Astrônomos encontram planeta bizarro “diferente de qualquer outro descoberto até agora”

Por , em 28.08.2019

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech, EUA) descobriram um planeta extremamente bizarro, o HR 5183 b, com uma órbita bastante excêntrica, diferente de todas as órbitas circulares que vemos em nosso sistema solar.

HR 5183 b

A equipe tem observado a estrela anfitriã do exoplaneta, HR 5183, há 20 anos. Foi assim que eles descobriram o HR 5183 b, um planeta três vezes mais massivo que Júpiter. Sua órbita em torno da estrela leva de 45 a 100 anos.

Uma vez que ele viaja para muito longe de sua estrela, os pesquisadores não conseguiram observá-lo diretamente.

Ao invés disso, puderam inferir sua existência através de medições de velocidade radial feitas com três instrumentos: do Observatório Keck (Havaí), do Observatório Lick (Califórnia) e do Observatório McDonald (Texas).

Velocidade radial

Com medições da velocidade radial, astrônomos podem examinar o movimento de uma estrela no espaço.

Na metade do período de observação da HR 5183, os pesquisadores perceberam que as medições se aceleraram rapidamente e depois voltaram ao “normal” em 2018. Isso os fez considerar que um planeta “super-Júpiter” estava “puxando” a estrela.

“Nós detectamos esse movimento de estilingue. Vimos o planeta se aproximar e agora se afastar”, disse Andrew Howard, professor de astronomia do Caltech, ao Science Alert. “Isso cria uma assinatura tão distinta que podemos ter certeza de que este é um planeta real, apesar de não termos visto uma órbita completa”.

Órbita excêntrica

Se fosse no nosso sistema solar, o objeto se aproximaria mais do sol do que Júpiter e depois viajaria além de Netuno. Veja uma comparação das órbitas para entender a sua bizarrice:

Os cientistas já detectaram cometas e até mesmo outros planetas com órbitas elípticas como a do HR 5183 b no passado, mas geralmente tais objetos estavam muito mais próximos de sua estrela hospedeira.

“Este planeta é diferente dos planetas do nosso sistema solar, porém, mais do que isso, é diferente de qualquer outro exoplaneta que descobrimos até agora”, resumiu Sarah Blunt, principal autora do estudo.

Novas observações

Os pesquisadores creem que este novo exoplaneta será detectável nos dados da sonda Gaia, da Agência Espacial Europeia (EUA), em atividade desde 2013. Ela foi projetada para medir estrelas no cosmos com uma precisão incrível, e pode trazer informações interessantes sobre o HR 5183 b.

“Este planeta recém-descoberto é outro exemplo de um sistema que não é a imagem do nosso sistema solar, mas tem características notáveis que tornam o nosso universo incrivelmente rico em sua diversidade”, concluiu Howard.

Um artigo sobre a pesquisa será publicado na revista científica The Astronomical Journal. [Cnet]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (13 votos, média: 4,69 de 5)

Deixe seu comentário!