ficar afirmando uma coisa sem ter certeza absoluta como o caso do redshift, principalmente com tantas provas em contrário.

    u sei o que é redshift,

    • Cesar Grossmann:

      Alberto, só de afirmar que o redshift pode ser confundido com o efeito da poeira cósmica é prova que você não sabe o que é redshift. Você continua achando que é só alguma coisa estar avermelhada para os astrofísicos afirmarem que tem redshift.

      Deixa eu colocar de outra forma: o redshift é tão diferente do efeito de filtro de luz da poeira cósmica quanto uma laranja verde é diferente de uma maçã verde. Os dois podem parecer a mesma coisa para quem olha de longe e superficialmente, mas quem chega perto e observa com atenção percebe de cara que são coisas diferentes.

      Eu não tenho mais esperanças que você algum dia venha a compreender o que é redshift, Alberto, por que você realmente não lê o que eu escrevo, ou melhor, você lê já com o preconceito que eu sou um “crente do redshift” e que por isto tudo que eu escrevo sobre redshift está errado.

      Como você já diagnosticou antes, não há como a gente trocar ideias, nesta situação…

  • Alberto Campos:

    É cesar como se trata de um forum, encontra-se opiniões diferentes e até mesmo religiosas. Pelo geito não adiantou muito citar este forum. Citei apenas para motrar que não sou o unico a duvidar do redshift. Não vale apenas continuar com esta discussão. Voce fica com a sua que eu fico com a minha. É dificil convensemos um ao outro.

    • Cesar Grossmann:

      Alberto, só por que alguém duvida de alguma coisa, ela não se torna falsa. Note que o David Russel não está falando de coisas que ele viu nos livros, mas é do trabalho dele mesmo. Diferente de eu ou de você, ele ganha a vida examinando o cosmos. Ele faz medidas de distância de galáxias usando técnicas que são independentes do redshift:

      For external galaxies numerous methods can be applied: For elliptical galaxies researchers use the Surface Brightness fluctuation method (SBF), the fundamental plane (FP), the Globular Cluster Luminosity Function (GCLF), and Type Ia and Type II Supernova (when available). For spiral galaxies researchers use primarily the Tully-Fisher relation (TFR) and the Tip of the Red Giant Branch (TFGB) methods but they can also use Type Ia and Type II Supernova (again when available). The absolute calibration (zero point determination) for these scales is based upon Cepheids – which itself is based upon the Milky Way and Large Magellanic cloud Cepheid period luminosity relation. For each of these methods the calculated distance to a galaxy is independent of the redshift of the galaxy. In other words – the distance to the galaxy is calculated no matter what the observed redshift may be.

      A implicação disto é simples: o redshift pode, sim, ser um indicador de distância. Por quê? Por que diferentes métodos dão os mesmos valores de distância.

      Vamos supor que você compre um medidor de distâncias à raio laser, mas você não está bem certo da precisão, ou se ele funciona mesmo. Você mede uma distância com ele e então faz o quê? Confere com a medida obtida por outros métodos. Estica uma trena, ou usa o método das paralaxes, ou usa um método trigonométrico, ou então usa o GPS, ou então usa todos estes métodos. Se a distância é a mesma para todos eles (dentro de uma pequena margem de erro), você pode concluir que o teu medidor a laser é bom, realmente mede distâncias. Você pode então tentar para ver qual o limite mínimo, e máximo, ou seja, qual a menor distância que ele consegue medir, e qual a maior que ele consegue medir. A partir de algum ponto você talvez não consiga mais conferir com um outro método alternativo. A partir deste ponto, você verifica qual o erro encontrado até ali e faz uma extrapolação do erro. Teu raio laser vai continuar servindo para medir distâncias, mas você vai colocar ao lado de cada medida um valor para o erro esperado.

      É assim que o redshift foi confirmado como medida de distância. Tem todos aqueles métodos ali que o David Russel cita.

      -oOo-

      Finalmente, Alberto, eu ainda não vi você falar qualquer coisa sobre o fato dos cientistas saberem a diferença entre “redshift” e “filtro de poeira”. Você parece que resolveu ignorar este aspecto, que é importantíssimo na tua hipótese de que o redshift não serve para medir distâncias. Também não vi você discutir nada sobre as medições alternativas, aquelas que não usam o redshift, e com o fato de elas concordarem com as medidas do redshift.

      Ou seja, você nunca discutiu o assunto. Se você um dia quiser discutir, eu estou à disposição.

  • Alberto Campos:

    Se a galáxia apresenta uma variação na tonalidade da cor com a rotação, isto significa que esta tonalidade não é um redshift e sim uma concentração de poeria cósmica em seu interior e que esta poeira não está centrada, o que seria normal. Como a via láctea tem uma concetração de poeria em seu interior, as outras também têm e isto não significa que ela está se afastando. Se isto for verdade ela estaria se afastando e regressando, constantemente. Note que já existe um forum na internet que está discutindo este assunto de redshift. Outras pessoas também pensam diferente. Não estou inventando nada.

    • Cesar Grossmann:

      Alberto

      Primeiro, você continua tratando o redshift como se os cientistas não pudessem diferenciar luz filtrada pela poeira de luz que sofreu redshift. Entenda que só de olhar para o espectro da luz dá para dizer o que é redshift e o que é luz filtrada por poeira. Eu já expliquei isto bastante.

      Segundo, mesmo que não fosse possível discernir (o que não é), o padrão se repete em todas as galáxias: um lado com redshift maior que o outro. E não tem nada a ver com a concentração de poeira, por que esta pode ser verificada pela variação de luminosidade da galáxia.

      Eu vi o fórum, e se você leu ele, vai ver que realmente o redshift está comprovado como sendo uma evidência da velocidade relativa da galáxia. Os posts do usuário “David Russel23” são os melhores que tem naquela discussão. Veja, por exemplo, estes aqui:

      http://www.thunderbolts.info/forum/phpBB3/viewtopic.php?f=3&t=4660&sid=b895ca0c1aee27d04acf3f5e1a7b9c33#p52761

      Este post aqui é fantástico, mostra que o redshift aumenta com a medida da distância das galáxias usando outros métodos – e é uma medida empírica:
      http://www.thunderbolts.info/forum/phpBB3/viewtopic.php?f=3&t=4660&sid=b895ca0c1aee27d04acf3f5e1a7b9c33#p52781

      O David Russell tem alguns trabalhos científicos publicados, este aqui é um deles:
      http://arxiv.org/abs/0812.1288

      Os posts dele são recheados de informação e bastante acessíveis. Acho que é o cara com mais bom-senso que tem naquele thread (tem alguns que são definitivamente fanáticos religiosos anti-big-bang).

  • Alberto Campos:

    Lendo melhor as ponderações, endendi o que voce quiz dizer e concordo. O redshift existe se uma galáxa estiver se deslocando. Isto é claro e se não estiver se deslocando e aparecer vermelha é porque ela tem um excesso de poeira cósmica em seu interior. Está no blog, onde os cientistas viram as galáxias distantes e novas com uma quantidade maior de poeira cósmica. Isto foi observado ha pouco tempo e substitui os pensamentos anteriores. É bom tentarmos discutir melhor este assunto, para tirarmos as dúvidas.

  • Alberto Campos:

    Muito certo Cesar. Isto é verdade. O centro da nossa galáxia só se tornou visível atravéz de filtros que tornaram possível a visão do infravermelho. Antes não se via nada. Tem muita poeira concentrada a sua frente. Se uma galáxia já nasce mais vermelha, é claro que ela não está se afastando, como o centro da nossa galáxia. Se voce considerar que existe o redshift, ai sim voce vai supor que se afasta e voce não vai poder comparar esta com outra galáxia mais clara, na mesma distancia. Para saber se existe a expansão do universo, veja as mais de 10 evidencias que eu mostro no blog. O redshift é apenas uma das 10 ou 15 evidencias que eu cito. Assim o redshift seria um erro na cosmologia atual. Eu acho que expliquei melhor agora. Aliás isto é uma deficiencia minha, na escrita. Como eu estou mais do que convencido da não expansão do universo eu penso de maneira diferente e dou provas disso.

    • Cesar Grossmann:

      Eu não vejo como o redshift poderia ser um erro da cosmologia atual.

      Na verdade, o redshift é uma prova contundente da expansão do Universo. Ele é tão sensível que se a galáxia estiver em rotação (e todas elas estão) um lado tem o redshift diferente do outro lado (os dois lados estão se afastando, mas um deles se afasta com velocidade maior que o centro, e o outro lado com velocidade menor que o centro), o que permite que se determine o sentido da rotação e a velocidade de rotação.

  • Alberto Campos:

    Cesar, estou gostando muito deste debate. Isto tira as minhas duvidas e a de outras pessoas. Quando eu digo que algumas galáxias jovens e distantes tem mais poeira cósmica que uma mais antiga e mais próxima, falo isto me baseando nas ultimas descobertas. Só recentemente se descobriu isto. Nesta altura o que foi dito antes perde o valor. Estas galáxias já nascem mais vermelhas que outras e isto não significam que estão se afastando.

    • Cesar Grossmann:

      Alberto, como podem saber que são galáxias jovens e distantes? Por que ESTAR VERMELHO não é a mesma coisa que TER REDSHIFT.

      Esquece esta história de poeira. Isto não é o que define algo estar se afastando, não é isto o redshift. Senão, só de colocar um celofane vermelho na frente de um objeto você produziria redshift, o que realmente NÃO ACONTECE. Basta examinar o espectro para ver que AS LINHAS ESPECTRAIS NÃO SE DESLOCARAM, ENTÃO NÃO É REDSHIFT.

      Pense de uma outra forma. Imagine que você tem uma lâmpada que produz luz azul pura. Se você colocar poeira na frente desta luz, uma poeira que só deixe passar a luz vermelha, o que você vai ver? Nada. A poeira vai bloquear completamente o objeto azul, por que vai absorver toda a luz azul.

      Agora, se você colocar o objeto azul a se mover a velocidade próxima da da luz, e você olhar para ele, vai ver a cor dele diferente, não vai mais ser o tom puro de azul de antes, será um tom que vai começar a passar para o amarelo até o vermelho, conforme a velocidade aumenta.

      São coisas diferentes, Alberto.

  • Alberto Campos:

    Em tempo:
    Quanto as galáxias vistas pelo hubble, Eles falam em filtros, só que não entram em detalhes. Não sei que filtros são estes, nem para que servem, mas para colorir galáxias elas tem que ser visivel e devido a distancia, não deveriamos ver nenhuma galáxia, pois a frequencia visivel de vermelho e infravermelho estariam fora da visibilidade, isto é aquém do infravermelho. Seriam microondas.

    • Cesar Grossmann:

      Alberto, o Hubble não é um olho humano, é um sensor digital que trabalha em várias faixas do espectro eletromagnético. O que é visível para nós não conta, o Hubble tem sensores no infravermelho e ultravioleta. Além disso existem radiotelescópios na Terra, capazes de observar o céu na faixa de rádio. E telescópios que observam na faixa dos raios-gama. Se um objeto aparece em uma foto no Hubble, não significa que seja visível a olho nu.

  • Alberto Campos:

    Veja: Thunderbolts Forum • View topic – The “redshift” debate
    Este endereço, mostra um forum em que se debate o redshift. Até as cefeidas eu acredito que possa ser confiável, mas depois disso, não. Uma galáxia saturada de poeira cósmica é vermelha por natureza e isto pode indicar que se afasta sem ser verdade.

    • Cesar Grossmann:

      Não faz muito sentido, Alberto, você aceitar as cefeidas mas não aceitar as medidas de redshift. Por que as medições com redshift foram aferidas com as medidas das cefeidas. Se as medições com as cefeidas são confiáveis, as de redshift também são.

      Além do mais, eu já apontei para você que “redshift” não significa “deixar passar a luz vermelha”, mas “deslocar o espectro luminoso em direção ao vermelho”.

      Suponha que vocẽ tem um espectro assim:

      vermelho.....||.||.|...azul

      O deslocamento para o vermelho “redshift” seria algo assim:

      vermelho...||.||.|.....azul

      Você tem exatamente o mesmo padrão de linhas de espectro, mas ele está na posição “errada” do espectro, está mais para o vermelho.

      Se fosse algo do tipo um “filtro passa-baixas”, que simplesmente retirasse a informação que está mais para o lado azul do espectro, seria algo assim:

      vermelho.....||.|......azul

      Aqui tem um desenho que você pode conferir, e que fica bem claro o que é o redshift:

      Dopler shift

      Ou seja, não é por que a galáxia está avermelhada que é atribuída uma distância a ela, mas é por que as linhas de espectro estão deslocadas que é feita aquela inferência. Então esquece esta história de poeira vermelha, por que NÃO É ISTO.

      vermelho.....||.||.|...azul (Normal)
      vermelho...||.||.|.....azul (Redshift)
      vermelho.....||.|......azul (Filtrado)

  • Ana Lívia:

    Quanta humildade heim? adorei a frase ‘se me odeia deita na br’ parabéns! Como assim ainda não lhe deram o NOBEL DE FÍSICA?

  • Alberto Campos:

    Cesar
    Em primeiro lugar tenho que lhe agradecer pela suas observações. Há muito necessitava de opiniões balizadas como as suas principalmente para corrigir o blog. Quanto ao formato elíptico do universo, eu me baseei em uma galáxia. Quando vista de cima ela é redonda e quando vista de perfil é elíptica. Neste caso qualquer erro é culpa minha, pois estou comparando o universo a uma gigantesca galáxia. Quanto ao redshift, não acho seguro usar isto para medir distancias. Segundo um artigo que li na internet, a estrela “Zeta Ophiuchi” diz que esta estrela é azul e que é vista vermelha, por causa da poeira cósmica que a envolve e que esta poeira filtra a luz e ultravioleta e deixa passar o vermelho e infravermelho, com facilidade. Também li na internet, que as galáxias novas e distantes têm mais poeira cósmica em seu interior que outra mais antiga e mais próxima. Logo esta poeira as tornam mais vermelhas sem significar que se afastam. Isto eu não inventei, apenas li e dou referencias. Outra coisa que vi é que as fotos “deep Field” tiradas pelo Hubble apresentavam estrelas de todas as cores quando, em minha opinião deveriam ser aquém do infravermelho ou nem deveriam ser vistas devido a distância. Quanto a radiação cósmica de fundo, eu acredito que não seja radiação cósmica de fundo e sim indícios da formação do universo que permanece ativo até hoje.
    Sinceramente não sei em quem acreditar.

    • Cesar Grossmann:

      É o que eu te disse, Alberto, os astrônomos sabem quando uma estrela é vermelha por causa de poeira ou quando se trata do efeito da expansão do Universo. Não te causa espécie saber que a mesma ciência que afirma que Zeta Ofiúco é vermelha por causa de poeira, e as galáxias mais distantes são vermelhas por causa da expansão do Universo? É por causa da diferença entre espectro de refração, absorção e espectro emitido.

      A escala de distâncias usando o red-shift foi calibrada usando outra escala, a das estrelas cefeidas. Veja a matéria sobre a escala das distâncias, aqui mesmo no Hyperscience. Sabemos que a escala do redshift é confiável por que ela foi aferida com a escala das cefeidas, e sabemos que a escala das cefeidas é confiável por que foi conferida com a escala das paralaxes, e sabemos que a escala das paralaxes é confiável por que podemos provar matematicamente sua correção.

      Sobre as fotos feitas no Hubble, é preciso ler com atenção a legenda. Até onde eu sei a maioria delas é colorida depois, por astrônomos que codificam o comprimento de onda medido em cores. Ou seja, são imagens de “falsas cores”.

  • Cesar Grossmann:

    É mesmo Alberto Campos?

    Estive olhando o seu blog, e você parece que tem alguns problemas sérios na sua teoria. Por exemplo, você olha a imagem da radiação cósmica de fundo e chega à conclusão que o Universo é elíptico (“Observemos o formato elíptico do universo”). Não é. Outro erro grave é achar que ‘ver luz vermelha’ é o mesmo que ‘desvio para o vermelho’. A sua ideia de que a poeira interestelar interfere na visualização do Universo e faz com que os astrônomos vejam mais vermelho que azul é interessante, só que não se sustenta, por que o desvio para o vermelho é algo diferente de ver só vermelho. O que ocorre é um desvio do espectro luminoso.

    Se você fizer um experimento simples, poderá presenciar o espectro: pegue um prisma, e um bico de bunsen, e coloque um pouco de sal na chama. A chama fica amarela. Se você fizer a luz passar por uma fenda e então atingir um prisma, vai ver uma projeção do espectro luminoso do sódio. Este espectro tem linhas claras e linhas escuras, que sempre se repetem, por que são a “assinatura”, por assim dizer, do sódio. Se você fizer o mesmo com todas as substâncias que emitem luz ao queimar, poderá montar o espectro de todas elas. E se apontar para o Sol, vai ver o espectro da luz solar.

    Tem mais uma experiência interessante, se você colocar uma nuvem de fumaça entre a chama e a fenda que capta a luz, vai ver alterações no espectro causadas pela absorção de algumas linhas. Se em vez de usar a luz que sai da chama, usar a luz que é refletida por uma superfície metálica, ou de vidro, ou de madeira, ou mesmo a luz refletida na superfície de uma pedra, você vai ver outras alterações. São os espectros de absorção e reflexão.

    Bom, agora que você já viu a linha dos espectros, se você experimentar um pouco mais, poderá descobrir que a posição da linha depende do comprimento de onda dela. Você pode usar o espectro do sódio para calibrar o teu espectrógrafo.

    O desvio para o vermelho é um desvio da assinatura dos elementos químicos em direção aos comprimentos de onda maiores, em direção ao vermelho. É isto que significa o “redshift”.

    Ou seja, não se trata de poeiras interestelares filtrando as ondas mais curtas, como você parece acreditar. Quando a luz passa por uma nuvem de gás e poeira suas linhas de espectro são modificadas (espectro de absorção). Da mesma forma, quando uma nuvem de gás e poeira emite luz própria, por ser aquecida por uma fonte de radiação próxima, como uma estrela, o espectro também é diferente (espectro de emissão).

    Minha sugestão é que você estude de verdade as teorias cosmológicas modernas, Alberto Campos. Senão você não vai conseguir entender a Teoria do Big Bang e não vai conseguir explorar de verdade as teorias alternativas ao Big Bang, e nem vai conseguir relacionar elas às evidências que existem atualmente.

    Não desista, há muito para estudar, mas se você se esforçar, você consegue.

  • Cesar Grossmann:

    Uma resposta que não pode ser testada não é uma resposta satisfatória.

    • Jairo R. Morales:

      Uma coisa que me preocupa @Cesar Grossmann é a “mistificação” da ciência: O uso de teorias e interpretações cientificas como forma de fundamentar certas crenças religiosas.

    • Cesar Grossmann:

      Eu estou quase chegando à conclusão que é inevitável…

  • Brenda:

    adorei,amei,legal.

  • joao paulo:

    _Incrivel como alguem pode digerir a idéia de a religião se opor a ciencia, cada qual vive seu mundo, a ciencia tem seu papel, da mesma natureza que as religiões que pregam seu conceito não baseado na doutrina, e sim nos ensinos de homens, mas Deus as permite para que por meio dela encontramos a verdade assim ate agora esta sendo a ciencia, ela contribui riquisimamente para entender-mos a dimensão da criação e a fato ainda mais perturbador, como podemos estar vivos nesta violenta odicéia sendo extremamente frágeis.

  • joao paulo:

    _Uma coisa eu sei, e sustento não baseado na ciencia e não em qualquer fonte, mas na própria convicção, convicção essa que todos deveriam ter consigo, de que todo conhecimento adquirido ate agora só pode levar nada mais nada menos que milhares de anos e pesquisas para algo próximo de alguma coisa paupavel, disto eu não tenho dúvidas, a diversidade infinita de suposições e contradições existentes é sem dúvida perturbador, mas quem sabe? eu acredito no milagre na própria ciencia que por incrivel que pareça despresa esta idéia, porque se aderir ao milagre ela morre, A divulgação no HC recente, mostra quão perdido e distante podemos estar de solucionar essa vasidão de mistérios, de que a lei da física não se aplica em outras partes do universo. DURMA COM ESSE BARULHO… SE PUDER.

  • Willian:

    Uma coisa é certa, não acreditem em tudo que aprenderam na escola.

  • joao Paulo:

    _Deus não teve começo e nem nunca terá fim, e isso a mente humana não pode jamais compreender pois se ele teve pai e mãe quem então os teria criado pense nisso! o fato pra ninguém nunca será possivel decifrar um eníguima dessa natureza, dessa forma navega a ciência tentando decifrar coisas que jamais poderá afirmar existir inclusive a existencia de um criador pois a biblia disse que a fé se baseia nas coisas não vista e não vividas. portanto podemos afirmar que a fé é é cega apoiada apenas na conclusão da biblia ainda assim existe questão ainda nela não revelada,como por exemplo numero da besta 666 que não foi revelado a ninguém por enquanto, mas espera se que em breve saberemos baseado na cronologia biblica para cada acontecimento.

  • Anônimo:

    Minha resposta para tudo isto é uma só: http://www.olhandoouniverso.blogspot.com
    ou simplesmete “olhando o universo”

  • jonathan:

    um automovel faz um percursso de 8km com velocidade media de20 m/s quanto tempo de viagem

  • diego:

    -boum eu axul que os homens antes d tentar compreender o universuull deveria compreender a si msm
    – o homen nunk vai conseguir desvendar essis misterius nunk
    pq eum fez td issul foi DEUS e DEUS deu uma inteligencia para o homen e ela eh limitada mt limitda….
    ja que são famosos deuses abstratos pq num resolvem uma forma de usar 100% do cerebro humano ao inves de usar muito menos da metade de um terçul ?
    agora vai querer descobrir coizas dessi geito kkkkkkkkkk
    duvido

  • Paul Ross:

    Os desafios dos cientistas, se respondidos, responderão também as questões de todo os ser humano.
    Os religosos usam de todos os benificios da ciência, mais foram eles que impediram ou, pelo menos, atrasaram significativamente os avanços da ciência.
    Vejam a história!!! Ex. Médico Galeno e o Cientista Erão…da antiguidade. E hoje temos questões como as células tronco e os trangênicos, e os clones, e etc…
    Disse Jessus…..leiam lá!!!….”Guias cego….não entrem e não deixam os outros entrar”

  • Jeremias K. Souza:

    Bem, falar de Deus é como falar de futebol, mas vamos lá…..

    Minha idéia de Deus é um pouco diferente da maioria, para deixar claro digo que não tenho certeza de como ou porque, porém acredito.
    Me ocorreu certa vez “juntar” a idéia da ciência junta com a existência de Deus.

    Sinão vejamos (como Homer diria), imaginem que o big bang seja criação de Deus que assim como um marceneiro que pega a madeira crua, Deus criou um ponto de matéria e disso fez o universo. O método de criação também seria diferente, pois ao invés de criar tudo aos poucos tudo estivesse “calculado”, naquele ponto de massa.
    Quem já viu o filme Efeito Borboleta lembra da citação;
    “o bater de asas de uma simples borboleta poderia influenciar o curso natural das coisas e, assim, talvez provocar um tufão do outro lado do mundo” .
    Seria mais ou menos isso;
    *Um esquema de equações complexas onde o resultado seria nosso universo*. Cata partícula fundamental perfeitamente calculada em sua forma, posição.

    E agora o porque?
    Bem me ocorreu que se não existisse Deus a matéria do big bang teria de ser uniforme, visto que toda a massa resultaria dela, ou seja não haveria complexidade. Posso estar extremamente errado a respeito, mas sem Deus nossas vidas seriam somente resultado de uma equação que talvez se repita de tempos em tempos. Tudo poderia ser calculado e previsto, não haveria, repito complexidade.
    Pensem da seguinte forma;
    Sem Deus nossas idéias, vontades, sonhos, tudo poderia ser previsto se tivéssemos um super computador para incluir toda as variáveis.
    Acho que o “sopro da vida” é a maldita variável que não depende das outras para estar ali. O resto pode ser calculado.

    Dito isto me retiro;
    Jeremias K. Souza

    obs: erros de português provem do uso excessivo de café, correções são em vindas para meu aperfeiçoamento.

  • Jandy:

    Imagine… Se os cientistas e fisicos mais inteligentes do planeta não conseguem nem explicar sobre a criação do universo imaginem então se nossas mentes ignorantes conseguirão entender sobre DEUS….pior ainda sobre quem criou DEUS….

    não tentem questionar uma coisa que não compreendem

    Temos de apoiar sim a Ciência, mas sem questionar Deus que no intimo de cada um sabe que Ele existe.Não da forma como as religiões tentam nos impor.

  • Affirma:

    Big-Bang é uma teoria falida?
    O nível de ignorancia científica das pessoas continua a me assombrar a cada dia….

  • simone:

    O que eu acho mais interessante é que os defensores de que o mundo ou universo foi criado por Deus como o colega Antônio Celso param com o seu raciocínio aí e nem sequer se perguntam de onde veio esse Deus, por que tudo teve um começo. E o começo de Deus… como foi Antônio Celso???

  • Garcia Junior:

    Se eu acreditar numa energia que circunda todas as coisas e as liga podendo ser acessada e controlada por seres especiais, que anteveem o futuro, influenciam o comportamento de outros seres e realizam atos físicos e mentais inacreditáveis e chamar essa energia de “Deus”, dizer que sou um crente e sair pregando seriamente isso aos outros terão de respeitar minha opinião e quem sabe até mesmo me seguir e posso até enriquecer!

    Agora, se eu chamar essa mesma energia de “A Força”, dizer que sou um Jedi e sair dizendo seriamente isso aos outros, vão rir na minha cara, me chamar de nerd louco e querer me internar por estar tendo alucinações.

    Portanto, qual a diferença entre o crente em Deus e no crente da Força de Star Wars? O tempo tornou uma invenção em verdade.

    • Marcos Souza:

      Parabéns pelo comentário, analogia precisa.

    • Cesar Grossmann:

      Nunca entendi esta analogia, na verdade, Marcos Souza.

      Na ciência a gente não acredita por que alguém disse, mas por que pode ser testado e comprovado, por que outras pessoas testaram e comprovaram (ou refutaram), etc.

      É diferente de afirmar que existe uma “Força” ou um “Deus” e simplesmente sair pregando isso, sem nenhuma prova ou evidência de que exista qualquer um dos dois. Assim, os dois são perfeitamente equivalentes: são a crença irracional no improvável ou no que não tem evidência.

      Curiosamente existe uma “Igreja Jedi”. Só que eles não conseguem levitar nem pedrinhas. Fracos na “Força” eles são.

  • Marcos:

    Boa Alex e boa Cristiano r !!
    Muito bons comentários, exceto os que colocam Deus carrasco no meio !
    Abraços a todos !

  • Sandro Alex:

    De novo sobre a pergunta 1.
    Os cientistas não estão dando conta, e por de certo, jamais darão conta de responderem todas as perguntas sobre o Universo. E ainda assim, Sean Carroll de Caltech acha fácil imaginar que a natureza permite tipos diferentes de universos com leis diferentes!

  • sandro alex:

    Sobre a pergunta 1.
    Por que este universo?
    Se o universo fosse constituido de outras formas de materia, ou seja, um outro tipo de Universo, não aconteceria o ser humano. Digamos que a possibilidade que fez surgir o nosso Universo, foi a mesma de surgir um outro tipo de Universo, ora, só estamos cogitando isto, porque surgiu especificamente esse tipo de Universo (o nosso), de forma diferente não estariamos fazendo esta pergunta.

  • Arthur:

    Verdade, nunca havia parado pra pensar que deveriamos respeitar todos as opniões. Pois bem, acredito que todos aqui devemos respeitar a idéia alemão sobre o arianismo e o holocausto! Ei, talvez o único que deve levar isso ao pé da letra seja o Mahmoud Almadinejad (desculpem pessoal se eu não escrevi o nome do cara corretamente)

  • rodrigo:

    o comentario do celsso foi ótimo ,

  • Vale a pena conferir « Vácuo Cheio:

    […] 7 perguntas que tiram o sono dos físicos […]

  • Sam Fisher:

    Aos Religiosos de Extrema:

    Imaginem a sua vida sem tudo q está à sua volta de material.

    Assim seria sem a Ciência.

    Você, discrente da ciência, nem iria poder falar as bobagens que está nessa e outras matérias, porque, esse seu PC aí, nem existiria também 😉

  • Marcos:

    Graças aos estudos da Ciência é que temos tudo que temos hoje em dia. Sem ela não teríamos remédios eficazes, comunicações, Internet, computadores, carros, aviões, metrô e todos os aparatos que fazem nossa vida ficar mais fácil e prazerosa.
    Apóio integralmente a pesquisa científica e os leitores que enviam seus comentários estão de parabéns pelo alto nível (com algumas exceções, claro) das opiniões.
    Parabéns a todos.
    Abraços

  • Igor Foggiatto:

    Eu acredito em Deus.
    Einsteins Acreditava em Deus
    Muitos cientistas acreditam, mas nem por isso devemos parar de aprender…
    Como falaram… Deus nos deu a inteligencia foi por um bom motivo…
    Agora antes de criticar os cientistas generalizando como ateus…
    Já foi ver quantos psicologos, filosofos ou algo do genero vão a igreja??
    Ciencias humanas estão mais no caminho do enxofre do que as exatas!!!
    As ciencias exatas só querem descobrir o por que das coisas…

  • Everton:

    Excelentes questionamentos!
    Mas tenho mais um:
    Os comentários e os indivíduos Antonio Celso , Marcus Vinícius, ,jhonata ,Paioniu Mezzy realmente existem, são frutos de nossa mente, ou derivam de algum vírus na internet?

  • Zina:

    RONALDO!! I BRILHA MUITO NO CURINTIA!!

  • Giuseppe:

    Eu não perco meu tempo indo na igreja pra incomodar quem gosta daquilo lá e dizer que eles estão todos errados. O que realmente leva alguém que não acredita na ciência a vir até aqui, um site de divulgação científica, e dizer asneira? Tipo, quando você quer esquentar sua comida, você pede pra deus esquentar? Você pede pro pastor ou padre esquentar? Você procura na bíblia “o caminho para esquetar a comida”?
    Eu acho que a maioria das pessoas procura o bom e velho (e cientificamente criado) micro-ondas. Ou então recorrem à lei do “combustível + calor = fogo”.
    Então porque esse povo religioso critica tanto os cientistas? Melhor irem morar uma caverna, né? Sem rádio, televisão ou chuveiro elétrico, porque não existiria nada disso se não fossem os cientistas.

  • UlyssesV:

    Não sei o que seria da maioria das pessoas se soubessem que Deus é apenas uma criação humana pífia.

    Não há religião, crendice, ou qualquer outra porcaria alienatória superior a VERDADE.

  • Paioniu Mezzy:

    Ao moderador,
    Por favor não publique esta menssagem!

    Sobre o meu último comentário, espero que os textos Bíblicos sejam mantidos. São bases de argumentação que tornam a resposta o que de fato é: mais do que uma opinião pessoal descompromissada. Obrigado!

  • Alex:

    Se eu for responder a tudo dizendo que é Deus, não irei mais para a faculdade.

    Afinal eu sei que quem fez o Windows foi Deus! Quem ligou as lampadas aqui de casa foi Deus! E inclusive quem levantou esse prédio também foi Deus!

    Se deixarmos de questionar pq acreditamos em Deus. Continuaríamos dentro das cavernas! Ou no Jardim do Edén HAuHAuA! (Viva a Eva por ter ouvido uma cobra!) *PEI = Piada extremamente Infame

  • Alex:

    Ainda existem macacos pq tua senhora mãe ainda esta a procriar no mundo. Pois tu é um!

    Maldita inclusão digital.

  • jhonata:

    Já que ainda nao acharam as respostas para essas perguntas!!
    Existe uma resposta para todas elas!!! DEUS…

  • Marcus Vinícius:

    Se o homem veio do macaco, porque ainda existem macacos?

  • Michael caciano da cruz:

    Como diz meu professor e astronomia que a tabela periotica nao contem todos os elementos pq ninguem ainda sabe de que materia o buracos negros sao formandos ,e o chamado :vazio negro e ainda ningue sabe a dimensao do universo … Ate 2013..

  • wilson trindade:

    Olha, eu creio que, se há bilhões de anos o mundo vem evoluindo e que o universo é infinito e que somos eternos, com certeza, jamais os físicos vão satisfazerem-se de suas respostas porquê o que é hoje pode evoluir e mudar amanhã e assim eles terão perguntas eternamente e isso é o que faz a vida melhor, por que uma vida limitada, ninguém merece né?!

  • Clarissa:

    ficar pensando na vida me deixa louca. Prefiro ficar quieta no meu canto e acreditar em Deus e na reencarnação. Mas pra mim, a realidade é igual matrix! q- To brincando. xD

  • Diretório R.:

    Nós, físicos, temos a nossa própria concepção de Deus. Não precisamos de crentes dizendo o que é Deus ou não é Deus.

  • Diretório R.:

    Essa galera que quer meter o pau, colocar Deus no meio e que isso e aquilo, provavelmente, nunca pegou um livro de física para estudar, possivelmente, nunca estudou nenhuma outra ciência também…É uma questão de estudar e copreender, daí então a pessoa vai ter subsídio para dar alguma opinião. A física, assim como outras ciências, é construída através da observação e experimentação. Quando os físicos dizem que existe anti-matéria, é porque fizeram um experimento no LHC e a detectaram. Isso é muito diferente do método utilizado pela igreja (fé) ou pelo povo (senso comum). A ciência se faz de teorias lógicas e provas empíricas.

  • Alisson brito:

    alguém por favor apague o postnúmero um.
    além de usar a bília como argumento, o mané escreve “inxofre”.
    este site não merece comentários deste tipo…

  • mario casprechem:

    eu penso da seguinte forma a humildade engrandece o espirito tomar atitudes extremas sao sinonimos de arrogancia ninguem é o dono da verdade nem o Celso muito menos nós, quantas coisas ruins que defendemos dentro de nos como puras verdades. Apesar de nao concordar com ele tambem sei que devo ter pontos de vista que devem ser vergonhosos tambem,portanto nao vamos criticar alguem vamos conversar com ele quem sabe em alguma coisa ele esteja realmente certo

  • Fernando:

    Sobre a teoria das supercordas, sugiro ler sobre a Teoria M, mais abrangente e com menos furos, mas tão maluca quanto

  • Jício Saraíva – ( Físico e Amigo do conhecimento):

    TODAS AS OPINIÕES E PENSAMENTOS DEVEM SER RESPEITADOS!! MESMO QUE NÃO CONCORDEMOS COM ELES!!!!…..Pois são naturais de SERES PENSANTES como NÓS!!!

    Acredito… que não se deve criticar a existência de Deus tão somente porque não creio na sua presença real, ação ou o veja. Se fosse assim, o vento não existiria!!! e a Física seria imaginária!!!

    Toda essa busca pelo conhecimento é bom!! e nos faz evoluir mais e mais!!
    Mas, não se deve esqucer de BUSCAR O CONHECIMeTO porque lí nas opiniões cada coisa escabrosa sobre os estudos de Física que até me deu medo!!! Essa ” teoria do Nada” ( NJ) então… voou na maionese!!! Porém, repito: RESPEITO SUA OPINIÃO!! SÓ NÃO CONCORDO!

    QUANTO A MATÉRIA, excelente!!!!!! gostaria de ver cada vez mais coisas do gênero. PARABÉNS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Jício Saraíva – ( Físico e Amigo do conhecimento):

    Caros colegas, após ler algumas opniões pude observar o quanto ainda necessitamos de conhecimento.
    Sou Físico e professo a Fé Evangélica – ( Asseb. de Deus em Belém) Amoooooooooo todas as ciências, principalmente as exatas e biológicas. Faço minhas as palavras de Paulo: ” ouví de tudo retendo apenas o que é bom”
    RESPEITO TODAS AS OPNIÕES, PORÉM ALGUMAS ESTÃO EQUIVOCADAS:
    ANTONIO CELSO… Deus em nenhum momento foi, é ou será contra a busca pelo conhecimento seja ele Espiritual ou Natural. Não esqueça que fomos feitos a IMAGEM e SEMELHAnça do que Ele é, ou seja, temos característcas que se parecem com as que O Próprio Senhor possui e UMA DESSAS É O CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA.
    Mas, percebí pessoas que criticam o Marcelo e até o chamam de RAdical por sua opnião!! concordo que foi escessivo. Porém, essas pessoas também foram iguais a ele!!! TAMBÉM CRIARAM PENSAMENTOS UNILATERAIS, POUCO TOLERANTES E ALGUMAS ATÉ MESMO ABSURDAS!!!

    Lembra até de: ” O SUJO FALANDO DO MAL LAVADO”

  • harrison:

    Antônio Celso
    voçê me lembra meu vizinho que é alcoólatra, quando se fala no assunto álcool ele diz que deus vai curá-lo. Até hoje… Talvez a cura dele seja a morte: “”e Deus o levou”” continue assim, a ciência não agradece.ha e ouça o Alex Keher.

  • mario:

    Caro Antonio Celso acho que voce deveria procurar um psicologo pessoas com ideias extremas provavelmente estao doentes trabalho na policia e tinha um colega assim tiveram que aposentar o mesmo porque nada mais entrava na cabeça dele, ele estava completamente obcecado com a religiao esquecendo o mundo que o cercava, olha amigo eu acredito num Deus benevolo que que que nos evoluamos nao num ser mal e egoista que quer punir todos porque queremos crescer como criaturas, pense Celso acho que esta na hora de voce rever seus conceitos, o jeito que voce pensa o mundo so lhe fara um mal trazendo desarmonia para voce e seus achegados. Um abraço Celso torço para que voce possa evoluir como todos nos, tambem quero deixar claro que nos todos temos que aprender que nao somos os donos da verdade

  • Wanderson:

    Pois é amiguinhos,não são as respostas que causão a evolução do conhecimento humano e sim as perguntas.Uma resposta para uma pergunta complexa-em termos Físicos- leva a outra questão mais complexa ainda e assim, sucessivamente, a evolução continua.

  • LuizCarlos:

    Bom estamos vivendo em um pequenino planeta,e com elementos eguilibrados que nos da condições ideais para a vida,ar,agua,luz e fogo. Sera que nesse imenso universo tambem não havera outro sistemas com condições de sobrevivencia de outros seres?. Minha teoria é que alem do que imagino há uma imensa MASSA DE PLASMA girando sobre si mesma, em uma velocidade fantastica,deixando escapar materia no espaço ao seu redor.MATERIA essa que vai tornar-ser GALAXIAS.
    Como meu pensamento é limitado as condições do planeta que vivo,imagino que no universo havera milhares de MASSA de PLASMA.

  • Eduardo:

    As teorias científicas para se explicar o início só deixam mais e mais dúvidas, por hora a única certeza que nos dão é: não sabemos a verdade.
    As teorias religiosas põem um fim à essa questão, mas abrem outras: de onde veio (ou vieram) deus? Se ele vive em nosso universo e o criou, onde ele vivia antes? Se ele não criou o universo (como sugere uma estudiosa dos manuscritos), a questão sobre ele continua.
    Enfim, quando saberemos a verdade?
    O mais triste é saber que morrerei e não poderei continuar vendo os avanços científicos. Não verei o homem quebrar as leis da relatividade e atingir a velocidade da luz. Não verei o homem fazer viagens inter-galaxiais…etc e etc.
    Resta esperar que após a morte exista algo.

  • Ben Hur:

    @Wanderson: não existe essa de que a física quantica vai tomar o lugar da clássica, apenas vai ganhar um novo lugar. E em relação ao fanático da primeira postagem: Quando você parar de usar coisas vindas da tecnologia, tipo: fogão a gás, anestésicos, luz elétrica, água encanada, comida refrigerada, e coisas vindas da ciência, você mesmo assim não poderia vir falar coisas falhas como essas de “deus” e “inferno”. Mais um que precisa ser desplugado e acordar para a realidade.

  • Renê:

    Quanto aos comentários que falam sobre religião x ciência, fico feliz quando assisto documentários na TV que demonstram a aproximação e a tolerância que pouco a pouco tem crescido entre elas. Creio que elas tem muito a contribuir uma com a outra para o bem da humanidade.
    Abraços.

  • Renê:

    Comentando o que disse o Manuel Bravo sobre o ovo e a galinha, teóricamente quem apareceu primeiro na minha opinião foi o ovo, pois haviam outros seres vivos que nasciam de ovos antes de surgir a galinha.
    Abraços.

  • leidivan:

    É. Realmente essas perguntas são muito interessante e de grande importancia para ampliação do nosso conhecimento. Com certeza são topicos bem questionados em sala até mesmo pelos alunos.

  • Manuel Bravo:

    Só para corrigir, “electrões”

  • Manuel Bravo:

    Muita coisa ainda precisa de pesquisa e analizada profunda como
    é o caso da força magnética, invisível mas com um poder fenomenal
    capaz de provocar o deslocamento de elecões em coductores metálicos e produzir energia eléctrica!!!

  • Manuel Bravo:

    É o mesmo que perguntar se entre o ovo e a galinha, qual dos dois apareceu primeiro? teóricamente a galinha apareceu primeiro, parece verdade, mas como evoluio a galinha se não veio do ovo?

  • Cristhofer Ronny:

    parabéns, muito boa a matéria….

  • Wanderson:

    “Talvez a maior pergunta é se o processo de investigação que revelou tanto sobre o universo desde a época de Galileu e de Kleper está próximo do fim da linha. “Eu me preocupo se nós chegamos aos limites da ciência empírica”, disse Lawrence Krauss, da Universidade Estadual do Arizona.”

    O fim da ciência empírica talvez não,mas o paradigma mecanicista e materialista com certeza já deu o que tinha que dar,levando-nos naturalmente a outro tipo conceito mais Holístico em relação as coisas que nos cercão.Em suma,a Física clássica vai dar lugar a Física Quântica,com certeza,é um processo natural.

  • AC/DC:

    A explicação final jamais será alcançada o grande problema é saber até onde vai a mente humana…

  • Sérgio:

    Só pode ser zueira.
    Bom, se quem vai pro inferno são pessoas que questionam o mundo a sua volta, pesquisam e procuram entender a realidade ao invés de ter a postura comoda e respostas prontas do tipo “Porque Deus quis assim”, pode ter certeza que eu tb vou querer ir pra lá tomar banho de lava com 2 diabinhas saradas…

  • Noel Gomes:

    Os mistérios movem a evolução humana.

  • Leotherface:

    minha dica:aceitem a realidade e vivam suas vidas felizes, todas essas teorias no final servem para que?
    se é impossível dizer cientificamente a origem da vida, porque continuar tentando?

  • Haddammann:

    Houvessem dado atenção à exposição de Lógica Espacial divulgada (e abafada) desde 1985, já há muito teríamos visto desvendados segredos preciosíssimos do ESPAÇO- Movimento. A saber: Como e por que se dá as conexões instantâneas entre as menções unidimensionais não-mistas (pontos-espaço diversos do Espaço-Nada), o que é de fato energia, qual a inter-relação entre gravidade e eletricidade (o que faz e o que é uma e outra), etc, etc.
    Mas isto manda deus, o de todo mundo, pros quintos da vagabundice que o inventou; esse parasitismo canalha, assassino, daninho à espécie humana, covarde e safado, perseguidor de cientistas e pessoas sãs.

  • José Antônio:

    Entender a realidade “realmente” eu acho impossível, mas descobrir coisas quase utópicas, como contelações a bilhões de anos luz ou partículas e processos tão microscópicos é possível e também necessário para alimentar a vontade do homem de evoluir e descobrir. Acho que os físicos devem se concentrar nisso, mas não em complexidade em por tudo é assim, e não de outro modo,.
    Isso aí só Deus sabe mesmo.

  • Deep:

    Ora, a teoria é uma abstração voluntária da realidade, justamente pra buscar lidar com ela! Como qdo criamos um modelo, uma maquete… Sabemos que aquilo não é a casa, mas que aquele objeto nos ajuda a visualizar, compreender e lidar com o fenômeno.

    Entretanto, são analogias, modelos, abstrações, teorias, paradigmas… E NUNCA A REALIDADE!!!

    Talvez, se Heisenberg e seu princípio de incerteza estiverem corretos, o problema maior é justamente a teoria, o modelo, enfim, o instrumento – cognitivo ou material – no qual nos apoiamos, pois é ele quem gera distorções na medição, mensuração e compreensão do fenômeno.

    Então, poderemos saber, até certo ponto, e teremos de acreditar até outro tanto.

  • cristiano r:

    off topic
    hahahahahaha o comentário do Sr. Antonio Celso, realmente é hilário…..realmente meu Deus não é o mesmo que o dele…..Que Pai mandaria o filho para um lugar daquele que ele menciona? É realmente impressionante como algumas pessoas veem Deus…..como um Pai carrasco, ruim, é por isso que o mundo está do jeito que está….
    Desculpa aí pessoal.
    Abraço, a matéria é realmente de tirar o sono. Parabéns pessoal.

  • Ana Sacramento:

    essas perguntas não tiram o sono apenas dos físicos, como por exemplo o item 5 tbm me faz passar muitas noites em claro, tentando descobrir como foi o inicio de tudo…

  • techdani:

    Muito bom. Parabéns.

  • Alberto:

    Para mim o problema do universo está na teoria do big bang. Esta é uma teoria falida, todos concordam que está cheia de falhas e precisa ser substituida. Desde o começo, (1931) foi aceita porque não existia nada melhor para ser apresentado. As teorias que se seguiram não se sustentaram e houve acomodação dos físicos. Esta teoria do big bang, tem prejudicado em muito o raciocínio lógico e levado a erros de interpretação.e impossibilitado os entendimentos do universo. Em vez dos cientistas ficarem imaginando dimensões extras, viagens atravez de buracos negros, do tempo, etc, devem partir para outra teoria mais consistente. Existem teorias pouco divulgadas, no google que atendem melhor estas espectativas. É só consultar.

  • cida:

    adoro as reportagens, as materias sao otimas parabens

  • Joao carlos Holland de Barcellos:

    O “Nada Jocaxiano” (NJ) é o Nada absoluto desprovido não apenas de elementos físicos e de leis físicas mas também de regras de quaisquer tipos.[1]

    O “Nada Jocaxiano” é diferente do Nada que normalmente se pensa. O nada que normalmente se pensa, e que podemos chamar de “Nada Trivial”, para distingui-lo do NJ, é algo no qual dele nada pode acontecer, ou seja, “o Nada Trivial” segue uma regra :”Nada pode acontecer”. Dessa forma o “Nada Trivial”, o nada no qual as pessoas pensam ao falar num “nada”, não é o nada mais simples possível, ele possui uma regra.

    Jocax não definiu o NJ como algo em que não existe nada. Tal definição é dúbia e encerra algumas contradições como:”Se no nada não existe nada então ele mesmo não existe.”. Não, primeiro jocax definiu o que seja existir: “Algo existe quando tem as propriedades que o definem satisfeitas dentro da realidade”. Assim, jocax definiu o NJ como algo que:

    1-Não possui elementos físicos de nenhuma espécie. (Partículas , energia, espaço etc.)
    2-Não possui nenhuma lei.(Principalmente a lei embutida no “Nada Trivial”).

    O “Nada Jocaxiano” é uma construção filosófica que se diferencia do “nada trivial” por não conter a regra “Nada pode acontecer”. Desta forma jocax livra seu NJ de paradoxos semânticos do tipo: “Se ele existe, então ele não existe”. E afirma que este nada é ALGO que pode ter existido. Ou seja o “Nada Jocaxiano” é a estrutura física e lógica mais simples possível. E, como veremos, também a candidata natural possível para a Origem do Universo.

    Não devemos confundir a definição do NJ com regras a serem seguidas. A definição do NJ é seu estado inicial. Se a natureza se encontrar no estado definido pelas condições 1 e 2 acima, dizemos que ela é um “Nada-Jocaxiano”. O estado de um sistema, diferentemente de uma regra, é algo que pode mudar. Uma regra é algo que o sistema deve obedecer sempre, caso contrário não seria uma regra. Assim, por exemplo, o estado de “não possui elementos físicos” é um estado e não uma regra pois, eventualmente, este estado poderá mudar. Se fosse uma regra, jamais poderia mudar.

    Por ser livre de quaisquer elementos o “Nada jocaxiano” não pressupõe a existência de nada e assim, pela “Navalha de Ocam” [2], deve ser o estado mais simples possível da natureza e, portanto, sem necessidade alguma de explicações de sua origem. O “Nada Jocaxiano”, claro, não existe mais, mas pode ter existido num passado longínquo. Ou seja, o NJ seria o próprio universo –definido como o conjunto de tudo o que existe- dessa forma o Universo (como sendo um NJ) sempre existiu.

    O “Nada jocaxiano”, como tudo, deve seguir a tautologia: “Pode ou Não Acontecer”. Essa tautologia -verdade lógica absoluta-, como veremos, tem um valor semântico no “Nada-jocaxiano”: Permite (ou não) que coisas possam acontecer.

    Não podemos afirmar que num nada-jocaxiano coisas necessariamente devam ocorrer. Eventualmente pode não ocontecer nada mesmo, isto é, o NJ poderia continuar indefinidamente sem mudar de seu estado inicial sem que nada acontecesse. Mas existe a possibilidade de que fenômenos possam ocorrer desse nada absoluto. Essa conclusão segue logicamente da análise de um sistema sem premissas: Como o NJ, por definição, não possui leis, isso significa que ele é um sistema SEM PREMISSAS.

    Em um sistema sem premissas, não podemos concluir que algo não possa acontecer. Não existem leis para que possamos tirar esta conclusão. Ou seja: não existe a proibição de que qualquer coisa possa acontecer. Se não existe a proibição de que algo possa acontecer, então, eventualmente algo pode acontecer. Ou seja, as tautologias continuam verdadeiras num sistema sem premissas: “Algo acontece ou não acontece”. Se, eventualmente, algo acontecer, este algo não deve obedecer a leis, e portanto, seria algo totalmente aleatório e imprevisível.

    [Isso tudo pode parecer muito estranho, e na verdade é mesmo, mas posso colocar uma evidência clara de que o NJ não é um absurdo: Procure, primeiramente, num sistema de busca da Internet pelo texto: “Partículas Virtuais” ou no singular: “Partícula Virtual”. As partículas virtuais ocorrem em nosso universo como criação espontânea, a partir do vácuo quântico, de uma partícula e sua anti-partícula. A geração deste par de partículas é considerada, pela ciência, como um evento sem causas físicas, algo genuinamente aleatório. Isso é fato científico e pode ser explicado pela mecânica quântica. Agora vamos sair um pouco dos fatos e imaginar que cada uma dessas partículas encerra um ultra-micro-pico-universo em miniatura. Assim, nesta experiência mental, temos um indício, uma pequena evidência, de que o surgimento de um universo do nada, não esta tão fora de propósito como se poderia acreditar…]

    Jocax chamou as primeiras aleatorizações do NJ de “Esquizo-Criações”. As esquizo-criações, por provirem de algo sem leis, seriam totalmente aleatórias e “malucas”. Claro que com as primeiras aleatorizações o NJ deixa de ser o NJ por possuir algo, ou seja, o NJ se transforma. Como o NJ não é limitado por nenhuma lei, eventualmente o NJ pode gerar também leis, nas quais seus elementos devam obedecer.

    Jocax acredita que a geração aleatória de leis produziu um universo lógico: Suponha que leis sejam geradas aleatoriamente. Se uma lei não entra em conflito com outra lei, ambas podem permanecer incólumes. Entretanto, se surge uma nova lei que entra em conflito com outras leis, a nova lei substitui (mata) as leis anteriores já que por ser uma lei ela deve ser obedecida (até que outra, mais nova, lhe contrarie). Assim, numa verdadeira “seleção natural” de leis, foram sobrando apenas as leis que não fossem incompatíveis umas com as outras e isso responde a uma questão filosófica fundamental de nosso universo: “Por que o Universo segue regras lógicas?”.

    Dessa forma o “Nada-Jocaxiano” é o candidato natural para a Origem do Universo, já que é o estado mais simples possível que a natureza poderia ter. E dele qualquer coisa poderia (ou não) ser aleatorizada. Até mesmo nossas leis físicas e nossas partículas elementares.

  • lindoilson:

    Bom eu sempre achei que,por eles terem sempre uma opinião formada em seus proprios centro de conhecimentos ñ se dar para ter certeza mesmo sobre o que é certo ou errado!

  • Alex Keher:

    Uma sugestão para todos, como o nosso amigo do comentário anterior, que desdenham dos cientistas em nome de um deus abstrato, imponderável, invisível e improvável:
    Quando for ao dentista não utilize anestesia. Ore para que deus tire sua dor. Cientistas desenvolveram a anestesiologia.
    Quando tiver uma infecção; ore. Não apele para antibióticos que são objetos de estudos de cientistas e
    principalmente;
    NÂO USE computadores para postar mensagens denegrindo a ciência. Sem cientistas não haveriam computadores. Nem Internet.

    Ao invés disso vá para as praças com a bíblia embaixo do braço, pregar para evitar que as pedras (seriam uma referência ao silício dos processadores?) não falem conforme adverte esse livro.

  • Milton:

    ACHO QUE OS FISICOS AINDA ESTÃO LONGE DA VERDADEIRA REALIDADE. mja tec.eletronico e pesquizador.

  • Antonio Celso:

    A sujestão é para que eu deixe minha opinião ?
    Ok, vou deixar minha opinião:
    ___ O sono dos físicos vai acabar literalmente quando eles tomarem consciência de que, se continuarem incrédulos como são, eles todos vão parar no lago de fogo, onde só haverá desespero, cheiro de inxofre e ranger de dentes.
    ___ Aquelas perguntas tolas são facilmente respondidas por todos que podem, por graça e misericórdia de Deus, dizerem em plena e profunda paz, que são verdadeiramente filhos de Deus.
    ___ Os que são apenas criaturas mundanas continuarão arrebentando seus chifres, na tentativa absurda de encontrar respostas para o que já está respondido desde os primeiros dias em que o mundo foi criado por Deus.
    ___ É isso o resumo.
    ___ Obrigado.

Deixe seu comentário!