Esperança para a vida marinha: parque mexicano tem recuperação impressionante

Por , em 15.08.2011

O local de vida submarina selvagem mais próspero fica ao extremo sul da península mexicana Baja: segundo um novo estudo, o Parque Nacional Cabo Pulmo é a reserva marinha mais robusta do mundo.

Uma análise de 10 anos no local revelou que a quantidade total de peixes no ecossistema da reserva – a biomassa – cresceu mais de 460% de 1999 a 2009.

“Um aumento de biomassa de 463% em uma reserva tão grande quanto Cabo Pulmo (71 quilômetros quadrados) representa toneladas de novos peixes produzidos a cada ano. Nenhuma reserva marinha no mundo tem mostrado tal recuperação dos peixes”, disse Octavio Aburto-Oropeza, principal autor do estudo.

Cidadãos que vivem ao redor de Cabo Pulmo, local previamente esgotado pela pesca, estabeleceram o parque em 1995 e cumpriram rigorosamente as restrições. “Nós nunca nem sonhamos com extraordinária recuperação da vida marinha em Cabo Pulmo”, disse o pesquisador Enric Sala. “Em 1999, havia apenas peixes médios, mas, 10 anos depois, o local está cheio de
grandes peixes-papagaio, garoupas, pargos e até tubarões”.

Segundo os autores do estudo, o resultado mais surpreendente da pesquisa é a descoberta de que criaturas do mar em um local esgotado podem se recuperar até um nível comparável a locais remotos, onde nunca houve pesca por seres humanos.

Fatores como a proteção de áreas de desova de predadores de grande porte foram a chave para a robustez da reserva. Mais importante ainda, a aplicação do povo local, liderada pela ação determinada de algumas famílias, tem sido um fator de sucesso do parque.

Capitães de barco, mergulhadores e outros nativos trabalham juntos para cumprir os regulamentos do parque, protegendo a fauna e se esforçando para manter o oceano limpo. “Acreditamos que o sucesso de Cabo Pulmo se deve em muito à liderança local, a autoaplicação dos nativos, e o apoio geral da comunidade”, disseram os pesquisadores.

Reservas marinhas têm ajudado a reduzir a pobreza local e aumentar os benefícios econômicos. A recuperação do parque gerou ecoturismo, incluindo mergulho nos recifes de coral e caiaque, tornando o local um modelo para áreas degradadas pela pesca no mundo todo.

Os cientistas estão se esforçando para monitorar recifes rochosos ao longo da península Baja Califórnia, que se estende desde Puerto Refugio a Cabo Pulmo. Durante os 10 anos de estudo, os pesquisadores descobriram que a riqueza de espécies de peixes de Cabo Pulmo floresceu a um ponto de grande biodiversidade.

Animais como tubarões-tigre, tubarões-touro e tubarões-de-pontas-negras-de-recife aumentaram significativamente. Os cientistas continuam a encontrar evidências de que tais predadores do topo da cadeia alimentar mantêm os corais saudáveis. Outros grandes peixes em Cabo Pulmo incluem garoupas do Golfo, baúnas e garoupas leopardo.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • Ana:

    Eu acho que as pessoas não pensam no amanhã e sim no hoje

  • Roberto:

    Mesmo que seja parcialmente verdeiro, isto não justifica danos causados por navios, plataformas, emissãos de esgotos de cidades costeiras e jogar lixo no mar como vem sendo feito por particulares e governos. Também não justifica a exploração marinha de pesca e a extração e transporte de petróleo, por mais dinheiro que possam representar. A vida não tem preço e ela começou no mar.

Deixe seu comentário!