Cientistas criam “armadilha sonora” para criaturas microscópicas

Por , em 24.07.2012

Um aparelho pouco maior que uma moeda de dez centavos de dólar é capaz de prender e manipular objetos (e criaturas) em escala microscópica. Esse dispositivo, desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Penn State (EUA), pode beneficiar diversos estudos da área de biomedicina.

As chamadas “pinças acústicas” (acoustic tweezers) utilizam ultrassom para controlar os objetos, imersos em um líquido, sem tocá-lo. Para não causar danos, contudo, é preciso usar frequências específicas para cada tipo de material – foram necessários 18 meses de pesquisa para conseguir manipular o nematódeo Caenorhabditis elegans, um dos modelos mais usados pela biologia molecular.

As possibilidades que esse dispositivo traz são muito variadas: da separação de células cancerígenas em uma amostra de sangue até a análise de reações de uma única célula a estímulos do ambiente. A principal meta de seus criadores é a de que, algum dia, esse pequeno, multifuncional e (relativamente) barato aparelho esteja à disposição de qualquer médico que possa aproveitar tamanha precisão.[Live Science]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

  • Orlando Souza:

    Muito interessante. Gostaria de poder ouvir alguns desses sons amplificados, para ver com o que eles se parecem, mais ou menos.

Deixe seu comentário!