Criada nova tecnologia para substituição de ossos

Por , em 16.06.2010

Se você quebrar algum osso no futuro, talvez não precise usar gesso! Pesquisadores desenvolveram um material biodegradável que pode substituir ossos no nosso organismo.

Supondo que você tenha quebrado o maxilar, em vez de usar um pino de titânio para que seu osso fique no lugar certo, os cientistas colocariam um implante desse material. Ele é feito para estimular o organismo a se “regenerar” mais rapidamente e, como é biodegradável, à medida em que o osso vai crescendo, o implante vai sendo eliminado aos poucos (o implante pode ser alterado para durar de algumas semanas até um ano, dependendo do tipo da fratura).

Os dois principais ingredientes dessa inovação são polilactídeo sintético e fosfato tricalium – o primeiro é a base do implante e o segundo estimula o crescimento do osso.

No entanto, há uma desvantagem para esse novo implante: ele não pode ser aplicado em lugares onde há muito stress – na perna por exemplo, pois ela suporta muito peso. Os lugares onde está sendo testado são os maxilares e no crânio. [Daily Tech]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Erich S. Calicchio:

    Caros visitantes.

    Há a mais de 20 anos existe uma empresa nacional que detém patente de biomaterial para reconstrução óssea. Ela chama-se Einco Biomaterial (www.eincobio.com.br).

    Devemos divulgar estas informações, para mostrar que no Brasil há muitas empresas competentes que possuem tecnologia de ponta para competir no mesmo nível com multinacionais.

    Erich

  • Ana Paula:

    Tudo o que falicita a vida das pessoas e preserva o meio ambiente acaba saindo de circulação, pq o dinheiro é que manda. Já inventaram carro movido a água e hidrogênio, onde estão agora? Ninguém mais ouviu falar, pq petróleo significa dinheiro no bolso dos poderosos……..e desastres naturais………………………………..

  • SENAM:

    Os Russos há mais de vinte anos atrás já haviam inventado uma substancia que era aplicada via injeção e depois ultrasom e era só ir embora depois aquilo se dissolvia e era expelido do organismo. Mas nem tudo que é bom, vinga. O cicatrizador eletrônico foi inventado há mais de 30 anos e nunca ninguém ouviu falar dele. É que o inventor, um Russo cientista que vivia no Brasil , vendeu a patente para a NASA e nunca mais se ouviu falar.

  • Gustavo:

    Assim não vai mais ter graça!! Sem furadeira e parafuso…

  • Luiz:

    É, o negócio é continuar com as boas e velhas hastes intramedulares.

Deixe seu comentário!