Homem macho é aquele que come carne vermelha?

Por , em 21.05.2012

Eu sei, eu sei, se você é uma mulher, então deve estar pensando, assim como eu, que isso é idiota. Mas faz todo sentido, não? Homens acharem que um bom bife sangrento combina com sua personalidade macha.

Foi o que descobriu um estudo publicado no Journal of Consumer Research, da Universidade Cornell (EUA). O pesquisador Brian Wansink concluiu que homens e mulheres acham carne vermelha uma comida masculina.

Ok, já ouvimos falar de empregos masculinos, roupas masculinas, dentre outras coisas que são mais comumente associados a um gênero do que outro. Mas existe comida de gênero? De acordo com os participantes da pesquisa, sim.

Veja as 5 comidas mais “masculinas” (da mais a menos):

  • Bife mal passado;
  • Hambúrguer;
  • Bife bem passado;
  • Chili com carne;
  • Frango.

Veja as 5 comidas mais “femininas” (da mais a menos):

  • Chocolate;
  • Pêssego;
  • Salda de frango;
  • Sushi;
  • Frango.

Esse tipo de coisa me parece muito boba. Todos sabemos que homens podem usar rosa e mulher azul, do mesmo jeito que tem muita mulher que adora um bom filé pingando e homem que come chocolate sem parar.

Mas a sociedade está aí para culparmos ela e seus estereótipos que criam essas associações tão difíceis de se livrar.
Particularmente, não me importo se os homens se achem machões ao comer carne vermelha. Isso só significa que eles têm 20% mais chances de morrer prematuramente.

Um estudo americano publicado no Archives of Internal Medicine que analisou dados de 500 mil pessoas mostrou que o consumo elevado de carne vermelha aumenta o risco de morte por câncer e doenças cardiovasculares. Tão macho, tão macho, que os homens até preferem morrer mais cedo por um bom bife.

Brincadeiras à parte, outros estudos também concluíram que mulheres que comem menos carne vermelha têm o coração mais saudável, que comer carne vermelha pode levar à cegueira, e que trocar aquele bife por um peixinho diminui os riscos de doenças cardíacas.

Se nada disso lhe convenceu a diminuir sua ingestão de bovinos, saiba que cada quilo de carne que comemos requer múltiplos quilos de grãos para alimentar os animais, e cada grão requer a utilização de fertilizantes contendo azoto, de modo que nossa afeição por um bom bife libera muito óxido nitroso no ambiente, contribuindo para o efeito estufa e todas as suas horríveis consequências tão conhecidas.

Desgraças deixadas de lado, não há como negar que aquele filézão nos faz felizes. Uma pesquisa da Universidade Deakin (Austrália) mostrou que mulheres que comem menos carne de vaca são mais propensas a depressão. Eu ainda diria que provavelmente comer um chocolate aumenta a felicidade feminina. Ih! De volta aos estereótipos?[Gizmodo, Época, Veja]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

12 comentários

  • Filomena Valente:

    Nada melhor do que comer aquele churrasco mal passado e como sobremessa uma boa dose de chocolate em barra….Que delícia!!!! E assim vou vivendo feliz!

  • Eduardo Marques:

    Que comer carne pode ser desvantajoso em algumas questões, no que se refere à saúde, não é novidade.

    Mas o que é novo, é uma patologia que está quase que virando epidêmica ultimamente, os sintomas são, basicamente, achar que todo o resto do mundo deve seguir os ditames que o infectado segue. Existem vários nomes pra esta doença, um que se destaca, e que é consenso entre os cientistas, é o termo “Drauziovarelliose”. Ela pode se manifestar nos mais variados indivíduos. A princípio, religiosos eram o grupo mais susceptível a tal patologia, mas cada vez mais cresce o número de vegans, hipsters e politicamente corretos infectados.
    O tratamento, no geral, é com um psicólogo. Por incrível que talvez pareça. Há uma necessidade de mostrar pra o indivíduo infectado, que ele não nasceu, ou foi escolhido, para mudar a vida dos outros. O que se mostra muito difícil.

    É comum informar, o problema, é tentar converter, quase que no imperativo, e se incomodar, com pessoas que preferem àquele alimento. O ser humano parece progredir no que se diz à tolerar as diversidades religiosas, as opções sexuais. Isso é maravilhoso. Mas tudo indica que começarão uma cruzada pró-saúde extremista. Se é que não começaram já. E tudo que é extremo é deprimente. Tentar escolher pelos outros é um grave problema comportamental, e esse, não sei se Freud bem explicou.

    • Eduardo Marques:

      E aliás, estranho a quantidade de pesquisas que mostram o lado negativo de se comer carne. Será que não fazem pesquisas para mostrar o quão pior que comer carne pode ser comer por exemplo, chocolate, salgadinho, etc, por que? Porque talvez o negócio da carne é muito menos corporativo que esses outros alimentos, pelo menos no que se diz a proximidade da empresa com o consumidor. Logo de cara sabemos a empresa daquele ou do outro chocolate, já carne, não. É mais “anônimo”. Muita gente ia perder dinheiro se começassem a fazer uma cruzada contra estes outros alimentos industrializados tão comum no nosso dia-a-dia. Mas, os comedores de salada não tardarão para monopolizar o mundo com a “verdade” deles.

    • Eduardo Marques:

      Concluindo. Que tenhamos 20% de chances de morrer prematuramente. Mas deixe-nos morrer em paz. Diferente de viver é sobreviver. Sobreviva então, até os 90, sem aproveitar da vida, superprotegendo-se ao extremo e acumulando apenas dias de existência. [Isso se você não morrer antes vítima da violência, e tantos outros males muito mais reais no nosso cotidiano]

      Mas parece muito mais sensato aproveitar [não inconsequentemente, é claro] a vida. Viver talvez até os 80, mas, bem vividos. Tendo-se boas memórias… Daqueles churrascos de domingo, da cervejada com os amigos.

      Se querem vos privar de algo. Privem-se! Mas não pense que existe uma verdade única. Eu me matar alimentando-me do que quero, é totalmente individual. Deixe-me morrer em paz, e feliz.

  • Alex Keher:

    Estereótipos são mais sérios do que parecem.
    A mídia contruiu a idéia de que é preciso gostar de FUTEBOL e CERVEJA para ser macho.

    E grande parte dos brasileiros se submete ao estereótipo criado para fazê-los consumir cada vez mais.

    Bom para a Ambev e para a FIFA.
    Ruim para a saúde, para o trânsito, para as famílias dos homens que gastam mais em cerveja que em informação. Ruim para a sociedade que vê o governo investir mais em estadios que em escolas e jogadores ganharem absurdamente mais que cientistas.

  • Antonio Fabrizzio:

    “Esse tipo de coisa me parece muito boba” e na verdade É MESMO!

  • Caio Alencar:

    Se precisarem de um bom churrasqueiro, me chamem!

  • Espectro:

    Hábitos de macho dos Pampas Gaúchos:

    Uma chamarra, uma fogueira, uma chinoca, uma chaleira,
    uma saudade, um mate amargo e a peonada repassando o trago.

    E de quebra uma costela em fogo de chão – ala putcha tchê!

    • Jonatas:

      A água esquentada numa chaleira de ferro ao modo antigo deixa o chimarrão muito melhor… tem algum segredo molecular nisso. Meu pai velho assa uma carne como ninguém, seus únicos aditivos são sal e alho, e nunca provei nada melhor.
      Não é atoa que a maior churrascaria brasileira é de um gaúcho.

    • Sidnei José de Mello:

      Concordo, sempre faço meu churrasquinho nos finais de semana e uso somente o sal grosso como tempero. As vezes para variar troco o carvão por lenha.

    • elisioleon:

      Isso é incrível! Pra mim, pessoas que vêem sexualidade em tudo, tem que ter algum desvio, não é possível. Agora comer carne é coisa de macho????? heheheh

    • jodeja:

      Claro. “Como carne pra ficar machão e forte como o touro”. Pergunta: O touro come carne? Não, come capim e outros vegetais, de onde tira toda sua força, logo…

Deixe seu comentário!