Adolescentes fumantes têm redução na atividade cerebral

Por , em 15.03.2011

Um novo estudo descobriu que os adolescentes fumantes têm atividades do cérebro reduzidas.

Os pesquisadores determinaram esses resultados através da medição do nível de dependência de nicotina em 25 fumantes e 25 não-fumantes com idades entre 15 e 21 anos.

Eles utilizaram o índice de quantidade de fumo (IQF), que observa quantos cigarros um adolescente fuma por dia e quão cedo eles começam a fumar no dia para determinar a dependência de cada indivíduo.

Em seguida, os participantes realizaram um teste. Eles foram submetidos a ressonância magnética funcional (fMRI), e deveriam pressionar um botão o mais rápido que pudessem quando uma seta iluminada aparecia. Quando um sinal sonoro tocava, eles não deveriam apertar o botão. Isso demonstraria a capacidade de cada participante de inibir uma ação.

Os resultados foram surpreendentes. Segundo os pesquisadores, quanto maior a medição IQF, ou seja, quanto mais um adolescente fumava, maior a redução da atividade em uma parte do cérebro conhecida como córtex pré-frontal, responsável pela tomada de decisões. Mas, apesar dessa atividade reduzida, fumantes e não fumantes tiveram as mesmas performances na tarefa.

Isso sugere que a resposta motora dos fumantes pode ser mantida por algum tipo de compensação de outras áreas do cérebro. Segundo o estudo, o fato de que tanto fumantes e não fumantes tiveram o mesmo desempenho indica que as intervenções precoces durante a adolescência podem impedir que os jovens passem de fumar ocasionalmente para fumar pesado.

Por outro lado, o desenvolvimento prolongado do córtex pré-frontal pode causar má tomada de decisão em adolescentes, devido ao controle cognitivo imaturo durante esse período. Este efeito pode influenciar a capacidade da juventude de tomar decisões racionais sobre seu bem-estar, e isso inclui a decisão de parar de fumar.

Assim, como o córtex pré-frontal continua a se desenvolver durante o período crítico da adolescência, o tabagismo pode influenciar a trajetória do desenvolvimento do cérebro, afetando o funcionamento do córtex pré-frontal. Por sua vez, se o córtex pré-frontal é impactado negativamente, um adolescente pode ficar mais propenso a continuar fumando, em vez de tomar uma decisão mais saudável. [DailyTech]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • Luan P.:

    Cara eu lembro de quando eu peguei num cigarro , tinha 11 anos hoje tenho 15 , meu amigo me ofereceu e eu fumei 1 , achei bom , relaxante , mas eu sabia que fazia mal e nunca mais fumei na minha vida =P , pode parecer mentira mais consigo controlar alcool e tabaco tranquilamente…

  • miqueias charles:

    Fumar está até sendo proibido,acho que basta….

  • Luan:

    diga não as drogas!

  • dudi:

    Parei de ler no começo já, pois pra mim 50 fumantes não podem traduzir um dado significativo.
    “Os pesquisadores determinaram esses resultados através da medição do nível de dependência de nicotina em 25 fumantes e 25 não-fumantes com idades entre 15 e 21 anos.”

  • zeus:

    Radicalizando…Que burrice!!!

  • antonio lara:

    Fumar é uma &*¨%$# de toda forma !

  • Diogo:

    uma pesquisa baseada em 50 pessoas pra mim não é uma pesquisa confiável

  • Claudio D’Amato:

    Então está explicado: Os pittboys são fumantes!
    É por isso que fazem tanta m… (m… de maravilha)!

  • Pensador®:

    Quem fuma, não pensa!

Deixe seu comentário!