Crianças são seriamente afetadas por depressão dos pais

Por , em 11.03.2009

A vida é dura para filhos de pessoas que sofrem de depressão. As crianças tendem a assumir responsabilidades muito grandes para as suas idades, desde cuidar dos pai ou da mãe doente e, até mesmo, de um irmão mais novo. Sendo assim, é importante que os tratamentos para pessoas com a doença incluam assistência não só para a pessoa que sofre do problema, mas para seus familiares.

Essas são as conclusões de uma pesquisa realizada na Suécia.

Os cientistas examinaram o modo com que a vida familiar é afetada, quando um dos pais sofre de depressão. Nove famílias foram analisadas.

Os resultados mostram como o cotidiano familiar muda e se torna mais complicado quando um dos pais sofre de depressão. A incerteza sobre o que está realmente acontecendo toma conta da família inteira. A depressão também faz com que o doente fique desgastado, exausto, o que influi incrivelmente na vida de uma criança.

A depressão muda, também, a comunicação entre o adulto e a criança – há menos conversas do que antes. Brincadeiras diminuem e, como o pai/mãe se isola, os jovens sentem-se abandonados, responsáveis por si mesmos em uma época em que isso é um fardo muito pesado.

“A tarefa mais difícil que uma criança, cujo responsável está em depressão, tem que enfrentar, é garantir que o doente não cometa suicídio. É um nível de responsabilidade além dos limites de uma criança” explica o cientista que conduziu a pesquisa, Britt Hedman Ahlström.

Para a criança, a depressão do responsável significa tanto responsabilidade além de seus limites quanto solidão. Além disso, ela vai se esforçar ao máximo para recuperar seu pai/mãe, tentar de tudo para que as coisas voltem ao normal.

E, mesmo que o doente se recupere, sua família jamais se verá livre de um estado de ansiedade. As pessoas esperam que a doença volte a qualquer momento, ficando preocupadas, sofrendo, associadas à depressão alheia.

De acordo com a pesquisa, envolver a família inteira no processo de recuperação é imprescindível. Alguns psiquiatras ajudam, não só o doente, mas a família inteira a passar pela depressão.

“É vital, para o médico, estar atento às necessidades da família do doente e, principalmente, das crianças” conclui Britt Hedman Ahlström. [Science Daily]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,00 de 5)

3 comentários

  • summer loving:

    minha mae sofreu de depressão muito tempo.
    era terrível…. eu tinha entre 7-10 anos. nao entendia direito, achava que eu tinha culpa por ela estar daquele jeito. cuidava da minha irmã mais nova e dela tb… meu pai era um homem maravilhoso mas trabalhava demais e não sabia como ajudar.
    ela realmente passou muito disto pra mim. minha mãe nunca me elogiou ou me abraçou de verdade. até hoje não nos damos muito… hoje entendo as dificuldades dela mas mesmo assim me esforço ao maximo para ser diferente.
    dureza….

  • Luciane Fernandes:

    É muito difícil administrar as situações, as circunstâncias que causam a depressão… CHOREI!!!

  • Gray:

    Meus pais sofreram de depressão (principalmente meu pai), quando eu ainda era bem novo…

    Logo após a separação, que já é um processo difícil, a minha mãe saiu do local onde eles trabalhavam, na mesma empresa, e ficou vivendo apenas de bicos

    Pouco depois, meu pai também perdeu o emprego durante o governo Collor, e entrou numa depressão profunda… Se isolou dentro de casa, bebendo e fumando sem parar… Nunca conversamos sobre isso, mas sem dúvida ele pensou em suicídio

    Foi bem difícil na época

Deixe seu comentário!