Disco voador: conheça o Desacelerador Supersônico de Baixa Densidade da NASA

Por , em 16.04.2014

Pelo título, parece que a gente vai começar a falar de uma criação fictícia de Tony Stark. Mas, apesar de parecer mesmo coisa de cinema, o Desacelerador Supersônico de Baixa Densidade da NASA não é uma ideia para o próximo filme do Homem de Ferro. Ele é um projeto real da agência espacial norte-americana, que pretende levar seres humanos até Marte.

O Desacelerador Supersônico de Baixa Densidade da NASA (DSBD, na sigla em inglês) é uma nova tecnologia de desaceleração atmosférica para apoiar missões de exploração em todo o sistema solar. Como você pode ver pelas imagens, ele se parece muito com o “estereótipo” de disco voador que temos muito bem formado em nossas mentes. Com um formato arredondado, conta com 22 metros de largura e fica a 6 metros de altura.

O DSBD foi projetado para diminuir o impacto de forças à medida que atravessa a atmosfera marciana para, assim, conseguir pousar em segurança. No caso do envio de pequenos robôs e sondas ao planeta vermelho, esse problema é solucionado pelo uso de um paraquedas que desacelera o equipamento, tornando o pouso mais suave. Mas, como a ideia agora é realizar missões mais avançadas, com seres humanos, a nave é mais pesada – o que significa que um paraquedas “comum” (como os que já vêm sendo usados) não seria capaz de segurá-la e reduzir o impacto com a superfície.

low-density-supersonic-decelerator

Como vai funcionar?

Quando a nave estiver atravessando a atmosfera de Marte a uma velocidade supersônica, o DSBD irá inflar um grande anel em torno de seu perímetro, fazendo com que a resistência do ar atue. A nave vai desacelerar o suficiente para que os paraquedas acoplados reduzam ainda mais sua velocidade, antes de pousar na superfície marciana. Usando este novo sistema, os engenheiros esperam poder pousar objetos tão grandes quanto uma casa de dois andares no chão do planeta vermelho.

E vai funcionar mesmo?

Para testar a eficiência do DSBD e outras tecnologias, uma equipe de cientistas da NASA construiu um outro equipamento chamado Desacelerador Supersônico Inflável (SIAD–R). Trata-se de um mecanismo de teste, formado por um grande trenó movido por um foguete. Localizado em China Lake, na Califórnia, ele é capaz de fornecer forças de resistência para a nave que são 25% maiores do que as condições do mundo real, proporcionando um bom “ensaio” para futuras missões.

A NASA planeja testar esse novo veículo no Havaí em junho deste ano. A nave será jogada de uma altitude de 24 km, a fim de simular a fina atmosfera de Marte.

Outras finalidades

Segundo um comunicado oficial da agência norte-americana à imprensa, “o DSBD é uma das várias tecnologias transversais da NASA e está sendo desenvolvido para criar novos conhecimentos e capacidades necessárias para permitir missões futuras a asteroides, Marte e muito mais”. Ou seja, essa nova tecnologia também poderia ser empregada para outras futuras missões a outros planetas e luas com atmosferas significativas. [Techtimes, NASA]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • ENAX:

    A espécie humana deveria colonizar Marte, ou seja começar plantando espécies que produzam oxigênio suficiente para a sobrevivência humana. Depois que Marte ficar totalmente verde, passará a ter uma boa atmosfera e a água subterrânea chegará novamente à superfície através da evaporação, chuvas etc… Depois da flora, a fauna e finalmente teremos onde escapar da destruição avassaladora que o ser humano pratica em nosso planeta… Levando para Marte todos os ensinamentos que a destruição do nosso planeta vai proporcionar, a humanidade poderá começar uma vida nova, com energia limpa e sustentável…

  • Aylon Gesiany:

    Uma curiosidade; Um pára-quedas funciona num ambiente sem oxigênio ou ar? Porque quando foi dito acima que: “quando a nave estiver atravessando a atmosfera de Marte a uma velocidade supersônica, o DSBD irá inflar um grande anel em torno de seu perímetro, fazendo com que a resistência do ar atue. A nave vai desacelerar o suficiente para que os paraquedas acoplados reduzam ainda mais sua velocidade, antes de pousar na superfície marciana”, é que me surgiu esta duvida. Alguém saberia me…

    • Marcelo Ribeiro:

      Marte TEM atmosfera.

  • Silvanice Pereira:

    Uma matéria riquissima em conhecimento ciêntifico.

Deixe seu comentário!