Estudo descobre o poder oculto da modéstia

Por , em 29.05.2018

Por que as pessoas fazem doações anônimas? Minimizam seu interesse em parceiros românticos? Camuflam seus conhecimentos em arte ou sua graduação?

De acordo com um novo estudo do Instituto de Ciência e Tecnologia da Áustria (Áustria) e da Universidade de Harvard (EUA), em certas circunstâncias, as pessoas têm um incentivo para ocultar seus atributos positivos.

O trio de pesquisadores – Christian Hilbe, Moshe Hoffman e Martin Nowak – desenvolveu um modelo teórico de jogo que captura comportamentos modestos, permitindo que eles sejam estudados.

O novo modelo é o primeiro a incluir a ideia de que sinais ocultos, quando descobertos, fornecem informações adicionais sobre o remetente. Essa ideia explica por que vale a pena, em certos casos, ser humilde.

Reputação x sinalização

Se boas reputações são importantes, por que existem inúmeras situações em que as pessoas escondem suas realizações ou boas características, como quando doamos a uma instituição de caridade, por exemplo? Por que os outros consideram este comportamento louvável?

Ser modesto, muitas vezes, parece não valer a pena logo de cara, mas tomar algumas ações humildes leva a benefícios de reputação a longo prazo.

Para estudar esse “enigma social”, os cientistas criaram um modelo teórico de jogo evolutivo chamado de “jogo de sinalização”.

O jogo

No jogo, existem diferentes tipos de remetentes (alto, médio e baixo) e diferentes tipos de destinatários (seletivos e não seletivos).

O remetente e o destinatário não conhecem o tipo um do outro. Para transmitir seu tipo, os remetentes podem pagar para enviar um sinal. Os sinais podem ser enviados claramente ou ser ocultados. Quando um sinal é oculto, ele tem uma probabilidade menor de ser notado por qualquer tipo de receptor. Em particular, os sinais ocultos implicam o risco de os receptores nunca saberem que o remetente enviou um sinal.

Depois que o remetente faz sua decisão de sinalização, os destinatários decidem se devem ou não se engajar em uma interação econômica com o remetente. O jogo tem um elemento de risco e, portanto, os remetentes e destinatários devem desenvolver estratégias para maximizar seu ganho.

As metáforas

Os sinais funcionam como metáforas para as maneiras como somos modestos ou exibicionistas na vida real.

“Ocultar um sinal” (isto é, obscurecer uma informação) é um sinal em e por si mesmo. O sinal oculto pode ter várias interpretações, incluindo o fato de que o remetente não está preocupado com quem ficaria impressionado por ele (como um artista que desconsidera as massas que não saberão apreciar sua arte). Alternativamente, o remetente pode ocultar um sinal por ter certeza de que aqueles que são importantes para ele descobrirão de qualquer maneira (somente aqueles que têm o gosto e/ou a riqueza necessária reconhecerão uma bolsa de marca sem um logotipo óbvio, por exemplo).

“Queríamos entender que estratégias evoluiriam naturalmente e seriam estáveis”, explica Hilbe, do Instituto de Ciência e Tecnologia da Áustria. “Em particular, é possível ter uma situação onde os remetentes de alto nível sempre escolham ocultar seus sinais, os remetentes de nível médio sempre enviem um sinal claro, e os remetentes de baixo nível não enviem nenhum sinal?”.

Isso corresponderia a situações que surgem na vida real e é uma das principais características distintivas de seu modelo: permitir estratégias que visam receptores específicos, sob o risco de perder outros.

Resultados

Em suas simulações, os jogadores começaram sem enviar nem receber sinais. Então, com alguma probabilidade, um jogador ou selecionava uma estratégia aleatória (representando mutação) ou imitava outro jogador (representando um processo de aprendizagem tendencioso para estratégias com maior retorno financeiro).

Os cientistas também descobriram que as populações rapidamente se acomodaram na estratégia descrita acima.

A equipe ainda desenvolveu extensões para o modelo, permitindo que elas abrangessem cenários mais amplos. Por exemplo, eles acrescentaram diferentes níveis de obscuridade: os remetentes podiam escolher entre várias probabilidades de revelação de um sinal. “Descobrimos que, neste caso, os remetentes de alto nível tendiam a ser modestos, mas não muito. Mesmo se você é humilde, não tenta ser ‘mais santo do que tu’”, explicou Hilbe.

Usando o modelo, os pesquisadores puderam colocar uma perspectiva diferente em várias situações comuns: uma doação anônima, um acadêmico não divulgando seu diploma, um artista criando arte com mensagens ocultas e um possível parceiro escondendo seu interesse romântico, entre outras. A teoria mostrou que, no final, esses comportamentos sociais inicialmente paradoxais fazem sentido.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista Nature Human Behavior. [Phys]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (22 votos, média: 4,45 de 5)

Deixe seu comentário!