10 Recentes e controversas proibições pelo mundo

Por , em 18.08.2009

Não importa o quanto pensemos que somos livres em nossa sociedade; desde que o mundo é mundo sempre há algo proibido. Algumas coisas não nos afetam, mas outras sim.

Veja a seguir uma lista de 10 coisas recentemente proibidas e controversas ao redor do globo.

10. Gordura trans
proibido

A indústria alimentícia é a favor da gordura trans, pois possibilita que os produtos permaneçam frescos por mais tempo e também são mais baratos, o que reduz o custo da produção. A principal preocupação com a gordura trans é o que ela pode fazer ao corpo: colesterol alto e em alguns casos, doenças cardíacas. Em 2003, a Dinamarca tornou-se o primeiro país a proibir alimentos contendo grandes quantidades de gordura trans. Agora só é permitido 2% de óleo em qualquer alimento que possa conter gordura trans. A Suíça tomou uma medida parecida em 2008.

Fato curioso: O Center for Science in the Public Interest processou a rede KFC (Kentucky Fried Chicken) por usar gordura trans em seus alimentos. A KFC disse que “existe uma série de fatores para considerar (o uso da gordura trans) incluindo manter um sabor único na receita original do Colonel Sanders”. Em 2006, a KFC anunciou que iria substituir em parte o óleo de soja hidrogenado, que atualmente usa, por óleo de soja linoléico com zero de gordura trans em todos os restaurantes, contudo os biscoitos ainda conterão gordura trans.

9. Andador para bebê
proibido

Até mesmo um simples andador para bebê pode causar alvoroço. Em 2004, o Ministro da Saúde canadense anunciou a sua proibição. O ministério afirmou que entre 1990 e 2002, houve 1,935 relatos de crianças que se machucaram por conta dos andadores. Foi determinado que crianças pequenas “não tem a prática necessária, reflexo ou habilidade cognitiva para usar seguramente o produto”. O Canadá é o único país a proibir andador de bebê: é proibido vender, anunciar ou importar.

Fato curioso: Muitos pais acreditam que andadores para bebê ensinam a criança a andar mais rápido, porém, estudos sugerem que isso não é verdade, e na realidade pode atrasar a ação de andar em duas ou três semanas.

8. Lâmpada incandescente
proibido

Com o uso da lâmpada fluorescente que dura mais de cinco anos e utiliza 75% menos de energia, alguns países decretaram leis para interromper o uso das lâmpadas incadescentes. O primeiro país a proibí-las foi a Austrália, com uma lei aprovada em 2007. Já Cuba trocou todas as incandescentes para as fluorescentes e proibiu a venda e importação em 2005. Nos EUA acabarão com as lâmpadas incandescentes em 2012, sendo que na Califórnia, recentemente, foi aprovado um projeto de lei para interromper seu uso em 2018.

Fato curioso: A lâmpada fluorescente compacta, como todas outras lâmpadas fluorescentes, contém mercúrio, que é extremamente tóxico para humanos e animais.

7. Clicletes
proibido

Quem assistiu a Fantástica Fábrica de Chocolates, provavelmente vai lembrar, ao ler esse tópico, da personagem Violet Beauregarde, a menina que mascava chiclete incontrolavelmente. A goma de mascar foi proibida em Cingapura em 1992 e a lei revisada em 2004. Um dos fatores para a proibição foi por conta de atos como colar o chiclete em bancos, mesas e em portas com sensores. Foi regulamentado que não deve ser feito uso para fins pessoais. Trazer chiclete do exterior, mesmo em pequenas quantidades, é proibido. O governo de Cingapura, em 2004, reconheceu os benefícios para saúde de alguns chicletes tais como os sem açúcar que contém substâncias que fortalecem o esmalte dos dentes. Porém, a venda desse chiclete medicinal só é permitida se feita por dentistas ou farmacêuticos, que devem anotar os nomes dos compradores. Cingapura é o único país com proibição de chicletes. Foto: Nunca engula o chicletes.

6. Fumar em filmes ou na TV
proibido

O primeiro país a proibir a veiculação de imagens do consumo de tabaco em filmes e programas de televisão foi a Índia, em 2005. Quando um ator fuma ou consome tabaco na tela, os canais de televisão devem borrar a cena. Para os filmes que contém tais cenas, aparece um texto no meio da cena que avisa os perigos que o tabaco causa.

Fato curioso: No começo do ano, a Alta Corte de Delhi derrubou a proibição indiana federal de fumar em filmes dizendo que a realidade na vida e qualquer outra censura pode violar o direito fundamental dos artistas para a liberdade da palavra e expressão.

5. Sacolas plásticas
proibido

Agora com a consciência ecológica mais aflorada, os sacos plásticos não são mais vistos com bons olhos. Entre 500 bilhões e um trilhão de sacos plásticos são consumidos no mundo inteiro a cada ano. Em 2002, Bangladesh foi o primeiro país a proibir sacos plásticos após descobrir que as sacolas bloqueavam os bueiros e foram uma das principais causas da devastação nas enchentes de 1988 e 1998. Além das sacolas plásticas não serem biodegradáveis nos aterros sanitários, podem ser perigosas aos animais marinhos.

Países que proibiram as sacolas plásticas: África do Sul, Austrália e Reino Unido. Nos Estados Unidos, cidades como São Francisco e Oakland proibiram sacolas plásticas dos mercados e utilizam de sacolas ecológicas.

Fato curioso: De acordo com o Natural Resources Defense Council, as sacolas plásticas usadas anualmente nos Estados Unidos exigem cerca de 12 milhões de barris de petróleo para sua produção. Sendo que os sacos de papel utilizam 14 milhões de árvores. Em um aterro sanitário, sacolas plásticas ocupam menos espaço do que as de papel.

4. Modelos super magras
proibido

Por conta da morte da modelo uruguaia de 22 anos, Luisel Ramos, que teve um ataque cardíaco pouco antes de entrar na passarela, foi criada uma proibição para modelos super magras ou menor que o tamanho 32 (uma mulher “padrão” usa entre 38, 40. Marilyn Monroe usava tamanho 44). A modelo estava comendo apenas alface e tomando coca-cola diet por três meses, e comentava com sua agente que teria um grande futuro se perdesse muitos quilos. Estilistas assinaram um documento em conjunto com o governo italiano declarando que todas as modelos, para desfilarem, devem apresentar um índice de massa corporal (IMC) e um corpo saudáveis. Um desfile anual em Madrid proibiu modelos com IMC inferior a 18, e Londres também adotou a medida.

Fato curioso: Em 2007, a irmã de Luisel, a modelo Eliana, então com 18 anos, morreu de ataque cardíaco aparentemente causado por má nutrição.

3. Animais em circo
proibido

A proibição de animais em circos é uma das mais recentes e ganhou força depois que membros de um grupo boliviano de direitos dos animais entraram secretamente em circos. Eles revelaram que os animais são confinados e forçados a ficar em locais sem espaço para se moverem. O senado boliviano concordou com a proibição e o presidente Evo Morales assinou uma lei em julho de 2009. Em outros países como Áustria, Costa Rica, Finlândia e Dinamarca também existem proibições parecidas como essa, principalmente com certas espécies de animais selvagens. A Bolívia é o primeiro e único país a proibir tanto animais selvagens como domésticos em circos itinerantes.

Fato curioso: Uma matéria recente sobre a crueldade com animais de circo fez com que o circo Ringling Bros. And Barnum & Bailey esclarecesse por escrito como os seus animais são tratados.

2. Venda de cigarros e tabaco
proibido

Todo mundo está familiarizado com as regulamentações recentes que andam afetando fumantes de todo mundo. Em 2004, a Irlanda tornou-se o primeiro país a proibir o fumo em lugares fechados, incluindo restaurantes e bares. Em 2008, o Butão, que fica entre a Índia e a China, foi o primeiro país a proibir completamente a venda de cigarros. Apesar disso, o contrabando de produtos de tabaco aumentou no país, e quem é pego é multado com $232 (mais do que dois meses no salário). No Brasil, foi criada a lei antifumo que foi sancionada recentemente pelo governador José Serra, que proíbe o uso de cigarro e tabaco em ambientes de uso coletivo no estado de São Paulo.

Fato curioso: A primeira proibição de tabaco em âmbito nacional foi imposta pelo partido nazista. Fumar era proibido em universidades, correios, hospitais militares e no gabinete do Partido Nazista. O Instituto para Pesquisa dos Riscos do Tabaco foi criada em 1941 sob as ordens de Adolf Hitler – que não bebia, não fumava ou consumia carne vermelha. Muitas campanhas anti-tabaco foram difundidas pelo regime nazista até seu final em 1945.

1. Bater nos filhos
proibido

A Suécia foi o primeiro país, em 1979, a proibir que pais batessem em seus filhos. Passaram-se muitos anos até outros países também adotarem a lei. Agora 24 países proíbem a prática. Os mais recentes são a Venezuela, Uruguai, Portugal, Espanha e Nova Zelândia, em 2007. Em 2008, a Costa Rica e a República de Moldova também adotaram. Existem muitos estudos feitos com resultados sobre a proibição sueca do espancamento. Um dos estudos sugere que ocorreu quase a erradicação do abuso infantil no país. Outros estudos mostram a Suécia com a menor taxa de mortes de crianças devido ao abuso entre 20 dos 27 países desenvolvidos.

Fato curioso: Nos Estados Unidos (em todos 50 estados) é permitido por lei os pais baterem em seus filhos. Em 23 estados a punição corporal ainda é lícita nas escolas públicas. No Canadá foi proibida a punição corporal em crianças com menos de dois e mais de 12 anos, como também o uso de qualquer objeto como a palmatória.

Todo comentário “pró-pancada” nas crianças, a partir de agora, será sumariamente apagado. Que tipo de pessoa pensa que bater em alguém que não tem como se defender pode ter qualquer função didática? Se pensam que deve ser assim, não sejam pais, ou estudem e procurem mudar esta idéia antes de terem filhos, pelo bem da humanidade.

[Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 3,67 de 5)

31 comentários

  • Salomão Santos Soares:

    Tanta proibição me lembra deste filme aqui ó:

    http://www.youtube.com/watch?v=18e4GeUwVWs

  • Joh Andrade:

    Sabe sinceramente o que eu acho? Sim, dar umas palmadas e até uma surra resolve e muito! E quebrar a cara do idiota que sem querer esbarrou em você na rua também vai ensiná-lo a ter mais atenção! Exato! E sim, estou comparando quebrar a cara do idiota com dar umas palmadas no seu filho, aliás, dar umas palmadas no seu próprio filho é muitas vezes pior!

    Se dar uma palmada em uma criança qualquer já é incorretíssimo, bater em seu filho chega a ser desumano. E não importa se ele tem dez meses ou vinte e cinco anos, seu filho é seu filho e ponto, você o pôs no mundo, você o ama – ou pelo menos diz que ama – e isso o desqualifica a bater nele. E o pior é quando me uns me vem com a justificativa: “Mas eu sou o pai dele!”, como se isso justificasse! Nunca! O “Mas eu sou o pai dele!” só confirma que você nunca deveria beter nele.

    Eu iria rir da cara do pai que quando o filho chegasse em casa, com nove anos, dispensado da escola porque deu alguns murros no coleguinha de classe que implicou com ele e levasse uma surra e enquanto o pai batesse ele perguntasse: “Por que você fez isso, hein?” e ele dizer: “O senhor me ensinou a ser assim! Tem de bater pra aprender!” O que eu quero dizer é que se você bate no seu filho, se ele bater em outra pessoa só faça uma coisa: Nada, cale a boca e fique com o rabo entre as pernas porque você foi bem pior que ele, ele bateu em uma pessoa qualquer, você bateu em seu próprio filho e perde seu direito de dar lição de moral sobre como bater é errado.

    E eu sei o que vão dizer essas pessoas: “Mas tem criança que só aprende apanhando! Palavra não resolve!”, sim, uma criança de cinco anos é o ser mais revoltado do planeta, exato! ¬¬’ Se a criança tem cinco anos, nem adianta, ela vai te obedecer porque você é pai dela. Eu vou fazer catorze anos e nunca, nunquinha apanhei na vida, pra não dizer que minha mãe nunca me bateu acho que quando eu tinha uns sete anos eu tava brincando com água fria e era inverno, aí minha mãe me deu um tapinha fraco na bunda e disse: “Para de brincar com água fria, menino!” e eu a obedeci sem reclamar pois tinha a perfeita consciência de que devia obedecê-la. E aos que são mais velhos, são pré-adolescentes por exemplo, privá-lo de algo que goste já resolve o problema!

  • Alice:

    O que é decepcionante são pessoas que se prestam a dar um comentário fuleiro igual ao seu.

  • @MarkosLKT:

    ¢¬¬ É idiotisse pensar que Modelos Super Magras é Sexy ou Bonito!
    As modelos que seguem o padrão ‘Esqueleto’ são pessoas “Burras”, pois quem as obriga a ser ‘Pele e Osso’, apenas está pensando em sí mesmo. Porque é bem mais facil de ajeitar uma roupa num Esqueleto, que numa Mulher (é o que eles acham…).

  • Wiilian:

    Epa, que história é esta de: “Todo comentário “pró-pancada” nas crianças, a partir de agora, será sumariamente apagado! “. Isto me cheira muito censura e imparcialidade. Não esperava isto em um site que até agora eu considerava muito bom. Realmente, me decepcionei.

    • Aliah:

      Liberdade de pensamento não te fornece poder para dizer ou escrever o que quiser. Vc pode achar absurdo não aceitar msgm pró pancadas, mas há anos tenta-se fazer o mesmo contra comentários racistas. O q pra vc parece absurdo, pode ser o início de conscientização.

    • RATÓIDE:

      realmente é um modo de censura
      mas bater em crianças para lhe darem censo,
      e alguem concordar, nao me soa melhor!

  • César:

    Meus filhos mais velhos tem 16 anos. São jovens responsáveis, educados, simpáticos e inteligentes. Um pouco desleixados, só para dizer que tem algum defeito. Não bebem, não fumam, não usam drogas, recebem os amigos aqui em casa (que bebem e fumam, mas na rua).

    Só para constar.

  • Smadson:

    Parece até que os humanos são caninos, sendo educados por reflexo condicionado… “Tapinhas toleráveis…” Ora!
    Como diz um grande escritor, depois dizem que os pais não têm culpa na má educação dos filhos, mas quem educa esses ignorantes então?
    Tem que disseminar é cultura pra esse povo entender que filho não é boneco, que ter filho não deve ser só desejo e sonho, mas responsabilidade. Essa cambada de ignorantes, sem condições nenhuma, tendo em pleno século XXI, 5..6…7… filhos. Irresponsáveis!
    Essa vontade de bater, é o reflexo da incapacidade. O ser humano tem tendência a buscar o controle de qualquer maneira, e como não entende que a impaciência destrói os objetivos, recorre à violência, que é uma forma de controle arbitrário. Lamentável! Mas a ignorância é realmente inerente ao humano.

  • Ana Carolina:

    Sou bem educada, respeitosa e amo meus pais imensamente sem nunca ter levado um beliscão. Repreensão não é sinônimo de agressão física. Há outras formas de “castigar” uma criança, como cortar algo que ela gosta por um tempo. O importante é que ela associe o castigo ao que fez de errado. Não adianta nada castigar sem explicar o que está errado, pois a criança vai voltar a fazer, já que não identificou o erro.
    Por outro lado tenho um primo que levou muitos tapas e puxões de orelha quando era pequeno e isso não o tornou uma pessoa melhor agora que é adulto.
    Espero que a agressão contra crianças seja proibida no mundo inteiro!
    E que os fumantes parem de ser marginalizados =P

  • squish:

    “Nunca engula o chicletes.”

    Minha nossa……….

  • Marcia:

    Eduardo / Marcelo Silva

    Tenho certeza de que nenhumd e vcs foi espancado qdo criança. Eu fui.

    E isso me ensinou que agressão não ensina nada a ninguém. Uma pancada e um não faça mais isso? Se eu nem sabia o que eu havia feito?

    Como será q vcs resolvem hoje problemas de relacionamento com as pessoas? Co uns tapas???

  • Alan:

    Olha, todos somos humanos e provimos de várias e diferentes maneiras de pensar e agir. Conheço crianças que na base verbal, hoje se comportam e são bem educadas, porém tem as crianças que não adianta só falar. Quando eu era pequeno, apanhei bastante de meu pai e não guardo rancor algum, hoje sou uma pessoa calma, tenho meu emprego, faço faculdade e garanto que sou muito bem educado. Não sou nem contra mas nem a favor desse ato. Só sei que tem crianças que só falando não dá!

  • Scoober:

    Vou falar apenas por mim…. eu apanhei muito na minha infância, e até hoje sou grato por isso que me moldou na pessoa que sou hoje.

    Sei que se não fosse pelas surras que levei, e pelos sermões que tive que ouvir, era bem capaz de eu hoje, não estar por aqui.

  • Marcos Vinícius:

    Tomara que o nosso futuro seja bem assim mesmo. Apoio firmemente a proibição do fumo e da violência.

  • roodney:

    Eu penso que se deve sempre conversar antes de tomar qualquer atitude ,até mesmo antes de colocar o filho de castigo ,mas eu tenho que admitir que em certas ocasiões bater é a ultima e inevitável solução ,não estou falando de dar uma surra ,mas de dar uma palmada ou uma chinelada no traseiro,penso que é melhor uma criança levar uma lambada na bunda agora porque fez algo de errado do que levar uma borrachada da policia por conta de um crime.

  • Frida:

    Eu sei que bater em crianças é uma injustiça. Eu mesma, quando perco a paciência e dou umas chineladas na minha menina de cinco anos fico com a consciência durante muito tempo pesada, e prometo para mim mesma que da próxima vez não vou perder as estribeiras.Por outro lado, eu preciso aprender a ser mais enérgica nas palavras, porque eu falar com a minha filha para não fazer algo é quase o mesmo que eu falar: vá em frente!…….

  • R:

    Bater numa criança só demonstra a falta de controle da raiva dos pais e incapacidade de compreender as necessidades de alguém em crescimento. Se for ensinar algo, que ensine como pai, não como um retardado.

    Claro, tem aquela de dar uma palmadinha só, um caqualhão… mas essa mesma liberdade é usada por outros de OUTRA forma… portanto, proibir é cortar o mal pela raiz. Agressão física ou desperta a raiva ou torna uma criança reclusa, geralmente. Deve-se ensinar o que é certo e errado e não mostrar que “se fizer algo que o pai não goste, vai apanhar.”

  • Gilberto:

    Marilza.
    Como alguém que pretensamente defende crianças de levar umas palmadas, pode ser tão violenta a ponto de impedir a livre exposição de idéias, simplesmente por não ter capacidade de refutá-las com argumentos convincentes?

    • Marilza:

      Gilberto, você pode escrever e escrever, mas nada que for escrito será um argumento convincente a favor de violência contra as crianças em prol da “educação” das mesmas. Quem bate em crianças é fraco demais na mente para poder cuidar de uma, deveria ser esterilizado.

  • Emy:

    Sobre a correção do Aislan:

    Na verdade Chiclette é uma antiga marca de gomas de mascar, se tornou famosa, por isso até hoje usamos esse nome, assim como: BomBril, Danoninho, Sucrilhos, etc…

    Portanto, o correto seria dizer “Goma de Mascar”.

    Valeu

  • julio:

    Bater em qualquer pessoa que que não tenha condições de se defender é ato extremo de covardia. Crianças, idosos e qualquer pessoa que esteja impossibilitada de se defender ou não.

  • Aislan Adi:

    Interessante, na chamada do item 7 penso que há um erro de grafia, o correto é “chicletes”.

  • AUGUSTO:

    O MESMO GOVERNO QUE PROIBE FUMAR , AUTORIZA A VENDA !

  • Marcelo Silva:

    Infelizmente hoje, as crianças, adolescentes e jovens, filhos da geração dos pais que aboliram e negaram a educação que receberam dos seus pais, reconhecida pelo distanciamento, limites, respeito, austeridade, controle, autoridade e repreensão, são em grande parte tiranos, mal educados, egoistas e chantagistas. Muitos não respeitam e se utilizam da fraqueza e insegurança dos pais, ou do seu remorso por não poder mais participar ativamente da educação devido às necessidades impostas pela sociedade consumista moderna, e cada vez mais exigem serem amados e atendidos rapidamente em suas vontades materiais, cada vez mais efêmeras e fúteis. Quando os pais, com um certo nível de educação, se utiliza da agressão ao filho para repreendê-lo, é muitas das vezes, a última forma que encontra para ser respeitado, mostrando a sua autoridade. Bater, certamente, faz mais mal a quem pratica, do que para quem recebe. Os pais ao demonstrarem sua superioridade, deve, sem remorso, compreender que para educar é necessário também contrariar. Os filhos, ao apanharem dos pais, tornam-se, infelizmente, cada vez mais tiranos, pois verificam que o sofrimento é maior para os pais, e se utilizam dessa sua fraqueza. Não estamos falando dos exageros, dos adultos descontrolados e desequilibrados, facilmente identificados nas reuniões de pais, de condomínio, de trabalho. Houve grandes avanços na formação das novas gerações, principalmente quanto às questões de liberdade de expressão, sexualidade e informação. Porém nos tornamos cada vez mais individualistas e insatisfeitos com as nossas próprias conquistas. A criança que não teve oportunidade de ser repreendida, encontrará grandes dificuldades para lidar com as adversidades da vida.

  • Cesar:

    Eu sou de opinião que uma palmadinha quando eles são bem pequenos é tolerável, eles ainda não são “razoáveis”, você não pode negociar muito, e o prejuízo psicológico, segundo psicólogos, é muito pequeno, desde que não se torne um costume.

    Mas o pai que precisa apelar para a violência física para educar seus filhos é incompetente, no mínimo. E que mais pode ser? Indícios de uma mente perturbada.

  • Mozart Guariglia de Oliveira:

    Qdo se bate num ser mais fraco, indefeso, seria covardia, desforra no mais fraco? esse negócio de bater em criança para supostamente educar é coisa do tempo do famoso “Grito Primal”…
    O ser humano é mau de nascença, animalesco. É preciso ser moldado, mas não precisa de agressão física assim como não é preciso bater no cachorro para educá-lo. O amor constrói, ensina…mas é preciso que haja firmeza, constância e vifilância permenente, sem se esquecer da necessidade absoluta da contrapartida do exemplo. Um braço fraterno e obrigado pela opoertunidade. Suas matérias são ótimas, como sempre.

  • Marilza:

    Eduardo, não há desculpa para bater em uma criança. Bater em alguém que não pode se defender é covardia.

    • Miguel:

      Na minha opinião, uma coisa é dar uma palmada, outra é espancar. Assim como uma coisa é educar e outra é maltratar. Muitas pessoas quando eram pequenas levaram palmadas e não vivem “traumatizadas”. Infelizmente as palavras não funcionam com todas as crianças. E acho que mais vale levar uma palmada do pai ou da mãe hoje, do que ser vagabundo ou ladrão amanhã.

  • Raffael Chacon:

    No Rio de Janeiro foi proibido o uso de sacolas plasticas nos mercados, a lei entra em vigor ainda esse ano.

  • Jorge Luiz Sganzerla:

    Realmente, tudo muda, algumas coisas ficam obsoletas, e assim o mundo toma outra direção, tudo se transforma, o que um dia era necessário hoje pode se tornar uma lembrança.

Deixe seu comentário!