Proteína que impede o avanço do HIV é descoberta

Publicado em 21.07.2010

Sempre houve situações inusitadas sobre o corpo humano, que intrigam médicos e cientistas, mas talvez nenhuma seja tão intrigante quanto à imunidade que algumas pessoas têm ao HIV. A AIDS mata 2 milhões de pessoas no mundo, mas há quem não pegue a doença mesmo após numerosas exposições ao vírus (prostitutas, ou pessoas que vivam em áreas de grande difusão da doença), que não faz efeito algum no organismo de tais indivíduos.

A resposta a esse enigma parece estar em uma proteína, o CCR5. Essa proteína, que fica na superfície de células do sistema imunológico, é usada como “porta de entrada” para que os vírus HIV penetrem as células. A partir de um estudo com ratos, pesquisadores da Universidade de Carolina do Sul (EUA) descobriram que as proteínas CCR5 de alguns organismos têm imunidade ao HIV, uma trava que impede a penetração do vírus da AIDS.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores fizeram o seguinte: pegaram ratos já infectados com o vírus e injetaram neles células-tronco, com uma mutação especial no gene que sintetiza a proteína CCR5. As células injetadas foram capazes de combater e eliminar não apenas o vírus do HIV, como também de outras doenças. E isso mesmo após o vírus já ter se instalado em outras células. E como as células-tronco se reproduzem “para sempre” (tempo indefinido), o organismo é suprido constantemente com armas para combater os vírus que infectam o organismo.

O sucesso dessa operação anima os cientistas, que vislumbram novas soluções para o tratamento da AIDS. Os cientistas perceberam que a proteína CCR5 é parte importante no processo em 2009, quando um paciente aidético recebeu um transplante de medula óssea que continha genes com a mutação que produz proteínas CCR5 “à prova de vírus HIV”. Uma das teorias para a existência dessa mutação é a de que surgiu durante a epidemia de Varíola que assolou várias partes do mundo no século XX e conferiram resistência ao vírus da doença, para alguns organismos.

O problema é que nem todos os organismos têm a mutação que produz CCR5 com resistência ao vírus, e não há, pelo menos em curto prazo, um método garantido com que as pessoas possam adquirir essa proteína, o procedimento funcionou apenas em ratos. Por essa razão, a partir de exames com prostitutas na África (continente com maior incidência do vírus) que não contraíram o vírus após três anos expostas diariamente ao risco. Eles descobriram que há mais duas proteínas com o potencial de “caçar e destruir”, o HIV pelo organismo, e não apenas de barrar sua entrada na célula. O desafio é trabalhar com essas duas possibilidades. [Life's Little Mysteries]

Autor: Rafael Alves

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

26 Comentários

  1. Gostaria antes de dar meu parecer de dizer q sou soro + e não sei exatamente o q isso significa, pois pra morrer basta estar vivo.Dito isso indico o vídeo house of numbers no youtube para maiores esclarecimentos.O HIV existe, a AIDS não,essa doença é a a máscara que o sistema usa pra camuflar a baixa imunidade adquirida com o péssimo estilo de vida que é estimulado pela mídia, além de disfarçar a pobreza, má nutrição e falta de saneamento, não é por acaso q o maior número de incidências seja na África?!…Estou revoltada por terem montado uma farsa tão grande para lucrar e aniquilar os mais fracos. Mas estou também aliviada por ter descoberto isso antes que fosse tarde de mais pra mim e o coquetel tivesse me matado, pq os remédios são letais e eu vivo ainda com isso na pele. Não precisam concordar apenas usem seu senso crítico e isso te levará as respostas de que precisa. Desejo melhoras a todos e fé em Deus que um dia tudo vai ser melhor.

    Thumb up 1
  2. A 8 anos descobri que sou soropositivo e desde entao tomo os medicamentos indicados pelo meu medico (que no Brasil são distribuidos gratuitamente). Posso garantir que descobrir-se portador desse virus é punk, mas não deixei que esse virus fosse maior que eu, e decidi viver a oportunidade que me foi dada; pois tendo acesso aos medicamentos para inibir a multiplicação do virus tenho uma vida normal. Viajo, vou a cinema, restaurantes, bares, baladas, trabalho. Obviamente que prefiro manter meu anonimato pois existe uma visao estigmatizada sobre essa doença e seus doentes. Acredito que a cura bem como tratamentos com menos comprimidos sejam liberados para consumo muito em breve. Ja existe alias nos EUA e Europa formulação em unico comprimido a ser tomado uma unica vez por dia, a algum tempo!

    Thumb up 29
  3. galera… vamos ter calma… tenho certeza q a cura vai chegar o mais breve possivel!!!
    Já se está avançando nas peskisas…
    Naum creio q estão escondendo a cura…
    tem muita gente com muita grana q sofre dessa doença…
    Veja o exemplo do Magic Jonson…
    Tenho certeza q em breve a cura será encontrada…
    os antirretrovirais já transformaram o hiv em doença crônica…
    muito breve vão aparecer medicações q estirparam de vez o hiv do organismo!!!
    Força galera… pensamento positivo… Deus está no comando…

    Thumb up 24
    • A cura vai chegar sim Rakel,
      Aliás graças a Deus já está chegando,
      E confesso que me incomodo muito menos pelo vírus em sí, de conviver mais 10 anos com essa esperança em mim, do pelo estigma social que ele causa…

      Thumb up 9

Envie um comentário

Leia o post anterior:
ciclistas
Ciclistas de elite têm mutações genéticas

Embora ninguém possa...

Fechar