Conheça a célula viva que emite laser

Por , em 16.06.2011

Cientistas estimularam uma única célula viva a produzir radiação laser. Esse trabalho pode ter aplicações no melhoramento da qualidade de imagens de microscópio e no aperfeiçoamento de terapias baseadas na luz.

A técnica começa com a estruturação de uma célula que pode produzir uma proteína que emite luz. A proteína é obtida de águas-vivas brilhantes. Ao dirigir um feixe de luz azul à célula, ela responde emitindo luz laser verde.

É a primeira vez que o fenômeno foi visto em um sistema vivo.

A dupla de pesquisadores usou proteína verde fluorescente (GFP) como o meio por onde a amplificação da luz laser ocorreu. GFP é uma molécula bem estudada, primeiro isolada na água-viva, o que revolucionou a biologia, agindo como uma “tocha” que pode iluminar sistemas vivos. No novo trabalho, células derivadas daquelas presentes no rim humano foram geneticamente modificadas para produzir GFP.

As células foram então colocadas uma de cada vez entre dois espelhos minúsculos, de apenas 20 milionésimos de metro de diâmetro, que atuou como a “cavidade do laser” onde a luz poderia saltar muitas vezes através da célula. Após ser iluminada com a luz de tonalidade azul, a célula pôde ser vista emitindo luz laser verde intensa e direcionada.

As células se mantiveram vivas durante e após todo o processo. Os autores observam que o sistema vivo se autocura: se as proteínas emissoras de luz são destruídas no processo, a célula simplesmente produz mais.

“No caso das terapias baseadas na luz, e de diagnóstico por imagem, as pessoas pensam em como fazer as emissões de uma fonte de laser externa chegarem profundamente no tecido. Agora podemos abordar este problema de outra maneira: ao fazer o próprio tecido emitir luz”, escrevem os autores.[BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

10 comentários

  • Falcone Big:

    Nossa! Já imaginaram um aquário cheio de criaturas emitindo raio-laser numa boate? =)

  • Q:

    Só eu aqui me lembrei da Esfera Borg de Star Trek: Primeiro Contato? Deixa, mais um feito histórico para a ciência.

    • alice cano:

      adorei esse assunto é muito interessante
      gostaria de ler sobre essa esfera borg de star trek
      ,abraços.

  • claudemir da silva:

    matéria preciosa para a ciência

  • @AtomicBlue:

    “Os autores observam que o sistema vivo se autocura: se as proteínas emissoras de luz são destruídas no processo, a célula simplesmente produz mais.”

    As maravilhas de se usar organismos vivos na tecnologia…
    Me empolguei com a notícia – são muitas, muitas as aplicações pra isso!

  • Dorival José Borges:

    Talvez resida nesta descoberta uma futura tecnologia de vídeo.
    Se com um determinado feixe de luz foi possível fazer a célula emitir luz verde, quem sabe, já estejam em busca da calibração do feixe para que a mesma célula emita luz vermelha, bem como a azul, para que tenhamos então um padrão RGB [Red,Green,Blue]biológico, que são as três cores, que combinadas formam as imagens que visualizamos nos monitores e TVs. Esta possibilidade aliada à tecnologia da fibra ótica, ou do armazenamento de dados em cristais, pode resultar em uma nova modalidade de tecnologia da informação.
    Tomara que seja uma conquista para fins pacíficos!
    Abraços

  • Renato_kami:

    eu lembrei do ciclops lendo esse notícia =O

  • Guilherme Euripedes:

    Então eu poderei um dia me tornar uma espécie de Lanterna Verde da vida real?

  • RAQUEL APARECIDA DOS SANTOS:

    gostei disso é mais ou menos esse tipo de tecnologia que os etes usam eles tem esses leisers aumemtado em suas naves milhares de vezes.opiniaõ minha que sou muito esperiente em ufologia.

    • Mimimimi:

      Seu texto agride meus olhos

Deixe seu comentário!