A cor não existe: o que você vê é luz

Por , em 18.08.2011

Rosas são vermelhas, violetas são azuis… será mesmo? O fato é que as cores que você enxerga podem não ser as mesmas que outra pessoa vê. Isso porque percebemos as cores através do nosso cérebro, e não de nossos olhos.

A cor não existe objetivamente, pelo menos não em qualquer sentido literal. O que existe é a luz – que é detectada até mesmo pelas medusas, que não tem cérebro, o que mostra a simplicidade da sensação.

Obviamente você pode qualificar e identificar as cores, mas elas são inteiramente fabricadas em nossos cérebros. E a luz, por incrível que pareça, pode ser transformada em qualquer cor em nossa mente – como é possível perceber em ilusões de óptica.

A cor é criada com base em nossas experiências passadas. É por isso que vemos as ilusões de óptica. Quando olhamos para uma imagem que é consistente com uma experiência passada da “vida real”, o cérebro se comporta como se os objetos da imagem ilusória fossem reais, da mesma forma.

A cor tem sido o cerne da evolução por milhões de anos. Para entender isso, basta pensar na relação entre os polinizadores e as flores (as flores são coloridas para benefício próprio) ou nos diferentes animais que utilizam as cores como forma de se camuflarem ou de atraírem a atenção – como no caso do pavão.

Pense nas cores das roupas que você está usando. Toda a moda, cosméticos e indústrias de design são baseadas na cor. O que isso significa? Que nossa percepção da cor moldou o que somos. A cor, mesmo não existindo fisicamente, moldou o mundo e a cultura humana.

É por essa relação íntima com a cor que as pessoas se perguntam por séculos: você vê o que eu vejo? A resposta nos diz não apenas como nosso cérebro funciona, mas também quem somos enquanto indivíduos e sociedade.

Em um experimento que testou a relação entre cores e emoções, que envolveu um grupo de 150 pessoas de diferentes idades, quase todos os adultos relacionaram o amarelo à felicidade, a tristeza com o azul e o vermelho com a raiva. As crianças mostraram a mesma tendência, mas as escolhas eram mais misturadas e variáveis.

Por outro lado, crianças e adultos mostraram uma relação semelhante entre a cor e os sons. Os sons mais baixos foram representadas por azul escuro e os mais altos por amarelo brilhante. O experimento indica que as pessoas parecem ter mapas mentais internos entre as cores e outras qualidades perceptivas, como sons e formas.

Em outro estudo, algumas pessoas receberam 49 blocos coloridos para que colocassem sobre uma superfície com 49 espaços. O número de imagens possíveis a serem criadas era de 10 elevado à potência de 62 – um número gigantesco.

Mas as escolhas das pessoas foram extremamente previsíveis, pois a maioria delas agrupou as cores conforme a semelhança. Isso porque temos uma necessidade inerente de criar estruturas que nos são familiares, como cores semelhantes que existem nas imagens da natureza.

Um terceiro experimento investigou os fundamentos da visão de cores. Foi pedida que pessoas avaliassem se haviam diferenças em simples detecções de luz. As mulheres foram mais sensíveis do que os homens, assim como as mulheres que tem um forte senso de controle foram mais sensíveis do que as que se sentiam impotentes – realmente algo notável quando estamos falando apenas de detecção de luz.

Assim, todos nós vemos o mundo de formas diferentes. Na verdade, não temos escolha quanto a isso porque as nossas experiências do mundo são necessariamente diversificadas. Nenhum de nós vê o mundo como ele realmente é: cada um de nós vê de acordo com nossas histórias partilhadas e com as individuais.

Esta compreensão fornece um ótimo argumento para celebrarmos a diversidade, ao invés do medo e do preconceito que são gerados com as cores. Elas são únicas, assim como cada pessoa que as enxerga.[BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,50 de 5)

45 comentários

  • Erasmo M. de Oliveira:

    Hipótese onde? Isso é um fato! Nosso cérebro encontrou uma forma de perceber formas de onda e são ondas que vemos…

  • Jhenisson Brito:

    Pode não existir mas creio que para todo ser humano as cores são parecida por que os nosso cérebros são desenvolvidos de forma igual então não acho que para mim o mar e azul e para outro e rosa,deve ser um azul mais claro ou mais escuro ou a mesma cor não tem muita logica essa pesquisa já que tirando os deficientes, todos os cérebros são iguais e com as mesmas capacidades, assim se aplica aos olhos e outros órgãos mas para mim acho muito sem lógica essa pesquisa, pelomenos para a raça humana as cores devem ser as mesmas.

  • Marco Silva:

    Eu sempre gostei de preto e branco mesmo… ¨¬¬

  • D:

    Lembro quando comentei sobre isso numa aula na minha 6a serie e o prof (de Ciências) teimou q eu estava errado. Como se trata de uma informação não muito intuitiva, toda turma bovinamente concordou c ele. Caro prof, espero q vc hj se interesse um pouco mais por ciência a ponto de estar lendo isso, porque apesar de ter sido um babaca, vc não fez eu me desinteressar 🙂

  • Karola:

    fiquei maluca tentando aceitar tudo isso.

  • JBPontes:

    Apesar da nossa evolução ter sido no mesmo planeta, cada um tem suas nuances, por que ninguém passou pelas mesmas experiências de todos os outros. Como será que os supostos extra- terrestres enxergam? Já que foram as nossas experiências que nos trouxeram até aqui e a deles ter sido diferentes das nossas, a visão deles deve ser formada de outra maneira. Por acreditarmos que todos vivem a mesma verdade é que vemos as coisas, mais ou menos iguais, por que evoluímos juntos. Acredito que vivemos um mundo totalmente nosso, apesar de parecer que vivemos no mesmo mundo. Somos um universo particular em evolução, junto com bilhões de outros. Eis a dificuldade de se relacionar. Por não respeitarmos a integridade de cada um, queremos obrigar o mundo a ser o que nós queremos. Não existe espaço para o comunismo num universo que é inteiramente único. A grande Lei a ser observada é o respeito mútuo. Grande abraço à todos!

  • Alexandre Söldann:

    “Esta compreensão fornece um ótimo argumento para celebrarmos a diversidade, ao invés do medo e do preconceito que são gerados com as cores. Elas são únicas, assim como cada pessoa que as enxerga.”

    Por Zeus, que comentário ridículo e descabido!

  • Darci:

    cada objeto tem sua função que transformar a cor da luz
    visível dentro de um sistema organizado chamado planeta
    e cada ser vivo interpreta de forma diferente.

  • alisson henrique:

    Quando eu tinha 10 anos eu falava isso pro meu pai ele estava penssando que eu estava ficando doido, eu acho que nos não enxergamos a mesma cor que a outra pessoas enxerga eu posso enxerga o verde mais claro e vc mais escuro que acho que difere de pessoa para pessoa, as veze o laranja que eu enxergo pode ser o vermelho que vc enxerga.

  • Aline Laitarte:

    É difícil aceitar essa hipótese de que as cores que um vê pode ser diferente da que o outro vê…
    Sabemos que a natureza é colorida, o arco-íriis, as flores, o sol, as frutas e todos sabem que morango é vermelho e laranja é laranja…. todos vcs enxergam o limão verde né??? Ou só eu o enxergo verde????

    E AGORA???

    • Wyslla Machado:

      O que a matéria tá querendo dizer é exatamente que o verde que uma pessoa enxerga pode não ser o mesmo que outra pessoa enxerga… Perguntar se todos nós enxergamos o limão verde, bom.. enxergamos. Mas não podemos ter certeza de que o “meu” verde é o “seu” verde.

      Não é tão difícil assim aceitar ou acreditar nessa hipótese.

  • pedro:

    HAHAHAHHA… AS CORES QUE UM VE PODE NAO SER A MESMA QUE E OUTRO VE.. ISSO É A MAIOR BOBAGEM QUE JA LI, JA QUE É ASSIM, O QUE EU VEJO PODE NAO SER A MEMSA COISA QUE VOCE, O QUE EU ESCUTO TBM E ASSIM POR DIANTE A FREQUENCIA DA ONDA EH A MESMA, A ESTRUTURA DO CEREBRO É IGUAL.. BANDO DE LOUCOS UAHUAUA

  • Malu:

    E aonde a luz incide tudo se transforma.
    Cada olhar tem sua sensibilidade e mecanismo de acuidade próprios…
    Interessante postagem.
    Abraços

    • Daniel:

      Oi Malu! Adorei suas palavras. Você está disponível? Tem orkut, msn, Badoo, Netlog, Facebook, Flickr, Gazzag, Google+…

  • Mario:

    o mundo é preto e branco, seus olhos é que são coloridos.

  • Deep:

    É bom saber: http://pt.wikipedia.org/wiki/Albedo

  • Bovidino:

    O que eu aprendi na escola, é que só existe a cor branca.
    As outras cores são detectadas pela capacidade de reflexão do objeto.
    Todo mundo deve se lembrar do disquinho com as sete cores, que girando a uma velocidade de 60 ciclos por segundo só aparece a cor branca.

  • zeus:

    Tive que comprar algumas latas de ‘luz’ quando fui pintar minha casa.

  • Elza:

    É estranho dizer que a cor não existe e,aceito porque esta afirmação foi objeto de estudos e testes.
    Mas até as crianças aprendem que o mar é azul e não só, que o sol é amarelo, as folhas são verdes, há aqui um consenso.
    Quando pintamos um desenho usamos as cores tradicionais.
    MAS FICAMOS MAIS ENRIQUECIDOS COM OS PROGRESSOS DA CIÊNCIA.

  • Marte:

    A dúvida de alguns é respondida no primeiro parágrafo:

    ”O fato é que as cores que você enxerga podem não ser as mesmas que outra pessoa vê.”

    É uma questão de percepção. O que eu entendo como vermelho pode ser de um tom mais fechado para meu colega “X” ou mais claro para o meu colega “Y”. É vermelho, mas não é exatamente o mesmo vermelho. Não existe uma verdade sobre a cor. Cada um percebe de um jeito.

    A indústria gráfica contornou esse problema criando escalas de cores universais, como a famosa Pantone. Por essa escala, o vermelho 032 será sempre o mesmo, tanto aqui no Brasil, como no Japão, ou na Itália, independente da percepção tonal dessa cor para cada indivíduo. Como no jogo do bicho, vale o escrito, não o que é percebido pelos olhos (cérebro) do destinatário.

    A informática passou pelo mesmo problema quando surgiu a cor nos computadores pessoais, por conta das diferenças de hardware nos dispositivos de saída de imagem. O que parece ser vermelho no monitor da marca “A” é carmim no monitor da marca “B” e alaranjado na marca “C”. Quem se saiu melhor nessa briga foi a Apple, que criou um sistema – ColorSync –, presente nos computadores Macintosh, que faz a interpretação e a conversão da cor, apresentando a mesma corretamente, independente do dispositivo de saída.

  • Lumiah:

    Se as cores existem ou não, o importante é que as vemos misturadas, refletidas, com ausencia ou frequencia. Vamos colorir a vida, o mundo!!! Vivam as cores em mim!

  • Anita:

    Então o racismo também não devia existir!

    • Alisson:

      Maioria dos “negros” não são tão negros como o veludo preto. Os termos são
      relativos, vagos, desorientadores. A fração de luz incidente que a pele humana reflete (a
      reflexividade) varia muito de indivíduo para indivíduo. A pigmentação da pele é produzida
      principalmente por uma molécula orgânica chamada melanina, que o corpo produz da
      tirosina, um aminoácido comum nas proteínas. Os albinos sofrem de uma doença hereditária
      que impede a produção de melanina. Sua pele e seus cabelos são brancos como leite. As íris
      de seus olhos são cor-de-rosa. Os animais albinos são raros na natureza, porque suas peles
      fomecem pouca proteção contra a radiação solar e porque eles ficam sem camuflagem
      protetora. Os albinos tendem a morrer cedo. Nos Estados Unidos, quase todo o mundo é
      moreno. Nossa pele reflete um pouco mais de luz em direção à ponta vermelha do espectro da
      luz visível do que em direção à azul. Não tem mais sentido descrever indivíduos com elevado
      teor de melanina como “negros” do que descrever indivíduos com baixo teor de melanina
      como “brancos”. Só nas freqüências visíveis e nas imediatamente adjacentes é que se tomam
      manifestas diferenças significativas na reflexividade da pele. Os povos vindos do norte da
      Europa e os povos provenientes da África central são igualmente negros na ultravioleta e na
      infravermelha, quando quase todas as moléculas orgânicas, e não apenas a melanina,
      absorvem a luz. Só na luz visível, quando muitas moléculas são transparentes, é que a
      anomalia da pele branca se toma até possível. Na maior parte do espectro, todos os humanos
      são negros.

      Do livro: Bilhões e Bilhões de Carl sagan

  • Lokky:

    A cor não existe? é o mesmo que dizer que 96FM não existe, é o mesmo que dizer que só existe radio, sem frequencia nenhuma, ja que cores são frequencias de luz.

  • Alisson:

    Se a cor nada mais é do que uma frequência da luz, então todos vemos a mesma cor. Por que cada pessoa enxergaria uma frequência diferente? Logo, o verde que uma pessoa vê é o mesmo verde que todas as outras veem, visto que o cérebro humano segue um mesmo padrão de percepção.

    • Andy:

      Tem razão o cérebro segue um padrão, mas não podemos nos esquecer que cada pessoa tem suas nuances devido a variabilidade genética, e pode ser que nessa variação resida a percepção de cor. Vai saber…

      E para concluir, não é que uma pessoa “enxergaria” uma frequência diferente, a grande questão aqui é se todos associam a mesma frequência à mesma cor.

    • Alisson:

      Talvez possa se comparar a frequência de rádio, visto que ondas de rádio são partes de onda luminosa. Todos associamos a mesma frequência de rádio ao mesmo locutor.

  • Critico:

    As medusas possuem CÉLULAS que detectam a luz. Ora, se as medusas não possuem CÉREBRO e podem de uma maneira primitiva detectar COR (ausência, intensidade de luz), então é inapropriado assimilar COR a experiência pessoal ou interpretação, percepção do cérebro.

    Nos indivíduos humanos, onde a cor é interpretada no cérebro, vemos a anomalia daltonismo, onde confirmamos esta interpretação.

    A questão praticamente subjetiva de interpretar cor ser uma experiência única pessoal é muito questionável.
    Aparentemente é como dizer que alguém pode interpretar uma palavra de maneira diferente. Um sentido de calor como cócegas, ou coisas assim.

    Logicamente a cor é interpretada de forma pessoal, mas a ACUIDADE é muito grande, ou seja, na prática vemos as cores da mesma maneira. Algo como um 99.9%.

    • Andy:

      Mas é fato que as pessoas interpretam as palavras de maneiras diferentes. Cada um tem seu histórico pessoal com determinada palavra ou frase, e que atribui emoções diferentes para cada uma.

  • César:

    A cor é percebida no cerebro e não nos olhos, ok, mas por ser uma experiencia muito simples, as medusas que NÃO possuem cerebro percebem as cores, BUT WHAT?

    • Andy:

      Não necessariamente se precisa de um cérebro para detectar ondas, basta ter células sensíveis a elas.

  • Ferreira:

    Quando eu era criança eu disse para minha irmã que o azul que eu enxergo pode ser verde ou qualquer outra cor mais acho que é azul por que todo mundo fala que é azul.

    • Andy –:

      É impressão minha ou sua conclusão foi sem lógica?

    • Felipe:

      Ele está certo. Quando você era bem pequeno, aprendeu que o preto tem o nome de preto. Porém, você pode ver um preto que para mim é o vermelho, para seu pai o verde e para sua mãe o azul.

    • Andy:

      De fato, mas acontece que no final ele afirmou que se convenceu de que o azul que ele enxerga é realmente o azul que a outra pessoa enxerga devido ao fato de todos chamarem a cor azul de azul (O que na minha visão não possui lógica).

      Bem… pelo menos foi que isso que eu pude entender da afirmação ambígua dele…

  • Mesrine:

    Que as cores que uma pessoa enxerga não são as mesmas que uma outra vê, isso é de conhecimento, como é de exemplo os daltônicos.

    Mas agora falar que as cores que vemos são na verdade ilusão de óptica resultantes da detecção da luz já é exagero.

    • Andy:

      É óbvio que não é exagero, isso é conhecimento de fisica de ensino médio. A cor só existe no nosso cérebro, que apenas associa determinada frequencia de luz ao que chamamos de cor.

      Em outras palavras, cor é sinônimo de frequêcia de onda.

    • igor:

      sinceramente cara vc ta precisando estudar um pouco sem querer ofender mas desde a quarta serie que aprendi isso os objetos nao tem cor as cores sao provenientes da luz o preto por exemplo e preto porque absorve todas as cores ja o branco porque reflete todas as cores e as demais porque refletem todas as cores menos a que e a sua por exemplo um objeto azul e azul pq reflete todas as cores menos o azul espero ter ajudado

    • Di Gallinari:

      Andy, Não fale o que não sabe, por favor. A cor existe OBJETIVAMENTE, e é formada em nossos olhos, eu estudo neurociencia e sei doq falo.

  • alex:

    A cor nao existe? Se voce ve um objeto verde é porque ele refletiu o verde por filtragem, as outras cores foram absolvidas, ou seja, na verdade o objeto nunca foi verde apenas reflete a luz verde, portanto, a cor existe.

    • Andy:

      Mas quem garante que o verde que você enxerga não é o azul que outra pessoa enxerga?

    • Ícaro:

      As ondas visíveis são divididas em três “polos”, que são as cores primárias: vermelho, amarelo e azul. O verde é uma mistura de amarelo e azul. O amarelo que uma pessoa enxerga pode ser o vermelho que eu enxergo, e o azul pode ser o amarelo. Sendo assim, o verde que eu enxergo, a pessoa pode enxergar como o meu roxo. Pode ser tanto verde, roxo ou laranja.

    • Ícaro:

      E cores que não mudariam de pessoa pra pessoa são o preto e o branco, porque um é ausência de luz e o outro é a junção de todas as frequências de onda. Não tem como uma pessoa enxergar preto no lugar do vermelho.

    • Jadson:

      Como você disse não existe cor preta, preto é ausência de cor.

    • Morgan Luhter:

      Preto é ausencia de luz,basta estudar um pouco de Fisica pra saber que a decomposição da luz produz uma gama de cores, a luz que passa por um prima se decompoe num arco-iris multicor… é fato que a propagação da luz se da em ondas e em particulas… agora se quizermos discorrer sobre como somos sensiveis aos femonemos luminosos, teremos que levar em conta as leis que regem tais femonemos… a ciencia naum aceita o “achismo” como resposta!

Deixe seu comentário!