Da Informação à Sabedoria

Por , em 12.08.2012

Por Mustafá Ali Kanso

[Ao mestre Marcimiano in memoriam]

Em um desses treinamentos de professores, patrocinados por uma instituição pública aqui de Curitiba, fui questionado por uma auxiliar de ensino em Educação Infantil, sobre um dos grandes temas que acompanha a humanidade desde a alvorada das civilizações:

Qual a principal diferença entre informação, conhecimento e sabedoria?

Isso me fez refletir sobre toda a minha prática, nesses últimos trinta anos que atuo como educador, seja à frente das novas gerações em sala de aula, no cotidiano da vida escolar, seja à frente de professores em treinamento, como o que eu vivia naquele momento.

Nessa avaliação à queima-roupa, não encontrei nada mais eloquente, para tentar traduzir essa diferenciação que uma vivência, nos meus tempos de recém-formado como engenheiro químico, que na sequência vou relatar. Deixo ao leitor, o direito de julgamento, se minha resposta foi satisfatória ou não.

O objetivo desse artigo, portanto, é convidá-lo, querido leitor à essa delicada reflexão.

Mas, vamos ao relato:

Naquele final de ano tirei férias com a família num sítio de um grande amigo. O meu contato ativo com a natureza foi cômico, para não dizer desastroso.

Nas cavalgadas eu tentava me esmerar, para não fazer feio, porém o cavalo simplesmente não me obedecia. Nunca vi animal mais teimoso. Quando eu relaxava as rédeas o animal me levava de volta para o rancho para ter com seu tratador de nome Marcimiano. Um senhorzinho, já avançado em anos, que mesmo sem nenhuma escolaridade era considerado e respeitado por todo efetivo do sítio.

– O que há de errado com esse animal, “seu” Marcimiano?

O simpático velhinho, simplesmente tirava a cela, o pelego, os arreios e repetia o processo de encilhar o cavalo. Coisa que eu já efetuara, repetidas vezes, em todos os detalhes.

O tratador, então me explicou, com muita didática:

– O senhor e o cavalo já não são os mesmos de ontem. Estão um dia mais velhos, um dia mais teimosos.

A informação me remeteu ao filósofo Heráclito:

“Um homem jamais se banha duas vezes nas mesmas águas do mesmo rio”.

Naquela noite, quando uma fogueira emitiu chispas contra o céu estrelado minha filha (que na época tinha quatro anos) me perguntou, encantada, que brilho fantástico era aquele.

Com a plateia de amigos ao redor da fogueira, aproveitei para fazer uma brincadeira:

– São os elétrons dos átomos de carbono e hidrogênio que retornam à camada L da eletrosfera e libertam luz visível, no espectro de 500 nanômetros.

Minha filha achava graça de minhas explicações técnicas.

O velho Marcimiano usou outra explicação:

– Veja, são estrelinhas que estão subindo aos céus.

Minha filha olhou para cima, para o magnífico espetáculo das estrelas e ainda mais encantada concluiu:

– Que lindo! Elas estão voltando para suas mamães!

De fato muitos átomos de hidrogênio escapam da gravidade terrestre e retornam ao espaço e em verdade os átomos mais pesados que o hidrogênio são “gerados” pelas estrelas – suas “mamães” – se usarmos essa analogia.

Mas era apenas informação e conhecimento que eles intuíam?

Naquela mesma noite, ao nos recolhermos, o velho Marcimiano com suas frases insólitas me convidou a outra reflexão:

– É muito bom ver fogueiras ao redor da fogueira.

O aquilo significava?

Ele me explicou com o mesmo didatismo de sempre:

– Todos nós somos fogueiras professor. O tempo sopra sobre cada um de nós até sobrar cinzas.

E antes de se retirar completou:

– Espero que a luz de sua candeia sirva para iluminar alguém.

Quando minhas férias terminaram, me despedi de todos do sítio, em especial do velho Marcimiano:

– Nunca consegui encilhar um cavalo como o senhor!

Ele me respondeu sorridente:

– Não se avexe professor! Todos nós somos mestres de nosso ofício!

Talvez o componente oculto no processo que brindava toda a sua maestria, fosse o afeto, com o qual ele tratava todos os seres vivos.

Por vezes, podemos ter a informação e até o conhecimento, mas a sabedoria de sua aplicação construtiva só é conquistada com o coração.

Pode parecer piegas, mas a cada dia eu me convenço que é aí que reside toda a diferença:

Enquanto a informação pode modificar o meu discurso e o conhecimento,  a minha conduta – só a sabedoria é capaz de modificar o meu caráter e, assim,  me transformar a cada dia num ser humano melhor!

E para concluir:

Como buscadores que somos;

– Que a luz de nossa candeia (minha e sua) – meu querido leitor – sirva todos dias para iluminar alguém!

Uma ótima semana a todos!

-o-

[Imagem: Fire de Natanonoda ]

 

[Leia os outros artigos de Mustafá Ali Kanso]

 

LEIA SOBRE O LIVRO A COR DA TEMPESTADE do autor deste artigo

À VENDA NAS LIVRARIAS CURITIBA E ARTE & LETRA

Navegando entre a literatura fantástica e a ficção especulativa Mustafá Ali Kanso, nesse seu novo livro “A Cor da Tempestade” premia o leitor com contos vigorosos onde o elemento de suspense e os finais surpreendentes concorrem com a linguagem poética repleta de lirismo que, ao mesmo tempo que encanta, comove.

Seus contos “Herdeiros dos Ventos” e “Uma carta para Guinevere” foram, em 2010, tópicos de abordagem literária do tema “Love and its Disorders” no “4th International Congress of Fundamental Psychopathology.”

Foi premiado com o primeiro lugar no Concurso Nacional de Contos da Scarium Megazine (Rio de Janeiro, 2004) pelo conto Propriedade Intelectual e com o sexto lugar pelo conto Singularis Verita.

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

14 comentários

  • Cristina Cypreste:

    A Sabedoria é uma busca constante daqueles que querem melhorar como seres humanos.
    E quem trabalha com a Informação muitas vezes esquece disso.
    Os trabalhadores da Comunicação Social estão sempre antenados com as novidades das notícias, da propagada e do marketing.
    Também desejo a todos que lerem este artigo que suas candeias possam iluminar outras pessoas.

  • Rogerio Gonçalves:

    Os comentários são extremamente felizes, com raras exceções. Até por sermos seres diferenciados que perseguem informações as mais diversas nesta revista eletrônica.
    Modestamente acrescento minha visão e conceito aos temas apresentados.
    Informação é o que procuramos, coletamos. Conhecimento é a ferramenta alcançada com a transformação da informação. E saber é algo que se adquire paulatinamente, na medida da utilização de nosso conhecimento. Saber mesmo, nada saberemos. O real saber é aplicar ao bem estar o conhecimento elaborado.

  • Yuri Herdt:

    Excelente! Sabedoria é o que falta hoje na sociedade infelizmente. Como poderiamos exitar nos jovens o desenvolvimento da sabedoria? Não é só a idade que traz ela, mas a reflexão e o contato com bons príncipios… pra mim, sabedoria deve fazer parte da educação do indivíduo mais do que muitas matérias, ela deveria se passada pela habilidade dos professores, mas tá difícil e não é facil também se sobresair nesta atividade.

    Inteligência leva a evolução tecnnlógicas e avanço cientifíco.
    Sabedoria leva ao bem estar, a paz de espirito e ao bem entre os povos.
    Porém é excencial a sabedoria andar junto da ciencia, pois só assim a ciência pode realmente desenvolver o que precisamos.

  • BrunoSiq:

    Muito Bom Post.
    Ha muito tempo penso nisto, pois vivo entre pessoas com imenso conhecimento em varias areas e esquecem de ir atras do conhecimento em sabedoria. Sabedoria é uma ciencia. Aquele que decide investir em conhecimento nas ciencias atuais aprende como o mundo funciona no fisico, porem a sabedoria é seria como a religião.
    Se dedicar a procurar informações sobre conhecimentos referentes à sabedoria, faz com que se tenha um conhecimento cada vez maior sobre sabedoria. O que ao meu ver é a capacidade de se relacionar com tudo no mundo (pessoas, natureza, Religião, etc…) sem alterar seus sentimentos, permanecendo sempre em paz e mesmo sem entender o por que ou como funciona as outras coisas, ser capaz de compreender que existem e que funcionam de alguma forma.
    Após adquirir um grande quantidade de conhecimento sobre sabedoria, vem a parte mais dificil, conseguir executar um comportamento proximo daquilo que achou ser o mais sabio.

  • Flor de Lis:

    Que maravilha e que privilégio ler este seu post, Mustafa. O senhor Marcimiano é possuidor de uma dessas fontes de sabedoria simples que todos deveríamos conservar dentro de nós para manter acesa nossas candeias. Tenho visto muitos diplomados, colegas meus dos tempos de universidade, que após anos partilhando as mesmas dúvidas e palmilhando o mesmo caminho hoje não reconhecem mais os companheiros de outrora; parece que o tal “canudo” vale mais que nós, e não há mais lugar para o humildade presente no ‘dar e receber’.

  • André de Santa:

    O conhecimento é a informação organizada e sistematizada.
    A sabedoria é o conhecimento orientado às nossas virtudes.

  • Mari Scupinari:

    Obrigada!

  • Luan Barbosa:

    Também estou gostando demais do que você diz aqui! Estou no 2º período de Engenharia Química, espero nunca perder o encanto pelas coisas naturais assim como você demonstra…

  • Jonatas:

    Gostaria de conhecer o Sr. Marcimiano. 🙂
    Excelente post Mustafá, parabéns por equilibrar tão bem o lado científico das ciências exatas de sua profissão com o lado filosófico e até espiritual da arte do pensamento e da sabedoria que vem por muitas vezes de onde menos esperamos. Esse equilíbrio entre os modos de ser é tão importante pra nossa mente quanto o equilíbrio em tamanho e força das duas asas de um pássaro são para o seu voo.
    Que a luz de todas as nossas candeias sempre sirvam ao seu propósito, pois conhecimento e sabedoria são bens que só têm algum valor real quando compartilhamos com alguém e/ou aplicamos ao benefício de todos.

  • JLKLEIN:

    muito bom so não entendi a imagem do capeta nesta tua fogueira.

    • Beto Caldas:

      um de nós dois ta precisando de tratamento, eu não vi nada além de fogo ali.

  • Brian Carvalho:

    curti muito parabens! 😀

  • Thales Guill:

    Ótimo texto, estou gostando muito de suas postagens Sr. Mustafá =)

    Att

  • Orlando Rios:

    Qual a principal diferença entre informação, conhecimento e sabedoria?

    Acho que a informação é aquilo que transmitimos ou recebemos. Por intermédio de livros, revistas ou internet, etc.

    O conhecimento é aquilo que retemos em nossas mentes, que veio a nós pela informação.

    A sabedoria é o temos em resultado do nos foi transmitido pela informação, que retivemos pelo conhecimento e que modificamos/tratamos.digerimos e que se transformou em carater ou perfil social. Exemplo: O cara lê um livro religioso (Que é uma informação pura), adquire conhecimentos (ilumina sua mente o conhecimento e retem apenas como um repositorio), depois ao pensar/analisar o conhecimento adquirido através da informação, ele adiciona vivencias suas anterioroes e transforma tudo em sabedoria ao colocar tudo como uma vivencia ou um aprendizado profundo que se une ao perfil de comportamento social ou ao seu caratér.

    Penso que é assim. Me corrijam se estiver errado, pois quero tranformar informação em conhecimento e depois em sabedoria. 🙂

Deixe seu comentário!