Covil de rei exilado por razões misteriosas em 806 d.C. é descoberto

Por , em 22.07.2021
Até recentemente, os arqueólogos pensavam que a caverna datava do século XVIII. Sua estimativa estava quase mil anos errada. (Crédito da imagem: Mark Horton /Edmund Simons /Royal Agricultural University)

Uma caverna britânica foi identificada como o refúgio de um rei anglo-saxão exilado, de acordo com arqueólogos.

Anchor Church Caves, localizada ao lado do rio Trent em uma parte isolada no centro da Inglaterra, foi considerada por muito tempo uma “loucura” do século XVIII — uma edificação extravagante feita apenas pela ornamentação ou como uma piada.

Mas um novo estudo revelou que a caverna teve um propósito real. A estrutura de 1.200 anos foi construída durante a vida tumultuada do rei nortumbriano Eardwulf, que foi perseguido e removido de seu trono para viver como um eremita, e mais tarde se tornou um santo.

A lenda local diz que Eardwulf, ou St. Hardulph, como ele foi conhecido mais tarde, viveu dentro da caverna depois de ter sido deposto e exilado por razões misteriosas em 806 d.C. Um fragmento de um livro do século XVI afirma que Eardwulf ”tem uma cela em um penhasco [próximo de] Trent’ e o rei banido foi enterrado em 830 d.C. em um local a apenas 8 quilômetros da caverna.

(Crédito da imagem: Edmund Simons /Royal Agricultural University)

Edmund Simons, arqueólogo da Royal Agricultural University na Inglaterra e principal investigador do projeto, está convencido de que Eardwulf vivia nas cavernas vigiado de perto por seus inimigos.

“As semelhanças arquitetônicas com edifícios saxões, e a associação documentada com Hardulph/Eardwulf, tornam a narrativa convincente de que essas cavernas teriam sido construídas, ou ampliadas, para abrigar o rei exilado”, disse Simons em um comunicado.

Eardwulf viveu e governou durante um tempo de frequente instabilidade política na Inglaterra medieval. Durante os séculos VII, VIII e IX, sete reinos-chave e mais de 200 reis foram assassinados e guerrearam uns contra os outros em uma disputa fervorosa e constante pela supremacia.

Eardwulf assumiu o trono em 796 após o assassinato de seus dois antecessores imediatos, e governou a Nortúmbria por apenas 10 anos antes de ser deposto (possivelmente, de acordo com alguns estudiosos, por seu próprio filho) para passar seus anos restantes no exílio no reino rival da Mércia.

“Não era incomum que a realeza deposta ou aposentada assumisse uma vida religiosa durante esse período, ganhando santidade e, em alguns casos, canonização”, disse ele. “Viver em uma caverna como eremita teria sido uma maneira alcançar isso.”

Eardwulf viveu na caverna junto com seus discípulos, pensam pesquisadores (Crédito da imagem: Edmund Simons/Royal Agricultural University)

Os pesquisadores reconstruíram o projeto original das cavernas, que inclui três quartos e uma capela voltada para o leste, usando medidas detalhadas, uma pesquisa com drones e um estudo cuidadoso das características arquitetônicas — que se assemelham muito a outras arquiteturas saxãs. Apesar de terem sido negligenciadas pelos historiadores até recentemente, as habitações nas cavernas podem ser “os únicos edifícios domésticos intactos que sobreviveram do período saxão”, disse Simons. A equipe identificou mais de 20 outras cavernas no centro-oeste da Inglaterra que podem datar do século V.

As Cavernas da Anchor Church foram mais tarde modificadas no século XVIII, de acordo com a equipe, quando foi relatado que o aristocrata inglês Sir Robert Burdett “a modificou para que ele e seus amigos pudessem jantar dentro de suas celas frias e românticas”, segundo os pesquisadores. Burdett adicionou alvenaria e molduras de janelas às cavernas, além de ampliar as aberturas para que mulheres bem vestidas pudessem entrar, disse o comunicado.

“É extraordinário que edifícios domésticos com mais de 1.200 anos sobrevivam, não reconhecidos por historiadores e arqueólogos” Disse Mark Horton, professor de arqueologia da Universidade Agrícola Real, que está liderando escavações de restos vikings e anglo-saxões em Repton, perto das cavernas, disse no comunicado. “Estamos confiantes de que outros exemplos ainda devem ser descobertos para dar uma perspectiva única sobre a Inglaterra anglo-saxã.”

Os pesquisadores publicaram suas descobertas na revista Proceedings of the University of Bristol Speleological Society.

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!