Bolo de frutas de 100 anos é encontrado em cabana na Antártica

Uma equipe de conservacionistas do Antartic Heritage Trust (Nova Zelândia) encontrou um bolo de mais de 100 anos em uma das cabanas de Cape Adare, utilizada por exploradores da expedição Terra Nova, que aconteceu entre os anos de 1910 e 1913.

O bolo estava em sua embalagem original da marca Huntley & Palmers, ainda embrulhado em papel manteiga dentro de uma lata de ferro bastante enferrujada depois de tantas décadas exposta à humidade. Apesar de a lata estar em péssima condições, o bolo em si tinha aparência e cheiro normais, parecendo ainda ser comestível.

Há registros de que o líder da expedição, Robert Scott, tenha escolhido essa marca de bolo de frutas em suas viagens.

O item passou por tratamento para ser conservado e integrar um museu sobre as primeiras explorações do homem no continente antártico. Outros 1.500 artefatos foram recuperados das cabanas de Cape Adare, e também estão passando por tratamentos. A última etapa da ação do trust será recuperar as próprias cabanas e recolocar todos os objetos preservados em seus lugares originais.

A lata do bolo teve a ferrugem removida, passou por estabilização química e foi revestida. A etiqueta passou por deacidificação e alguns rasgões e amassados do papel manteiga foram corrigidos. O bolo estava em ótimas condições e não precisou passar por nenhum tratamento.

Antartic Heritage Trust

Este trust é composto por uma organização da Nova Zelândia e por uma do Reino Unido. A equipe tem por objetivo promover o conhecimento sobre a história humana na Antártica e sua relevância para o mundo moderno. Para fazer isso, pontos históricos do continente são identificados e preservados, assim como seus artefatos e estruturas.

Assim que o trabalho de restauração dos artefatos e das cabanas estiver finalizado, tudo será recolocado no lugar original. As estruturas e objetos devem ficar como se fossem novos.

Os trabalhos de conservação tiveram início em maio de 2016 com quatro pesquisadores, e a fase que envolve a preservação dos artefatos foi concluída em julho de 2017. A fase de preservação das cabanas começa a partir do mês de agosto.

Essas cabanas foram construídas na expedição norueguesa Carsten Borchgrevink de 1899 e foram as primeiras construções da Antártica. Os pesquisadores as consideram ainda mais especiais por serem as únicas primeiras construções de um continente a serem conhecidas pela humanidade.

Expedição Terra Nova


Esta foi uma expedição britânica que tinha como objetivo alcançar o Polo Sul Geográfico. O grupo de exploradores se dividiu em dois: um ocupou a cabana de Cape Adare e o outro grupo composto por cinco pessoas seguiu para o sul. Robert Scott e seus companheiros chegaram ao Polo Sul no dia 17 de janeiro de 1912, mas tiveram a péssima revelação de que um grupo escocês liderado por Roald Amundsen havia chegado lá 34 dias antes.

Para tornar a situação ainda pior, a equipe inteira de Scott morreu no percurso de volta para o navio, e alguns de seus pertences como diários e fotografias foram recuperados oito meses depois por uma equipe de resgates.

Já o grupo que havia permanecido na cabana teve melhor sorte e conseguiu retornar com vida para o navio. [Antartic Heritage Trust, Science Alert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (9 votos, média: 4,78 de 5)
Curta no Facebook:

Uma resposta para “Bolo de frutas de 100 anos é encontrado em cabana na Antártica”

Deixe uma resposta