10 novas espécies descobertas recentemente

Por , em 31.07.2010

A cada ano, cerca de 20.000 novas espécies são descobertas no mundo. Fazer listas com as melhores espécies descobertas, para os cientistas, é uma forma de começar a envolver o público com a biodiversidade. E há os fatores legais, também: as espécies têm certas características ou habilidades que as deixam interessantes.

Confira as 10 melhores de 2009:

1) Verme que solta “bombas”

Essa lombriga ou verme, Swima bombiviridis, foi encontrada na costa da Califórnia. Ela tem brânquias verdes e pode simplesmente jogá-las fora. Dessa forma, seu predador seguirá sua brânquia, ao invés de segui-la. Um ótimo mecanismo de defesa.

2) Planta comedora de ratos

O fator interessante desta planta de jarro gigante da ilha filipina de Palawan é bastante óbvio: roedores e insetos que caem nela podem ficar presos e, lentamente, serem consumidos pelas enzimas da planta. Sim, é uma planta que se alimenta de ratos. Foi batizada Nepenthes attenboroughii, é conhecida apenas em uma única localidade e está em perigo crítico de extinção, segundo os estudiosos.

3) Inhame estranho

Ao contrário de outros inhames da nação africana, esse inhame de Madagascar, Dioscorea orangeana, tem vários lóbulos em forma de dedo em vez de apenas um. Sua conservação é uma preocupação, uma vez que só é conhecido em uma área que está desprotegida de 1,7 quilômetros quadrados.

4) Lesma difícil de classificar

Um novo tipo de lesma do mar descoberto em Pak Phanang Bay, no Golfo da Tailândia, é incomum porque come insetos. A maioria das outras lesmas do mar come algas, e poucas se especializam em ovos de caracóis e lesmas. A lesma, Aiteng ater, foi nomeada em homenagem a um boneco popular na parte sul da Tailândia.

5) Peixe-sapo de cara achatada

O peixe-sapo, com olhos para frente e um padrão de pele psicodélico, está na lista porque é um animal absolutamente lindo e conseguiu ser descoberto só em 2009. O peixe, Histiophryne psychedelica, é encontrado em águas indonésias. Os cientistas disseram que seu padrão colorido pode ajudá-lo a misturar-se com os corais venenosos, oferecendo-lhe proteção contra predadores.

6) Aranha que lança teia gigante

Uma aranha que provavelmente lança uma das maiores teias conhecidas no alto das florestas da África do Sul é a primeira espécie nova a ser descoberta na sua família desde 1879. Chamada Nephilia komaci, a aranha não tem sido vista viva. Os cientistas as descreveram a partir de espécimes de museu e, mais recentemente, espécimes encontradas mortas. As fêmeas da espécie têm um comprimento total de quase 4 centímetros e uma extensão de perna de 10-12 centímetros. Os machos são uma fração deste tamanho, e a sua única função na vida é inseminar as fêmeas – uma tarefa, neste caso, onde ser grande realmente não importa.

7) Cogumelo fálico

Robert Drewes, da Academia de Ciências da Califórnia, está declaradamente encantado por ter um cogumelo de 5 cm de comprimento em formato de pênis, da nação insular africana de São Tomé e Príncipe, nomeado em sua honra, Phallus drewesii. Drewes iniciou estudos extensos sobre a biodiversidade de São Tomé e Príncipe e dedicou mais de 30 anos de sua vida em investigações na África. Os descobridores do cogumelo disseram que a homenagem foi por causa dessa dedicação.

8 ) Peixe com presas

Nesta época de histeria vampiresca, um peixinho com presas parecidas com dentes de vampiro tem que ir para lista dos 10. O peixinho translúcido, Danionella dracula, é um membro do grupo Cyprininform, sendo que a maioria perdeu seus dentes cerca de 50 milhões de anos atrás. Os machos desta espécie, no entanto, re-evoluíram essas estruturas que se projetam a partir do osso da mandíbula. O peixinho de água doce foi descoberto em Myanmar. Os machos usam as suas presas para se defenderem, enquanto as fêmeas não têm as estruturas vampirescas.

9) Peixe modelo ganha seu nome próprio

Os cientistas têm usado essa espécie de peixe elétrico durante várias décadas para estudar a fisiologia de órgãos elétricos e como os peixes usam eletricidade para se comunicar. Na literatura científica, os peixes são referidos como Gymnotus carapo, mas são realmente membros de uma espécie separada, erradamente confundida com G. carapo. Uma equipe dos neurofisiologistas no Uruguai percebeu o erro em 2009 e nomeou a espécie Gymnotus omarorum.

10) Esponja assassina

Esponjas do mar são semelhantes aos seus homônimos de pia de cozinha – felizes em sobreviver em pedaços de matéria vegetal e bactérias que filtram o seu caminho. No fundo escuro do mar, no entanto, algumas espécies comem carne. Uma recém-descoberta esponja carnívora, Chondrocladia (Meliiderma) turbiformis, foi encontrada na Nova Zelândia e tem um espículo único. Estruturas semelhantes são conhecidas apenas em fósseis jurássicos, de cerca de 175 a 200 milhões de anos atrás. Isso sugere que as esponjas carnívoras têm uma história profunda. [MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 3,00 de 5)

28 comentários

  • claudya:

    INPRESSIONANTE ESSAS DECOBERTAS SÃO MUITO IMPORTANTES PARA TODO O MUNDO EU TENHO CETEZA DE QUE OUTRAS VARIAS DESCOBERTAS SERÃO FETAS E INCLUSIVE PRETENDO TAMBEM FAZER UMA JÁJÁ CHEGO LÁ COM MEU CURSOA E MEU CONHECIMENTOS.
    ACHO LINDA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO EM SAITS TÃO IMPORTANTES QUANTO ESSE.

  • João Paulo:

    Isso só mostra a quão pouco tempo estamos na Terra e o quanto nos supreendemos a de descobrir novas espécies,nos mostra que ficamos maravilhados com a vida

  • Leka:

    Felipe pelo bem da humanidade pessoas que nem voce deveriam raciocinar melhor. Cada um escolhe a religiao que quer praticar,cada um escolhe o “Deus” que quer adorar. Somos livres para escolher o que nos faz melhor. Se os evangélicos sentem-se bem com essa religião,a escolha é deles. Na real, vc devia saber mais sobre os evangélicos. Pois nem todos são fanáticos do jeito que vc acha.

  • shanaia:

    aquele peixe sapo de cara achatada e muito bizarro quem e que ia querer colocar uma coisa da quelas ali

  • Rosângela:

    O peixe, Histiophryne psychedelica, é incrível!
    Bom artigo Natasha….as usual.

  • Luís:

    Poxa, mesmo que fique bom, eu teria uma péssima impressão se encontrasse um “cogumelo fálico” no meu prato… Acabaria com meu apetite!

  • Jin:

    Só me diga uma coisa, alguns deles vai bem com arroz?

  • Manfroi:

    Não é briga, apenas divergencia de opniões… o que seria do mundo sem isso?

    Mas, seguindo o exemplo do Luis… Baita matéria!

  • raquel barros:

    nada como redescobrir a vida

  • Luís:

    Legal, Cristina. De pleno acordo! 😉

    Voltando ao foco: muito legal a reportagem!

    Grande abraço a todos.

  • Miguel Padilha:

    Meu… chega de brigas né , olha a materia que boa que esta…

  • Cristina:

    Deise e Luís,

    Eu tb me divirto com esses comentários…! rs

    Deise, realmente estamos num país livre e kd um ouve o estilo musical que quiser. O problema é q os fãs de funk, sertanejo universitário, axé e similares geralmente gostam de compartilhar sua música com os demais, e isso é o que me incomoda. Se tds ouvissem suas músicas preferidas num volume normal ou melhor ainda, no IPod, seria perfeito! 😮 )

    Luís, ao contrário do q possa parecer, ñ sou evangélica, aliás ñ pertenço a nenhuma religião. Esse tipo de religioso q vc citou, o safado que se aproveita da fé alheia para ganhar $, deveria ser extinto. Agora extinguir uma pessoa somente pq segue determinada crença é sacanagem… hehehe

    Pena que ñ é privilégio dos evangélicos em terem em seu meio pessoas desonestas: o que eu já vi de candomblecista, umbandista, ocultista e até católico safado é de se espantar!!!

    Ótima segunda p/ vcs!

  • Manfroi:

    Apenas para registrar. Se somos livres para escolher como seguir a nossa fé ou a música que nos agrada, como podemos criticar os que tem opnião diferente da nossa?
    Não gosto de funk ou das músicas de duplo sentido do nordeste, porém respeito que as “curti”. Não sou evangelico, mas respeito que é.

    Como posso dizer que rock ou música clasica são “realmente música de verdade”? Se são culturas que absorvemos do nosso meio e decidimos se gostamos ou não! Quem define o que é certo ou errado? Quem determina o que é música ou não é?

    Isso depende única e exclusivamente de cada um! E só seremos “evoluidos” no momento que aceitarmos isso como normal! Ai esta a evolução, aceitar o próximo como ele é.

    Fariamos muito mais se discutissemos sobre onestidade, carater, companherismo, dedicação ao próximo… creio que neste ponde devemos e precisamos evoluir e muito.

  • Luís:

    Adoro ler esses comentários… Felipe, você foi impagável! 🙂

    Não tenho nada contra os evangélicos, mas já vi documentários mostrando o que alguns deles (nesse caso, da Igreja Univer$al – do pilantra do Edir Macedo) fazem contra membros e centros que cultuam outras religiões (em especial, Umbanda e Candomblé) em Salvador (BA). Assim, concordo que alguns deles precisam evoluir e começar a pensar por contra própria. Nisso, discordo da Cristina: apesar de estarmos em um país com liberdade de culto, muita gente não respeita a crença alheia.

    Também não tenho nada contra os Micareteiros e Fankeiros (do funk carioca), exceto pelo gosto musical absolutamente duvidoso – se é que se pode chamar aquilo de música). Vida longa ao Rock n’ Roll!!!

  • Thiago dos Reis:

    Discordo da Cristina, do Felipe e de todos os retardados que concordaram com eles.

    Cada um se expressa da maneira que quiser. Seja ouvindo Funk, indo a Micaretas ou adorando Cristo.

    O fanatismo forma pessoas de cabeça fraca.. pior que elas são as arrogantes que pensam que podem julgá-las. Isso é uma fraqueza um pouco maior.

    Grato.

  • Deise:

    Concordo com Felipe.

    E Cristina como você diz que o Brasil é livre para escolher a religião que a pessoa quiser então é livre também para escoher o estilo musical que quiser.

    O fanatismo das pessoas as fazem mente fraca.

  • claudemir da silva:

    como é interesante nossa biodiversidade apezar da devastação do nosso planeta ainda existem muita coisa a descobrir na nossa sofrida morada planeta terra

  • Genivaldo:

    Gostei muito dos seres que vivem neste planeta.

  • Cesar:

    Alan, são novas no catálogo da ciência. Não eram conhecidas, e agora foram registradas, nomeadas e catalogadas. Algumas são espécies recentes, outras não.

    Mas se você quer espécies recents, vai no Lago Victoria, na África. Lá tem peixes que só existem naquele lago – uma variedade enorme de ciclídeos. Como aquele lago seca a cada 70.000 anos, mais ou menos (sabemos disto pelo registro geológico, antes que alguém diga que não havia ninguém lá para saber isto), todas as espécies que tem lá são bem recentes, surgiram por evolução de um único tipo de ciclídeo que invadiu o lago da última vez que ele foi inundado (existm ciclídeos nos rios que passam na região, mas os ciclídeos que tem no Lago Victoria só existem lá).

  • Radeir:

    Dizem os antigos naturalistas que as coisas, os seres e os vegetais assumem a forma da sua utilidade ,assim como a noz lembra um cérebro e é alimento energético perfeito.Será que o cogumelo Phallus drewesii é comestível,portador de componente excitante,alucinógeno reorganizador, o santo remédio levantador do ânimo e de coisas dormentes ?

    Ou… quem sabe é o pedaço de Osiris que sumiu e agora foi encontrado? Morder pra saber!

  • Alan:

    Não vi nenhuma espécie nova. Vi espécies que já existiam aqui na terra e só foram estudadas em 2009.

  • Cristina:

    Felipe,

    Em relação aos evangélicos, discordo com vc. Sendo o Brasil um país livre, cada um segue a religião que se identificar melhor. Afinal, ninguém é obrigado a ir a igrejas e templos, ou professar determinada fé…

    No resto concordo plenamente com vc, embora com o passar dos anos o que temos visto ñ é a evolução da espécie, e sim a degradação de uma espécie. Micareta, funk, “coloridos”, emos, sertanejo universitário são provas concretas de que o gosto musical do brasileiro está cada vez menos apurado e descartável.

    Quem ñ concorda comigo, sugiro que conversemos daqui uns 5 anos e veremos se esses “artistas” ainda frequentarão as paradas de sucesso ou, pior: será que alguém ainda se lembrará deles? rs

  • luiz clebio vieira de carvalho:

    Felipe vc é quem que entrar em extinção pela mente fraca q vc tem.

  • jess:

    Concordo literalmente com o Felipe!!

  • Felipe:

    o meu cachorro zé boneco (esse é o nome dele) tbm é uma espécie separada dos cães, prq ele é muito absurdo. 😀

    Muitas espécies estão sendo descobertas, mas muitas tbm estão entrando em extinção. Mas existem algumas espécies que PRECISAM ENTRAR EM EXTINÇÃO o mais rápido possível pelo bem da humanidade:

    1 – OS EVANGÉLICOS;

    2 – OS FUNKEIROS/MICARETEIROS.

    Quando digo entrar em extinção não estou falando de morrerem todos, mas da evolução para uma espécie melhor, mais inteligente e com capacidade de raciocinar por conta própria.

    Assim talvez, e somente talvez, quando alguma espécie alienígena olhar para o nosso planeta ela possa dizer:

    “Lá, naquele planeta azul, existe vida inteligente”.

    Abraços!!! 😀

  • H.B:

    Legal, mas aquele cogumelo fálico é mesmo estranho

  • Fátima:

    Para o Dr. Robert Drewes, da Academia de Ciências da Califórnia estar tão encantado com o “estranho” cogumelo de S. Tomé e Príncipe que descobriu em 2009, é porque desconhece o Phallus endémico descoberto na Ilha da Madeira em 2008: http://drakonyaz.blogspot.com/2008/10/phallus-maderensis.html

  • ELIETE NUNES RODRIGUES:

    É fantástico essas descobertas, existem muito além do que podemos imaginar.

Deixe seu comentário!