20 fatos científicos que não conhecíamos no início de 2017

Por , em 3.01.2018

Podemos sempre contar com a ciência para fazer uma boa retrospectiva do ano que passou, esquecendo qualquer retrocesso que a política possa ter trazido ao mundo, e se focando nos avanços incríveis que somos capazes de realizar enquanto seres humanos. Confira:

1. Velocidade da gravidade


A velocidade da gravidade é praticamente idêntica à velocidade da luz. Em 2017, pela primeira vez, os cientistas conseguiram fotografar uma colisão entre duas estrelas de nêutrons. Ao realizar observações ópticas e gravitacionais simultâneas, mediram com precisão a velocidade da gravidade pela primeira vez.

2. Mesentério


Um novo órgão humano foi classificado: o mesentério, escondido em plena vista por todo esse tempo.

3. Máquina do tempo


É matematicamente possível construir uma máquina do tempo. A gente só não consegue fazer isso por é difícil encontrar materiais que possam fisicamente dobrar o tecido do espaço-tempo.

4. Novo tipo de diabetes

PantherMedia 906049

Os cientistas descobriram um novo tipo de diabetes que a maioria das pessoas não sabia que tinha. O recém-classificado diabetes tipo 3c está sendo mal diagnosticado como tipo 2.

5. Rocha quente misteriosa


Uma pesquisa encontrou uma misteriosa massa de rocha quente se acumulando sob o nordeste da América. A grande mancha foi observada abaixo de Vermont, nos EUA, se estendendo para outras regiões subterrâneas da Nova Inglaterra, também nos EUA. A anomalia termal ainda não tem explicação – uma vez que a Nova Inglaterra não possui vulcões ativos, a enorme acumulação é considerada um fenômeno geologicamente recente, embora, neste caso, signifique que poderia ter crescido lenta e continuamente por dezenas de milhões de anos.

6. Pulmões fazem sangue


Para o choque geral da humanidade, facilitar a respiração não é a única função dos pulmões nos nossos corpos – eles também fabricam sangue. Em mamíferos, esses órgãos produzem mais de 10 milhões de plaquetas por hora, o que equivale à maioria das plaquetas que circulam pelo corpo.

7. Cristais do tempo


É oficial: cristais de tempo são um novo estado de matéria, e agora podemos criar esses objetos “impossíveis” a hora que quisermos.

8. Cérebro e sono


O cérebro começa literalmente a se “comer” quando não dorme o suficiente. Quando dormimos normalmente, nossos cérebros limpam os detritos neurais da atividade do dia. Quando somos privados de sono, esse processo não ocorre corretamente, fazendo com que o cérebro limpe uma quantidade significativa de neurônios e conexões sinápticas, ao invés de simplesmente o “lixo”.

9. Comunicação quântica direta


A comunicação quântica contrafactual direta é agora possível. Em 2017, cientistas conseguiram realizar comunicação quântica sem transmissão de partículas pela primeira vez. Este tipo de comunicação tinha sido há muito teorizado, mas nunca demonstrado antes.

10. Organismos parcialmente sintéticos


Os primeiros organismos semissintéticos do mundo estão vivendo entre nós – os cientistas deram origem a novas formas de vida usando um código genético expandido de seis letras.

11. Florestas antigas da Sibéria


A Sibéria tem uma cratera colossal apelidada de “Porta para o Submundo”. Seu permafrost está derretendo tão rápido que florestas muito antigas estão sendo expostas pela primeira vez em 200 mil anos.

12. Neurônio gigante


Um único neurônio gigante que envolve toda a circunferência do cérebro dos ratos foi identificado, e parece estar ligado à consciência de mamíferos.

13. Cão mais antigo é redescoberto na natureza


Nós pensávamos que a raça de cão mais antiga do mundo estava extinta, mas este ano conseguimos fotografá-la em seu ambiente natural: as montanhas centrais da Nova Guiné. Ao que tudo indica, o cão selvagem da Nova Guiné está indo muito bem, obrigado.

14. A família dinossauro


Depois de 130 anos, talvez tenhamos que redesenhar a árvore genealógica dos dinossauros, graças a um fóssil encontrado na Escócia. No momento, a árvore evolutiva dos dinossauros divide os animais em dois grupos: Ornithischia e Saurischia. Os terópodes (como o Tiranossauro rex) podem ter sido classificados incorretamente: ao invés de Saurischia, eles seriam Ornithischia. Isso mudaria tudo que sabemos sobre eles. O novo fóssil também pode ser um ancestral de todos os dinossauros. Mais estudos são necessários para confirmar essas especulações, no entanto.

15. Síndrome dos ovários policísticos


Curiosamente, a síndrome dos ovários policísticos pode começar no cérebro, e não nos ovários.

16. Zelândia


A Terra parece ter um novo continente chamado Zelândia. Além de criar tensão política, tal redefinição poderia causar uma enorme bagunça em todos os livros didáticos e atlas que temos atualmente.

17. Antropoceno


Os seres humanos podem ter tido um impacto maior na geologia da Terra do que o infame Evento de Oxidação que ocorreu 2,3 bilhões de anos atrás. Alguns cientistas defendem que uma nova época geológica seja reconhecida oficialmente: o Antropoceno.

18. Os chifres dos narvais


Os narvais, também conhecidos como “unicórnios do mar”, usam seus chifres para a caça – mas não do jeito que você pensa. Os cientistas finalmente viram esses animais utilizando o chifre para se alimentar de bacalhaus, e ficou claro que eles são um apêndice com várias funções.

19. Bolha de proteção humana


A atividade humana mudou literalmente o espaço em volta do nosso planeta – décadas de comunicações de rádio de baixíssima frequência formaram acidentalmente uma “bolha protetora” em torno da Terra.

20. Reversão de danos cerebrais


Cientistas conseguiram reverter pela primeira vez danos cerebrais causados por falta de oxigênio. Em julho, médicos trataram uma menina de dois anos que havia se afogado em uma piscina e sido ressuscitada muito tempo depois. Ela sustentou lesões cerebrais graves, mas os pesquisadores conseguiram melhorar significativamente sua condição, retornando movimentos e fala. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (47 votos, média: 4,85 de 5)

Deixe seu comentário!