A dieta secreta de pequenas porções

Por , em 12.07.2012

Basta ir a uma banca de revistas e você verá dezenas de publicações recomendando dietas um tanto exóticas (como dieta da sopa, do abacate e até mesmo do suco). Mas uma boa maneira de perder peso talvez dispense mudanças radicais no cardápio, sugere estudo recente, realizado por pesquisadores da Universidade Estadual do Arizona (EUA).

Primeiro, foram realizados testes com ratos de laboratório, divididos em dois grupos. Depois de percorrer um labirinto, eles eram recompensados com ração. Aqueles do primeiro grupo ganhavam um grande pedaço de comida, enquanto os do segundo recebiam vários pedaços (que, juntos, somavam a mesma quantidade oferecida ao outro grupo). Depois de 12 sessões, ficou claro que a recompensa em porções era a favorita – e fazia com que os ratos se esforçassem mais na tarefa.

“Mas eu não sou um rato”, protesta um leitor perspicaz. Para não se restringir aos animais de laboratório, a equipe também fez testes com um conjunto de 301 estudantes, divididos em dois grupos.

Cada participante do primeiro grupo receberia um bagel (uma espécie de rosquinha) coberto com cream cheese, enquanto cada um do segundo receberia a mesma refeição, porém cortada em quatro pedaços – mais uma vez, a quantidade era a mesma nos dois casos. Os pesquisadores constataram que os alunos do segundo grupo se sentiram satisfeitos comendo menos.

Vinte minutos depois, todos ganharam uma refeição “de verdade” e aqueles que haviam comido porções menores também ficaram saciados antes dos outros.

“Cortar alimentos altamente calóricos em pedaços menores pode ser bom para quem está fazendo dieta e deseja que suas refeições sejam satisfatórias, mesmo mantendo controle sobre a quantidade”, disse a líder da pesquisa Devina Wadhera, do Departamento de Psicologia da Universidade. Talvez este seja o grande segredo daquelas pessoas que “comem como um passarinho” e não precisam encher o prato para se satisfazer.[WebMD]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Valkyria Karpinski:

    Bom, o estudo não comprovou que essas mesmas pessoas perderam peso, ou seja, além de não ter sido feito nenhum acompanhamento em relação se as pessoas pesquisadas tinham sobrepeso ou não, não foi verificado também os efeitos psicológicos… Esse estudo carece de informação!

    • Guilherme de Souza:

      Concordo, mas vale lembrar que o foco do estudo era ‘comer menos’, não ‘emagrecer’. Perder peso, sem dúvida, envolve muito mais do que isso (embora diminuir a ingestão de calorias ajude), e realmente merece mais estudos.

Deixe seu comentário!