5 coisas bizarras que – não parecem – mas fazem bem para a saúde

Por , em 28.02.2011

Se você acha que sanguessuga é coisa do passado, saiba que eles estão sendo usados na medicina moderna para curar feridas. Outras ideias malucas também estão ganhando aceitação. Confira:

1) Plataformas de exercícios vibratórios

A vibração costumava ser desacreditada, mas hoje é um ramo forte na área da atividade física. A ideia é que alguns minutos em uma plataforma de vibração antes de fazer exercícios lhe ajuda a ir mais rápido, mais alto, mais fundo, ou qualquer outro adjetivo que você esteja buscando. Ninguém sabe por quê. Ainda mais intrigante é que as máquinas de vibração podem ajudar os músculos a se curarem mais rápido, e em pessoas idosas com osteoporose, aumentar a densidade dos ossos. As evidências que faltam é sobre a “dose” adequada, ou seja, a força e a duração adequadas das vibrações. Porém, vibrar pode ser muito caro: uma máquina custa em torno de 3.330 reais.

2) Raspagem de língua

Se você cresceu na Índia, já ouviu sua mãe dizer: “Não se esqueça de raspar sua língua”. Lá, o raspador de língua é um ritual diário. A prática implica a colocação de algo que se parece com uma pequena escova de vaso sanitário na boca, e esfregar sua língua durante vários minutos. Pode doer um pouco, especialmente no começo. O cheiro também não é muito agradável. Mas há uma recompensa: dezenas de estudos demonstram que este é um dos meios mais eficazes para curar o mau hálito. O raspador de língua também reduz as chances de desenvolver cárie dentária, doença gengival e até mesmo resfriados. PS: Não que o ritual seja feito por esses motivos na Índia.

3) Correr descalço

Na cidade, você seria meio louco de correr descalço dependendo da quantidade de vidros quebrados em seu caminho. Mas a noção de correr descalço, em si, não é absurda. Na verdade, poderia ser melhor para suas pernas, joelhos, quadris e costas. Os seres humanos correram assim centenas de milhares de anos, e os pré-humanos, por um milhão de anos anteriores a estes. Os estudos não são conclusivos, mas a questão é que o tênis de corrida, desde a sua estréia na década de 1960, pode ter alterado a forma como o corpo humano corre, forçando o calcanhar ao dedo do pé. O tênis envia um choque às pernas que é praticamente inexistente quando se corre descalço, e o impacto se espalha. Porém, o debate sobre esta questão é acirrado; nenhuma surpresa, já que atinge uma indústria de bilhões de dólares.

4) Cura através de parasitas

Você pode tratar sua alergia com um coquetel convencional de comprimidos e inalantes, ou pode obter a cura se infectando com vermes. E aí, vai o quê? Pesquisadores surgiram com a noção de que as infecções por parasitas intestinais protegem contra alergias, e talvez até mesmo contra esclerose múltipla e doença de Crohn. A ausência desses parasitas nos países industrializados de fato poderia explicar as taxas altas de alergias graves. Alguns pacientes têm sido curados de alergias ingerindo propositalmente parasitas, como ancilostomídeos, ou andando descalços na lama para pegar algo (nojento). Se você não está ok com o fato de ter uma “minhoca” se remexendo em seu estômago, cientistas estão tentando entender o que essas criaturas fazem no sistema imunológico humano para poder imitar essa ação com uma droga. Note, no entanto, que milhares de pessoas morrem anualmente de ancilostomose, ou amarelão; a morte pode não ser o alívio da alergia que você procura.

5) Transplantes fecais

Transplantes fecais, nos quais os médicos injetam colheres de chá de amostras de fezes frescas no intestino de uma pessoa através de um tubo no nariz, são uma cura bastante eficaz para infecção por Clostridium difficile, responsável por doenças gastrointestinais associadas a antibióticos, que variam desde diarréia até colite pseudomembranosa. Momento de reflexão: como os médicos descobriram que “cocô” era bom para a doença? A prática também é conhecida como bacterioterapia fecal e está relacionada com probióticos, a infusão de bactérias “saudáveis” no intestino. Médicos estão de olho nessa técnica para reverter os sintomas da doença de Parkinson e diabetes. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

38 comentários

  • jane777:

    Sobre a raspagem da língua aprendi cedo que limpar com escova dura deixa seu hálito fresco até para o dia seguinte.
    Sem esquecer da higiene dos dentes claro.
    Faço regularmente e é maravilhoso.

  • Divinix Eternanix:

    4) Cura através de parasitas= TRATAMENTO COM HELMINTOS PARA TRATAR DE DOENÇAS AUTO-IMUNES E FALHAS DO SISTEMA IMUNOLÓGICO!!!

  • AMMY PIRES:

    Nossa isso é bizarro e nojento. Não sei como ainda há algóem que acredita nisso.

    • Amadeus E:

      Não é questão de acreditar, são coisas provadas pela ciencia, que sim, fazem bem, não deixando de ser estranho.

  • renata:

    achei nojento tem algo melhor?

  • Débora:

    Nossa, Gloria! E vc acreditou nisso?… afff… que dó de você…

  • gloria:

    Li num site q o famoso Activia da danone é côcô com açúcar´, uma bactéria de diarréia tirada das fezes de humanos misturada ao iogurte , quando ingerida ela adere ao intestino fazendo-o funcionar causando uma pequena diarreia p\ quem tem constipação intestinal.Ainda bem q ñ consumo iogurte graças a Deus q tenho alergias a produtos industrializados!

    • Leandro Pereira:

      isto é antigo, e é famoso por ser uma besteira com fundo científico. Não tem cocô no seu activia, fique tranquila.

  • XLT:

    O mais interessante é que mesmo aquilo que nos faz mal como os parasitas, podem nos curar!
    Vai uma sangue-suga ai?^^

  • jaci:

    coisinha medonha essa do cocô… hugu

  • Eddy:

    Interessante isso do tubo pelo nariz.
    Porque razão será?
    Parece ser psicológica verdade? É melhor dizer que colocaram cocô por sua nariz que por sua boca!?!? Ou existe alguma razão especial?

    Ainda que vendo televisão em geral entra por todos os lados.

  • nelio huster:

    O coco, ou côco, ou ainda cocô, deve dar dinheiro. Veja nossos políticos…dinheiro no bolso e merda na cabeça…

  • alx:

    Fernanda encontrar doador é muito facil mesmo, o dificil vai ser achar uma vitima que se disponha a passar por esse procedimento louco kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Pedro Vaz_De_Angola:

    Meu deus, essa terapia com Cocó é Horrível, comer cocó EU…?????
    Comer Minhoca…EU….?

    • Andre Craco:

      Não é terapia com “Cocó”, e sim uma bactéria encontrada nas fezes que consegue combater a doença.
      “Minhoca” foi um jeito de dizer, as pessoas na verdade, tem milhares de parasitas e nem conseguem notar, isso de um pequeno lado é positivo, e de um outro grande lado, é negativo.

  • claudemir da silva:

    matéria interesante

  • Eddy:

    É notável como a melhor técnica para correr está em usar a parte frontal dos pés. Quero dizer, a ponta do pé.
    Diminuir o impacto nos calcanhares possui muitas razões, então vêm a indústria e diz, “Aqui temos a solução. Colocar mais coisas fofinhas debaixo de seus calcanhares.”
    Claro que o marketing é não dizer: “Nós criamos um ‘problema’ para logo vender a solução.” Assim tipo gripe porcina.
    Seguindo o momento honesto do ano a indústria não diz “Criamos um tênis que diminui o natural movimento dos pés. Mais temos uma solução para isso. Colocamos almofadas nos calcanhares.”
    Tenho escutado que muitas universidades médicas são patrocinadas pelas farmacêuticas. Será verdade? E se fosse, dariam eles apoio a uma medicina que neutraliza as medicinas que eles fabricam? Ou, seriam eles kamikases desinteressados?

  • felipe:

    de acordo com Nova ortografia implantada este ano, coco perde o acento.

    • Geo:

      Coco é a fruta ^^ Não poder diferenciá-la de cocô, seria tenso.

  • Ezio José:

    A questão não é o assento no “coco” como humoriza o internauta Cláudio; a questão é se o assento oode ser sanitário ou não…
    Quantos cocôs ingerimos diariamente? Muitos alimentos que consumimos estão impregnados de bactérias fecais. Alguém dirá que são fervidos e alguns além disso coados! Muito bem! Que comamos merda à culinária exótica.

  • MARCOS:

    credo só coisa boa,….

  • Rodrigo:

    Ok, não sei se ficaria feliz se enfiassem uma “minhoca” em mim, ou se injetassem bosta no meu corpo…. muito tenso, prefiro esperar por umas drogas

  • Jardel:

    Concordo com o Claudio Bucci, quando criança e andava descalço, tinha mais noção de terreno. Com calçado o tato/sensibilidade dos pés deminui drásticamente. Uhum…

  • Daniel Iserhard:

    Não existe isso de tubo no nariz, pelo amor de deus. Se as fezes são postas no INTESTINO, não há como fazer isso pelo nariz, mas pelo ânus.

    Estômago é diferente de intestino, anotem

  • CLAUDIO:

    ôPA…Falha nossa!!! Acredito que que faltou um acento nesse artigo . Não é coco , é côco. hehehe. Será????

  • Luciene Senne:

    Para engolir cocô, msm através de um tubo no nariz, só se for c anestesia geral.

  • CLAUDIO BUCCI:

    Eu nasci descalço , e sempre que posso , assim ando, e assim ensinei meus filhos.Muitos corredores de olimpíadas , preferem assim correr. A natureza fez os pés para isso, ter contato com o chão .
    Essa de doer a perna se correr ou andar dscalço , seria a mesma coisa de voce querer endireitar um pau , depois de te-lo feito nascer torto.Tem crianças, que as mães as obriga andar de meia até dentro de casa. Absurdo. Essas ,com certeza adultas terão , unhas encravadas, frieiras, e um chulé inalável, sem contar que vivem tropeçando em qualquer elevação.Dificilmente , criança descalças tropeçam.Observe, que quando voce anda, seu dedão do pé se eleva automaticamente, coisa que com sapatos, nada adiantará.Neste mesmo site, exite artigos sobre os pés, tênis e sapatos. Procure saber mais, e tire suas conclusões.
    Cianças sadias, andam descalças.

  • Jonn:

    A questão de correr de tênis ou não é que, naturalmente, temos como tendência a tocar a parte da frente dos pés, e não o calcanhar, quando corremos descalços, o que não acontece quando estamos de tênis. O choque do calcanhar com o chão é que seria o responsável pela maioria das lesões sofridas pelo movimento de caminhar ou correr.

  • Antonio Tacito de Souza e Silva:

    Na realidade, só vendo para crer, pois ainda temos muitas coisas que a ciência não domina tanto quanto parece.
    Quantas descobertas derrubaram mitos de um passado recente.
    O próprio colesterol do ovo é um caso típico. Hoje se sabe
    que ele não faz tanto mal assim.
    No caso do leite de vaca e derivados, já existem estudos que
    comprovam o seu efeito nocivo quanto ao câncer de mama, e até
    o de próstata.

  • Ricardo:

    Não é preciso ser cientista para descobrir que correr descalço faz muito mal. Fiz isso nas últimas férias e meu calcanhar e tendões ficaram inflamados devido ao impacto… se vc quiser se arriscar, corre o risco de adquirir um problema chamado “faceite plantar” ou “bursite” e olhe que a minha corrida foi na areia da praia.

  • Juninho:

    Essa das fezes é uma merda…..

  • big bang:

    Comida natureba tb e nojento e faz bem pra saúde, comer mato, sem sal e sem nenhum tempero pode salvar sua vida! Nossa comida diária, chocolate, doces, hambúrguer pode te matar aos poucos!

  • ShadowsAV:

    Uma pessoa que faz tudo isso ao mesmo tempo é uma pessoa BEM estranha não é verdade? Também deve ser verdade que ela é uma das mais saudáveis!

  • Fenix Hubris:

    Esgoto “milagroso”?

    Como os “rios sagrados” e as ”deusas das águas”, só existem na imaginação dos místicos, que não desejam pesquisar ou conhecer a realidade. Pois tanto a crença como a cegueira religiosa, são fantasias e uma “rede de proteção”, dos que no afã de endeusar seus ídolos, fogem da realidade.

    Embora fosse verdade que todos os que bebessem a “água sagrada” do Rio Ganges, da Índia, não contraíam a Cólera. Uma doença infecciosa aguda, contagiosa e epidêmica, (onde o doente tem diarréia abundante, prostração e cãibras).

    E o crente também ficasse livre de outros tipos de infecções…
    Pois até o fim do Século 19, o fato em questão foi confirmado diversas vezes.
    Inclusive pelo renomado bacteriologista inglês Ernest.
    Cerca de 20 anos após, as ciências experimentais terem reconhecido e comprovado o poder curativo das “águas sagradas” do Rio Ganges.
    O cientista Frederick Twort, tendo observando que, sempre que a “água sagrada” do Rio Ganges era fervida o “milagre” não se realizava e as pessoas não ficavam curado…
    Acabou descobrindo que um ser vivo, (no caso, um vírus comedor de bactérias, e que costuma ser encontrado em esgotos, mas que é inofensivo aos humanos), chamado de bacteriófagos, Fagos ou bacteriofage (comedor de bactérias), que habita o Rio Ganges, era o responsável pela cura dos que se atreviam beber a água poluída do Rio Ganges. Pois o vírus bacteriófagos ataca o vibrião da cólera e as bactérias infecciosas dos doentes, ocasionando em pouco tempo, a cura dos que bebiam a “água sagrada” do Rio Ganges.

    • jodeja:

      Não sabia dessa, gostei muito!

  • Fernanda:

    Ah, essa do cocô eu sei: os médicos descobriram que “cocô” era bom para a doença quando perceberam que certos parasitas, quando entram no intestino humano, acabam com a flora intestinal lá existente. Assim, bastava recolocar as bactérias naturais para que elas repovoassem o intestino, e, estando em maior numero, eliminassem as bactérias parasitas. Boa sacada a do médico que percebeu isso… é tão fácil encontrar doadores!

  • Mark:

    O tênis absorve impactos e projeta o peso do corpo para a parte da frente do pé, aliviando o calcanhar.

    Caminhar descalço ou com solados baixos causa dores nos calcanhares, dores que irradiam para a perna.

    Ao menos foi isso q eu aprendi na faculdade de medicina nas aulas de ortopedia e nos atendimentos ambulatoriais supervisionados.

    Se existe um complô mundial pró-industria do tênis, que move 4 bilhões, e que compra a opinião de todos ortopedistas ai eu não sei, mas cada um acredita na conspiração que quer… Ou na que consegue…

  • Sivaldo:

    “os médicos injetam colheres de chá de amostras de fezes frescas no intestino de uma pessoa através de um tubo no nariz…”

    Quanto glamour hahahaha

Deixe seu comentário!