MUITAS rinoplastias são feitas por motivos de: baixa autoestima

Por , em 31.07.2011

Não existe nada pior que olhar no espelho e torcer o nariz para a própria imagem que se vê refletida.

Segundo uma nova pesquisa belga, muitas das pessoas que fazem cirurgia plástica no nariz, a rinoplastia, têm uma doença mental que as deixam obcecadas por um “defeito imaginário” em alguma parte do corpo.

TDC é principal motivo para rinoplastia

Pessoas com transtorno dismórfico corporal (TDC) são obcecadas por sua aparência. Normalmente, elas têm uma percepção exagerada de uma falha que é imperceptível ou inexistente.

Essa preocupação excessiva pode atrapalhar até mesmo atividades diárias, já que algumas pessoas que sofrem de TDC se recusam a sair de casa por medo de que outros irão ver seu defeito.

Durante um período de 16 meses, os pesquisadores distribuíram questionários para 266 pacientes que procuravam rinoplastia. 20% dos pacientes já haviam sido submetidos a uma rinoplastia anterior.

Os resultados do estudo sugeriram que 33% dos pacientes tinham sintomas de TDC de moderados a graves. O número subiu para 43% entre os pacientes que buscavam a rinoplastia apenas por razões estéticas, sem objetivos funcionais, tais como o concerto de um desvio de septo.

Em comparação, sintomas de TDC moderados ou graves foram encontrados em apenas 2% dos pacientes submetidos à cirurgia nasal estritamente por razões médicas.

Segundo os pesquisadores, que avaliaram a forma dos narizes dos participantes do estudo, a severidade dos sintomas de TDC não estava relacionada à aparência real do nariz. Muitos pacientes preocupados com sua aparência tinham apenas pequenos defeitos ou nenhum.

Os sintomas de TDC são especialmente comuns em pacientes que já fizeram outras cirurgias plásticas ou têm problemas de saúde mental.

Esta conclusão não é surpreendente, já que estudos anteriores mostraram que quase todos os indivíduos com TDC continuam a apresentar sintomas mesmo depois de submetidos a procedimentos cosméticos, e até mesmo podem desenvolver novas preocupações com sua aparência.

Alguns cirurgiões plásticos costumam avaliar as motivações e a saúde mental dos pacientes que procuram cirurgias puramente estéticas. Os pesquisadores esperam que a descoberta do novo estudo ajude os médicos a estabelecer novas diretrizes sobre quais pacientes tratar.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

Deixe seu comentário!