Este vídeo “selfie” de pinguins vai ser a melhor coisa que você verá hoje

Por , em 10.03.2018

Dois pinguins-imperadores capturaram um pequeno vídeo de si mesmos ao se deparar com uma câmera deixada na Antártica por um grupo de expedição.

A Divisão Antártica Australiana publicou o clipe de 38 segundos em seus canais de mídia social, atingindo mais de 30 mil visualizações em poucas horas.

A gravação

Um dos membros do grupo, Eddie Gault, colocou a câmera no chão perto da região de Auster Rookery, lar de uma grande colônia de pinguins, enquanto visitava a estação de pesquisa Mawson.

“Não demorou muito para que as aves naturalmente curiosas aproveitassem a oportunidade para um selfie”, disse o grupo.

O vídeo não é um verdadeiro “selfie”. Não foram os animais que decidiram fazê-lo, uma vez que a câmera já estava gravando quando os pinguins se aproximaram dela.

No entanto, enquanto o vídeo capturava vários pinguins de um ponto de vista baixo, um deles logo se deslocou até a câmera e, com um único chute impressionante, angulou a tela para se concentrar apenas em seu rosto.

Como todo mundo tem “aquele” amigo, outro pinguim rapidamente chegou junto para entrar em quadro também. Por cerca de meio minuto, a dupla faz barulho e mexe as cabeças e barrigas com curiosidade para a tela.

Selfies animais

Essa não é a primeira vez que um selfie animal faz manchetes. Nem sequer é a primeira vez que um pinguim se captura em câmera na Antártica.

Em 2013, um pinguim-gentoo disparou uma foto épica de bico aberto quando tentou morder uma câmera GoPro de uma empresa canadense de cruzeiros.

Como os outros dois pinguins não iniciaram a gravação, a Divisão Antártica Australiana pode evitar as mesmas complicações legais que surgiram em torno do infame selfie feito por um macaco em 2001.

O indivíduo, um macho da espécie Macaca nigra chamado Naruto, tirou sozinho uma foto de si mesmo, usando uma câmera que pertencia ao fotógrafo de vida selvagem David J. Slater. Mais tarde, uma organização em prol dos animais processou Slater por lucrar em cima de Naruto.

O caso da “selfie do macaco”

Na época, Slater visitava a Reserva Natural Tangkoko Batuangus, na ilha indonésia de Sulawesi, para fotografar os macacos. No segundo dia, um grupo começou a brincar com sua câmera, de forma que Slater a montou em um tripé e ajustou as configurações para otimizar um close caso os animais clicassem no aparelho.

Mais tarde, suas suspeitas se confirmaram: Slater testemunhou a situação incrível enquanto os animais tocavam na câmera e inevitavelmente tiravam fotos. Segundo o fotógrafo, eles adoravam o barulho do obturador e principalmente ver seus próprios rostos na tela, o que pareceu ser totalmente divertido para eles. Os selfies feitos foram apresentados no livro de fotografias Wildlife Personalities, de Slater.

Em 2015, a PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) processou Slater por danos, alegando que o fotógrafo havia infringido os direitos autorais de Naruto. “A lei de direitos autorais dos EUA não faz nenhuma distinção quanto a quem pode ser autor de um trabalho com base na espécie”, disse Jeffrey Kerr, advogado da PETA. “Se um ser humano tivesse feito esta ou outras fotos semelhantes, seria o detentor dos direitos autorais da fotografia. Naruto não é diferente”.

O caso foi resolvido cerca de dois anos depois, com Slater concordando em doar 25% dos lucros dos selfies para instituições de caridade indonésias que protegem macacos dessa espécie. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (15 votos, média: 4,60 de 5)

Deixe seu comentário!