Como enganar a morte

Por , em 23.09.2008

Quando somamos todos os riscos de morrer de todo tipo de doença ou acidentalmente — desde 1 em 5 chances de falecer de doença cardíaca, a remota possibilidade de 1 em 3,7 milhões de você ser ingerido por um tubarão, até o risco palpável de sofrer hemorragia pelos ouvidos enquanto toca o CD do Amado Batista –- suas chances de bater as botas chegam a uns 110%.

Ao menos parece assim. As notícias semanais de que um tipo de componente químico causa câncer ou de como certo tipo de junk food não só te destrói, mas também cospe na sua cova, podem te levar a desistir da vida.

Mas um estudo feito na Universidade de Harvard e publicado na última edição do British Medical Journal dá esperança de que você realmente consiga evitar ‘vestir o pijama de madeira’, ao menos por algum tempo, com uma combinação de mudanças positivas no estilo de vida.

Como expirar jovem

A pesquisa é parte de um estudo que ainda está em andamento que, por 32 anos, seguiu as vidas de 120 mil enfermeiras e descobriu que 55% daqueles óbitos poderiam ter sido evitados se as participantes tivessem feito atividade física regular, evitassem fumar e engordar; e se tivessem uma alimentação saudável.

Isso inclui 44% das mortes por câncer e 72% por doença cardiovascular que poderiam ter sido evitadas.

O estudo foi um dos primeiros, e de longe o maior, que olhou sobre uma combinação de fatores de estilo de vida que podem influenciar a mortalidade — e não apenas parar de fumar, por exemplo. A força da combinação foi maior do que a soma das suas partes apesar de o estudo ter descoberto que mesmo a mais modesta das mudanças, como caminhar por 30 minutos todos os dias, pode reduzir significativamente seu risco de morte prematura.

´Vambora´

Talvez estas mulheres fossem ‘abotoar o paletó’ no volante ou em um terrível incidente com um meteorito se não tivessem ido prematuramente por doenças crônicas. Talvez um destino pior do que o câncer ou doença cardíaca as esperasse. O estudo não pôde determinar isso.

Sim, você vai morrer de alguma coisa. Doenças crônicas como câncer, no entanto, tendem a afetar muito a qualidade de vida. Cerca de metade dos estado-unidenses vai desenvolver algum tipo de câncer; e cerca de 25% destes doentes serão levados pela doença. Apesar das chances de sobrevivência serem boas e estarem melhorando o tratamento pode ser debilitante e caro.

O estudo de Harvard é mais uma prova de que a prevenção de doenças crônicas através de mudanças positivas de estilo de vida pode evitar que você envelheça muito e preservar uma alta qualidade de vida saudável até o momento em que pegue uma gripe ou simplesmente quebre em dois. Apesar de não ser exatamente agradável é bem melhor do que perder a vida para o câncer ou Amado Batista.

Agora me dê licença que eu tenho que comer um hambúrguer com fritas antes de voltar para trabalhar mais seis horas na frente desse computador, enquanto acendo um cigarro depois do outro. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 5,00 de 5)

9 comentários

  • Eduardo Meira:

    Eu penso assim, um dia todos iremos morrer. Então faça o que mais lhe deixar feliz em vida. – No almoço – “Ah não irei comer estas deliciosas batatas fritas, pois irei engordar” -.
    Indo para escola é atropelado por um caminhão, cuja sua morte é inevitavel, e provavelmente se o morto tivecesse um desejo para fazer algo naquele dia, seria comer suas fritas antes de sua morte. Abçs

  • Morthicia Addans:

    Ao meu ver não importa o tempo que se viva e sim a forma, as pessoas tem que viver prazeirosamente porque a morte é certa…

  • Eduardo:

    Quem acha que ter prazer é fumando, é uma pessoa muito burra pois fumar não da prazer pois o fumante é fedorento.

  • Edson:

    ” Eu vejo as placas dizendo : Não corra, não morra, não fume !
    Eu vejo as placas cortando o horizonte, elas parecem facas de dois gumes…”

    A meu ver, não se trata de nos dar melhor qualidade de vida. Mas de diminuir os gastos dos hospitais e planos de saúde. Por isso há tanta ênfase em parar de fumar, não beber, etc… Já imaginou todos pagando pelos planos de saúde , usando-os minimamente ?

    Eu sei que é dificil pensar assim, quando parece tão óbvio que se trata de dar um melhor conforto e saúde às pessoas. Mas nada disse seria tão enfático se não houvesse lucro.

  • Walter:

    Levar uma vida saudável, não é nem de longe levar uma vida sem prazer, como disse um dos colegas acima. Fumar, ingerir bebidas alcóolicas, comer gorduras e algumas coisas mais, é considerado um estilo de vida auto-destrutivo, portanto não pode ser considerado bom.

    Ninguém vive bem se não tiver saúde, que é o bem mais precioso que podemos ter. Imagine acordar cedo, sempre bem disposto para suas atividades diárias. Não há nada que pague por tudo isso.

    Agora, fazer tudo o que dá na telha, para depois de uma certa idade ficar sofrendo com inúmeras doenças, melhor evitar, não acham?

  • Morton:

    Acho que uma forma de vida saudável não apenas nos ajuda,
    mas também ajuda a preservar o meio ambiente.
    Imagine todo mundo vegetariano, sem fumar, se exercitando.
    Sem fábricas que processam a carne e fumo, menos tempo na
    frente da TV, computador ou outro aparelho tecnológico, melhoria muito.
    Não digo tudo, mas ajudaria bastante.
    Bem, tomara que um dia a bípedada se manque disso.

  • Deep:

    É matemático, ora!

    Se há 110% de chance de morrermos é, exatamente por isso q ninguém escapa!

  • Gustavo:

    De tanto ler esse tipo de notícia, vou finalmente expor minha opinião: será que adianta viver sem ter prazeres? Já chegamos a conclusão de que quase tudo que é prazeiroso faz mal e diminui a expectativa de vida. Vocês não estão desconfiando que, a pessoa que vive mais, é porque não teve muitos prazeres na vida?

  • Andrew:

    A velha frase que o ser vivo só morre por causa e consequência é verdade e se torna mais verdadeira com o pronunciado de uma das maiores e bem sucedidas universidades do Estados Unidos da América, no entanto, vemos muitas pessoas jogando a vida fora com tanta informações de saúde disponíveis: muitos fumam, se drogam, não tem higiene, muitos de seus alimentos são com substancias químicas nocivas a longo prazo, trepam sem camisinha pegando uma dst etc., Como dito, os seres humanos são um bando de suícidas só com o intuíto de sentir o próprio gozo. Atualmente muitos desistem de viver aos 50 anos para 60 por aí, provocando assim uma antipatia em si mesmo, podendo chegar dependendo da pessoas ao si auto prejudicar e também aos outros. Então fica anunciado, qualidade de vida, alimentação naturais e sem substancias químicas, sem stress, exercicios físicos podem diminuir o risco de morte prematura aumentando assim a espectativa de vida do indinvíduo.

Deixe seu comentário!