Como o jejum pode te proteger contra doenças

Por , em 21.01.2019

Pesquisadores da Universidade da Califórnia encontraram evidências de que o jejum pode melhorar a saúde geral e proteger contra doenças associadas à idade. O estudo foi publicado na revista Cell Reports.

O jejum atuaria no corpo ao influenciar o relógio circadiano no fígado e no músculo esquelético, reiniciando o metabolismo. O relógio circadiano opera no corpo e em seus órgãos como uma máquina refinada que mantém a noção do tempo para preservar a homeostase em resposta a um ambiente que se altera.

Os pesquisadores já sabiam que o alimento influencia este relógio nos tecidos periféricos, mas não estava claro até agora como a falta de alimento influencia o funcionamento desse relógio e seus efeitos no corpo.

“Descobrimos que o jejum influencia o relógio circadiano e respostas celulares dirigidas pelo jejum, que juntas trabalham para alcançar a regulação do gene temporal específico do jejum. O músculo esquelético, por exemplo, parece ser duas vezes mais responsivo ao jejum do que o fígado”, diz o pesquisador principal, Paolo Sassone-Corsi.

Experimentos foram feitos em ratos de laboratório, que eram submetidos a períodos de 24 horas de jejum. Enquanto eles estavam sem comer, os pesquisadores notaram que eles tinham uma redução no consumo de oxigênio, na taxa de troca respiratória e no gasto energético. Todos esses resultados desapareciam quando eles eram alimentados, da mesma forma que foi observada em humanos.

“A reorganização da regulação de genes pelo jejum poderia levar o genoma a um estado mais permissivo, a fim de antecipar o consumo de alimentos e, assim, impulsionar um novo ciclo rítmico de expressão gênica. Em outras palavras, o jejum pode reprogramar uma variedade de respostas celulares. Portanto, o jejum de forma controlado poderia ser uma estratégia para afetar positivamente as funções celulares e como consequência beneficiar a saúde e proteger contra doenças associadas à idade”, explica ele.

Este estudo poderia ser a base para investigações que poderiam desenvolver estratégias nutricionais para melhorar a saúde humana. [Science Daily, Cell Reports]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (23 votos, média: 4,57 de 5)

Deixe seu comentário!