As aves que voavam com 4 asas

Por , em 19.03.2013

Pesquisadores chineses descobriram novas evidências de que as primeiras aves tinham quatro asas, em vez de duas. Por conta disso, voavam que nem um biplano – com as asas em suas pernas fornecendo um segundo impulso.

A equipe da Universidade de Linyi (China) analisou 11 esqueletos de 5 espécies diferentes de aves do período entre 150 e 100 milhões de anos atrás, doados por diversos colecionadores para o Museu da Natureza Shandong Tianyu. Eles eram relativamente robustos: maiores do que um corvo, mas menores do que um peru.

article-0-18AA998D000005DC-670_634x419

Vários fósseis mostram que alguns dinossauros tinham penas grandes em ambos os membros dianteiros e traseiros. Mas, até agora, não havia exemplos dessa configuração de quatro asas em aves – ou até mesmo em seus familiares mais recentemente extintos.

Agora, Xiaoting Zheng e seus colegas estudaram os fósseis e identificaram nas aves primitivas sinais claros de penas nas patas traseiras.

Aves modernas têm dois tipos de penas: as que cobrem o lado de fora do corpo, e as que crescem por baixo delas.

A equipe chinesa descobriu um tipo de plumagem que cobre o lado de fora do corpo bem preservado em fósseis do esqueleto dos espécimes estudados, ao longo do membro traseiro de cada criatura.

Isso sugere que a configuração de quatro asas precedeu a de duas asas, e que as aves perderam gradualmente as penas em suas patas traseiras ao longo do tempo evolutivo. Essa transição de quatro asas para duas provavelmente aconteceu quando as aves passaram a usar mais suas patas traseiras para a locomoção terrestre.

article-0-18AA99A9000005DC-970_634x501

Em um artigo relacionado, Michael Balter compara os pássaros antigos a biplanos do início de 1900, que mais tarde foram eliminados em favor de monoplanos mais rápidos.

“A equipe chinesa apresenta dramáticos novos fósseis que sugerem que as aves passaram por uma evolução semelhante, começando com asas em ambos os braços e pernas e, posteriormente, adotando a configuração monoplano”, escreveu.

No entanto, alguns especialistas questionam esses resultados, dizendo que a pena pode não ter sido utilizada para o voo, mas sim como parte de uma exibição de acasalamento, por exemplo.

Ano passado, o dinossauro Microraptor zhaoianus, com quatro asas ao invés de duas, foi descoberto na China – suas patas traseiras eram dotadas de uma estrutura com penas. Apesar disso, os cientistas acreditam que tais penas tinham papel meramente decorativo e o Microraptor sequer podia voar, uma vez que sua cauda comprida era um empecilho prático.[DailyMail]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

3 comentários

  • dudilhas monteiro:

    Acredito que existam mais espécimes da pré-história ou anteriores que ainda não foram encontradas e quiçá nunca serão, nos deixando com isso leigos a respeito de como seriam realmente, naqueles idos, a constituição esquelética ou plumática de muitas aves. Enfim, pouco a pouco vemos que a ponta do iceberg vai ficando a vista, mas para vê-lo em sua totalidade acho impossível, pois com o advento de muitas mudanças climáticas que existiram naquela época muitos espécimes pereceram.

  • Paulo Vinicius Mavignier:

    dragões???

  • Luciano Leite:

    Bem, pela cauda dele eu diria que possui 5 e não quatro asas!!

Deixe seu comentário!